Educação financeira: saiba se organizar para vencer o consumo impulsivo

  • 29/05/2020
Página inicial - Vida financeira - Educação financeira: saiba se organizar para vencer o consumo impulsivo
Educação financeira

No dia a dia, é comum as pessoas não saberem gerenciar suas finanças. Isso acontece porque, desde cedo, elas não são ensinadas a lidar com o dinheiro. É aqui que entra a importância da educação financeira. A partir do momento em que começam a entender o valor do dinheiro, as pessoas passam a agir com mais racionalidade e a ter um domínio mais consciente dos seus ganhos e despesas.

Em momentos de crise como este que estamos vivendo por causa da pandemia da COVID-19, fica mais evidente ainda a importância da educação financeira. Sabendo lidar com as finanças, as pessoas se tornam capazes de gerenciar as próprias contas, conseguem identificar e evitar as armadilhas de consumo, e se tornam mais seguras em momentos de incertezas.

Deficiência na educação financeira

Historicamente, o Brasil é um país de contrastes econômicos. Ao mesmo tempo em que se busca implantar novas medidas e criar mais oportunidades para fazer a economia decolar, diversos fatores atrapalham essa evolução. Um deles é a deficiência na educação financeira, que escancara a incapacidade das pessoas em se relacionarem com o dinheiro.

Diferente do que acontece em países desenvolvidos, as escolas no Brasil não contam com uma disciplina sobre educação financeira na grade curricular. Por causa disso, os alunos crescem desconhecendo os benefícios do uso consciente do dinheiro e os perigos de ser negligente com ele. Já como adultos, eles passam a ter dificuldades para controlar seus gastos, consomem sem responsabilidade e se afundam em dívidas que não param de crescer.

Esses são os analfabetos financeiros, pessoas que têm um comportamento desleixado com o dinheiro e costumam não cuidar das suas finanças, acumulando diversos problemas.

Embora o problema seja crônico, é possível contornar essa situação e começar a colher os frutos de uma educação financeira eficaz, capaz de fazer as pessoas terem controle de suas finanças. Confira alguns passos para começar a colocar em prática a organização financeira e ter disciplina:

Orientação desde cedo

A criação das crianças por adultos analfabetos financeiros também colabora com a expansão de uma sociedade que não sabe lidar com o dinheiro. Se os pais não têm uma educação financeira bem desenvolvida, é improvável que os filhos adquiram, por conta própria, habilidades para uma vida financeira equilibrada e sem dificuldades.

Como os filhos se espelham nas atitudes dos pais, é importante orientar os pequenos desde cedo com algumas regrinhas que os ajudarão a criar e desenvolver hábitos saudáveis de se relacionar com o dinheiro. E nada melhor do que a tradicional mesada para passar a elas as primeiras noções de uso consciente do dinheiro em determinado período de tempo.

A mesada permite um controle dos pais sobre as finanças dos filhos. Já as crianças começam a entender que precisam fazer escolhas em onde gastar seu dinheiro. É preciso frisar que se gastarem com algo, pode não sobrar dinheiro para uma próxima compra. Abaixo estão algumas situações em que as crianças se veem inseridas, e que os pais podem orientar de que se deve usar o dinheiro de forma mais estratégica.

  • Lanches (doces, salgadinhos e guloseimas fora da dieta diária)
  • Brinquedos (manuais e eletrônicos)
  • Encontros com amigos (cinema, festinhas, passeios e parques de diversão)
  • Jogos (celular, computador e vídeo-game)
  • Presentes (para si, familiares e amigos)

Educar financeiramente os filhos não é uma tarefa fácil. Por isso, disponibilizamos a planilha Mesadinha, que irá te auxiliar a guiá-los com escolhas de como lidar com o dinheiro de forma mais inteligente.

Benefícios da educação financeira

Saber gastar o que se recebe de forma consciente é um dos benefícios imediatos da educação financeira. Uma pessoa organizada financeiramente passa a tomar atitudes racionais ao usar o dinheiro, não se deixando levar pela emoção de consumir qualquer produto que pareça ser obrigatório ter na sua vida.

Na Edição #1 da newsletter Papel e Caneta, nosso sócio Jailon Giacomelli CFP® fala do conceito que a sociedade criou sobre consumo, ou seja, o que a sociedade espera que você compre/consuma.

Mudança de comportamento

Parece fácil, mas o caminho para se organizar financeiramente é árduo e exige muita vontade para mudar de comportamento. Para simplificar esse desafio, listamos 4 dicas para analisar alguns pontos que podem estar impedindo você de se tornar um consumidor consciente e financeiramente organizado.

  • Pague à vista

Dê preferência para pagar à vista todas as suas contas. Assim você evita não só muitos parcelamentos, às vezes com juros altíssimos, mas também dribla as chances de endividamento por não ter como quitar todas as despesas. Além disso, o pagamento à vista pode garantir descontos, então é mais uma forma de economizar sem ter a obrigação com uma conta extra nos meses seguintes.

