Simulador de previdência privada dos bancos: você caiu nessa?

  • 01/09/2016
Página inicial - Vida financeira - Simulador de previdência privada dos bancos: você caiu nessa?
simulador de previdência privada

Pensar em previdência privada, significa pensar no futuro. Cada vez mais as pessoas estão buscando alternativas para realizar sonhos a longo prazo e, principalmente, para uma aposentadoria mais confortável.

O problema é que, muita gente, ao investir em uma previdência privada pode acabar tendo surpresas na hora de resgatar ou transformar em renda o dinheiro que acumulou ao longo da vida. Por isso, fizemos uma pesquisa: utilizamos o  simulador de previdência privada dos cinco maiores bancos do Brasil. Veja o que descobrimos a seguir.

Simulador de previdência privada: as taxas informadas pelos bancos

É fundamental conhecer as taxas praticadas pelo bancos e entender com profundidade como  afeta a rentabilidade de cada plano.

O quadro mostra as principais taxas usadas atualmente pelos bancos em um plano de previdência privada no Brasil:

Banco Taxa de carregamento entrada Taxa de Administração Rentabilidade/Ano¹
Caixa Econômica Federal 0%² 3,0 % a.a 8%
Banco do Brasil 3,5% 3,0 % a.a 8%
Itaú Unibanco 5% 2,8% a.a 3,0%³
Santander 0%⁴ 2,5% a.a 8%
Bradesco 4% 2,4% a.a 10,8%

¹ Estimativa de rentabilidade média dos bancos varia entre 4% e 12% ao ano.
² Quando o resgate ou portabilidade do saldo acumulado for após 36 meses.
³ Taxa de juros real anual.
⁴ Quando o resgate ou portabilidade do saldo acumulado for após 60 meses.

Entenda o que significam estes números

Taxa de carregamento na entrada – é um percentual cobrado pelo banco cada vez que você faz um depósito. Geralmente os bancos estipulam o percentual da taxa conforme o valor inicial investido no plano de previdência: quanto maior o valor, menor a taxa de carregamento. Também dá para negociar a redução do valor das taxas de carregamento de entrada ao se atingir montantes mais altos.

Taxa de carregamento de saída – cobrada em caso de resgate do plano. Na maioria dos bancos esta taxa é zero, mas é importante questionar o banco sobre essa informação.

Taxa de administração – costuma ser cobrada para cobrir as despesas de administração e corretagem do fundo.

Rentabilidade – é o percentual que, em média, rende o fundo.

Analise seus investimentos com os especialistas da Par Mais.

Mãos à obra: simulando uma previdência privada

Percorremos os principais bancos do Brasil para investigar e comparar as simulações de previdência privada realizadas em cada um. É claro, que cada situação e momento de vida é muito pessoal.

Nesta pesquisa, usamos o seguinte caso: uma mulher de 23 anos, que quer investir em previdência privada, com um aporte inicial de R$ 5.000 mais contribuições mensais de R$ 500, até os 65 anos, totalizando 42 anos de investimento.  Considerando as taxas apresentadas no quadro acima, os resultados aproximados foram os seguintes:

Banco Valor total acumulado Renda mensal inicial (vitalícia)
Caixa Econômica Federal R$ 1.973,222,83 R$ 6.590,00
Banco do Brasil R$ 1.634,918,00 R$ 8.081,18
Itaú Unibanco R$ 510.880,77 R$ 1.210,00
Santander R$ 2.030.331,87 R$ 6.857,08
Bradesco R$ 5.707,320,57 R$ 9.660,47

Se empolgou com os números? Cuidado! Eles escondem o modelo de negócio perverso dos bancos.

A verdade por trás das simulações

Caixa Econômica Federal

O simulador de previdência privada da Caixa mostra 4 opções de rentabilidades estimadas: 6%, 8%, 10% e 12% ao ano.  Não fica claro se são taxas de juros reais ou nominais, além disso como varia muito o percentual de rentabilidade (6% a 12%) e os valores apresentados ficam muito distantes um do outro: de R$ 1,1 milhão a R$ 6,5 milhões.

Das opções apresentadas, a gerente do banco informou que o rendimento do fundo está em 11% nos últimos 12 meses. Só que devemos considerar que, nos últimos 12 meses, a inflação está em 8,74%, ou seja, o rendimento real deste fundo é de apenas 2,08%. Transformando isso em valores reais, o  valor acumulado após 42 anos, os R$ 2 milhões apresentados na simulação estaria em torno de R$ 400 mil atualmente.

Banco do Brasil

O simulador do Banco do Brasil utiliza uma rentabilidade de 8% ao ano, já desconsiderando os efeitos  da inflação, ou seja, seria uma taxa real, o que entendemos como uma estimativa muito otimista para o cenário atual, em que nem investimentos mais agressivos conseguem alcançar em um período tão longo.

Uma conta mais próxima da realidade gira em torno de uma rentabilidade de 4% ao ano, o que em resultados finais acumularia em torno de R$ 600 mil, praticamente um R$ 1 milhão a menos do que a simulação previu.

