Quais fatores considerar antes de comprar imóveis?

  • 08/12/2020
Página inicial - Investimentos - Quais fatores considerar antes de comprar imóveis?

Com a taxa de juros em seu menor patamar histórico no Brasil, o número de pessoas que decidiram comprar imóveis neste ano cresceu significativamente, pois muitos enxergam os imóveis como um investimento muito seguro, principalmente pela incerteza causada pela Covid-19.

Porém, além da taxa de juros, outros fatores devem ser levados em consideração antes de decidir pela compra de um imóvel. Neste artigo, falaremos sobre o aumento nas vendas de imóveis e os pontos para prestar atenção antes de fechar negócio.

Taxa de juros baixa impulsiona compra de imóveis

O atual momento de baixas taxas de juros que estamos vivendo tem proporcionado um significativo impulso para o mercado imobiliário brasileiro. Por um lado, estimula-se a indústria da construção civil, que consegue tomar recursos de formas mais baratas, tanto com os bancos oferecendo taxas de juros menores, quanto com investidores buscando um retorno superior à renda fixa através do mercado de capitais.

No lado da demanda, juros estruturalmente mais baixos concedem à população melhores condições de financiamento, seja para comprar imóvel próprio ou terrenos e propriedades voltadas ao ganho de capital. A isso, soma-se a redução de consumo com itens de lazer ou ligados ao turismo, o que impulsiona a capacidade de poupança e consequente investimento e/ou financiamento de imóveis.

Saiba mais: Dividendos ou aluguel de imóveis? Qual mais vantajoso?

Mercado imobiliário aquecido

Adicionalmente, o investidor que direciona seus recursos para comprar imóveis, sejam residenciais, comerciais, logísticos ou a produtos financeiros ligados ao mercado imobiliário, enxerga esses ativos como uma fonte de segurança em meio a incerteza global relacionada a Covid-19, enquanto proporcionam ganhos mais atraentes do que o nível atual da taxa Selic.

Após quedas compreensíveis no primeiro semestre, o mercado imobiliário vem se reaquecendo por conta desses fatores. Em agosto, segundo dados da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias, foi registrado a maior ocorrência do indicador mensal de venda de imóveis, o que colaborou para fechar o trimestre móvel – finalizado em agosto – com um crescimento de 45,7% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Comprar imóveis é comum para os brasileiros

O hábito de comprar imóveis é um velho conhecido dos brasileiros, sendo uma das classes mais difundidas pela sabedoria popular. Imaginamos que você provavelmente já tenha escutado de algum parente ou amigo que é o tipo de investimento “garantido”, ou “no pior dos casos, você ainda tem um teto”.

Existem diversas vantagens em atrelar parte dos seus rendimentos ao desempenho do mercado imobiliário, a mais clara, sendo a possibilidade da diversificação em relação a outras aplicações financeiras. Para o investidor pessoa física, esses benefícios são contrabalanceados por fatores como a necessidade de dedicar tempo para gestão dos imóveis, burocracia, falta de liquidez, entre outros.

Fora do escopo de investimentos, a decisão por comprar imóveis passa pelo sonho da casa própria, muito comum no imaginário brasileiro, principalmente por conta do histórico de desigualdade e baixas condições de moradia com os quais nosso país conta.

No entanto, mesmo tratando-se de um objetivo de vida, é importante ser criterioso ao analisar uma compra ou financiamento.

O que considerar antes de comprar imóveis?

Comprar imóvel próprio demanda um entendimento da sua capacidade de pagamento ao longo do tempo, compreendendo se esse objetivo está adequado ao seu plano de vida e em harmonia com suas demais metas financeiras. Considerando que a maioria das compras da casa própria são feitas através de financiamentos, é importante entender o custo efetivo total da operação financeira, considerando taxas, tarifas administrativas e de crédito, tributos, seguros e outros custos, não se limitando apenas à taxa de juros.

Ao comprar imóveis para obter renda de aluguel, é fundamental considerar que o rendimento mensal não é isento de imposto de renda, o qual deve ser apurado e pago mensalmente, entender qual é o nível de ocupação de imóveis semelhantes ao seu e se não existem outras aplicações financeiras que contem com um melhor custo de oportunidade, como os fundos imobiliários.

Saiba mais: Quando vale a pena comprar imóvel para alugar?

A liquidez desempenha um papel importante nesse cenário, já que caso você não enxergue mais o investimento como atraente, é imprescindível poder se desfazer do imóvel em um tempo razoável, não deixando seu patrimônio parado.

Já ao realizar uma venda, é de suma importância ter noção de todos os custos envolvidos, como impostos de ganho de capital e a comissão do corretor.

O que vale mais para o seu bolso? Alugar e Investir ou Financiar? Faça a simulação

Conclusão

Independentemente se o seu interesse for comprar, vender, financiar, ou investir em imóveis, o momento que vivenciamos está oferecendo boas oportunidades, com significativa liquidez e aumento considerável de negócios fechados no setor imobiliário. A taxa Selic em níveis históricos mínimos contribui para esse panorama, assim como o maior nível de poupança por conta da redução do consumo em meio a pandemia.

Porém, além da taxa de juros, é fundamental conhecer também os outros fatores que envolvem a possibilidade de comprar imóveis, para saber se esse tipo de investimento é o mais adequado para o seu momento de vida atual e para os seus objetivos.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

Últimas publicações