Juros do cheque especial: porque pagamos tanto?

  • 17/08/2016

juros do cheque especial

O cheque especial é um crédito pré aprovado oferecido pelos bancos em conta corrente. Quando o seu dinheiro acaba na conta mas você ainda precisa usar algum valor, o banco empresta para você, o chamado limite da conta corrente. Mas cuidado com este empréstimo, as taxas de juros do cheque especial são umas das mais altas do mercado. Entenda como surgiu o cheque e a diferença para o cheque especial, como funciona e quais são as taxas praticadas entre os principais bancos do Brasil.

Cheque x cheque especial

De acordo com o Banco Central do Brasil, o cheque é uma transação financeira muito antiga. Alguns especialistas apostam que ele tenha surgido ainda em Roma, por volta de 352 a. C. Inicialmente o cheque funcionava como uma forma de depositar e guardar o dinheiro de modo seguro nos bancos, sem mexer com valores físicos. Além disso os valores ficavam disponíveis para ordens de pagamentos específicas.

No Brasil, a primeira referência a cheque, ainda com a denominação de “cautela”, que se tem registro é junto com o nascimento do Banco Comercial da Bahia, em 1845. Foi em 1893 que ele foi citado com o termo “cheque” pela primeira vez, sendo regulamentado, apenas em 1912.

Para o Banco Central, o uso do cheque, em termos gerais apresenta algumas vantagens como facilitar grandes movimentações financeiras, economiza tempo e torna as transações mais seguras, diminuindo a possibilidade de roubos. Porém, todas essas definições se referem ao uso do cheque como meio de pagamento à vista. Ele se baseia no conceito de que apenas quem tem fundos disponíveis no banco pode emitir cheque ou ordem de pagamento em favor próprio ou de terceiros.

Assim, fica claro perceber a diferença entre cheque na sua definição, para cheque especial, como temos hoje em dia. Claro que você pode utilizar o talão de cheques como forma de pagamento, tendo o dinheiro em conta. O problema é quando você utiliza o cheque especial, aquele valor que o banco deixa disponível na conta corrente e que funciona como empréstimo, carregado de juros.

Como surgiu o cheque especial

Este tipo de crédito surgiu, como o próprio nome fala, com o cheque. Nos anos 80, em época de instabilidade financeira, na qual alguns clientes dos bancos tinham um crédito pré aprovado para que as dívidas com o cheque fossem descontadas desse limite caso não houvesse saldo. Isso era uma garantia para os comerciantes, o que tornou o uso do cheque mais aceito.

Com o passar do tempo e a estabilização econômica, esse modelo de negócio passou a ser uma boa fonte de renda para os bancos, que expandiram o benefício para a maioria dos correntistas. O que era para ser um recurso emergencial, tornou-se corriqueiro e muitos brasileiros incorporam o limite do cheque especial ao salário mensal, entrando numa dívida difícil de se livrar.

As taxas de juros do cheque especial no Brasil

O cheque especial é um tipo de empréstimo muito fácil de ser realizado. De acordo com as informações cadastrais e a movimentação financeira do cliente é estipulado um valor, que fica disponível junto ao saldo da conta corrente e pode ser sacado a qualquer momento.

Essa facilidade, segundo as instituições financeiras, é o que torna os juros tão altos. O banco não tem previsão de quando a dívida será paga, então o risco do empréstimo é maior e, assim, os juros acabam saindo caro.

Confira a tabela comparativa com as taxas de juros do cheque especial praticadas, para pessoa física, pelos principais bancos do Brasil:

Instituição Taxas de juros
% a.m. % a.a.
BANCO BRADESCO S.A.   11,78  280,58
BANCO DO BRASIL S.A.      11,95 287,70
CAIXA ECONÔMICA FEDERAL  12,06   292,19
ITAÚ UNIBANCO BM S.A.  12,70   319,62
BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A.          15,15   443,33

*Fonte: Banco Central do Brasil – Período de 26/07/2016 a 01/08/2016 |Modalidade: Pessoa física – Cheque especial. Tipo de encargo: Pré-fixado.

Para ficar mais claro, vamos simular uma situação: Maria precisa de R$1.000,00 emprestado e irá pagar sua dívida somente após um ano. Se ela usar o cheque especial, em que a média anual de juros, praticada pelos principais bancos brasileiros, é de 324,6%, após 12 meses ela terá contraído uma dívida de aproximadamente R$4.246,00, mais todos os encargos bancários, ou seja: mais de 4 vezes o valor que pegou emprestado.

Preste muita atenção a instituições financeiras que oferecem benefícios como, por exemplo, 10 dias sem cobrar juros para utilizar o cheque especial. Sim, a primeira vista pode ser uma opção bem útil. Mas se você não tiver muita disciplina para depositar o dinheiro no tempo estimado, isso pode ser um tiro no pé.

Leia as entrelinhas, o Banco Santander, por exemplo, que oferece esse serviço, cobra a partir do 11º dia de uso o valor referente aos 11 dias com uma das maiores taxas de juros utilizadas atualmente, como é possível observar na tabela acima. Além disso, não há isenção do IOF nestes dez dias.

Os juros do cheque especial só existem no Brasil?

O Brasil é conhecido como o país dos juros altos. No cheque especial não é diferente. Em outros países como Estados Unidos e Inglaterra não existe cheque especial, mas sim o chamado overdraft. Ele é equivalente ao cheque especial brasileiro, mas com algumas diferenças expressivas, principalmente quando se trata de taxas.

O que acontece no exterior, no chamado overdraft, é que são cobradas multas, pré-fixadas ou não, cada vez que o correntista fica com o saldo negativo ou faz alguma operação com o saldo insuficiente. Em um primeiro momento isso pode parecer até mais do que os brasileiros costumam pagar em juros do cheque especial. Porém, estudos mostram que na ponta do lápis, mesmo as taxas mais elevadas destes bancos estrangeiros ficam em torno de 4 vezes menores do que os percentuais cobrados por aqui.

Fique longe dos juros do cheque especial!

Assim como o cartão de crédito, o cheque especial deve ser utilizado apenas como último recurso financeiro, ou seja: para emergências! Fique atento e não confunda o saldo disponível com o limite do cheque especial. Ele dá a impressão de você ter mais dinheiro na conta do que realmente tem. Lembre-se que este dinheiro é do banco e não seu.

É importante saber também que você pode pedir o cancelamento ou redução deste serviço a qualquer momento. É uma boa forma de organizar o orçamento sem contar com este empréstimo embutido. Caso você precise de um dinheiro extra para cobrir contas eventuais, há outras formas de conseguir empréstimos mais baratos que não seja o do cheque especial e seus juros caríssimos, como o empréstimo pessoal, por exemplo.

Converse com nossos especialistas e descubra qual o melhor caminho financeiro para você!

.

Par Mais – 16.08.2016

A Par Mais Empoderamento Financeiro tem um propósito claro: fazer com que as pessoas mudem sua relação com o dinheiro para alcançar a liberdade e serem mais felizes. Os especialistas da Par Mais desenvolveram um método que visa tornar qualquer pessoa capacitada a ter o controle das suas finanças. Conheça os nossos serviços. Clique aqui.

Resumo
Juros do cheque especial: porque pagamos tanto?
Nome do artigo
Juros do cheque especial: porque pagamos tanto?
Descrição
Nossos especialistas descrevem o perigo dos juros do cheque especial, qual a taxa cobrada pelos maiores bancos e como surgiu esse vilão.
Autor
Nome do editor
Par Mais

Deixe um comentário