Índice Bovespa: o que é e como funciona?

  • 12/02/2021
Página inicial - Investimentos - Índice Bovespa: o que é e como funciona?

O Índice Bovespa é o principal índice da B3 e serve de indicador do comportamento das ações das empresas do Brasil. Nele, estão reunidas as empresas mais importantes do mercado de capitais do país.

Portanto, se você quer entender sobre o mercado financeiro, o Ibovespa é importante para você conhecer.

O que é o Índice Bovespa

O Índice Bovespa – chamado também de Ibovespa – é o principal e mais antigo índice do mercado brasileiro, sendo assim, referência para investidores ao redor do mundo. Ele é o principal indicador de desempenho das ações negociadas na B3 e reúne as empresas mais importantes do mercado de capitais brasileiro.

Ele é resultado de uma carteira teórica de ativos e corresponde a cerca de 80% do número de negócios e do volume financeiro do nosso mercado de capitais.

Índice Bovespa: Um urso e um touro, símbolos comuns para representar o mercado financeiro

Como surgiu o Índice Bovespa?

O Ibovespa é um índice que já tem mais de 50 anos, pois foi criado em meados de 1967 e computado a partir de 2 de janeiro de 1968.

O índice foi criado pelo departamento da Bolsa de Valores de São Paulo (que atualmente é a B3) como o primeiro índice desta bolsa. Porém, na época, a grande concentração de negociação de ativos no Brasil se dava na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro e ela já tinha um índice, o IBV – Índice da Bolsa de Valores.

Saiba mais: As 10 principais Bolsas de Valores do mundo

A metodologia do IBV foi tomada então como base para a criação do Ibovespa. O conceito do índice também era relativamente simples, pois a ideia era criar uma carteira que, na data-base, tivesse um valor de mercado de 100 cruzeiros novos e o Ibovespa iniciaria valendo 100 pontos.

A valorização do índice, portanto, acompanharia a variação dessas ações que compõem o índice, cada uma na sua proporção. Houve um aperfeiçoamento e refinamento na maneira como o índice é calculado e como uma ação entra no índice, mas o conceito se mantém praticamente o mesmo até hoje.

Primeiro pregão do Ibovespa

A princípio, na época do primeiro pregão, o Ibovespa era composto por essas 17 ações: Aços Villares, Alpargatas, Antarctica, Banespa, Banco Itaú, Mappin, Cimento Itaú, Docas de Santos, Duratex, Indústrias Villares, Lojas Americanas, Brinquedos Estrela, Companhia Melhoramentos, Moinho Santista, Companhia Paulista de Força e Luz, Souza Cruz e Vale do Rio Doce.

Dessas empresas, apenas duas fizeram parte do Ibovespa durante todo o seu histórico: a Vale (que sucedeu a Vale do Rio Doce) e a Ambev (que aparecia na época como Antarctica). O Itaú, as Lojas Americanas e a CPFL Energia ainda fazem parte do índice hoje em dia, mas estiveram fora durante um período. Outras empresas como Alpargatas e Duratex existem até hoje como empresas negociadas na B3, mas não fazem mais parte do índice.

Como funcionam os pontos do Índice Bovespa?

Anteriormente, quando o índice foi criado, o Ibovespa tinha uma carteira de 17 ações que valiam exatamente 100 cruzeiros novos. Essa ideia é semelhante até hoje.

A pontuação atual do Ibovespa é a ponderação do valor em reais das ações que compõem o índice. Ou seja, para uma carteira com uma composição idêntica ao do índice com as suas 81 ações – número de empresas que compõem o Ibovespa atualmente – custaria aproximadamente R$100.000,00, que é a quantidade de pontos do Ibovespa. Em resumo, cada ponto do índice corresponde a R$1.

Apesar da quantidade de pontos ser importante para entender o patamar de valorização da Bolsa e as recentes altas históricas, o mais importante na análise do Ibovespa não é a pontuação em si, mas sim, a variação dessa pontuação em um período de tempo.

Isso significa que, ao falar que o Ibovespa caiu ou subiu 1%, você está dizendo que, na média, as empresas que compõem o Ibovespa – cada uma na sua proporção – tiveram esse mesmo comportamento de maneira idêntica. É por isso que o Ibovespa serve como um indicador e referência para o desempenho das ações e de fundos de renda variável.

