Criptomoedas em alta: conheça as que mais se valorizaram em 2021

  • 07/01/2022
Página inicial - Criptomoedas - Criptomoedas em alta: conheça as que mais se valorizaram em 2021

O ano de 2021 foi muito promissor para os ativos digitais, pois vimos muitas criptomoedas em alta e com grande potencial de crescimento. 

O Bitcoin, a primeira moeda digital descentralizada que surgiu, deixou de ser a única opção de investimentos em ativos digitais e passou a competir com criptomoedas de diversos segmentos. 

Nesse sentido, vimos alguns nomes se tornarem relevantes e outros se firmarem ainda mais no mercado, alcançando máximas históricas. 

Pensando nas criptomoedas em alta e no sucesso dos ativos digitais, trouxemos neste artigo as 10 moedas que mais tiveram valorização no ano de 2021. Confira! 

O que são criptomoedas?
Antes de falar das criptomoedas em alta, vamos explicar o que são essas moedas digitais que se tornaram tão especiais.

De forma resumida, as criptomoedas são ativos digitais descentralizados, ou seja, elas funcionam de forma independente e permitem que transações financeiras sejam realizadas sem intermediários e sem a necessidade de um governo para cumprir o papel de regulador.


Elas são diferentes das moedas fiduciárias, como o dólar, o euro ou o real, pois elas existem apenas dentro de um banco de dados público compartilhado e não são emitidas ou controladas por governos e bancos centrais. 

Criptomoedas em alta em 2021

Entre as criptomoedas em alta no ano de 2021, podemos dar destaque para aquelas dos setores de jogos (games), metaverso e plataformas de smart contracts, que são aqueles contratos programáveis de execução automatizada. Confira as moedas com as maiores altas do ano: 

  1. Shiba Inu (SHIB) – 243.810%

A Shiba Inu, lançada em agosto de 2020, é uma criptomoeda meme – que é uma categoria de criptomoedas baseada em algo que viralizou na internet. Ela é apelidada de “Dogecoin Killer”, ou assassina de Dogecoin, pois busca a diversão através da rivalidade. Ela está listada entre as 20 exchanges internacionais e possui volume de negociação mensal de 35 bilhões de dólares.

  1. Gala (GALA) – 38.087%

A Gala, lançada em 2009 pela Gala Games, é um ecossistema com vários jogos baseados em blockchain, que permite aos jogadores negociar ativos do jogo e ganhar tokens NFT, ou seja, podem ser usados como meio de troca pelos usuários – modalidade conhecida como play to earn (jogue para ganhar). Os jogos são gratuitos e podem ser acessados por um aplicativo descentralizado (DApp). 

  1. Axie Infinity (AXS) – 16.852%

Também relacionado ao mundo dos jogos, Axie Infinity é um jogo inspirado no Pokémon que mistura conceitos de jogos de estratégia e cartas. Também é um jogo play to earn e envolve criptomoedas e tokens não fungíveis (NFTs). 

  1. The Sandbox  (SAND) – 12.619%

Do segmento Metaverso – que são ativos digitais que permitem interações em espaços virtuais com tecnologia que inclui realidade virtual e aumentada – o The Sandbox foi criado em 2021 e utiliza NFT para que os usuários criem e negociem itens e terrenos do jogo. 

  1. Terra (LUNA) – 11.209%

A Terra tem o objetivo de criar stablecoins algorítmicas – que são aquelas que mantém seu valor usando algoritmos que diminuem ou aumentam o fornecimento de tokens, conforme as condições do mercado. Essas stablecoins são atreladas a moedas fiduciárias com infraestrutura de finanças descentralizadas e seu token é utilizado para a emissão de ativos estáveis que podem ser usados para participação de votos de governança ou pagamento de taxas. 

  1. Polygon (MATIC) – 11.105%

O objetivo da Polygon é resolver o limite de processamento da Rede Ethereum. Assim, os aplicativos descentralizados que usam essa solução se beneficiam com taxas menores para as transações. O Token MATIC é usado como meio de pagamento de taxas de transação e atua na governança da rede. 

  1. Solana (SOL) – 8.307%

Por causa de suas baixas taxas para transações, a Solana se tornou uma moeda promissora em 2021 e está sendo chamada de “substituta da Ethereum”. Ela foi lançada em março de 2020 e possibilita a movimentação a um custo baixo de smart contrats – que são contratos digitais ou contratos inteligentes que usam a tecnologia como garantia de que os combinados serão cumpridos. 

  1. Fantom (FTM) – 7.430%

Por ser uma plataforma de contrato inteligente descentralizada, sem permissão e com código aberto para aplicativos descentralizados e ativos digitais, a Fantom oferece escalabilidade, descentralização e segurança a custos mais baixos. 

  1. Harmony (ONE) – 4.258%

É uma plataforma blockchain projetada para ter mais velocidade de transação e taxas significativamente mais baixas. Fundada em 2018, a plataforma busca encontrar equilíbrio entre descentralização e escalabilidade. 

  1. Decentraland (MANA) – 4.142%

Líder do segmento Metaverso, a Decentraland possui dois tokens: o MANA, que permite os usuários participarem de decisões do projeto e o LAND, que é um NFT que tem como objetivo identificar as propriedades exclusivas de cada item dentro do mundo virtual. 

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

Últimas publicações