Atual situação econômica do Brasil – Carta do gestor

  • 04/08/2017

APESAR DA POLÍTICA, O MERCADO BRASILEIRO SE MANTÉM ANIMADO

Para variar tivemos mais um mês daqueles! Tanta coisa aconteceu nesse período tão curto que, lembrando de alguns fatos, tem-se a impressão de que eles são de um longo passado e não de algumas semanas atrás.

Começamos o mês tendo como centro das atenções a denúncia contra Michel Temer e, em alguns momentos, chegou a parecer certa a sua queda. Mas o jeitinho brasileiro de fazer política falou mais forte, e com a caneta (e dinheiro) na mão, o governo conseguiu mudar o cenário e, além de reverter o relatório na CCJ ainda conseguiu seu arquivamento na câmara.

Mas de fato, apesar de toda a bandalheira na política, o mercado financeiro se manteve animado. E já que em política continua impossível fazer qualquer previsão de médio ou longo prazo, vamos nos ater mais ao que influenciou a economia.

Dois fatos político/polícias motivaram muito o mercado – a aprovação da reforma Trabalhista e a condenação de Lula. A Reforma foi de grande importância porque trás mais competitividade as empresas e precisamos disso para ver a economia voltar a crescer. Mas também porque mostrou que o congresso está sim preocupado com a agenda de reformas e, possivelmente, independente do que aconteça com o governo, a agenda de reformas deve ter continuidade.

Já a condenação de Lula afasta um pouco do mercado o fantasma de mais populismo ditando a eleição de 2018. É fato que o nome de Lula é forte e por isso, somado a memória curta do brasileiro para política e políticos, ele sempre aparece como favorito nas pesquisas. Mas também é fato que sua rejeição é muito maior que sua popularidade.

Na economia a agenda também foi agitada. O IBC-BR, que funciona como uma prévia de PIB, voltou a apresentar números negativos. Por outro lado, tivemos criação de vagas de emprego positivas pelo terceiro mês consecutivo e a taxa de desemprego caiu pela primeira vez desde que começou seu ciclo de alta em 2014. Na verdade, a queda reflete o aumento de trabalhadores informais, mas de uma forma ou de outra, são mais trabalhadores recebendo pela prestação de serviços.

A inflação também continua em sua trajetória de queda surpreendendo com números ainda menores que os previstos pelo mercado. O IPCA de junho apresentou deflação, ou seja, veio 0,23% negativo. Foi a primeira variação negativa em 11 anos e, com isso, o índice acumulado em 12 meses está em 3%. A inflação de julho, que será divulgada nos próximos dias, é estimada em aproximadamente 0,10%. Caso o número se confirme o acumulado de 12 meses ficará abaixo da banda buscada pelo Banco Central (meta de 4,5% com variação de 1,5% para cima ou para baixo).

E a inflação baixa foi um dos principais motivos que levaram o Copom a voltar a intensificar a queda dos juros. A queda na reunião do fim de julho foi de 1% e com isso a SELIC caiu para 9,25%. O mercado também voltou a intensificar suas apostas na queda e voltaram a prever SELIC perto dos 7,5% ao fim de 2017.

Mas como nem tudo são flores, os gastos do governo e a baixa arrecadação levaram a equipe econômica a aumentar, de forma significativa, os impostos sobre os combustíveis. Possivelmente o aumento não seja suficiente e obrigue o governo a rever a meta fiscal, que já previa um rombo de R$139bi.

Bom, como sempre, o cenário não é fácil. Por outro lado, comparando-se com o que tínhamos a alguns anos atrás, podemos dizer que, apesar de ruim, há maior previsibilidade. E a expectativa é muitas vezes a força propulsora da melhora. Nos resta agora sobreviver até as eleições de 2018.

Alexandre Amorim, CGA, CFP®


Receba uma atualização mensal da atual situação econômica do Brasil!

Resumo
Atual situação econômica do Brasil - carta do Gestor
Nome do artigo
Atual situação econômica do Brasil - carta do Gestor
Descrição
A atual situação econômica do Brasil neste mês de julho.
Autor
Nome do editor
Par Mais

Deixe um comentário

    • Vilmar Francisco Dias
    • 24/07/2017
    Responder

    O pior, até a nossa justiça é corrupta, falta muito coisa pra melhorar.

    • Maria Aparecida Fideles dos santos
    • 03/07/2017
    Responder

    Lamentável. Que falta de pessoas honestas e transparentes. Espero melhoras acredito que ainda existe pessoas honestas..

    • edson ferreira da silva
    • 23/06/2017
    Responder

    No meu ponto de vista: temos que acreditar na melhoria do País não sabemos quando e em ano.,sempre a mesma coisa mas o que vem acontecendo ha de melhorar.

    • Eloi
    • 19/05/2017
    Responder

    Peço encaridamente que deixe o ministro da fazenda administrar esse país pois é de extrema capacidade para administrar a nossa economia.

