Sua conta
  • 28/08/2019

Como investir em dólar?

Início / Investimentos / Como investir em dólar?
Como investir em dólar?

Os economistas, em geral, têm opiniões bastante distintas entre si, independente do assunto que estiver sendo analisado. Apesar disso, algo que a maioria dos economistas concorda é que uma das variáveis mais imprevisíveis é o comportamento do dólar com relação ao real. Além de depender de diversos fatores internos e externos, ele sofre forte influência de movimentações que o Banco Central faz para controlá-lo.

Apesar disso, o investimento em dólar pode fazer sentido em diversas situações, seja na diversificação do risco dos ativos brasileiros, na estruturação de estratégias mais complexas de investimento ou ainda como um movimento puramente especulativo.

Porque o dólar é uma moeda tão forte?

Os Estados Unidos tiveram um envolvimento direto na Segunda Guerra Mundial, contribuindo para a vitória das forças aliadas na Europa e principalmente na Ásia, que culminou na explosão das bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki. A guerra foi devastadora, destruindo várias cidades e indústrias por todo o continente europeu, que precisavam ser reconstruídas para que a população europeia se recuperasse no pós-guerra.

Os Estados Unidos, por não terem sido território da guerra, estavam em condições muito melhores que grande parte dos seus aliados e elaborou o Plano Marshall, no qual cedeu 12 bilhões de dólares (aproximadamente 100 bilhões de dólares atualizados) para ajudar na reconstrução do Leste Europeu e do Japão.

Esse dinheiro serviu de estímulo para a Europa, mas também beneficiou em muito os Estados Unidos, que ampliaram a exportação dos produtos que manufaturavam para esses países em recuperação. Essas questões contribuíram para tornar os Estados Unidos na potência econômica que são atualmente.

Em 1971, quando o governo Nixon anunciou que cancelaria unilateralmente a conversibilidade do dólar em ouro, acordada no Tratado de Bretton Woods, o dólar assume um protagonismo ainda maior, sendo a medida de valor para todas as outras moedas negociadas no mundo todo. Isso faz com que diversos países tenham grandes reservas de dólar e é também a razão pela qual o dólar é amplamente aceito no mundo todo.

As dívidas do Federal Reserve (o tesouro nacional americano) são denominadas em dólar, e esses títulos são considerados agregados monetários para a economia americana. Tendo em vista que os Estados Unidos, em última instância, podem produzir dólares para pagar a sua dívida e que eles são amplamente aceitos globalmente, considera-se o risco dos títulos do Federal Reserve como quase livres de risco de crédito.

Porque investir em dólar?

Além do dólar ser um ativo de baixo risco de crédito, ele possui um comportamento histórico bastante descorrelacionado dos ativos de risco do mercado brasileiro. Graficamente, é possível observar como o comportamento do dólar e do Ibovespa é quase que o inverso um do outro.

Veja por exemplo o gráfico abaixo que mostra o comportamento do dólar e do Ibovespa nos últimos 60 meses:

Em situações em que a economia brasileira se encontra fragilizada ou existe uma percepção de aumento do risco do Brasil, o dólar costuma ter um desempenho positivo, podendo, portanto, ser usado como uma estratégia de investimento ou proteção contra o risco do Brasil.

Além disso, no caso de empresas que eventualmente tem despesas em moeda estrangeira, o investimento em dólar ajuda a proteger o seu passivo, para que a dívida não aumente acentuadamente caso haja uma valorização do dólar em relação ao real.

Como investir em dólar?

Existem algumas formas de investir em dólar, cada uma com algumas características particulares:

Papel moeda

A forma mais conhecida de investir em dólar é por meio da compra de papel moeda. Para investir dessa forma basta ir a uma casa de câmbio e negociar a troca de reais por dólar.

Apesar de ser relativamente simples, essa é a forma menos eficiente de investir em dólar. As casas de câmbio cobram enormes spreads entre as taxas de compra e venda, que consomem boa parte da rentabilidade.

Sobre a compra de dólar físico incide uma alíquota adicional de IOF de 6%, e outras taxas da própria casa de câmbio. Além disso, existe um limite por CPF de quanto você pode trocar da moeda local para a moeda estrangeira. Sendo assim, essa é a forma menos recomendável de investir em dólar, valendo a pena apenas se você realmente precisa pagar algo com o papel moeda em si.

Fundos cambiais

São fundos de investimento que aplicam pelo menos 80% do seu patrimônio em ativos relacionados direta ou indiretamente a uma moeda estrangeira.

Existem fundos cambiais com um comportamento quase idêntico ao do dólar oficial. Essa maneira é muito mais eficiente que a compra de papel moeda, pois não tem os custos operacionais nem limites de aplicação.

Algumas gestoras de recursos possuem fundos que seguem esse tipo de estratégia e é possível realizar a aplicação nesse tipo de fundo fazendo cadastro diretamente com o gestor ou ainda por meio de corretoras que distribuam o fundo. Essa é uma boa opção para quem quer ter a exposição em dólar sem precisar se preocupar com o gerenciamento desse investimento.

Mercado futuro de dólar

O investimento em dólar pode ser feito também por meio da bolsa de valores. Na B3 são negociados derivativos chamados contratos futuros de dólar, cujo comportamento assemelha-se ao do dólar. Esses contratos são amplamente líquidos e tem um volume grande de negociação na bolsa. Eles também são mais eficientes que a compra do papel moeda e não cobram taxa de administração e outros custos incidentes nos fundos cambiais, no entanto, ele exige um gerenciamento mais direto do próprio investidor na sua compra e venda.

Para comprar contratos futuros de dólar basta ter uma conta em uma corretora que opere na B3 e realizar a ordem de compra do contrato desejado. Essa é uma boa opção para quem quer operar o dólar de maneira mais direta, aproveitando o preço de negociação da moeda no pregão da bolsa.

Forex

Outra opção é o Foreign Exchange Market, ou Forex. Esse é um ambiente para negociação global de moedas. Ele não é regulamentado no Brasil e não pode, portanto, ser acessado por meio de corretoras estabelecidas no Brasil, no entanto investidores brasileiros podem alocar o seu dinheiro em corretoras estrangeiras que operem nesse mercado.

Ele é um mercado altamente volátil e alavancado, permitindo ganhos e perdas bastante significativas para quem opera. Essa opção é recomendável apenas para investidores que tem um amplo conhecimento do comportamento e dinâmica da moeda e desse mercado e que deseja especular com esse ativo.

Conclusão

O dólar é uma moeda extremamente forte, considerada como um dos ativos de menor risco de crédito do planeta.

Ele é uma alternativa de investimento para quem busca uma diversificação do risco dos ativos brasileiros, para quem tem dívidas em moeda estrangeira ou para quem busca especular com o seu valor.

Você pode investir em dólar por fundos cambiais, contratos futuros de dólar, forex, ou ainda comprando papel-moeda, apesar dessa última alternativa ser a menos recomendável.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

×