A importância da educação financeira para crianças

  • 12/10/2021
Página inicial - Vida financeira - A importância da educação financeira para crianças

A educação financeira para crianças e adolescentes é muito importante para que eles tenham uma boa relação com o dinheiro desde cedo.

Além disso, a preocupação com a acumulação de recursos para o futuro dos filhos também é uma tarefa que costuma preocupar os pais desde o nascimento dos filhos.

Neste artigo, vamos falar sobre a importância da educação financeira para crianças e adolescentes e as possibilidades para investir bem os recursos poupados para os filhos.

Educação financeira para crianças

A educação financeira para crianças deve iniciar cedo, podendo começar logo aos 5 anos de idade e ir se desenvolvendo conforme o crescimento da criança.

Uma dica é você começar pagando uma semanada e estimular a criança a pagar uma continha e verificar quanto sobrou de troco. São exercícios de matemática saudáveis que vão ajudar a criança a ter noção sobre dinheiro.

Além disso, converse com seu filho sobre a importância do dinheiro, ajude-o a lidar com os recursos e estimule-o a guardar uma quantia do que recebe para conquistar um objetivo maior.

Mesada como estímulo da educação financeira para crianças

A semanada ou mesada é uma grande ferramenta para a criança entender a importância do dinheiro. Por exemplo, quando ela já tiver idade de ganhar o valor semanal ou mensal, oriente a criança a guardar uma parte desse valor para acumular patrimônio para atingir algum objetivo maior.

Os pais podem, por exemplo, pagar uma quantia mensal para seus filhos que seja excedente ao suficiente para pagar uma determinada despesa, como seu lanche na escola, e deixar o resto para que eles guardem e, assim, estabelecer objetivos de prazo mais longo, como comprar um jogo ou fazer algum passeio.

Dessa forma, eles vão aprender a esperar e a lidar com a frustração, entendendo que é preciso primeiro guardar, para depois poder gastar.

Importante sobre a educação financeira para crianças:

O dinheiro da semanada/mesada é sagrado, então não pode, por exemplo, deixar de pagar porque a criança se comportou mal. Para esses casos, há outras formas de resolver. O importante é criar maturidade e organização para esse jovem, pois assim, ele aprenderá a valorizar o dinheiro.

Converse sobre dinheiro

Ter diálogos e explicar para a criança a importância do trabalho para conquistar o dinheiro é essencial para que elas aprendam a dar valor para os recursos.

Mostre que é necessário trabalhar para conquistar o dinheiro – não de uma forma sofrida, mas sim de uma forma saudável. Além disso, estabeleça limites e deixe claro o que você consegue e o que você não consegue dar.

Futuro das crianças

Investir para os filhos também costuma ser uma prática adotada pelos pais logo que os filhos nascem. A ideia, muitas vezes, é acumular dinheiro para quando eles chegarem na maioridade, tenham algum recurso para terem condições de bancar os estudos, fazer um intercâmbio ou comprar algo que desejam, como um imóvel ou carro, por exemplo.

Esses recursos podem ser economizados mês a mês – reservando uma determinada quantia para este fim – e também ser reservado periodicamente, como em datas comemorativas (páscoa, natal e aniversário). Essa prática pode também ter a colaboração de outros parentes, como os avós, tios e padrinhos, por exemplo, o que é bem interessante para, aos poucos, guardar dinheiro para algum objetivo futuro.

Ao pensar em investir para os filhos, é comum os pais optarem por investir esses recursos na caderneta de poupança ou em uma previdência privada, porém, essas nem sempre são as melhores alternativas.

Onde investir para os filhos?

Quando temos o horizonte de tempo de longo prazo, é interessante buscar retornos maiores.

Atualmente, a taxa de juros no Brasil, a Selic, não está muito alta – apesar de estarmos vivendo um período de inflação e ela estar subindo gradativamente – mas essa não é uma tendência de longo prazo. Por isso, aplicar em renda fixa – como na caderneta de poupança ou em fundos de renda fixa – não é uma boa estratégia.

No momento, vale apostar em fundos de ações ou comprar as próprias ações – que são uma parte das empresas – ou até mesmo em criptomoedas.

No caso das ações, quando você tem o longo prazo a seu favor, você pode estudar a empresa e, ao concluir que ela é boa, você pode ir comprando as ações ao longo da jornada.

Essa estratégia de fazer compra periódicas de ações – o que vale também para criptomoedas – pode ser bastante interessante, pois pode acontecer de você pagar barato pela ação – comprando em momentos de baixa – ou pagar mais caro, comprando em momentos de alta – mas é comum é que essas empresas tenham uma valorização no longo prazo.

Quanto maior o risco, maior o potencial de retorno

Essa é uma regra máxima das finanças. Então, quando você compra boas empresas por meio de ações ou compra ativos inovadores, como as criptomoedas, a tendência é de crescimento no longo prazo.

Considerando isso, podemos dizer que a melhor prática para investir para os filhos é buscar o que te dá maior retorno, mas é importante lembrar que o retorno é proporcional ao risco. No caso de investimentos em ações e criptomoedas, o risco é medido pela volatilidade, então ocorre muita oscilação de preço.

Conte com o auxílio de profissionais

Resumidamente, se optar por investir em ações ou criptomoedas, é preciso acompanhar as empresas que compõem o portfólio e fazer aportes periódicos.

Caso não queira ou não tenha tempo para fazer o acompanhamento, opte por fundos de ações – em um fundo total return – e aposte também em bons gestores, pois eles vão fazer esse serviço de longo prazo para você.

Outro ponto de atenção é que antes de chegar no prazo desejado, vale a pena diminuir o risco dos investimentos.

Conclusão

Em termos de educação financeira para crianças, o que aprendemos na infância acaba refletindo na vida adulta, principalmente na questão de lidar no dia a dia com consumo, cobrança de hábitos e limites e de lidar com frustrações.

Iniciar a educação financeira quando os filhos são pequenos certamente será benéfico na vida adulta, pois eles aprendem desde cedo a ter uma boa relação com o dinheiro.

Ao fazer investimentos para os filhos, é preciso pensar no longo prazo e optar por ativos que ofereçam retornos maiores, como fundos de ações, as próprias ações e criptomoedas.

Caso precise de ajuda, busque o auxílio de profissionais qualificados e alinhados aos seus objetivos para realizar o trabalho para você da melhor maneira.

Gostou do conteúdo? Você pode gostar desses também:

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

Últimas publicações