Saiba o que é preciso para viver de renda

  • 06/10/2020
Página inicial - Vida financeira - Saiba o que é preciso para viver de renda

Viver de renda dos investimentos e do patrimônio é uma vontade de muitos brasileiros. Porém, muita gente não sabe como começar. Para ajudar, listamos alguns pontos importantes para iniciar, baseados em nossa metodologia, que usa técnicas de finanças pessoais e de planejamento financeiro, onde o investidor e seus objetivos financeiros estão em primeiro lugar.

O que eu preciso para viver de renda?

Para viver de renda é necessário construir um conjunto de receitas e fazer com que esse patrimônio trabalhe a seu favor ao longo da carreira profissional.

Esse conjunto pode ser formado por dividendos, aluguéis comerciais, direitos autorais, INSS, consumo do patrimônio adquirido, rentabilidade dos investimentos, entre outros.

Por onde começar?

Para começar a pensar no objetivo de viver de renda, é necessário que você já tenha sua reserva de emergência formada. A reserva de emergência é aquele investimento que serve como um “colchão” para cobrir as despesas mensais da família por um determinado período de tempo, caso algo inesperado aconteça, como perder o emprego, por exemplo.

Saiba mais: Como montar a sua reserva de emergência?

Outro passo importante é conhecer o seu perfil de investidor. Para isso, você pode fazer a BIO financeira, que é uma metodologia criada pela ParMais para identificar o momento de vida, o perfil psicológico frente aos investimentos e a capacidade financeira e patrimonial. Dessa forma, conseguimos fazer uma análise da sua vida como um todo.

Quanto preciso investir para viver de renda?

Para essa resposta, é fundamental saber onde você quer chegar, ou seja, qual o valor de renda dos seus investimentos que você deseja ter no futuro e com que idade pretende começar a receber essa renda. Com isso decidido, você precisa descobrir quanto guardar por mês para atingir este objetivo.

Descubra tudo isso fazendo nosso simulador Viver de Renda.

Como colocar o plano em prática?

Costumamos usar a expressão “invista em você primeiro” para lembrar a todos o quanto é importante ter o hábito mensal de, em primeiro lugar, separar recursos para investir no seu futuro financeiro.

Para alcançar o objetivo de viver de renda, você deve poupar periodicamente uma quantia e saber onde investir para obter a rentabilidade acima da inflação.

Veja neste artigo os efeitos da inflação e dos juros baixos nos investimentos

A escolha do investimento mais adequado ao seu objetivo é parte fundamental do plano, por isso, tenha bastante atenção nesse processo de escolha.

Investir bem faz toda a diferença!

Dependendo do resultado sua BIO Financeira e do valor que você terá que acumular para viver de renda, existem diversos tipos de investimentos disponíveis para você, que vão desde títulos públicos federais e fundos de investimentos, até o mercado de ações.

É muito importante fazer uma gestão ativa do seu patrimônio e estar atento às aplicações ao longo da jornada, acompanhando seus ativos e passivos e fazendo as movimentações necessárias sempre que preciso.

Caso não se sinta confortável para tomar as decisões sozinho, procure a ajuda de especialistas, pois eles podem te ajudar a pensar em estratégias de acordo com o seu perfil de risco e objetivos financeiros, além de te ajudar a tomar as melhores decisões.

Diferença ao longo do tempo

Para visualizar a diferença entre deixar dinheiro na poupança ou investir em um fundo de investimento com características adequadas a BIO Amarela – que equivale ao Fundo Imperium da ParMais – já descontada a tributação, veja o quadro abaixo.

O investimento inicial é de R$150 mil e os investimentos mensais de R$1,5 mil

Investimento (R$) 1 ano 5 anos 15 anos 25 anos 45 anos
Poupança R$170 mil R$257 mil R$502 mil R$794 mil R$1,5 milhões
Fundo R$175 mil R$295 mil R$734 mil R$1,5 milhões R$5,2 milhões
Diferença R$5 mil R$38 mil R$232 mil R$706 mil R$3,7 milhões

Os números comprovam o quanto vale investir da forma correta e contínua. Com o passar dos anos a diferença é gigante.

Quando começar a investir para viver de renda?

Para alcançar o objetivo de viver de renda, comece o quanto antes a colocar esse plano em prática. Desenvolver o hábito de guardar dinheiro, investir e usufruir da força dos juros compostos a seu favor é fundamental.

Veja o esforço necessário para chegar no primeiro milhão até os 60 anos, considerando a taxa nominal de retorno de 8% ao ano, sem considerar a inflação:

Começando aos 20 anos, é necessário investir mensalmente R$322 para acumular R$154 mil e os R$882 mil restantes serão consequência dos juros compostos de 40 anos de investimentos.

Quem inicia o plano aos 30 anos, precisa investir mensalmente R$740, acumulando R$266 mil em 30 anos e os juros compostos desses anos de investimento serão de R$775 mil.

Quem começa com 40 anos precisa investir mensalmente R$1.830,00 para acumular R$439 mil. Em 20 anos, os juros compostos serão de R$602 mil.

Já os que começam com 50 anos, precisam investir mensalmente R$5.800 mil para acumular R$696 mil, pois o resultado dos juros compostos será de R$348 mil nos 10 anos de investimentos.

Impressionante, não é?

Perceba que, começando a investir aos 50 anos, não é impossível conquistar um milhão aos 60 anos. Porém, o esforço para alcançar o objetivo é muito maior.

Se fizermos uma analogia com uma corrida, podemos dizer que quem começa a investir aos 20 anos, encara o desafio como um passeio no parque. Para quem inicia aos 40 anos, o esforço é maior e para quem deixa para começar aos 50 anos, é como se tivesse que correr uma maratona.

Contribuir ou não para o INSS?

Muitos acreditam que a ideia de contribuir para o INSS não vale a pena. Porém, apesar de o INSS não trazer um rendimento alto, ele deve ser visto como um complemento importante, pois oferece diversos benefícios, como auxílio doença, auxílio acidente, salário maternidade, aposentadoria por invalidez, pensão por morte, entre outros.

Geralmente, estratégias planejadas de contribuições para o INSS são uma boa escolha para fins de complemento de aposentadoria e também para o objetivo de viver de renda.

Para saber se vale a pena ou não e qual é a melhor estratégia de contribuição no seu caso específico, é preciso ter um bom planejamento financeiro e contar com profissionais qualificados para fazer uma análise do seu INSS.

Conclusão

Se o seu objetivo é viver de renda, comece o quanto antes a colocar esse plano em prática e tenha um bom planejamento financeiro, de acordo com seu momento de vida, perfil comportamental e necessidade de retorno. Dessa forma, você diminui o esforço ao longo do tempo, pois os juros trabalham a seu favor.

Tenha também estratégias planejadas de contribuição para o INSS e uma boa gestão dos seus investimentos para fazer o seu patrimônio trabalhar para você.

Seja perseverante e lembre-se de que seu futuro financeiro é construído pelas decisões financeiras tomadas hoje.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

Últimas publicações