Investimentos no exterior: seguros resgatáveis e previdências

  • 17/06/2016
Página inicial - capital - Investimentos no exterior: seguros resgatáveis e previdências

Investimentos no exterior

É comum encontrarmos no mercado hoje em dia ofertas de produtos de empresas do exterior. Produtos estes que são oferecidos como opções de investimentos no exterior, alguns com promessas de altos retornos, mas que na verdade possuem características de previdência ou seguro de vida resgatável. São oferecidos principalmente para empresários, profissionais da área da saúde e atletas, ou seja, pessoas normalmente com uma renda elevada e que aceitam correr riscos em busca de rentabilidades maiores.

Seguros Resgatáveis

Longe de serem considerados verdadeiros investimentos no exterior, os seguros resgatáveis funcionam da seguinte forma: você escolhe um valor de cobertura e um período para pagamento, que normalmente é de até 10 anos. Enquanto você está efetuando os pagamentos, caso ocorra algum imprevisto os beneficiários recebem os valores contratados. Após o prazo de pagamento você pode optar por manter as coberturas ou resgatar o valor pago. Porém, esse valor de resgate não contabiliza os primeiros anos de pagamento.

Entretanto, caso decida resgatar antes do prazo final, há uma tabela com o percentual de resgate referente aos valores pagos, no qual nos dois primeiros anos não há valores a serem resgatados. Caso decida por resgatar o valor, o seguro é automaticamente cancelado.
Maldades dos seguros resgatáveis

Previdências no exterior

Esses produtos são vendidos com promessas de retornos financeiros altíssimos. Neles, são feitos pagamentos com período e valores pré acordados no inicio. Os aportes, na maioria das vezes, podem ser feitos com pagamentos de boletos ou débitos no cartão de crédito, podendo ser mensais, trimestrais, semestrais etc, e o prazo, normalmente, de até 25 anos.

Há alguns pontos que requerem atenção:

  1. Como os valores de aportes são negociados em moeda estrangeira, no caso de desvalorização do Real, o investimento pode ficar muito maior do que programado inicialmente, e em muitos casos há penalidade no caso de reduções dos valores aportados, como perda de benefícios ou cobranças de taxas.
  2. Quando são feitos os pagamentos no cartão de crédito é preciso considerar o valor de IOF, que possui alíquota de 6,38%. Nesse caso temos que pensar que o investimento precisa ter um retorno acima desse valor para recuperar a perda na hora do aporte.

Seguros e investimentos no exterior são melhores dos que os oferecidos no Brasil?

Quando comparamos esses produtos com os que são oferecidos aqui, as diferenças principais são:

  • Previdência: Em aplicações no exterior a rentabilidade fica atrelada, principalmente, à valorização da moeda estrangeira que está sendo investida, pois as taxas de retorno não costumam ser muito elevadas se comparadas com os retornos em aplicações no Brasil. Hoje estamos com uma taxa de inflação acima de 9% a.a., com isso é preciso um retorno acima dessa taxa para manter o poder de compra, e a rentabilidade acima disso é o retorno real que ganhamos na aplicação. Na prática,  considerando todas as taxas envolvidas e os canais de investimento utilizados, isso não é comum de ocorrer nesses tipos de investimentos no exterior.
  • Seguro de vida: Se calcularmos os valores aportados, investindo no Brasil com rentabilidade de 100% CDI, o retorno no período do contrato será muito maior que o valor de resgate. Dessa forma sendo interessante só se analisar o produto como seguro de vida, e não como um investimento. Entretanto, devido a empresa ser sediada em outro País, caso haja algum problema para recebimento de resgates ou coberturas, os órgãos de proteção ao consumidor do Brasil não podem intervir.

Por fim, por mais que as promessas sejam tentadoras, pesquise, faça cálculos e compare. Normalmente existem ofertas de produtos financeiros muito mais interessantes e vantajosos em relação às opções citadas (seguros resgatáveis e planos de previdência de empresas estrangeiras), as quais costumam ser apresentadas como opções de investimentos no exterior.

VAMOS ANALISAR O SEU PLANO DE PREVIDÊNCIA
E VER O QUE É MELHOR PARA VOCÊ

Exclusivo para planos de previdência do Banco do Brasil – Bradesco – Caixa – Itaú – Santander

Acompanhe mais leituras sobre investimentos no exterior no nosso blog:

Acesse também nosso farol sobre investimentos financeiros!

Deixe seu comentário

Comentário(s): 4

       
  1. Pretendo me mudar para Portugal e possuo um valor na FORLUZ, para o qual não sei como proceder. Tenho então a primeira questão a ser respondida antes de qualquer coisa: existe portabilidade entre Planos de Previdencia Privada entre instituição do Brasil e Portugal? Ou seja, posso transferir meu saldo para um Banco de Portugal? Agradeço desde já a atenção.

    1. Marcus, boa tarde!
      Existe um acordo referente a previdência social entre Brasil e Portugal, entretanto referente a previdência privada desconhecemos. Acreditamos que você vai precisar resgatar o valor para poder usufruir em Portugal.
      Sucesso!

  2. Sou extrangeiro, tenho previdência privada no extrangeiro e posso já fazer o resgate. Tenho que declarar esse dinheiro? Quais são as taxas que pagaria pela entrada desse dinheiro na minha conta no Brasil?

    1. Gladys, obrigado pelo seu comentário.
      Caso você seja residente fiscal no Brasil, é necessário declarar os recursos mantidos no exterior. Procure conversar com seu contador ou advogado tributarista a respeito, ele poderá lhe orientar sobre qual a forma correta de realizar essa declaração.
      Sobre o recolhimento de imposto de renda quando você trouxer os recursos para o Brasil, isso dependerá do país em que o recurso está investido e também das especificações do produto, portanto, seria necessária uma análise mais detalhada da situação.
      Ficamos à disposição.

Últimas publicações