Como se planejar para comprar um imóvel?

  • 18/12/2020
Página inicial - Vida financeira - Como se planejar para comprar um imóvel?

Como se planejar para comprar um imóvel é uma dúvida muito comum e merece atenção. Comprar um imóvel é um passo importante para muitas famílias brasileiras e a decisão deve ser tomada com responsabilidade e sempre alinhada aos seus objetivos. Neste artigo, explicaremos como um bom planejamento financeiro pode fazer diferença na hora de comprar um imóvel.

Como se planejar para comprar um imóvel?

Antes de comprar, faça a seguinte pergunta: “Para que e por que eu quero comprar um imóvel?”

Este primeiro passo fará você refletir sobre o impacto da decisão no seu bem-estar. Se o objetivo de comprar um imóvel é para morar, pensando na segurança e na realização pessoal que isso lhe trará, o próximo passo trata-se de encontrar a melhor forma de concretizar esse objetivo.

Uma compra feita às pressas ou na base da emoção pode impactar negativamente a sua vida por muito tempo e impedir que outros objetivos se realizem. Por isso, contar com a ajuda de um planejador financeiro pode trazer um olhar de fora, amplo e imparcial sobre a decisão, além de ajudá-lo a entender qual o custo dessa aquisição, como se estruturar para isso e qual o impacto que ela trará no financeiro da sua família.

Como se planejar para comprar um imóvel? - Uma corda puxando uma casa

Por onde começar:

1 – Tenha calma!

Depois de definir o objetivo de comprar o imóvel – não vamos entrar no mérito da decisão, se é para morar, construir um patrimônio imobilizado ou para gerar renda – tenha cautela, não se apresse para escolher o imóvel, por mais que a vontade ou a urgência sejam grandes. Muitas vezes é melhor aguardar um pouco mais e conseguir condições melhores de pagamento, negociar taxas de financiamentos ou até mesmo conseguir acumular um pouco mais para dar uma entrada maior.

Saiba mais: Quais fatores considerar antes de comprar imóveis?

2- Analise sua situação financeira

Se você não possui acumulado o valor total para comprar o imóvel à vista e precisará recorrer a um financiamento, então faça os cálculos e veja se o imóvel “cabe no seu bolso”. Criar uma planilha com os ganhos e gastos ajuda a rever quanto sobrará para ser investido em um imóvel, pois é importante ter ciência que, além da parcela do financiamento que estará presente no seu orçamento por um longo tempo, terão gastos com manutenção, IPTU, seguro residencial, entre outros. Por isso, provisione também uma quantia para cobrir esses custos no futuro.

Se após o levantamento das rendas e despesas você perceber que a parcela ficará cara demais para seu orçamento mensal, tenha paciência e repense o momento da compra. Antes de alongar o prazo do financiamento e pagar mais juros, crie um orçamento com uma meta de poupança e se esforce para economizar um pouco mais, até ter um valor maior para dar de entrada.

Clique aqui e conheça a nossa planilha de controle financeiro

3 – Escolha a melhor forma de pagamento

É sempre preferível comprar um imóvel à vista, para evitar dívidas e pagamentos de juros. Entretanto, se buscar crédito é inevitável, saiba que é possível conseguir taxas melhores comparando as taxas que o seu banco oferece com outras instituições credoras.

Como já falamos, por falta de conhecimento ou pressa, muitas pessoas escolhem os créditos com acesso mais fácil e rápido, geralmente aqueles que podem ser liberados pela internet e já estão pré-disponíveis no aplicativo do seu banco, porém, é muito importante ficar atento às taxas e condições que as outras instituições oferecem e escolher com base no menor custo financeiro.

Vejamos um exemplo de uma empresária que tinha o sonho de adquirir o próprio apartamento e para isso, ela precisava financiar R$1.200.000,00 do total do imóvel. Quando fez a primeira simulação em seu banco, conseguiu uma taxa de 12% ao ano. Como achamos a taxa alta, sugerimos que ela fizesse a simulação em outras instituições financeiras. Uma das propostas foi de uma taxa de 8,5% ao ano. Ela optou por levar a proposta para o gerente do seu banco, que, por ter um bom relacionamento e querer mantê-la como cliente, cobriu a proposta. O resultado foi uma redução de 3,5% da taxa e uma economia de mais de R$500.000,00 em pagamento de juros.

Consórcio pode ser uma opção

Outra alternativa é fazer a compra por meio de um consórcio. Apesar de não existir um custo financeiro alto por não ter a cobrança de juros, em um consórcio existe o chamado custo de oportunidade, quanto maior for o tempo de espera para que o consorciado seja contemplado, maior será seu custo de oportunidade e mais dinheiro o consorciado estará deixando de ganhar caso tivesse investido o dinheiro.
Por outro lado, se a contemplação ocorrer logo no início do pagamento das prestações, então existe a vantagem de que o consórcio não embute juros, diferentemente de um financiamento. Caso a contemplação leve muito tempo para ocorrer, uma grande quantidade de prestações terá sido paga sem que seja possível usufruir do bem. Contudo, a existência de lances pode acelerar o processo de conseguir a carta de crédito, para isso, é necessário ter acumulado uma boa quantia, quase que como uma entrada.

FGTS pode auxiliar nos pagamentos

Tanto em consórcios imobiliários quanto em financiamentos é possível utilizar recursos do FGTS. O saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço pode ser utilizado na hora da contratação, como entrada do financiamento, para amortizar o saldo devedor ou para ajudar no pagamento das prestações. Para isso, você deve se encaixar nas regras.

Saiba mais: Como usar o FGTS durante o pagamento do financiamento?

Conclusão

É muito comum entre os brasileiros o pensamento que comprar imóveis é sempre um bom investimento. Porém, pensar em como se planejar para comprar um imóvel é muito importante e antes de decidir pela aquisição, é preciso definir um objetivo, avaliar os custos e refletir sobre o impacto dessa decisão no seu bem-estar e no seu bolso.

Se a decisão for pela compra, faça uma boa análise da sua condição financeira e não tome decisões baseadas na emoção ou urgência. Adquirir um imóvel às pressas, sem saber se você tem condições de sustentá-lo, pode trazer impactos negativos para sua vida financeira.

Conte também com o auxílio de um planejador financeiro, para pensar em como se planejar para comprar um imóvel, pois ele pode te dar um bom dimensionamento e analisar os custos da aquisição, além de verificar as consequências que essa decisão trará para suas finanças e para sua vida.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

Últimas publicações