Cinco passos para alcançar a independência financeira

  • 06/09/2021
Página inicial - Vida financeira - Cinco passos para alcançar a independência financeira

Provavelmente você já pensou em ter independência financeira para poder escolher com o que – e se – irá trabalhar.

A independência financeira consiste em conseguir manter o padrão de vida desejado sem precisar depender do salário de um emprego fixo. A ideia é ter um equilíbrio financeiro e trabalhar por prazer ou opção, e não pela necessidade de pagar as contas no final do mês.

Esse não é um objetivo impossível e com planejamento, acompanhamento e disciplina você consegue alcançar. Para ajudar, trouxemos neste artigo cinco dicas para você alcançar a sua independência financeira.

O que é a independência financeira?

A independência financeira é a liberdade de poder fazer escolhas sem precisar se preocupar em trabalhar para conseguir dinheiro.

Ela pode ser construída com a combinação de um conjunto de rendas, fruto do patrimônio – como aluguel de imóveis e rendimento de investimentos financeiros – e outras rendas que tenham garantia de recebimento – como aposentadorias, pensões, previdência privada, dividendos – e que sejam suficientes para manter o padrão de vida pelo tempo escolhido.

É preciso ter muito patrimônio para alcançar a independência financeira?

Ter um bom patrimônio ajuda a proporcionar uma renda mais elevada. Porém, ao contrário do que muitos pensam, a independência financeira não possui uma relação direta com o patrimônio acumulado. Ou seja, não é preciso ter muito dinheiro para ser independente financeiramente.

Na verdade, a independência financeira está muito relacionada com o volume de despesas familiares e com o quanto cada um precisa para ser feliz e viver tranquilamente. Quem vive com pouco e está satisfeito, não precisa de um patrimônio muito elevado para alcançar a independência financeira.

Como conseguir a independência financeira?

Listamos cinco dicas para que você alcance a sua independência financeira:

1 – Fazer o diagnóstico financeiro pessoal

O primeiro passo é fazer um levantamento das rendas e despesas familiares.

As rendas representam os valores recebidos. Aqui na ParMais, costumamos utilizar o conceito de renda líquida, que significa o valor que efetivamente entra na conta, já livre de descontos.

As despesas, por sua vez, são as saídas de recursos utilizados para manter o padrão de vida familiar. Geralmente, elas são classificadas em dois grupos: rotineiras e eventuais.

As despesas rotineiras são aquelas do dia a dia, como alimentação, mensalidade escolar, conta de luz, água, internet, academia, entre outros;

Já as despesas eventuais são bem específicas e costumam impactar muito no bolso da família. Em geral, ocorrem uma ou poucas vezes ao ano, como viagens, troca de carro e reformas. Apesar de serem relevantes, normalmente são esquecidas no orçamento.

2 – Levantamento do patrimônio atual

Para alcançar o objetivo da independência financeira, é preciso ter um ponto de partida, que servirá de base para calcular quanto tempo e qual o total de recursos que precisam ser acumulados.

Além do conhecimento das rendas e despesas familiares, é preciso conhecer o total do patrimônio acumulado. Contudo, cabe frisar que nem todo o patrimônio familiar é utilizado para atingir os objetivos.

Por exemplo, os bens de uso pessoal, como a casa, o carro, a moto, o sítio, a casa de praia, o barco, entre outros, são bens que servem a família nas necessidades do dia a dia

Atenção: bens de uso pessoal são considerados patrimônio, mas não podem ser considerados como investimentos. Esse tipo de patrimônio, além de não gerar renda, aumenta as despesas e, consequentemente, o custo do padrão de vida da família.

3 – Tenha o hábito de realizar o controle financeiro pessoal

Geralmente, o controle financeiro pessoal não está na lista de prioridades da maioria das pessoas, mas manter esse hábito em dia é essencial para não ter surpresas no final do mês.

Para isso, separe os extratos da sua conta corrente e dos cartões de crédito e comece a controlar suas rendas e despesas. Aqui na ParMais, utilizamos uma planilha onde é possível organizar e dividir tudo por categorias, para que nada fique fora do seu orçamento.

Acesse aqui a Planilha de Controle Financeiro da ParMais

4 – Tenha objetivos financeiros bem definidos

Para conseguir desenvolver um planejamento financeiro pessoal é preciso ter objetivos bem definidos. Os objetivos financeiros representam onde você quer chegar. Eles podem ser classificados como de curto, médio e longo prazos.

Objetivos de curto prazo: são objetivos a serem alcançados em um período de até um ou dois anos, como uma reforma na casa ou uma viagem de férias;

Objetivos de médio prazo: serão alcançados em até cinco anos, como um MBA no exterior ou a faculdade do filho adolescente;

Objetivos de longo prazo: são os objetivos que serão atingidos em prazo superior a cinco anos, como a compra de um imóvel maior, a construção de patrimônio para deixar de herança aos filhos, entre outros. Porém, o maior e principal objetivo de longo prazo é a independência financeira.

É preciso ter todos os objetivos bem definidos porque até chegar na independência financeira diversos imprevistos acontecem. Quando os objetivos não estão definidos, as chances de gastar mais do que deveria e desviar do plano são grandes.

5 – Faça seu dinheiro trabalhar para você

Para conquistar a sua independência financeira não basta apenas estabelecer objetivos para o futuro. É preciso agir e fazer o seu dinheiro trabalhar para você.

Para isso, é preciso escolher investimentos que estejam de acordo com seu perfil de investidor e ofereçam o retorno esperado. Para atingir os melhores resultados possíveis, é fundamental ter uma boa gestão de três aspectos: tempo, taxa e valor.

A disciplina para manter um investimento no longo prazo é essencial, pois dessa forma, os juros compostos tendem a trazer uma rentabilidade mais favorável para o seu dinheiro.

Além disso, quanto maior for a capacidade de investimento, ou seja o valor aplicado periodicamente, maior será o retorno financeiro no futuro.

Conclusão

Ser independente financeiramente é usufruir da vida podendo escolher com o que trabalhar e quais atividades desenvolver.

Estar de bem com suas finanças e ver os objetivos financeiros serem alcançados ao longo dos anos é sinônimo de liberdade.

Para se organizar e alcançar a independência financeira é necessário fazer um planejamento financeiro, manter a disciplina e focar nos objetivos financeiros.

Gostou do conteúdo? Você pode gostar desses também:

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

Últimas publicações