O que é inteligência financeira para investimentos?

  • 02/07/2021
Página inicial - Vida financeira - O que é inteligência financeira para investimentos?

Certamente você já ouviu falar que, para obter sucesso, é preciso ter inteligência financeira para investimentos.

Mas afinal, o que isso quer dizer?

Neste artigo, vamos explicar o que é esse conceito e dar dicas para adquirir inteligência financeira.

O que significa inteligência financeira para investimentos?

A palavra inteligência é bastante ampla e pode ser interpretada de diversas formas. No dicionário, ela significa: a faculdade de conhecer, compreender e aprender. Ela pode ser também uma habilidade para entender e solucionar adversidades ou problemas, adaptando-se a novas circunstâncias.

E nos investimentos não é diferente, pois a inteligência financeira está ligada com a capacidade da pessoa se conhecer e reconhecer o que ela não sabe.

Em resumo, a inteligência financeira para investimentos consiste no autoconhecimento e na capacidade de reconhecer que não domina o assunto. Esses são dois aspectos muito importantes para não ser prejudicado financeiramente.

Organização financeira

A inteligência financeira para investimentos também está em saber ouvir e enxergar a realidade. Ou seja, ela está relacionada com a organização das receitas e despesas.

Precisamos estar com as contas organizadas para conseguir fazer sobrar dinheiro para poder investir.

Algumas pessoas fazem isso naturalmente. Já outras precisam do auxílio de planilhas ou ferramentas, mas o mais importante é enxergar a realidade.

Não basta apenas ter as finanças organizadas, é preciso também fazer uma análise criteriosa e encarar a realidade para saber onde realmente está indo o seu dinheiro e descobrir como você pode gastar melhor para fazer sobrar e investir.

Invista de acordo com os objetivos

Para alcançar a tranquilidade e a inteligência financeira, você deve investir de acordo com seus objetivos.

Para isso, o primeiro passo é ter uma reserva para eventualidades e, depois disso, aplicar o dinheiro para buscar retorno no longo prazo.

A inteligência financeira também consiste em você entender que, hoje em dia, os investimentos de longo prazo exigem a tomada de riscos maiores.

Quanto maior o risco, maior a possibilidade de retorno, mas também maior a possibilidade de perdas, principalmente em mercados com grandes volatilidades, como bolsa e criptomoedas.

Carteira diversificada

Se o objetivo é de longo prazo e você tem produtos bons e adequados em uma carteira diversificada, caso alguns dos ativos estejam perdendo em determinado momento, os outros podem compensar.

Neste aspecto, é importante você não olhar os ativos de forma separada e entender que a carteira é um conjunto de ativos que, se bem diversificados, vão te dar o melhor retorno.

Além disso, olhe para essa carteira como se fosse um investimento único, não focando apenas em um ativo ou acompanhando apenas o ativo que está indo mal. É importante que toda a carteira tenha uma boa performance.

Neste tipo de objetivo, é importante ter tranquilidade, pois se você tem o longo prazo pela frente, certamente irão ter anos ruins, mas o importante é que tenham mais períodos bons para compensar.

Inteligência no mercado financeiro

Em momentos de alta do mercado, como a taxa de juros alta ou um bom momento do mercado de ações ou das criptomoedas, é comum muitas pessoas optarem por entrar no investimento pelo fato de não querer “ficar de fora”, o famoso efeito manada.

O problema é que o mercado em alta costuma deixar o investidor muito seguro de si, o que é perigoso, pois assim como o mercado sobe, ele também cai.

Quando a pessoa sente muita segurança em algo, ela acaba ficando muito confiante e acredita que o universo está conspirando a seu favor.

Porém, quando o mercado vira ou quando as coisas mudam e a pessoa não tem o conhecimento adequado, ela acaba cometendo outro erros, como por exemplo, demorar demais para se desfazer de um ativo para não sentir a dor da perda.

Ou seja, a pessoa começa a tomar decisões que vão atrapalhar o seu retorno financeiro.

Por isso, é preciso ter muito cuidado quando o mercado está em alta, pois a tendência natural das pessoas é achar que sabem mais do que realmente sabem e acabam tendo dificuldades quando o mercado muda.

Não existe almoço grátis

Outra questão bastante comum é que as pessoas costumam acreditar em ganhos fáceis e mirabolantes. Mas como sempre falamos, não existe almoço grátis no mercado financeiro.

Geralmente, ganhos mirabolantes ou promessas de rentabilidade garantida – o que, inclusive, é proibido – correm grandes riscos de serem pirâmides financeiras. Por isso, sempre desconfie dessas promessas.

Quando nos deparamos com a possibilidade de um ganho muito grande, é comum ficarmos entusiasmados e a tendência é acreditar, considerando apenas um aspecto. Mas isso atrapalha o nosso poder de decisão e acabamos caindo em golpes.

É importante reconhecer que não domina o assunto

Como já falamos, um fator importante da inteligência financeira para investimentos é você conseguir reconhecer que não domina o assunto. Sabendo reconhecer, a pessoa é capaz de buscar por profissionais que podem auxiliá-la.

Mais do que demandar as questões financeiras para especialistas, é importante também saber escolher bem esses profissionais, que nem sempre vão ser aqueles que mais te agradam.

Ou seja, você precisa escolher bons profissionais que irão te falar a sua real condição financeira e que vão traçar estratégias ideais para que você alcance seus objetivos.

Conclusão

A inteligência financeira para investimentos está muito ligada com o autoconhecimento e com a capacidade de reconhecer que não domina o assunto. Além disso, ela está relacionada com a capacidade de saber ouvir e enxergar a realidade.

Para adquirir a inteligência financeira e não se prejudicar, é importante entender esses aspectos, estudar os vieses comportamentais e aprender técnicas de finanças pessoais.

Depois de entender, é preciso exercitar.

Temos que ter consciência que os momentos de quedas existem, assim como existem os momentos de altas. Devemos entender sobre o risco e o potencial de retorno dos ativos e aplicar de acordo com os objetivos.

Para os objetivos de longo prazo, podemos fazer a seguinte analogia: se quisermos atravessar o oceano, não podemos olhar o mar de lupa, porque cada onda ficará gigante. É preciso olhar de luneta, focando nos objetivos estabelecidos para o longo prazo.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

Últimas publicações