Como o índice é formado

Não são todas as ações negociadas na B3 que fazem parte do índice e a metodologia do Ibovespa estabelece o rebalanceamento das empresas que fazem parte a cada quatro meses, ou seja, uma empresa pode entrar ou sair somente nesses rebalanceamentos.

Importante ressaltar que, antes de tudo, a participação de uma empresa no índice não pode ser superior a 20%, tanto na inclusão como no rebalanceamento. Entretanto, caso ocorra, são feitos ajustes e o excedente daquela companhia é redistribuído de forma proporcional para os demais ativos.

Para entrar no Ibovespa, a ação precisa, basicamente, ter um alto volume de negociação, pois a ideia do índice é ser uma carteira que representa o desempenho do mercado como um todo.

Dessa forma, fazer parte do Ibovespa não significa que a empresa tenha mais valor, apenas que existe um alto número de negociações daquela ação específica.

Critérios de inclusão e exclusão

Além disso, existem outros critérios para a inclusão no índice:

  • Estar entre os ativos elegíveis que, no período de vigência das três carteiras anteriores, em ordem decrescente de Índice de Negociabilidade (IN), representem em conjunto 85% (oitenta e cinco por cento) do somatório total desses indicadores
  • Ter presença em pregão de 95% no período de vigência das três carteiras anteriores.
  • Ter participação em termos de volume financeiro maior ou igual a 0,1%
  • no mercado a vista (lote-padrão), no período de vigência das três carteiras anteriores
  • Não ser classificado como “Penny Stock” – Ativos cuja cotação seja inferior a R$1,00.

A metodologia prevê também os critérios de exclusão da carteira de ativos:

  • Deixarem de atender a dois dos critérios de inclusão acima indicados;
  • Estiverem entre os ativos que, em ordem decrescente de IN, estejam
  • Classificados acima dos 90% do total no período de vigência das três carteiras anteriores
  • Sejam classificados como Penny Stock
  • Durante a vigência da carteira passem a ser listados em situação especial – recuperação judicial ou extrajudicial, ou qualquer outra hipótese definida pela B3

Para verificar mais detalhes, assim também como outros parâmetros que embasam a composição do índice, acesse o site da B3.

Como é calculado o Ibovespa?

Em suma, o cálculo é feito considerando o peso que a ação possui na carteira teórica, multiplicado pelo valor da cotação da ação no dia.

As ações têm seus preços alterados de acordo com a oferta e a demanda. Dessa forma, o cálculo do índice oscila praticamente a todo instante, pois é atualizado considerando os novos valores.

Cada ponto do índice vale 1 real. Portanto, se a pontuação do Ibovespa estiver em 90 mil pontos, significa que os ativos que compõem o índice estarão valendo a mesma quantia em reais.

Quando a pontuação do índice sobe, significa que as ações que compõem o índice tiveram valorização do mesmo modo. Todavia, quando a pontuação cai, quer dizer que as ações desvalorizaram.

Composição do Ibovespa

Atualmente, o Índice Bovespa é composto por 81 empresas. Assim, na tabela abaixo listamos as 10 empresas com maior participação para o quadrimestre de Janeiro a Abril de 2021:

Código Ação Part. (%)
VALE3 VALE 11,331
ITUB4 ITAUUNIBANCO 6,868
PETR4 PETROBRAS 5,91
B3SA3 B3 5,418
BBDC4 BRADESCO 5,282
PETR3 PETROBRAS 4,358
ABEV3 AMBEV S/A 3,112
MGLU3 MAGAZ LUIZA 3,041
WEGE3 WEG 2,563
ITSA4 ITAUSA 2,419

Conheça a carteira teórica do Ibovespa completa clicando aqui:

Como operar o Índice Bovespa?

Não é possível investir diretamente nos pontos do Ibovespa, pois ele não é um ativo. Entretanto, você pode buscar por opções que estão na composição do índice, como:

  • ETFs – Fundos negociados em bolsa de valores
  • Minicontratos de Índice – negociados no mercado futuro
  • Fundos de ações Ibovespa – como o BOVA11
  • Contrato Futuro de Ibovespa – investe em diferentes ações sem precisar comprá-las separadas

Conclusão

Os pontos do Ibovespa representam o valor em reais para compor uma carteira representativa do comportamento do mercado de ações brasileiro.

