Atual situação econômica do Brasil – Carta do gestor

  • 08/11/2017

O mercado financeiro é movido por expectativas. Como diz o ditado, “o mercado antecipa os fatos”, ou seja, se a expectativa é de que o futuro será melhor, os investidores se apressam para investir e quando a expectativa é ruim, o dinheiro some.

Isso explica o que aconteceu nos últimos meses. Após o processo de impeachment e, especialmente, das primeiras ações da nova equipe econômica, os investidores de todo o mundo viram no Brasil uma ótima oportunidade de ganhos. Prova disso foi a alta da bolsa, que se valorizou 100% nesse período.

Mas não só de expectativas vivem os investidores. O plano precisaria se desenrolar conforme o previsto. Isso significa que a economia precisaria voltar a crescer, a inflação ser controlada, os juros caírem e o governo controlar seus gastos.

O que estava ao alcance da equipe econômica, incluindo Ministério da Fazenda e Banco Central, foi realizado com muita responsabilidade – a inflação foi controlada e os juros puderam ser reduzidos. O governo também fez a sua parte – colocou em pauta uma extensa agenda de reformas e conseguiu várias vitórias, como o teto dos gastos, a aprovação da TLP, reforma trabalhista, etc. Mas o ponto mais contundente e também mais polêmico, a reforma da previdência, acabou ficando travado na pauta do congresso após as denúncias contra Michel Temer.

Três fatores determinantes para o rumo dos mercados

Como dito, o mercado se animou com a possibilidade de retomada da economia brasileira e a escolha da equipe econômica foi determinante para isso. Mas ainda continuávamos (e continuamos) com a Lava Jato a todo vapor e com uma quantidade enorme de políticos citados e indiciados, muito mais preocupados em salvar a própria pele do que em legislar a favor do país. Ou seja, a condução da economia melhorou enormemente, mas muitas decisões econômicas ficaram na mão do congresso, que vive um de seus piores momentos. É aí que entra um terceiro fator – a economia mundial.

O mundo vai bem. Depois da crise de 2008 os Bancos Centrais implementaram políticas que visavam injetar dinheiro nos mercados. As economias estão crescendo e, ao contrário do que se poderia esperar, sem gerar inflação. Isso faz com que não se tenha necessidade de aumentar as taxas de juros e, com isso, sobra dinheiro para ser investido em países emergentes, como o Brasil!

Apesar de toda a crise política o Brasil ganhou um voto de confiança. Além disso, a mudança de governo e da condução da política econômica deixou claro qual é o caminho certo para se retomar o crescimento. Mas ainda havia o risco de não se votar a reforma da previdência e, o maior de todos, a eleição de 2018. Porém existia um certo consenso de que o Congresso tentaria espremer tudo o que pudesse da reforma, mas a aprovaria. E que, em 2018, apesar de todos os riscos, a probabilidade seria a eleição de um candidato mais responsável economicamente e alinhado com o mercado.

Portanto, com dinheiro no mundo, a economia sendo bem conduzida e com a expectativa de que, na hora necessária, o congresso faria o seu papel, o ano foi muito bem…

…Até outubro chegar

O mês de outubro começou com Donald Trump propondo uma reforma tributária que, na prática, tenta incentivar o mercado interno americano. Isso, em tese, resultaria no aumento dos juros americanos e, com isso, diminuiria a oferta de dinheiro para os emergentes. Além disso, em outubro seria anunciado o novo presidente para o Banco Central americano e não havia consenso entre os nomes. Tudo isso teve impacto imediato e fez a cotação do dólar subir no mundo todo, se refletindo também nas taxas de juros de longo prazo da maioria dos países emergentes.

E aqui no Brasil tivemos mais um fator. Votada a segunda denúncia era esperado a retomada da agenda do congresso, com ênfase na reforma da previdência. Mas, aparentemente, o congresso quis se aproveitar da fragilidade do governo para continuar todo o processo de barganha em troca de apoio, usando como principal argumento que não quer votar nada polêmico a um ano das eleições.

Isso causou volatilidade aos mercados. Mais do que isso, trouxe de volta a incerteza de que não teremos uma solução para o problema fiscal no curto prazo. Mas se a barganha funciona na política, isso não existe no mundo dos investimentos. E a reação do mercado foi o seguinte – ou o congresso atua com responsabilidade, ou as agências de risco podem rebaixar a classificação do Brasil e os investidores darem outro destino aos seus investimentos.

E como dito, o mercado antecipa os fatos. Quando a expectativa é ruim os investidores diminuem suas apostas. Cai a confiança, caem os investimentos e a economia trava novamente. Ou ao menos faz uma pausa, até que os rumos de um novo governo comecem a ser delineados.

Portanto estamos num momento crucial. A economia está se recuperando e a inflação está definitivamente controlada. Demos passos importantes e é muito provável que teremos um longo período de taxa de juros mais baixas e, com isso, estímulo a economia real. Temos sim motivos para ficarmos otimistas, entretanto o ambiente político e a falta de responsabilidade do congresso pedem muita moderação e cautela.

