Atual situação econômica do Brasil – Carta do gestor

  • 06/07/2017

Atual situação econômica do Brasil

Que semestre! Que ano! Que década! Estamos vivendo tempos difíceis, em que certezas se transformam em dúvida num piscar de olhos, e que fica muito difícil se fazer qualquer previsão de longo prazo.

Continuamos com a política ditando os rumos da economia e com a justiça tropeando os rumos da política.

Mas em meio a todo esse cenário, podemos ter uma grande convicção – a inflação foi finalmente estancada. O IGP-M mostrou deflação (taxa negativa) novamente em junho e já acumula uma queda de quase 2% no ano. Lembrando que o IGPM é um índice mais volátil e não é raro que apresente deflação – mas também não é comum que apresente queda no ano ao fim do primeiro semestre.

Já o índice oficial de inflação, o IPCA, continua vindo abaixo do esperado por analistas e deve também apresentar deflação em junho. Com isso, é provável que a inflação acumulada em 12 meses fique muito próxima ou até abaixo de 3%, que é o piso atual para a meta do governo (meta de 4,5% com tolerância de 1,5% para cima ou para baixo).

O que é peculiar é que já tivemos, ao longo desses últimos 23 anos de estabilização da moeda (desde o plano Real) muitos momentos de inflação nesses patamares. Mas foram sempre momentâneos e, logo em seguida, ela voltava a subir. E agora, tudo indica que teremos uma inflação realmente baixa, por um longo período de tempo.

Como prova dessa queda consistente, o Conselho Monetário Nacional reduziu a meta de inflação para 2019 dos atuais 4,50% para 4,25% e em 2020 para 4,00%. A primeira redução até já era já era esperada pelo mercado, mas a segunda foi relativa surpresa.

E isso abre espaço para uma queda maior da SELIC. Desde a crise desencadeada pela gravação de Joesley Batista envolvendo Michel Temer, o BC sinalizou que poderia diminuir o ritmo de cortes e o mercado passou a acreditar em uma queda entre 0,5% e 0,75%. Agora já se fala em uma queda de 1% na reunião do final de julho (25/7). Independentemente do tamanho do corte, é fato que a SELIC virá para baixo de 10% ainda esse mês.

E na política, tivemos mais um mês daqueles! Ameaça de delação de Palocci, que em seguida  foi sentenciado a 12 anos de prisão. Aécio Neves reconduzido ao Senado, liberdade concedida para sua irmã, seu primo e para Rocha Loures. Raquel Jorge foi indicada para suceder a Rodrigo Janot na PGR e a chapa Dilma-Temer foi absolvida pelo TSE. Mas isso não foi um alívio para Michel Temer, já que foi denunciado criminalmente ao STF que, por sua vez, só o julga se a Câmara permitir.

Isso joga um peso muito grande em cima do governo que, ao invés de articular para a aprovação das reformas passa a articular para se manter no cargo. E isso significa mais concessões e menos reformas de fato.

O grande problema de quando as decisões econômicas dependem da política é que políticos vivem num mundo à parte, só deles, e aproveitam esse ‘poder de barganha’ para conseguirem benesses. Como diz o ex Ministro Luiz Carlos Mendonça de Barros, os políticos não tomam suas decisões antes que o problema chegue à beira do precipício. O problema é que, nesse ponto, qualquer escorregão pode ser fatal!

O prognóstico mais provável no momento é que o governo se arraste até 2018, as reformas – especialmente a da Previdência – têm pouca probabilidade de passar e, se passarem, serão completamente distorcidas. Enquanto isso vamos sobrevivendo, ao som das notícias, com um alicerce muito frágil que nos deixa muitos suscetíveis a qualquer problema – especialmente os externos. Mais isso é assunto para um outro capítulo…

Alexandre Amorim, CGA, CFP®


Receba uma atualização mensal da atual situação econômica do Brasil!

Resumo
Atual situação econômica do Brasil - carta do Gestor
Nome do artigo
Atual situação econômica do Brasil - carta do Gestor
Descrição
A atual situação econômica do Brasil neste mês de maio.
Autor
Nome do editor
Par Mais

Deixe um comentário

 
    • Maria Aparecida Fideles dos santos
    • 03/07/2017
    Responder

    Lamentável. Que falta de pessoas honestas e transparentes. Espero melhoras acredito que ainda existe pessoas honestas..

    • edson ferreira da silva
    • 23/06/2017
    Responder

    No meu ponto de vista: temos que acreditar na melhoria do País não sabemos quando e em ano.,sempre a mesma coisa mas o que vem acontecendo ha de melhorar.

    • Eloi
    • 19/05/2017
    Responder

    Peço encaridamente que deixe o ministro da fazenda administrar esse país pois é de extrema capacidade para administrar a nossa economia.

