Sua conta
  • 25/09/2015

Conheça os Fundos de Investimento

Início / Investimentos / Conheça os Fundos de Investimento

cofrinhos fundos de investimento

Quando o assunto é investimento financeiro, há sempre alguma confusão. Muitas são as perguntas que antecedem qualquer decisão de investimento em produtos muito diferentes daquilo que o investidor médio está acostumado, ou seja, a poupança. E, nesse sentido, as pessoas acabam desistindo das outras opções de investimento pela quantidade de informação com que se deparam.

Quanto rende? Posso resgatar? Pago imposto? Qual o risco? CDB, RDB, LCI, LCA, LFT, que confusão!

 

Todavia, esse universo complexo e aparentemente inalcançável pode ser facilmente acessado através dos famosos Fundos de Investimento.

Os fundos de investimento são como condomínios de investidores que se juntam para ter seu acesso facilitado ao mercado financeiro, sendo que sua principal vantagem é o serviço de gestores profissionais de recursos. São opções tanto para os investidores iniciantes quanto para os mais versados.

Ao investir nessa modalidade, o poupador deposita seu dinheiro na conta do fundo e compra cotas, que são parcelas do patrimônio total do fundo. O gestor utiliza o valor que todos os participantes depositaram para a compra de ativos financeiros com o objetivo de aumentar esse patrimônio total e, por conseguinte, o valor das cotas.

 

Portanto, o valor das suas cotas está vinculado às boas decisões do gestor na alocação dos recursos.

 

Os fundos de investimento possuem estruturas rígidas e papeis bem definidos. Além do gestor, que é quem define as alocações, há também a figura do administrador, do custodiante, do distribuidor e do auditor.

Todas essas funções são exercidas por instituições financeiras especializadas que estão sempre sob fiscalização, de forma que o investimento em fundos é bastante seguro.

O administrador do fundo é a instituição que fará parte do lado mais burocrático da operação. É responsável pelas partes contábil e legal. O administrador é responsável também pelos eventos de cotistas, como assembleias gerais e extraordinárias. O custodiante, por sua vez, é a instituição responsável pela guarda e controle dos ativos e suas respectivas liquidações financeiras. O distribuidor é quem faz as vendas das cotas do fundo e geralmente quem tem o primeiro contato com o investidor. Já o auditor é uma empresa especializada que revisa e aprova os demonstrativos contábeis dos fundos.

 

Os custos

Os fundos de investimento cobram de seus cotistas uma taxa de administração, que será responsável pela remuneração dos 5 personagens que prestam serviço ao fundo (gestor, administrador, custodiante, distribuidor e auditor).

Além disso, em alguns fundos há a incidência de uma taxa de performance, que é cobrada no caso dos rendimentos do fundo superarem uma meta predefinida.

O imposto de renda aplicado aos fundos de investimento segue a tabela regressiva da renda fixa no caso de resgate, com algumas exceções. Há também o imposto chamado “come-cotas”, que é cobrado semestralmente.

Clique aqui e aqui para informações mais detalhadas.

 

Os tipos de estratégias dos fundos de investimento

Os gestores dos fundos de investimento trabalham sempre dentro de um conjunto de regras, um regulamento. Esse documento contém todas as diretrizes pelas quais o gestor deve se guiar para escolher os ativos que comporão a carteira do fundo.

O regulamento segue as regras de classificação de fundos definida pela ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais).

O investidor, na hora de escolher um fundo para colocar seu dinheiro, deve fazê-lo com base eu seus objetivos e então escolher uma estratégia de fundo que melhor se adeque ao seu perfil. Para essa etapa a ajuda de um consultor financeiro será de grande valia.

A nova classificação da ANBIMA, que entrará em vigor dia 1º de outubro, separa os fundos de investimento em 4 grandes estratégias, que se subdividem em estratégias mais específicas:

Renda Fixa: fundos com o objetivo de buscar retorno por meio de investimentos em ativos de renda fixa, admitindo-se estratégias que impliquem risco de juros e de índice de preços, sendo vedada alocação em ativos de renda variável (ações etc.).

Ações: esses fundos devem possuir no mínimo 67% de seus recursos em ações e papeis similares.

Multimercados: fundos de maior complexidade, que envolvem várias estratégias. Devem possuir políticas que envolvam vários fatores de risco, sem o compromisso de concentração em nenhum fator em especial.

Cambial: aplicam pelo menos 80% de sua carteira em ativos relacionados direta ou indiretamente a moedas estrangeiras.

 

As subcategorias estão ilustradas abaixo:

 

tabela fundos anbima

 

Com os objetivos de investimento em mente ficará mais fácil escolher uma estratégia, ainda mais com a ajuda de um consultor financeiro independente, que poderá auxiliá-lo da melhor forma possível na sua tomada de decisão.

Assim, após a escolha da estratégia e do fundo, será depositada a confiança para que o gestor tome boas decisões que façam com que seu dinheiro se multiplique.

 

Conheça os Fundos de Investimento por Samuel Rech – 25.09.2015

A Par Mais Planejamento Financeiro tem um propósito claro: trabalhamos para auxiliar cada um de nossos clientes a construir sua tranquilidade financeira. Atuamos na área de planejamento financeiro pessoal, family office, gestão patrimonial, consultoria financeira para empresas e consultoria de investimentos.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

×