Seguro residencial: o imprevisto não bate na porta!

  • 13/11/2020
Página inicial - Vida financeira - Seguro residencial: o imprevisto não bate na porta!

O seguro residencial é usado para proteger os imóveis que servem de moradia ou imóveis de temporada. Na prática, não é um seguro tão contratado quanto o seguro de automóveis, por exemplo, mas é um dos tipos de seguros mais conhecidos.

Porém, antes de contratar o serviço, é necessário se atentar as coberturas oferecidas e analisar as suas reais necessidades, evitando surpresas caso ocorra algum sinistro. Neste artigo, vamos explicar como funciona o seguro residencial, a importância de proteger seus imóveis, os tipos de coberturas e os cuidados antes de contratar o serviço.

Como funciona o seguro residencial?

Em resumo, o seguro residencial protege o patrimônio do consumidor, seja moradia habitual e/ou temporada, preservando além da estrutura, também o que está dentro dela.

Porém, esta proteção ainda não caiu na graça dos brasileiros, pois muitas residências ainda estão descobertas e, infelizmente, o imprevisto não bate na porta.

Geralmente, um seguro residencial é mais barato que um seguro de carro. Isso ocorre pelas características do bem segurado: segundo estatísticas, um imóvel é menos exposto à situações de risco que um móvel, como um carro.

O que muitos não se dão conta é que esta proteção pode sair muito menos custosa do que uma reconstrução total do bem. Principalmente se compararmos a representatividade do valor do bem em relação ao prêmio, ou seja, o valor que se paga para obter a proteção.

Por exemplo, se considerarmos um imóvel de R$500.000,00 e um prêmio de R$500,00 por ano, estamos falando de 0,1% do valor do imóvel – apesar que o valor do prêmio irá depender das coberturas que serão incluídas no seguro. Bem diferente se compararmos com o seguro de um automóvel, onde esta representatividade será bem maior, mas não menos importante, considerando a preservação do patrimônio.

Saiba mais: A importância do planejamento na hora de contratar um seguro

Coberturas e serviços do seguro residencial 

O seguro residencial oferece coberturas básicas, coberturas adicionais e também serviços de assistência domiciliar.

Coberturas básicas

As coberturas básicas são aquelas indispensáveis para contratação, ou seja, sem elas não é possível contratar as demais proteções. Dentre as coberturas básicas, temos: risco contra incêndio, queda de raio e explosão de qualquer natureza – algumas seguradoras incluem risco contra fumaça e queda de aeronave. A cobertura por risco de explosão é mais abrangente do que a cobertura por incêndio, pois é de qualquer natureza, podendo ocorrer fora do local segurado, diferente da cobertura por queda de raio, onde o segurado deverá ter provas incontestáveis da queda dentro do terreno segurado.

Coberturas adicionais

Os segurados também contam com as coberturas adicionais, que são abrangentes e voltadas para as necessidades do cliente. As principais são: acidentes pessoais de empregados ou do próprio segurado; alagamento e inundação; danos elétricos; desmoronamento; equipamentos eletrônicos/computação; impacto de veículos; perda/pagamento de aluguel; quebra de vidros; queimadas em zonas rurais; responsabilidade civil familiar; roubo e furto qualificado de bens; tumultos/greves/lockout; vendaval, furacão, ciclone, tornado e granizo ou vento forte.

Conheça o seguro de responsabilidade civil para profissionais da saúde

Algumas coberturas aumentam o valor do risco, como no caso da cobertura por roubo e furto qualificado de bens, porém outras, devido a baixa sinistralidade, não mudam quando se aumenta o valor do capital segurado. A quantidade de coberturas adicionais também faz diferença no prêmio do seguro, ou seja, ajuda a diluir o valor do prêmio.

Serviços de assistência domiciliar

Além das coberturas básicas e adicionais, os seguros residenciais possuem serviços de assistência domiciliar, que podem ser utilizados mediante risco previsto no contrato ou situações emergenciais, como: acompanhante em caso de hospitalização; encanador; chaveiro; despachante; eletricista; guarda de animais domésticos; guarda de crianças; hospedagem; limpeza; remoção em caso de falecimento; remoção médica; retorno antecipado em caso de falecimento de parente próximo; segurança e vigilância; transmissão de mensagens urgentes; transporte e guarda de móveis; transporte escolar, entre outros.

Porém, esses serviços mudam de uma seguradora para outra e conforme os serviços são adicionados, o valor do prêmio altera, de contrapartida em outras não, e muitos segurados não utilizam ou desconhecem este benefício e acabam contratando o serviço por fora, tendo um custo desnecessário.

Como as seguradoras zelam pela qualidade no atendimento e esses tipos de serviços são realizados por terceiros, eles procuram ter muito cuidado ao fechar a parceria com o profissional, agregando valor a este benefício, já que muitas vezes no momento do sinistro não sabemos para quem ligar.

Cuidados ao contratar um seguro residencial

Antes de fechar com a seguradora, faça uma análise criteriosa e identifique quais coberturas são realmente necessárias para o seu caso. Em algumas situações, pode acontecer do segurado contratar garantias desnecessárias para o seu contexto, como por exemplo, contratar a cobertura contra colisão de veículos terrestres em um apartamento no 10º andar; ou contratar uma cobertura contra colisão de aeronaves em uma cidade que não tem aeroporto.

Em outros casos, a contratação de uma cobertura adicional pode ser até mais importante do que a contratação do pacote básico. Porém, é preciso tomar certos cuidados. Para imóveis como sítios retirados e casas de praia, o seguro deve ser específico para casas de veraneio. As coberturas dos seguros são variadas e devem ser avaliadas caso a caso. Alguns seguros de veraneio oferecem serviço de check-up e protegem contra quebra de vidros, vazamentos, lâmpadas queimadas, entre outros.

No caso de proteção adicional contra furto ou roubo, a cobertura pode ser de todos os bens de dentro do imóvel, mas cada apólice deve ser analisada, pois podem existir itens que não são cobertos, como joias, tapetes, notebooks, dinheiro, entre outros. Além de ser uma cobertura que normalmente encarece bastante o prêmio a ser pago, a maioria das seguradoras exigirão a nota fiscal dos bens adquiridos no caso de ocorrência de furto ou roubo.

Saiba mais: Quatro alertas sobre seguro residencial

Outro exemplo é a cobertura de raios e a cobertura de danos elétricos. A primeira cobre danos elétricos causados por raios, mas a segunda é mais completa, cobrindo também problemas de variação de tensão na rede elétrica, por exemplo.

Por fim, mesmo que nem todas as coberturas oferecidas sejam necessárias, na prática pode acontecer de não ser possível excluir uma única cobertura do contrato com a seguradora, pois às vezes, as seguradoras vendem as garantias em pacotes.

Conclusão

Como falamos, o imprevisto não bate na nossa porta. Um cano que estourou, uma pedra no vidro da janela, um chuveiro ou lâmpada queimada, um ralo, pia ou sifão entupidos, uma fechadura emperrada, são exemplos de pequenos imprevistos, mas que dependendo do momento, geram muita dor de cabeça.

Ter estes serviços à disposição e ter a tranquilidade que em caso de sinistros com maiores proporções seu patrimônio estará preservado, reforçam a importância desta proteção. Não deixe de falar com seu corretor de seguro ou planejador financeiro para juntos analisarem as coberturas que melhor se adequam às suas necessidades.

Se os seus seguros estiverem bem dimensionados, de acordo com suas necessidades e objetivos, os prejuízos causados por eventuais sinistros não comprometerão seu planejamento financeiro.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

Últimas publicações