Sua conta
  • 08/03/2016

Conheça as vantagens e desvantagens dos fundos de investimentos

Início / Investimentos / Conheça as vantagens e desvantagens dos fundos de investimentos
img-vantagens-e-desvantagens-dos-fundos-de-investimentos

Como já abordamos nos artigos anteriores “O que são fundos de investimentos? ” e “Como funcionam os fundos de investimentos? ”, os fundos são constituídos na forma de condomínios e possuem toda uma estrutura a ser mantida.

Entre as funções necessárias para manter um fundo em funcionamento estão as de administrador, gestor, custodiante e distribuidor. Essas funções podem ser desempenhadas pela mesma instituição, ou por instituições diferentes. Sendo assim, a manutenção dessa estrutura gera uma série de vantagens e desvantagens dos fundos de investimentos.

É possível comparar as aplicações em fundos de investimentos com morar em um condomínio de casas ou de apartamentos. É mais barato usufruir de uma estrutura completa – com piscina, salão de festas, quadras de esportes e portaria 24h, por exemplo – dentro de uma estrutura de condomínio, do que usufruir de todos esses serviços e estrutura individualmente. Por outro lado, quem vive em um condomínio deve se sujeitar a deixar um pouco de lado as aspirações individuais em prol do que é acordado coletivamente.

Vamos discutir ao longo desse texto as principais vantagens e desvantagens dos fundos de investimentos.

Vantagens dos fundos de investimentos: 

Um fundo é uma aplicação comum, na qual todos os investidores possuem o objetivo de obter ganhos financeiros! Seguem algumas das principais vantagens.

Vantagem #1 – Um fundo de investimento facilita a diversificação. 

Ao aplicar em um fundo o investidor tem acesso à carteiras de investimento diversificadas. Em finanças, a ideia de diversificação relaciona-se com o ditado popular de que “não é recomendado carregar todos os ovos em uma única cesta”, pois se a cesta cair, todos os ovos serão perdidos.

Um investidor que possui todos os seus recursos aplicados em dólar, por exemplo, poderá sofrer grandes perdas se a moeda local sofrer valorização diante da moeda estrangeira. Ainda, um investidor que possui todos seus recursos aplicados em ações de uma única empresa corre um grande risco de não conseguir obter os rendimentos esperados no caso de a empresa não ir tão bem.

Os fundos compõem suas carteiras com diversos ativos financeiros. Contudo, a alocação dos ativos nas carteiras deve seguir os limites impostos a cada categoria de fundos. Por exemplo, um fundo de renda fixa deve compor sua carteira com no mínimo 80% de ativos classificados como renda fixa; fundos de ações, por sua vez, precisam manter pelo menos 67% dos ativos de suas carteiras em ações.

Vantagem #2. – É possível aplicar mesmo com poucos recursos. 

Os fundos de investimentos normalmente possuem um valor mínimo para que o primeiro investimento seja realizado e também um valor mínimo para os aportes periódicos.

No entanto, apesar dessas restrições, com um pequeno montante já é possível encontrar opções de fundos para investir. Existem fundos cuja aplicação inicial é de R$ 100, por exemplo.

Em um fundo de investimento, mesmo quem tem poucos recursos consegue ter acesso a carteiras diversificadas e produtos financeiros sofisticados. Essas carteiras muitas vezes exigiriam um alto custo para serem constituídas caso o investidor desejasse comprar todos os ativos separadamente.

Analise seus investimentos com os especialistas da Par Mais

Vantagem #3 – Fundos viabilizam o acesso a uma gestão profissional da carteira de investimentos

O gestor é o responsável por decidir em quais ativos os recursos do fundo devem ser aplicados. Esse é um profissional especializado e qualificado para executar sua função.

Pequenos investidores geralmente possuem suas próprias profissões e não têm tempo para controlar seus investimentos pessoais, nem para aprender quais são as opções de investimentos mais adequadas para cada perfil de investidor ou momento da conjuntura econômica do país.

Devido ao grande montante de recursos que os fundos costumam girar em suas carteiras, os gestores conseguem montar carteiras com produtos complexos e sofisticados, muitas vezes não acessíveis ao pequeno investidor.

Vantagem #4 –  Diluição de custos e pagamento de imposto.

Os custos por usufruir de uma gestão profissional são diluídos entre os cotistas. Em tese, se o patrimônio de um fundo aumenta, os custos envolvidos aumentam em proporção inferior, fazendo com que as taxas cobradas sofram efeitos de escala.

Além disso, o pagamento de imposto de renda (IR) e IOF – se for o caso -, ocorre direto na fonte nos fundos de investimentos. Portanto, o investidor não precisa se preocupar em recolher o imposto posteriormente.

Desvantagens dos fundos de investimentos: 

Desvantagem #1 –  Alto custo.

A estrutura a ser mantida para que um fundo de investimento possa funcionar reflete em uma série de custos, os quais são repassados para os investidores. Em alguns casos, mesmo com a existência desses custos ainda assim é viável para o investidor aplicar em um fundo, devido às várias vantagens citadas anteriormente. Contudo, em outros casos as taxas cobradas podem corroer a rentabilidade anunciada.

Veja a seguir as taxas cobradas por fundos de investimentos.

Taxa de administração

É a taxa mais comum cobrada pelos fundos. Essa taxa é responsável por cobrir os gastos com a prestação de serviços do administrador, gestor, distribuidor, custodiante e demais instituições envolvidas na operacionalização do fundo.