O Índice Bovespa serve como parâmetro para quem opera nos pregões, pois ele reflete o comportamento das principais ações negociadas.

Por fim, a variação do Ibovespa é um indicador muito importante do desempenho das ações no Brasil. Ele existe há mais de 50 anos e é rebalanceado a cada quatro meses. A ideia do índice é ser uma carteira que representa o desempenho do mercado como um todo, por isso, para entrar no Ibovespa, a ação precisa, basicamente, ter um volume alto de negociação.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 18

       
    1. Nelson, boa tarde!
      Que bom que gostou do conteúdo!
      Agradecemos por ser nosso leitor e te convidamos para conhecer nosso blog, com mais de mil artigos. Se quiser ficar por dentro do cenário econômico e saber mais sobre investimentos, assine gratuitamente o podcast semanal do nosso gestor Alexandre Amorim.
      Sucesso!

  1. Um conceito tão simples e fácil de entender. Por que ninguém fala sobre isso? Parabéns pelo conteúdo, foi muito preciso para investidores como eu que estão começando.

    1. Vitor, boa tarde!
      Ficamos felizes que goste dos nossos conteúdos. Um dos nossos princípios é compartilhar conhecimento de forma “entendível” e acessível.
      Agradecemos por ser nosso leitor e te convidamos para conhecer nosso blog, com mais de mil artigos. Além disso, estamos postando semanalmente em nosso Instagram um vídeo com o nosso gestor Alexandre Amorim comentando sobre o cenário econômico. Clique aqui e nos siga!
      Desejamos sucesso!

  2. Muito boa a explicação,estou iniciando os estudos para entrar nesse ramo.
    Só fiquei com uma dúvida:
    Para saber a pontuação de uma empresa no índice,eu multiplico o valor de cada ação da empresa pela % dela no índice?

  3. Legal, pra mim que esta comecando a estudar o mercado financeiro, mas ainda tenho algumas perguntas, para melhor entendimento.

  4. Foi muito bom, esclarecer alguma s dúvidas que tinha sobre bolsa de valores.
    Gostaria de conhecer mais..

    1. Francisco, boa tarde!
      Que bom que gostou do conteúdo!
      Em nosso blog, temos diversos artigos sobre a bolsa (alguns citados abaixo) e também sobre outros assuntos do mercado financeiro. Convidamos você para conhecer.
      Como investir na bolsa de valores?

      As 10 principais Bolsas de Valores do mundo

      Como funciona a bolsa de valores do Brasil?

      Se quiser ficar por dentro do cenário econômico e saber mais sobre investimentos, assine gratuitamente o podcast semanal do nosso gestor Alexandre Amorim.
      Desejamos uma ótima semana!

  5. Excelente explicação. Finalmente consegui entender o siginificado dos pontos do Ibovespa.

    1. Marcos, boa tarde!
      Ficamos felizes que você gostou do artigo!
      Aproveitamos para convidá-lo a assinar gratuitamente o podcast semanal do nosso gestor, Alexandre Amorim, e conhecer nosso blog, com mais de mil artigos.
      Desejamos sucesso!

    1. Dener, boa tarde!
      Eles não têm relação. O IFIX é o índice dos fundos imobiliários que engloba os FIIs com maior negociação no mercado. O WIN é um código de negociação para mini contrato, que negocia as pontuações futuras do Ibovespa, podendo operar comprado caso acredite na alta ou vendido, caso acredite na baixa do índice.
      Desejamos ter esclarecido!

  6. Muito bom artigo para pessoas como eu que estão iniciando os estudos no ramo de invertimentos e não têm conhecimentos prévios. Muito obrigada!

    1. Ana Maria, boa tarde!
      Ficamos felizes que o artigo tenha sido útil para você.
      Aproveitamos para convidá-lo para conhecer nossa página de materiais gratuitos, com cursos, guias, planilhas, ferramentas e portais que disponibilizamos, além de mais de mil artigos no nosso blog. Confira!
      Agradecemos por ser nossa leitora e desejamos sucesso!

Últimas publicações