Mercado de Capitais – o que é e como funciona?

  • 20/07/2021
Página inicial - Investimentos - Mercado de Capitais – o que é e como funciona?

O mercado de capitais é um mercado criado para a negociação de ativos financeiros.

Constituído por bolsas de valores, corretoras e instituições financeiras autorizadas, ele é responsável pela intermediação entre poupadores e tomadores de recursos.

Neste artigo, vamos explicar o que é o mercado de capitais, como ele funciona e como ele é dividido.

O que é mercado de capitais?

O mercado de capitais é uma das partes da estrutura financeira do Brasil e a sua principal função é ligar as instituições poupadoras – que têm dinheiro para investir e buscam rentabilizá-lo – com as instituições tomadoras – que buscam dinheiro e estão dispostas a rentabilizá-lo.

É por meio dele que os ativos são negociados, ou seja, onde são realizadas compras e vendas dos valores mobiliários.

Como funciona o mercado de capitais?

No mercado de capitais acontece a negociação dos mais diversos ativos financeiros. Entre eles, podemos citar os títulos de dívida – como debêntures e letras financeiras – ações, moedas, commodities e derivativos.
O mercado é composto basicamente por poupadores e tomadores de recursos.

Como exemplo de poupadores de recursos, temos investidores pessoa física, fundos de pensão, seguradoras e qualquer outra instituição que gere dinheiro além das suas necessidades imediatas.

Entre os tomadores de recursos, temos como exemplo governos, empresas, pessoas físicas ou qualquer outra instituição que precise de dinheiro para pagar suas despesas ou realizar investimentos de capital.

O mercado de capitais permite que os tomadores tenham acesso aos recursos que necessitam, remunerando assim o capital dos poupadores.

A estrutura do mercado de capitais – composta pelas bolsas de valores, corretoras e diversas instituições financeiras autorizadas – é utilizada para canalizar esses recursos.

Estrutura do mercado de capitais

O mercado de capitais tem uma série de instituições que dão a estrutura necessária para que as negociações ocorram de maneira segura e organizada.

No Brasil, a B3 é uma empresa essencial para o mercado de capitais. Ela é a única bolsa de valores do país e nela é possível negociar ações, fundos (como ETFs e FIIs), commodities e outros ativos, além de ser responsável pela manutenção desses registros.

As corretoras e distribuidoras de valores mobiliários – também chamadas de intermediárias – são importantes para a negociação e execução das ordens de compra e venda, pois como a negociação não pode ser feita diretamente entre empresas e investidores, são elas que tratam essas questões.

Outras instituições financeiras, como por exemplo os bancos de investimento, também têm relevância para estruturar os ativos financeiros junto aos emissores.

São eles, por exemplo, que assessoram uma empresa que deseja fazer um IPO, estruturando a operação para que ela cumpra todas as regras exigidas pelos órgãos reguladores do mercado.

Papel da CVM no mercado de capitais

No Brasil, as negociações no mercado de capitais são monitoradas e reguladas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

É ela a responsável por definir as regras que as instituições financeiras, investidores e empresas devem seguir.
O mercado de capitais é dividido entre o mercado primário e o mercado secundário.

Mercado primário

No mercado primário, a compra do ativo financeiro é feita diretamente do emissor.
Um exemplo de uma operação do mercado primário são os IPOs ou Ofertas Públicas Iniciais.

Quando o investidor realiza a compra de ações de uma empresa que acabou de começar a negociar na B3, ele está fazendo uma negociação no mercado primário.

O mesmo vale para qualquer ativo financeiro que é comprado direto do emissor.

Mercado secundário

Já no mercado secundário, a compra ou venda de ativos é realizada diretamente com outros investidores.
Digamos, por exemplo, que você decida comprar ações da Ambev na B3. Ao comprar essas ações, você está negociando com outro investidor que já tinha essas ações, não havendo qualquer envolvimento da empresa nesse negócio. É isso que caracteriza o mercado secundário.

Devido às suas características, o mercado secundário é muito maior que o mercado primário.

Apesar de no mercado secundário não haver a originação dos ativos financeiros, ele é importantíssimo, pois é ele que oferece liquidez aos ativos financeiros e permite que o investidor negocie esses ativos com outros investidores, de acordo com a sua estratégia.

Importância do mercado de capitais

O mercado de capitais permite que os títulos emitidos pelas empresas sejam negociados, aproximando as pessoas ou instituições que têm dinheiro das pessoas ou instituições que precisam do dinheiro para o financiamento de projetos.

Isso ajuda a fortalecer a economia do país, além de oferecer diversificação da carteira de investimentos e alavancagem dos rendimentos.

Conclusão

O mercado de capitais é responsável pela intermediação entre poupadores e tomadores de recursos.
É por meio dele que os ativos são negociados, ou seja, onde são realizadas compras e vendas dos valores mobiliários. Em resumo, ele incentiva os investidores a buscarem bons retornos nos investimentos e simplifica a captação de recursos pelas empresas.

A estrutura do mercado de capitais é composta pelas bolsas de valores, corretoras e diversas instituições financeiras autorizadas, além de instituições que dão a estrutura necessária para que as negociações ocorram de maneira segura e organizada.

Além de aproximar as pessoas das instituições, ele fortalece a economia do país, oferece diversificação da carteira de investimentos e alavancagem dos rendimentos.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

Últimas publicações