Sua conta
  • 20/03/2018

Como declarar fundos de investimento no Imposto de Renda?

Início / Investimentos / Como declarar fundos de investimento no Imposto de Renda?

como declarar fundos de investimentos

O prazo para entregar a declaração do Imposto de Renda 2018 está chegando ao fim. Se você tinha um saldo maior do que R$140,00 em um fundo de investimento ao final de 2017 é necessário incluí-lo na sua declaração. Para ajudá-los fizemos esse passo a passo de como declarar fundos de investimento no IR, então vamos a ele.

1 – Informe de rendimentos

Primeiramente você deve ter o informe de rendimentos do fundo à mão, que deve se parecer com o documento abaixo:

informe de rendimentos

É nesse informe que vão constar as informações necessárias para o preenchimento da declaração.

2 – Declaração de saldo em Fundos de Investimento

O próximo passo é o download do programa da receita. Clicando aqui você encontra as versões para computadores ou dispositivos móveis. Baixe a versão que lhe convém e instale o programa para iniciar a declaração.

A declaração dos saldos deve ser feita na aba “Bens e Direitos”. Na página inicial é possível encontrar o ícone. Ele também se encontra na barra lateral, dentro das Fichas de Declaração, conforme observado na imagem abaixo:

declaraçao de saldo em fundos de investimento

Clicando em Bens e Direitos você abrirá uma nova janela. Dentro dela clique em “Novo” para incluir os dados de um fundo. O primeiro campo que precisa ser preenchido é o código do bem. Seguem abaixo os códigos que devem ser usados para cada tipo de fundo

  • 71 – Fundo de Curto Prazo
  • 72 – Fundo de Longo Prazo e Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios (FIDC)
  • 73 – Fundo de Investimento Imobiliário
  • 74 – Fundo de ações, fundos mútuos de privatização, fundos de investimento em empresas emergentes, fundos de investimento em participação e fundos de investimentos de índice de mercado
  • 79 – Outros fundos

O próximo campo é a Localização, que deve ser mantida Brasil a menos que seja um fundo no exterior. Em CNPJ você deve preencher a informação do próprio fundo investido. Finalmente em Discriminação você deve preencher com dados gerais como o Nome e CNPJ do fundo, assim como o nome e CNPJ do administrador. O resultado deve ficar conforme a imagem abaixo:

dados fundo de investimento

Depois de preencher dê OK. Você voltará à tela anterior, na qual pode declarar outros fundos e bens. Cada fundo que você possui deve ser declarado separadamente dessa mesma forma.

3 – Declaração de rendimentos de Fundos de Investimento

Após declarar os saldos você deve declarar os rendimentos que obteve com essas aplicações. Para isso, volte ao menu inicial e clique em “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva” conforme destacado na imagem abaixo:

declaraçao de rendimentos de fundos de investimento

Na próxima janela clique em “Novo” para incluir um rendimento. O Tipo de Rendimento nesse caso deve sempre ser “06 – Rendimento de aplicações financeiras”. Complete o preenchimento com o nome e CNPJ do fundo de investimento, assim como o seu rendimento. O resultado deve ficar semelhante à imagem que segue:

preenchimento rendimentos de fundos de investimentos

Clique em OK e repita o processo para incluir o rendimento de outros fundos.

Essas são as precauções e o modo de preenchimento que deve ser adotado ao declarar fundos de investimento no IR. Caso tenha mais alguma dúvida referente à declaração de fundos de investimento no Imposto de Renda 2018 conte com a Par Mais para auxiliá-lo.

Conheça também o nosso guia “Como declarar seus investimentos – IR 2019”

Onde você está, aonde quer chegar?
Nossa função é tornar sua jornada mais rápida e mais rentável. Escolhemos com você os investimentos que precisa, alinhados às suas necessidades. Clique aqui.