É expressa em termos anuais (exemplo: 2% ao ano), mas cobrada diariamente. O valor da cota, recalculado diariamente, já é líquido da taxa de administração.

Taxa de performance

Essa taxa é cobrada quando um fundo é vinculado a um indexador – chamado de benchmark – e a rentabilidade do fundo em determinado período excede a deste indexador. A taxa de performance é cobrada apenas da parcela que excede o indexador.

Por exemplo, um fundo possui como benchmark o CDI. Digamos que no último ano o CDI rendeu 14%, enquanto o fundo rendeu 18%. Se a taxa de performance for de 20%, então será cobrado 20% sobre o excedente, que é 4% neste exemplo. Ou seja, no final das contas o investidor pagará 0,8% (20% de 4%) de toda a remuneração do fundo do exemplo na forma de taxa de performance.

Esse tipo de taxa é mais comum em fundos que tem gestão ativa, ou seja, que o seu desempenho depende diretamente da capacidade do gestor de fazer bons investimentos.

Despesas em geral

O fundo poderá também deduzir diretamente do valor da cota algumas despesas relacionadas com o dia a dia da operacionalização do fundo, como a impressão, envio e publicação de relatórios; envio de correspondências como convocações e comunicados aos cotistas; honorários de auditores independentes; custos de corretagem; despesas com registro e cartório; entre outras.

Desvantagem #2 – Não há flexibilidade para alocar os recursos.

Se um investidor acredita que um ativo que compõe a carteira de um fundo não seria uma boa opção de investimento, ele precisa optar entre resgatar todo seu dinheiro do fundo ou aceitar a carteira proposta pelo gestor. Em outras palavras, não há possibilidade de escolher em quais ativos específicos deseja-se investir.

Desvantagem #3 – Valor da aplicação inicial e valor dos aportes adicionais. 

Um fundo de investimento normalmente possui um valor mínimo de aplicação inicial e também para aplicações posteriores. Como mencionado nas vantagens dos fundos, é possível encontrar opções de investimentos com valores mínimos de aplicação bem baixos, como por exemplo R$ 100.

Acontece que o que ocorre na prática é que fundos que exigem aplicações mínimas mais volumosas (como R$ 100 mil no mínimo, por exemplo) costumam ter taxas de administração mais baratas, impactando em uma maior rentabilidade.

Dessa forma, o investidor pode acabar tendo sua rentabilidade corroída por taxas, fazendo com que o alto custo gerado não seja compensado pelos benefícios de investir em fundos.

Ficou claro, quais as vantagens e desvantagens dos fundos de investimentos?

Ao investir em fundos, por um lado os investidores se beneficiam de uma gestão profissional para os seus recursos e possuem os custos diluídos entre todos os cotistas. Por outro lado, as taxas cobradas e algumas restrições impostas pelos fundos, como prazo mínimo para aplicação ou valor mínimo a ser investido, podem reduzir a rentabilidade ou criar barreiras de entrada para a captação de novos investidores.

Fundos de investimentos podem ser uma ótima opção, desde que estejam adequados ao perfil de cada investidor e alinhados às necessidades de liquidez.

Empodere-se financeiramente, leia os demais artigos desta série sobre fundos de investimentos:

O que são fundos de investimentos?

Conheça os erros mais comuns de se investir em fundos

Como funcionam os fundos de investimentos

Conflitos de interesse das instituições financeiras?

Onde você está, aonde quer chegar?

Nossa função é tornar sua jornada mais rápida e mais rentável. Escolhemos com você os investimentos que precisa, alinhados às suas necessidades. Clique aqui

Deixe seu comentário

Comentário(s): 5

       
  1. Ola boa tarde,estou pesquisando e analisando sobre diversos tipos de fundos de investimentos,como os de açoes,renda fixa,hibrido,imobilarios..a minha principal e crucial duvida é se todos tem que se fazer os aportes mensais ou não ??,pois nao compreendi muito bem as tabelas,estou confuso,por favor se puderem me auxiliar nessa questao fico grato.

    1. Luis Henrique, boa noite!
      Investir em fundos é igual a qualquer ouro investimento.
      Antes de decidir é preciso definir qual é o(s) seu(s) objetivo(s) financeiro(s) e ver como está sua BIO Financeira (seu perfil psicológico frente aos investimentos + momento de vida + capacidade financeira)
      Se será necessário investimentos mensais, depende! Podemos investir uma única vez ou várias, conforme a sua capacidade financeira!
      O mais importante é que você está pesquisando e solicitando informações!
      Parabéns! Conte com a gente!
      Segue o link da nossa ferramenta que estuda a sua BIO!

      http://apps.parmais.com.br/inteligencia-par-mais

      QQ outra dúvida, fique à vontade e escreva aqui ou no [email protected]!

      Uma ótima segunda de carnaval para você e seu família!

  2. Bom Dia:

    Li em um contrato de fundo multimercado que, dependendo da aplicação, o cotista pode perder todo o investimento, e até ser chamado para aplicar mais para cobrir o rombo, qual o quantitativo que uma pessoa investiu tem que arcar caso aconteça? Obrigado.

    1. Olá, Rodrigo!
      Essa chamada extra de capital somente ocorrerá em fundos alavancados. Se um fundo multimercado pode ou não trabalhar com alavancagem, consta em seu regulamento. Uma vez que um fundo fizer uma chamada extra de capital, o investidor precisará aportar para ter a chance de recuperar o seu investimento. Cada cotista terá que aportar o proporcional às cotas que possui. Veja neste link um documento divulgado pela CVM que trata mais detalhes sobre a alavancagem em fundos de investimento.

×