Alexandre Amorim, CGA, CFP®


Receba uma atualização mensal da atual situação econômica do Brasil!

Resumo
Atual situação econômica do Brasil - carta do Gestor
Nome do artigo
Atual situação econômica do Brasil - carta do Gestor
Descrição
Na atual situação econômica do Brasil, inflação continua em sua trajetória de queda surpreendendo com números ainda menores que os previstos.
Autor
Nome do editor
Par Mais

Deixe um comentário

    • Uwe Mathieu
    • 27/01/2016
    Responder

    Eu , Uwe Mathieu , alemao , vivi por mais de 30 anos no Brasil , fui gerente industrial de uma empresa alema e consultor de grandes empresas brasileiras como a arcelormittal brasil , gruppo gerdau , vallourec & mannesmann , cvrd etc.Voltei para alemanha em 2010 e ficou perplexo com a situacao atual do brasil , pais que fui a minha segunda patria durante mais de 30 anos.Eu , particularmente achou que o brasil tem que criar vergonha na cara , arregacar as mangas e trabalhar seriamente e nao atraves do jeitinho.Alemanha perdeu duas guerras e esta ai , forte e firme ate abrigando milhoes de refugiados.O problema do brasil esta na falta de vergonha do povo brasileiro , porque nao e um povo serio.Nao se ganha a vida com falcatrua , corrupcao e falta de honestidade,se ganha a vida trabalhando seriamente , unido e com governantes serios e nao corruptos e pillandras.Caso que querem mais informacoes sobre o meu opinhao favor me contatar.

    sds
    Uwe Manfred Mathieu
    Brückstrasse 24
    58706 Menden (Sauerland)
    e-mail ummathieu@gmail.com.br Mobil 0049 015253350323

    • ailton de oliveira
    • 29/01/2016
    Responder

    Infelizmente, concordo com tudo que o senhor relator.
    gostaria de receber mas criticas, para repassar aos meu amigos e colegas, assim, quem sabe um dia possamos ser uma potência.
    atenciosamente,
    Ailton de Oliveira
    Corretor de imóvel

    • Elisângela
    • 06/03/2016
    Responder

    A maioria de nós,povo brasileiro,somos um povo batalhador e sofrido,não se deve generalizar dizendo que todos são corruptos e desonestos….infelizmente temos que conviver com uma minoria corrupta em nosso país ,mas que é suficiente para estragar toda uma nação.

      • Valério Gallea
      • 14/10/2017
      Responder

      Você esta certa, sou filho de italianos do norte da Itália e meu pai que apesar de gostar muito do país que nasceu não trocaria nunca este pais pela sua pátria.

      • Elizete
      • 08/10/2017
      Responder

      Muito bom seu comentário Elisângela gostei, com certeza não somos Todos corruptos estamos pagando o preço pelos os governantes, e o pior que confiamos em colocamos no governo e trair os brasileiros dessa forma, e lamentável , triste nossa situação e vergonhosa.

    • alana costa
    • 04/04/2016
    Responder

    Gostaria de receber em meu email estas informacoes

      • Par Mais
      • 05/04/2016
      Responder

      Ficamos muito lisonjeados com a sua atenção. Na próxima postagem do artigo da Carta ao gestor lhe informaremos. Veja também, nossas postagens antigas dessa serie de artigos e outros sobre empoderamento financeiro!

    • EDSON GINE
    • 19/05/2016
    Responder

    Concordo plenamente co Sr. Mathieu….sou Brasileiro nao me encaixo no perfil mencionado mas tenho plena convicçao que este País, de pessoas que arregassam as mangas pra luta..e sim pra vadiagem….tantos Politicos e tbm a Justiça nao temos corretamente como deve ser…so corrupçao em tds os setores de um modo geral….sinceramente estou cansado estasiado e triste com o nosso povo …Affff…gente vamos agir com honestidade, chega de enganaçao…!!!!!

    • Katherine amorim
    • 27/05/2016
    Responder

    eu acho que para um brasil, melhor precisa de ajuda do povo,por que só unidos conseguimos melhorar o brasil.

    • Adriana
    • 04/01/2017
    Responder

    Ufffa muita coisa para um ano, mais que tudo isso sirva de exemplos ‘ para que todos mudam suas atitudes e sejam mais honestos.

    • marciel
    • 20/01/2017
    Responder

    foi um ano atípico,porem muito importante em termo de lavagem de “roupas
    surjas”.

    • Milton Cruz
    • 25/01/2017
    Responder

    pelo meu ponto de vista , esse país tem muito a piorar
    haverá mudança se houver mudança
    crescimento só vem através de mudanças
    e essa mudança deveria ser drasticamente rigorosa
    mudando se as leis , modo de governar , pode ter certeza , que só desta forma , esse país vai pra frente

    • Lucas Monteiro de Castro
    • 09/03/2017
    Responder

    Reforma “precificada” representa, em outras palavras, retirar o que resta de direitos aos trabalhadores que pagam a conta. Além disto, a depressão econômica não cedeu ao controle inflacionário, pois as empresas e unidades familiares continuam endividadas e os gastos públicos não se transformam em infraestrutura. A demanda agregada não reage à queda do nível de preços, provocando ainda mais desemprego. O fator político coadjuvante justifica o golpe, onde com apoio de uma mídia partidária, ladrões julgaram ladrões com respaldo de um judiciário usurpador que condena alguns e blinda outros políticos ladrões.