Resumo
Como declarar fundos de investimento no Imposto de Renda?
Nome do artigo
Como declarar fundos de investimento no Imposto de Renda?
Descrição
Veja passso a passo como declarar fundos de investimento no Imposto de Renda.
Autor
Nome do editor
Par Mais

Deixe seu comentário

Comentário(s): 27

       
  1. Possuia, desde 2002 cotas do Fundo Mútuo de Privatização – FGTS VALE DO RIO DOCE I. Ele vem sendo lançado anualmente em minha Declaração de Ajuste do IRPF na ficha “Bens e Direitos” .
    Aposentei-me em 2015 e saquei o FGTS.
    Em dezembro-2018 saquei o valor das cotas do Fundo Vale I acima indicado. Como eu já havia sacado o FGTS, o valor resgatado não retornou para minha conta do
    FGTS, tendo sido pago diretamente pela CAIXA.
    O informe da CAIXA aponta um valor bruto do resgate de R$ 31.200,88 que, após o abatimento do IRRF, chegou em um valor líquido de R$ 27.193,39.
    Perguntas:
    1 – O valor do resgate deve ser incluído na Declaração como rendimento? Em qual ficha? Na Ficha de Rendimentos Sujeitos a Tributação Exclusiva/Definitiva”?
    2 – Se não, em qual ficha?
    3 – Se sim para a pergunta 1, qual o valor a ser declarado?

    1. Arnaldo, boa tarde!
      O fundo de investimento FGTS Vale do Rio Doce I deve constar na aba “Bens e Direitos”, lá deve constar o saldo da aplicação em 31/12/2018. Como você fez o resgate, ele deve estar zerado. O código será 74: Fundo de ações e ETFs.
      Já na ficha “Rendimentos de Aplicações Sujeitas à Tributação Exclusiva/Definitiva” deve constar o rendimento obtido nesse fundo no ano calendário. Essa informação deve constar no seu Informe de Rendimentos.
      Em caso de dúvidas, recomendamos que você consulte um contador.
      Desejamos sucesso!

  2. Boa noite, no site é informado que o CNPJ do fundo deve ser informado. Recebemos o E-book da corretora Rico e nele é dito que o CNPJ da corretora/distribuidora deve ser informado. Colocando o CNPJ do fundo no campo da descrição. Qual o correto? Obrigado

    1. Gustavo, boa tarde!
      A princípio, imaginamos que você tenha seus fundos de investimento custodiados na corretora Rico da forma que se conhece como ‘conta e ordem’.

      Em ‘Bens e Direitos’ você lançará o CNPJ da corretora custodiante. Em muitos casos, a corretora nem especifica os fundos, apresenta apenas o saldo consolidado dos fundos de mesma categoria.

      Já no campo ‘Rendimentos’ você deverá lançar o rendimento de cada um dos fundos, com o respectivo CNPJ.

      Siga os dados dos informes de rendimento, que são as informações oficiais. Em caso de dúvidas é sempre recomendável consultar um contador.
      Desejamos um ótimo final de semana!

  3. Dúvida sobre JSCP creditados e não pagos:
    Recebi o informe e consta um valor de JSCP creditado e não pago. devo lançar o valor somente em Bens e direitos, descrevendo que são juros a receber, etc ou também em “Rendimentos Sujeitos a tributação exclusiva/definitiva”.? e quando receber o valor como devo lançar no ano que vem?
    Grato!

    1. Edineiton, boa tarde!
      Pelo fato do JSCP ainda ser um direto à receber, você deverá declarar o mesmo apenas na aba de “Bens e Direitos”.
      No próximo ano, na Declaração de IRPF Exercício 2020 Ano-Calendário 2019, você deverá lançar novamente o JSCP no aba de “Bens e Direitos” com valor em “situação em 31/12/2019″ no montante de R$0,00, sinalizando que você recebeu esse direito durante o ano de 2019, e também declarar o montante recebido na aba Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva”, na opção “10 – Juros sobre capital próprio”.
      Desejamos um ótimo final de semana!

Mais comentários
×