    • Lucas Monteiro de Castro
    • 09/03/2017
    Responder

    Reforma “precificada” representa, em outras palavras, retirar o que resta de direitos aos trabalhadores que pagam a conta. Além disto, a depressão econômica não cedeu ao controle inflacionário, pois as empresas e unidades familiares continuam endividadas e os gastos públicos não se transformam em infraestrutura. A demanda agregada não reage à queda do nível de preços, provocando ainda mais desemprego. O fator político coadjuvante justifica o golpe, onde com apoio de uma mídia partidária, ladrões julgaram ladrões com respaldo de um judiciário usurpador que condena alguns e blinda outros políticos ladrões.

    • Milton Cruz
    • 25/01/2017
    Responder

    pelo meu ponto de vista , esse país tem muito a piorar
    haverá mudança se houver mudança
    crescimento só vem através de mudanças
    e essa mudança deveria ser drasticamente rigorosa
    mudando se as leis , modo de governar , pode ter certeza , que só desta forma , esse país vai pra frente

    • marciel
    • 20/01/2017
    Responder

    foi um ano atípico,porem muito importante em termo de lavagem de “roupas
    surjas”.

    • Adriana
    • 04/01/2017
    Responder

    Ufffa muita coisa para um ano, mais que tudo isso sirva de exemplos ‘ para que todos mudam suas atitudes e sejam mais honestos.

    • Katherine amorim
    • 27/05/2016
    Responder

    eu acho que para um brasil, melhor precisa de ajuda do povo,por que só unidos conseguimos melhorar o brasil.

    • EDSON GINE
    • 19/05/2016
    Responder

    Concordo plenamente co Sr. Mathieu….sou Brasileiro nao me encaixo no perfil mencionado mas tenho plena convicçao que este País, de pessoas que arregassam as mangas pra luta..e sim pra vadiagem….tantos Politicos e tbm a Justiça nao temos corretamente como deve ser…so corrupçao em tds os setores de um modo geral….sinceramente estou cansado estasiado e triste com o nosso povo …Affff…gente vamos agir com honestidade, chega de enganaçao…!!!!!

    • alana costa
    • 04/04/2016
    Responder

    Gostaria de receber em meu email estas informacoes

      • Par Mais
      • 05/04/2016
      Responder

      Ficamos muito lisonjeados com a sua atenção. Na próxima postagem do artigo da Carta ao gestor lhe informaremos. Veja também, nossas postagens antigas dessa serie de artigos e outros sobre empoderamento financeiro!

    • Elisângela
    • 06/03/2016
    Responder

    A maioria de nós,povo brasileiro,somos um povo batalhador e sofrido,não se deve generalizar dizendo que todos são corruptos e desonestos….infelizmente temos que conviver com uma minoria corrupta em nosso país ,mas que é suficiente para estragar toda uma nação.

    • ailton de oliveira
    • 29/01/2016
    Responder

    Infelizmente, concordo com tudo que o senhor relator.
    gostaria de receber mas criticas, para repassar aos meu amigos e colegas, assim, quem sabe um dia possamos ser uma potência.
    atenciosamente,
    Ailton de Oliveira
    Corretor de imóvel

    • ailton de oliveira
    • 29/01/2016
    Responder

    Infelizmente, concordo com tudo que o senhor relator.
    gostaria de receber mas criticas, para repassar aos meu amigos e colegas, assim, quem sabe um dia possamos ser uma potência.
    atenciosamente,
    Ailton de Oliveira
    Corretor de imóvel

    • Uwe Mathieu
    • 27/01/2016
    Responder

    Eu , Uwe Mathieu , alemao , vivi por mais de 30 anos no Brasil , fui gerente industrial de uma empresa alema e consultor de grandes empresas brasileiras como a arcelormittal brasil , gruppo gerdau , vallourec & mannesmann , cvrd etc.Voltei para alemanha em 2010 e ficou perplexo com a situacao atual do brasil , pais que fui a minha segunda patria durante mais de 30 anos.Eu , particularmente achou que o brasil tem que criar vergonha na cara , arregacar as mangas e trabalhar seriamente e nao atraves do jeitinho.Alemanha perdeu duas guerras e esta ai , forte e firme ate abrigando milhoes de refugiados.O problema do brasil esta na falta de vergonha do povo brasileiro , porque nao e um povo serio.Nao se ganha a vida com falcatrua , corrupcao e falta de honestidade,se ganha a vida trabalhando seriamente , unido e com governantes serios e nao corruptos e pillandras.Caso que querem mais informacoes sobre o meu opinhao favor me contatar.

    sds
    Uwe Manfred Mathieu
    Brückstrasse 24
    58706 Menden (Sauerland)
    e-mail [email protected] Mobil 0049 015253350323