    • Eloi
    • 19/05/2017
    Responder

    Peço encaridamente que deixe o ministro da fazenda administrar esse país pois é de extrema capacidade para administrar a nossa economia.

    • edson ferreira da silva
    • 23/06/2017
    Responder

    No meu ponto de vista: temos que acreditar na melhoria do País não sabemos quando e em ano.,sempre a mesma coisa mas o que vem acontecendo ha de melhorar.

    • Maria Aparecida Fideles dos santos
    • 03/07/2017
    Responder

    Lamentável. Que falta de pessoas honestas e transparentes. Espero melhoras acredito que ainda existe pessoas honestas..

    • Vilmar Francisco Dias
    • 24/07/2017
    Responder

    O pior, até a nossa justiça é corrupta, falta muito coisa pra melhorar.

    • Aline Bezerra
    • 20/09/2017
    Responder

    Ótimo blog, informações fundamentais.

      • Par Mais
      • 21/09/2017
      Responder

      Aline, muito obrigado pelo seu comentário.
      Ficamos contentes que o conteúdo tenha sido de seu interesse e que você tenha gostado!

    • thiago siva costa lima
    • 02/10/2017
    Responder

    o maior erro devido o termo crise economia brasileira vem da ma administração do poder que todos brasileiros tem em suas mãos na hora de dar seu voto. O povo brasileiro não tem coragem se quer de pelomenos pesquisar sobre os candidatos que ele colocara no poder saber quais seus planos futuros em relação ao trinônimo economia-sociedade e meio ambiente entre outros. o brasil só ira mudar toda sua estrutura dede economia a responsabilidade social e ambiental quando as pessoas deixarem de se acomodar deixar de se levar por conversas fiadas e estudar mais.. minha opinião

    • Juliane
    • 10/10/2017
    Responder

    Excelente texto.

    • Carlos Alberto
    • 04/11/2017
    Responder

    É desejo de todo brasileiro ver o País sair dessa recessão, mas isso só não basta, quando vamos ter uma desigualdade social menos perversa? A distribuição de renda no Brasil continua sendo uma das piores do mundo, uma
    carga tributária criminosa (aprox.38% do PIB),
    que se torna a maior do mundo já que temos
    muito pouco ou quase nenhum retorno social.
    A corrupção campeia de forma desavergonhada
    com amparo legal das leis que são feitas para
    proteger todo tipo de bandidagem do praticada
    nos tres poderes.

    • Magda abaid
    • 09/11/2017
    Responder

    Gostaria de entender uma coisa , se a inflação esta controlada, com uma trajetória de queda porque os investimento atrelados a inflação estão em alta ?

      • Par Mais
      • 09/11/2017
      Responder

      Prezada Magda, excelente pergunta!

      Os investimentos atrelados a inflação tem como rentabilidade a inflação e mais uma taxa pre fixada. E o que faz esse título ter tido uma ótima rentabilidade nos últimos meses foi justamente a taxa pré fixada.

      Vamos tomar por exemplo o Tesouro IPCA (antiga NTNB). A rentabilidade de um título para 2035 é atualmente IPCA +5,33% ao ano. A dois anos atrás, quando ainda tínhamos uma inflação bem mais alta, este título chegou a ser negociado a IPCA +7,50%.

      O que acontece é que o comprador do título tem essa taxa garantida até o vencimento, ou seja, quem comprou a 7,50% vai receber 2,17% ao ano (7,50% – 5,33% = 2,17%), a mais do que quem compra um título agora. Portanto, o mercado ‘precidfica’ esse título (comprado a 7,50%) antecipando essa diferença de rentabilidade (cálculo de valor presente) e acarretando nessa rentabilidade acima da média.

      Na prática, a trajetória da taxa de juros pre fixada é inversamente proporcional a sua rentabilidade. Quando a taxa cai o titulo se valoriza e vice versa.

      Prova disso é que, no mês de outubro, as taxas desses títulos subiram e os investimentos perderam valor.

      Por último, a oscilação da taxa pré não está necessariamente ligada a trajetória da inflação. Na verdade a inflação é apenas um dos fatores – mas o principal deles é o risco e consequentemente a demanda dos investidores por esse tipo de título.

      Desejamos ter esclarecido! Obrigado!

    • Uwe Mathieu
    • 14/11/2017
    Responder

    Ola,fiquei surpreso com tanta resposta sobre meu comentario sobre a atual situacao do brasil.Gostaria em receber cartas,criticas e conversas serias,principalmente com jovens brasileiros porque o futuro e deles e eles tem plenas condicoes em mudar este maravilhoso pais numa grande nacao,seria e reconhecida internacionalmente.Aguardando mais contatos de brasileiros serios.Grato pela atencao.
    Uwe Mathieu