Sua conta pessoal e a conta da sua empresa: pra você é uma só?

  • 26/01/2016
Página inicial - Empresas - Sua conta pessoal e a conta da sua empresa: pra você é uma só?

sua conta

Controlar as despesas da casa nem sempre é uma tarefa fácil para o casal e essa questão fica ainda mais complexa quando uma das pessoas, ou ambas, é proprietária de uma micro ou pequena empresa.

É muito comum misturar sua conta da pessoa física (PF) com a conta da pessoa jurídica (PJ).

A mistura entre elas é tão grande que, muitas vezes, a pessoa nem sabe mais diferenciar o que é gasto da empresa ou da casa e, normalmente, toda essa confusão acaba sobrando para o contador arrumar.

Esse é um ponto especial: A organização é simples e compensa o “esforço” necessário.

Cartão de crédito PJ e cartão de crédito PF

Se eu perguntar: quanto você recebeu da sua micro ou pequena empresa em novembro de 2015? Você consegue me responder? Você retirou o seu pró labore na data correta? Fez a transferência da conta PJ para a conta PF até o 5 dia útil? Quanto foi a distribuição de lucros?

Essas perguntas são básicas e, até certo ponto, simples de serem respondidas. Mas, normalmente, raros são os casos de empreendedores que tem isso claro.

Por que? Primeiro, o empreendedor mistura a sua conta PJ com a conta PF. Precisa pagar uma conta de cartão de crédito da PF, mas não tem dinheiro na conta? Então paga na conta da PJ, afinal, “é tudo a mesma coisa”, não é mesmo? Precisa comprar um equipamento para a PJ, mas está sem crédito? Fácil, então compra no cartão PF e, quando a conta chegar, a PJ paga tudo! Problema resolvido… como é simples.

O exemplo pode parecer confuso, e realmente é, pois é isso que acontece! Esse é um caso simples, existem os piores… os casos que a microempresa tem muitos recebimentos em dinheiro! Aqui, o problema é bem maior, pois a empresa não tem controle de quanto recebeu em dinheiro e, muito menos, quanto foi retirado do caixa para PF.

Portanto, neste primeiro ponto, é importante sua PJ ter uma conta corrente e um cartão de crédito exclusivos para despesas da empresa, e você ter sua própria conta PF e cartão de crédito.

Minha empresa está sem dinheiro

Sua empresa está passando por dificuldades, mas você não entende, certo? Todo mês você antecipa o cartão de crédito, troca cheques, entra no limite do capital de giro para pagar as contas da empresa. Mas, não faz muito sentido, pois sua empresa é rentável? Talvez, o problema não seja a saúde financeira da empresa, talvez o problema seja seu carro novo, sua casa nova, aquela viagem que você fez no ano passado e etc…

Lembre-se sempre que a empresa tem a folha de pagamento até o 5º dia útil, os impostos municipais, estaduais e federais entre o dia 10 e 20 de cada mês! Junto, muitas vezes, tem o financiamento do carro, da casa, a fatura do cartão de crédito e você não tem dúvidas: deixa atrasar o imposto, mas paga as contas da casa. Lembre-se sempre de que a operação precisa ser rentável e suas retiradas só devem ser feitas depois de apurados os lucros.

Quanto eu devo retirar por mês?

Ponto básico: você deve retirar da empresa o que ela faz de lucro e não o que você precisa para manter o seu padrão de vida. A sua empresa é seu ganha pão e retirar mais do que o possível é comprometer o seu negócio no longo prazo e, consequentemente, comprometer a sua única fonte de renda!

Ao planejar seu negócio, você deve ter elaborado uma previsão mensal de lucros, certo? Customize seu padrão de vida para o que sua empresa pode te proporcionar e só faça retiradas de acordo com o seu planejado e realizado. Lembre-se sempre de deixar uma reserva para investimentos necessários ao crescimento da sua empresa.

Realizamos o diagnóstico da empresa identificando os pontos fortes e fracos para prestar um serviço que vai fazer diferença e se pagar em pouco tempo.

Cuidado com o imposto de renda

Sempre que você fizer empréstimos (PF ou PJ), repasses ou captações de recursos, operações de troca de cheques, antecipações de cartões, retiradas mensais da empresa e etc. você deve declarar essas operações na contabilidade da PJ ou PF, ou seja, deve constar na declaração do imposto de renda.

Agora, você já pensou em fazer empréstimos para a PJ e, com esses recursos, pagar contas da PF, sem a devida comprovação fiscal? Sua empresa é deficitária, mas mesmo assim você distribui lucros (dinheiro de empréstimo)?

Ou, você paga contas da empresa com recursos próprios e não o devido registro? Como você espera comprovar para a receita o retorno desse capital para a PF?

Em ambos os casos, a receita pode entender como renda de outra atividade e tributar você de acordo com a tributação da PF (até 27,5%). Esse, no melhor dos casos, pois se você cair na malha você ainda pode ter que pagar uma multa de até 75% até 250%.

Se organize e tenha mais dinheiro

Organize-se. Se você não consegue ou não tem tempo para se organizar, é recomendável você procurar uma ajuda especializada, pois os custos da desorganização são altos, tanto em termos de qualidade de vida, pois você nunca sabe ao certo o que te espera no próximo mês, ou o custo financeiro também pode ser alto, pelos juros pagos nas antecipações de cartão de crédito, troca de cheques, juros do cheque especial, rotativo do cartão e, quando você menos esperar, de uma multa da receita federal.

Par Mais – 26.01.2016

Nossa função é tornar sua jornada mais rápida e mais rentável. Escolhemos com você os investimentos que precisa, alinhados às suas necessidades. Clique aqui.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 65

       
  1. Olá, excelente matéria! Gostaria de tirar uma dúvida.
    Meu faturamento é 80% em dinheiro e tenho uma conta PJ digital e PF física, sempre faço o depósito dos valores em dinheiro na conta PF física e posteriormente transfiro para PJ digital. Há algum problema nessa prática? A conta física serve apenas como “ponte” para o envio dos valores.

    1. Henrique, boa tarde!
      O correto seria o valor em dinheiro ser depositado diretamente na conta PJ. Ao fazer o inverso (PF para PJ), pode se caracterizar um aporte, uma integralização do faturamento da empresa.
      Até mais!

    1. Bruno, bom dia!
      A regra que você deve seguir é a de separar as atividades feita pela Pessoa Física da Pessoa Jurídica. Quando você mistura essas atividades, você quebra a relação das entidades e isso lhe gera alguns riscos tributários.
      Portanto, nossa recomendação é sempre segregar movimentações Pessoa Física e Pessoa Jurídica e contar com o auxílio do seu contador e/ou advogado para tirar dúvidas e evitar problemas futuros.
      Desejamos um ótimo final de semana.

  2. Boa tarde,eu tenho uma empresa no qual sou o unico socio gerente e gostaria de saber se tendo lucros na empresa se o mesmo lucro posso vir a retirar sem ter de prestar contas a ninguém e que estou a ser fiscalizado pelas finanças por causa de uma retirada de lucros alegando que falta dinheiro nas contas da empresa

    1. Abilio, bom dia!
      Para realizar a distribuição do lucro, deve-se seguir o que ficou determinado no contrato social e se o cálculo para aferição está de acordo com o regime tributário da empresa. Sendo que a distribuição só poderá ser realizada se a empresa não possuir nenhum débito fiscal.
      Até mais!

Mais comentários

Últimas publicações