    • Lucas Monteiro de Castro
    • 09/03/2017
    Responder

    Reforma “precificada” representa, em outras palavras, retirar o que resta de direitos aos trabalhadores que pagam a conta. Além disto, a depressão econômica não cedeu ao controle inflacionário, pois as empresas e unidades familiares continuam endividadas e os gastos públicos não se transformam em infraestrutura. A demanda agregada não reage à queda do nível de preços, provocando ainda mais desemprego. O fator político coadjuvante justifica o golpe, onde com apoio de uma mídia partidária, ladrões julgaram ladrões com respaldo de um judiciário usurpador que condena alguns e blinda outros políticos ladrões.

    • Milton Cruz
    • 25/01/2017
    Responder

    pelo meu ponto de vista , esse país tem muito a piorar
    haverá mudança se houver mudança
    crescimento só vem através de mudanças
    e essa mudança deveria ser drasticamente rigorosa
    mudando se as leis , modo de governar , pode ter certeza , que só desta forma , esse país vai pra frente

    • marciel
    • 20/01/2017
    Responder

    foi um ano atípico,porem muito importante em termo de lavagem de “roupas
    surjas”.

    • Adriana
    • 04/01/2017
    Responder

    Ufffa muita coisa para um ano, mais que tudo isso sirva de exemplos ‘ para que todos mudam suas atitudes e sejam mais honestos.

    • Katherine amorim
    • 27/05/2016
    Responder

    eu acho que para um brasil, melhor precisa de ajuda do povo,por que só unidos conseguimos melhorar o brasil.

    • EDSON GINE
    • 19/05/2016
    Responder

    Concordo plenamente co Sr. Mathieu….sou Brasileiro nao me encaixo no perfil mencionado mas tenho plena convicçao que este País, de pessoas que arregassam as mangas pra luta..e sim pra vadiagem….tantos Politicos e tbm a Justiça nao temos corretamente como deve ser…so corrupçao em tds os setores de um modo geral….sinceramente estou cansado estasiado e triste com o nosso povo …Affff…gente vamos agir com honestidade, chega de enganaçao…!!!!!

    • alana costa
    • 04/04/2016
    Responder

    Gostaria de receber em meu email estas informacoes

      • Par Mais
      • 05/04/2016
      Responder

      Ficamos muito lisonjeados com a sua atenção. Na próxima postagem do artigo da Carta ao gestor lhe informaremos. Veja também, nossas postagens antigas dessa serie de artigos e outros sobre empoderamento financeiro!

    • Elisângela
    • 06/03/2016
    Responder

    A maioria de nós,povo brasileiro,somos um povo batalhador e sofrido,não se deve generalizar dizendo que todos são corruptos e desonestos….infelizmente temos que conviver com uma minoria corrupta em nosso país ,mas que é suficiente para estragar toda uma nação.

    • ailton de oliveira
    • 29/01/2016
    Responder

    Infelizmente, concordo com tudo que o senhor relator.
    gostaria de receber mas criticas, para repassar aos meu amigos e colegas, assim, quem sabe um dia possamos ser uma potência.
    atenciosamente,
    Ailton de Oliveira
    Corretor de imóvel

    • ailton de oliveira
    • 29/01/2016
    Responder

    Infelizmente, concordo com tudo que o senhor relator.
    gostaria de receber mas criticas, para repassar aos meu amigos e colegas, assim, quem sabe um dia possamos ser uma potência.
    atenciosamente,
    Ailton de Oliveira
    Corretor de imóvel

    • Uwe Mathieu
    • 27/01/2016
    Responder

    Eu , Uwe Mathieu , alemao , vivi por mais de 30 anos no Brasil , fui gerente industrial de uma empresa alema e consultor de grandes empresas brasileiras como a arcelormittal brasil , gruppo gerdau , vallourec & mannesmann , cvrd etc.Voltei para alemanha em 2010 e ficou perplexo com a situacao atual do brasil , pais que fui a minha segunda patria durante mais de 30 anos.Eu , particularmente achou que o brasil tem que criar vergonha na cara , arregacar as mangas e trabalhar seriamente e nao atraves do jeitinho.Alemanha perdeu duas guerras e esta ai , forte e firme ate abrigando milhoes de refugiados.O problema do brasil esta na falta de vergonha do povo brasileiro , porque nao e um povo serio.Nao se ganha a vida com falcatrua , corrupcao e falta de honestidade,se ganha a vida trabalhando seriamente , unido e com governantes serios e nao corruptos e pillandras.Caso que querem mais informacoes sobre o meu opinhao favor me contatar.

    sds
    Uwe Manfred Mathieu
    Brückstrasse 24
    58706 Menden (Sauerland)
    e-mail [email protected] Mobil 0049 015253350323