Itaú Unibanco

O simulador do Itaú foi o banco que trouxe resultados mais condizentes com a realidade, porque faz o cálculo de rentabilidade utilizando uma taxa real de 3% ao ano. Mas mesmo assim, ele simplesmente simula o valor dos aportes sem deixar claro se considera a incidência das taxas de carregamento e administração ou não.

Santander

O simulador do Santander foi o único que deixou claro o tipo de tributação, em que utilizou a tabela regressiva. Porém, previu uma rentabilidade real de 8%, o que é uma taxa superestimada para o contexto brasileiro, assim como no caso do Banco do Brasil. O simulador também não deixou claro a incidência da taxa de carregamento sobre os aportes.

Em comparação com a simulação do Banco do Brasil, mesmo acumulando um montante maior pelo Santander, se a opção de recebimento for renda vitalícia, o plano do Santander geraria uma renda inferior a do Banco do Brasil. Isto ocorre provavelmente porque cada banco segue um cálculo próprio sobre dados como estimativa de vida, nascimentos… Contudo, esses detalhes também não foram apresentados na simulação.

Bradesco

O cálculo do simulador do Bradesco considerou uma taxa de rentabilidade de 10,8% ao ano, o que é uma super estimativa. Além disso, não desconta na simulação os valores das taxas de carregamento e taxa de administração que são bem altas na instituição. Dessa forma, o resultado exorbitante de um total acumulado que gira em torno de R$ 5 milhões é uma grande ilusão.

O banco Bradesco considerou a média da rentabilidade histórica dos últimos 24 meses para o cálculo. Ou seja, utilizou a taxa nominal para a simulação (foi incluída a inflação no período). Por este motivo, o valor acumulado foi muito superior aos demais.

O problema é que esse valor alto acaba impressionando o cliente e facilitando a venda. No entanto, os R$ 5 milhões acumulados ao longo dos 42 anos não comprarão a mesma coisa que R$ 5 milhões compram hoje. Por isso, o ideal na simulação seria ter utilizado uma taxa real, a qual desconsidera os efeitos da inflação e resulta em um montante com valores praticados atualmente.

Concluindo

Conhecer as particularidades dos planos de previdência e, principalmente, as taxas é a melhor forma de não perder dinheiro. Elencamos aqui, mais alguns itens para você ficar atento e evitar surpresas futuramente:

Tipo de taxa: real x nominal

A grande pegadinha da maioria dos bancos nestas simulações é a de não deixar claro qual o tipo de taxa usada na simulação. Ou seja, não dizem se a taxa é real ou nominal. Ao considerar taxas nominais ou até mesmo taxas reais superestimadas os bancos apresentam resultados irreais. Apenas o cálculo do Itaú deixou claro que simula com base em uma taxa real de 3% ao ano.

Neste artigo sobre taxa real e taxa nominal, além de entender o que significa cada uma, você poderá fazer uma simulação que exemplifica a diferença entre o valor que os bancos, em geral, mostram em suas simulações para vender os planos de previdência e o valor que você realmente teria, em termos reais, supondo um resgate de todo o valor acumulado.

Além disso, simulações que consideram a taxa nominal apresentam valores ilusórios, até porque daqui a 40 anos, você não saberá se o investimento em questão será capaz de manter o poder de compra dos seus recursos ou não.

Imposto de Renda

Outra informação que fica nebulosa, na maioria dos planos de previdência, é a tributação do Imposto de Renda que incide sobre o valor acumulado e varia de plano para plano. Caso você não esteja atento a esse número na hora de contratar o plano, pode significar surpresa no futuro também.

  • Declaração de IR no modo completo ou simplificado: quem faz a declaração de IR no modo completo pode deduzir em até 12% da renda tributável os aportes realizados em PGBL – benefício fiscal. Qual o tipo de declaração feita pelo cliente não foi questionada em todas as simulações, apenas no simulador de previdência privada do Itaú e do Banco do Brasil.
  • Tabela regressiva e progressiva: a escolha da tributação pela tabela regressiva ou progressiva faz toda a diferença na alíquota de IR. Para perspectivas de longo prazo a tabela regressiva é melhor. A tabela progressiva dificilmente valerá a pena. Porém, a simulação do Santander foi a única que deixou esse ponto claro.

Confira nosso guia completo e veja como declarar seus investimentos no imposto de renda!

Além disso as taxas de carregamento e a taxa de administração, são informadas pelos bancos, mas muitas vezes não entram na conta da simulação, o que já é uma pegadinha para o cliente do banco.