  • Cuidado com as compras pela internet

Comprar pela internet pode garantir alguns benefícios, pois você evita aglomerações e tem mais chances de comprar apenas o que realmente precisa. Porém, deve-se ter disciplina e tomar muito cuidado ao realizar compras online, fugindo das tentações com as promoções e evitando as compras por impulso.

  • Evite desperdícios

Economizar não se refere apenas ao controle do dinheiro na carteira. Na vida cotidiana é possível economizar com serviços de água, luz e telefone. Procure se atentar aos desperdícios no uso deles e aos preços das tarifas cobradas. O mesmo vale para assinaturas de TV a cabo: será que você realmente assiste a todos os canais oferecidos no pacote? Aproveite este momento de isolamento social que estamos vivendo e tire um tempo para avaliar as suas assinaturas e renegociar com as operadoras, contratando planos com conteúdos que você realmente usa. Assim, você vai conseguir poupar dinheiro, podendo usá-lo em outras situações.

  • Cartões de crédito

O cartão de crédito pode ser um grande aliado no planejamento financeiro, porém, se usado de forma incorreta e inconsciente, pode se transformar em um grande vilão e você pode acabar endividado.

Antes de adquirir um, conheça as condições de uso, o valor da anuidade, o limite de valor de compra e a data de vencimentos da fatura. Uma vez com o cartão de crédito em mãos, não saia passando eles por impulso nas maquininhas de cobrança. Não saber controlar as contas com pagamento usando cartão de crédito pode ser extremamente nocivo para o seu bolso.

Se tiver vários cartões de crédito, reduza o seu uso para apenas um deles. Se puder, cancele os demais. Assim, você evita acumular contas de vários lados, não fica sujeito a condições abusivas dos fornecedores e diminui as chances de se endividar por não conseguir pagar todas as faturas. Falando nelas, nunca pague o valor mínimo de uma fatura. Se esforce para pagar o valor total para não se embolar com juros estratosféricos.

Quero começar a organizar minha vida financeira

Ponha os aprendizados em prática e evite as dores mais comuns dos brasileiros

Saber lidar com o dinheiro e não cair nas armadilhas do consumo impulsivo é uma forma de evitar algumas dores que o mau uso dele provoca. E nada melhor do que ser organizado financeiramente para estar protegido contra os perigos de uma saúde financeira doente.

Pensando nisso, criamos um diagnóstico com as 4 principais dores que os brasileiros sentem quando não estão com a saúde financeira em dia. Serve de orientação de hábitos que você não deve ter e, caso se identifique com algum, deve repensar suas atitudes para ser uma pessoa que sabe controlar seu dinheiro.

  • Trabalhar muito e não saber o destino do dinheiro

De nada adianta se dedicar várias horas do seu dia para o trabalho e não ter um tempo para cuidar do seu dinheiro. A vida moderna força as pessoas a passarem muito tempo trabalhando para ganhar dinheiro e conseguir pagar as contas, o que faz com que elas também se esqueçam de cuidar de si mesmas. O ciclo é vicioso, difícil de contornar e representa uma grande dor nas pessoas.

  • Infidelidade financeira

Um dos desafios da vida a dois é o compartilhamento de informações e experiências no dia a dia. Mas uma das principais reclamações dos brasileiros é a falta de comunicação sobre as condições financeiras do casal. A infidelidade financeira, inclusive, é a segunda maior causa de separações no Brasil. Não é à toa que ela que representa uma grande dor nas pessoas.

  • Guardar dinheiro na poupança

A caderneta de poupança é a queridinha dos brasileiros. Ela costuma estar no topo da preferência de quem quer começar a guardar dinheiro. Mas, além de não ser um investimento recomendado em função da sua baixíssima rentabilidade, ela também serve de muleta para algumas pessoas acomodadas, que não procuram saber se existem investimentos mais alinhados com os seus objetivos. O dinheiro simplesmente fica lá parado, gerando resultados praticamente nulos e dor nas pessoas.

  • Não saber se investe corretamente

A maior dor dos brasileiros é não saber se seu dinheiro está sendo investido da melhor forma possível. E isso é causado por uma série de fatores: insegurança ao escolher os tipos de investimento, falta de conhecimento de como eles funcionam e o medo de perder dinheiro diante da imprevisibilidade dos resultados.

Por isso, é muito importante contar com o auxílio de gestores profissionais, consultores CVM ou CFPs. Eles irão te ajudar a rever os seus ativos e pensar em estratégias de acordo com o seu perfil de risco e objetivos financeiros, além de te ajudar a tomar as melhores decisões.

Conclusão

A educação financeira é o melhor caminho para formar pessoas capazes de lidar com o dinheiro. E é através da organização financeira que elas passam a se tornar confiantes e a agir de forma mais racional com suas finanças, fugindo das armadilhas do consumo impulsivo e evitando as dores do mau gerenciamento do dinheiro.

Mais importante do que conhecer as situações, é começar a colocá-las em prática para criar hábitos saudáveis na sua vida financeira. O caminho será desafiante, mas é possível vencê-lo com dedicação e disciplina.

SAIBA MAIS

Deixe seu comentário

Comentário(s): 1

       

Últimas publicações