Rebate: o que é e como funciona?

  • 19/01/2021
Página inicial - Investimentos - Rebate: o que é e como funciona?

Provavelmente você que é investidor no mercado financeiro já ouviu falar sobre a taxa de rebate. Cada produto financeiro possui uma remuneração para quem distribui e o rebate é a comissão que uma gestora paga para quem vende um fundo de investimento, geralmente os assessores de corretoras, por exemplo.

Ao longo dos últimos anos, com melhor acesso aos dados e a transparência das informações, o assunto “rebate” começou a ser amplamente exposto e conversado entre os investidores. Com um melhor entendimento sobre o tema, conseguimos compreender como funciona a remuneração dos assessores de investimentos, corretoras, gestores e de que forma o investidor, direta ou indiretamente, está pagando por isso. Neste artigo, vamos explicar o que é rebate, como ele funciona na prática e por que é um assunto que merece a sua atenção.

o que é rebate

O que é rebate?

A taxa de rebate descreve a “comissão” paga para o distribuidor de um fundo de investimento. Todos os fundos de investimentos possuem uma taxa de administração, que serve para remunerar os profissionais envolvidos na operacionalização e um percentual dessa taxa de administração (que varia de 15% a 35%) é pago aos distribuidores – geralmente bancos ou corretoras.

Esse percentual da taxa de rebate pode variar conforme a política de cada gestora, a relevância dos distribuidores na captação de recursos e no momento de mercado. Esse modelo de remuneração, através de comissionamento, é adotado pela maioria das corretoras para pagar os seus agentes autônomos de investimento.

Na maioria das vezes, o investidor não percebe o pagamento dessa comissão porque a taxa de administração é cobrada diretamente no fundo e a rentabilidade também já vem descontada dessa taxa. Além disso, a remuneração dos agentes de distribuição nem sempre é transparente e clara ao investidor, que muitas vezes desconhece os custos envolvidos na aplicação.

Saiba mais: os principais custos e despesas dos investimentos

Conflito de interesses

O que acontece na prática é que as taxas de rebate e a comissão dos produtos investidos podem influenciar diretamente nas recomendações de investimentos. Acreditamos que esse é o grande problema do recebimento de rebate – não há impedimento neste modelo de remuneração, o que traz objeção é a falta de transparência e imparcialidade nas recomendações e orientações de investimentos – o famoso conflito de interesse.

Gestora x Corretora

Falando sobre o modelo de negócios, existe uma diferença importante para destacar entre gestores de investimentos e agentes autônomos de investimentos.

As gestoras, conhecidas também como wealth management (gestão de patrimônio), são responsáveis por administrar o patrimônio das pessoas de maneira independente e adequada ao seu perfil de investidor. Elas são remuneradas pelos investidores por meio de uma taxa de gestão – sem comissões ou spreads. Spread é um percentual da diferença entre a rentabilidade que um distribuidor consegue na captação dos investimentos e a rentabilidade que repassa ao investidor.

É o modelo de negócio no qual há uma a cobrança de um percentual fixo sobre o valor dos ativos sob custódia, independentemente dos produtos. Recentemente esse modelo, diante da exigência do mercado por imparcialidade e transparência, passou a ser adotado, inclusive, por algumas corretoras de valores mobiliários.

Já os agentes autônomos e assessores de investimentos trabalham para as instituições financeiras a que são vinculados e são remunerados por rebates e spreads.

Mas na prática, como funciona o rebate?

Vamos considerar um fundo de investimento com taxa de administração de 2% ao ano – taxa comum praticada nos fundos multimercados e de renda variável – com taxa de rebate de 15% – o mínimo praticado pelo mercado.

Realizando uma aplicação no montante total de R$300.000, a taxa de administração paga ao final do primeiro ano será de R$6.000 e a comissão (taxa de rebate) será de R$900. Se considerarmos o rebate de 35%, a comissão passará a ser de R$2.100 ao ano. Geralmente, quanto maior a taxa de administração do fundo, maior tende a ser a taxa de rebate.

Para simplificar, levamos em conta o valor investido sem considerar rentabilidade ou prejuízo e nem a taxa de performance – essa é uma taxa cobrada por fundos com gestão ativa como prêmio por rentabilidade acima de um benchmark, que é um referencial de mercado e uma meta a ser batida pelo fundo, como o CDI ou Ibovespa, por exemplo.

Nesse sentido, passa a ser muito importante entender as taxas e custos dos investimentos e certificar-se que a recomendação passada visa os seus objetivos e planos financeiros e não os do profissional que lhe atende no banco ou corretora.

Vale frisar que há excelentes agentes e distribuidores que atuam de forma transparente e imparcial. Sendo assim, nada mais apropriado do que ter uma conversa franca com quem você confia para fazer a recomendação ou a gestão do seu patrimônio. Certifique-se de que o investimento a ser realizado é vantajoso para você e não somente para o intermediário.

Devolução de rebate

Atualmente, é possível devolver o rebate dessa taxa de administração nos fundos exclusivos, fundos de investimento que compram cotas de outros fundos e para as carteiras administradas que compram cotas de fundos.
Dessa forma, ao contratar uma gestão especializada para cuidar do seu patrimônio, além da imparcialidade e transparência nas tomadas de decisões, ainda há a possibilidade de devolução de todo rebate ao investidor em seus investimentos.

Aqui na ParMais adotamos esse modelo de devolver 100% dos rebates recebidos para eliminar qualquer eventual conflito de interesse que poderíamos ter ao receber mais de um produto ou de outro.

Conheça nosso modelo de negócios

Conclusão

Rebate é a palavra que descreve a “comissão” que uma gestora paga para quem distribui um fundo de investimento. Todos os fundos de investimentos possuem uma taxa de administração que serve para pagar os profissionais envolvidos na operacionalização e um percentual dessa taxa é pago aos distribuidores. Geralmente, os bancos e as corretoras são responsáveis por distribuir os fundos de investimentos.

O investidor não percebe o pagamento desta “comissão” porque a taxa de administração é cobrada diretamente no fundo e a rentabilidade do fundo também já vem com essa taxa descontada.

Atualmente, é possível devolver o rebate dessa taxa de administração em determinados fundos e quando se devolve o rebate, a taxa de gestão da carteira de investimento fica menor e, consequentemente, os investimentos rendem mais.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 1

       

Últimas publicações