Caso você esteja planejando investir em um plano de previdência privada, não tenha medo de questionar o gerente do seu banco nos mínimos detalhes. Como você viu neste artigo, informações nebulosas superestimadas podem passar a falsa sensação de segurança no futuro. E caso você não esteja atento a todas as variáveis, quando chegar a hora de resgatar ou transformar em renda o dinheiro que você acumulou a vida toda, a decepção pode ser grande.

simulador de previdência privada

Nas simulações feitas, todos os bancos se protegem afirmando que os números apresentados e suas rentabilidades são meras estimativas e que não representam garantia ou obrigação da instituição financeira com você. Ou seja, caso a rentabilidade seja muito abaixo da apresentada na simulação, o banco está livre de qualquer obrigação com o cliente.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 112

       
  1. Gostaria de saber quanto a opção de resgate. Devo optar na assinatura do plano ? Se o resgate vai ser total , temporário ou vitalício, ou posso optar no data de resgate ?

    1. Maxilaine, bom dia.

      O que vem especificado em contrato é o prazo de carência do plano, ou seja, o tempo mínimo que se deve manter o investimento antes do resgate. Caso o investidor solicite antes do tempo estipulado no plano, podem surgir taxas extras a serem pagas.
      Após esse período, o investidor pode solicitar o resgate e escolher uma das opções:
      – Resgate do valor investido – total ou parcial
      – Resgate em forma de renda mensal por um período determinado
      – Resgate em forma de renda vitalícia

      Na ParMais, possuímos planos de previdência com gestão ativa para que seus recursos de longo prazo tenham rentabilidade maior e adequada aos seus objetivos ao longo da jornada.
      Caso queira conhecer, acesse: https://www.parmais.com.br/financas/pessoais/previdencia-parmais/

      Sucesso!

  2. Ela agradece imensamente pela resposta, mas, ela gostaria da opinião de vocês, mesmo que superficialmente, só para ter uma base. MIl reais, 2 mil reais?

    1. Ivan, boa tarde!
      Infelizmente não temos como fazer uma previsão, pois precisamos levar em consideração todos os itens explicados na resposta anterior.
      Porém, um de nossos especialistas entrará em contato com você para entender melhor os detalhes da previdência atual e tentar lhe ajudar.
      Até mais!

  3. Uma pergunta: uma pessoa que tenha aplicado, aos 50 anos de idade, 100 mil reais. Ela gostaria de receber, como previdência privada, aos 60 anos. Quanto ela receberá se for pelo BrasilPrev pelo PGBL? E se for pelo VGBL? Ela gostaria de saber sobre isso.

    1. Ivan, boa tarde!
      O valor da renda futura irá depender de um conjunto de informações, sendo a mais básica delas a meta de rentabilidade da previdência. Além disso, há informações específicas que constam apenas no regulamento do plano, como tabela atuarial e repasse financeiro, informações estas que não estão disponíveis para quem não é cliente. Desta forma, sugerimos antes de realizar a aplicação, pesquisar quais são as taxas cobradas, tabela atuarial utilizada, se existe repasse do excedente financeiro e qual o percentual.
      Outro ponto importante, é a idade atual da pessoa, como foi mencionado o prazo de 10 anos, a escolha da tributação fará diferença na renda futura (no regime progressivo, será tributado em até 27,5%, já no regressivo poderá chegar a 10%). Lembramos ainda que nos planos de previdência aberta existem formas de recebimento da renda que caso a pessoa venha a faltar no primeiro mês após o recebimento do benefício, o saldo ficará para o fundo, sendo assim, a escolha da forma de recebimento também tem peso relevante na expectativa da renda futura.
      Já quanto à escolha do PGBL ou VGBL, deve-se atentar ao fato da forma no qual a declaração do imposto de renda atual (completa ou simplificada), pois analisar apenas pela expectativa de renda futura seria ignorar as vantagens tributárias que o PGLB poderia trazer nesse momento.
      Sucesso!

  4. Gostei muito do assunto sobre simulações de previdência privada, nós leitores e leigos no assunto, ficamos de mãos atadas na hora de fazer um investimento para garantir nosso futuro após trabalhar a vida toda.

    1. Cicero, boa tarde!
      Ficamos felizes que tenha gostado do conteúdo! Um dos nossos princípios é compartilhar conhecimento de forma “entendível” e acessível.
      Agradecemos por ser nosso leitor e te convidamos para conhecer nosso blog, com mais de mil artigos e também nosso Instagram. Clique aqui para seguir!
      Sucesso!

    1. Maria, bom dia!
      Vai depender das taxas de cada plano.
      Você deve verificar se existe taxa de carregamento (um percentual que é descontado em cada depósito) e a taxa de administração cobrada pelo fundo. Tente negociar taxa de carregamento ZERO e a menor taxa de administração do fundo (não pode ser superior a 2%).
      Desejamos sucesso e um excelente 2020!

    1. Ollivera, boa tarde!
      No artigo, testamos o simulador de previdência privada dos principais bancos. Caso seja do seu interesse, entre em contato com um de nossos especialistas para analisar o regulamento de sua previdência ou fazer uma avaliação de previdência que seja ideal para você. Preencha o formulário a seguir para agilizar o atendimento https://www.parmais.com.br/analise-de-previdencia-par-mais/ ou agende um horário gratuito pelo link http://www.parmais.com.br/agendamento.html
      Até mais!

Mais comentários

Últimas publicações