Onde investir com a queda da Selic?

  • 27/10/2017

onde investir com a queda da Selic

Nessa semana o Copom – Comitê de Política Monetária, anunciou mais um corte na Selic, baixando em 0,75 pontos percentuais a taxa básica de juros, que sai de 8,25% para 7,50% ao ano. Espera-se que na próxima reunião a taxa baixe novamente e termine o ano a 7,00%, que seria o menor percentual registrado em 18 anos do regime de metas de inflação. Onde investir com a queda da Selic? Como essa queda afeta os seus investimentos e quais outros impactos ela tem na economia como um todo?

Menos rentabilidade na Renda Fixa, maior busca por risco

A taxa Selic é um balizador dos juros da economia brasileira como um todo, portanto uma queda nela implica em uma queda no rendimento de vários ativos de renda fixa. Títulos do Tesouro Direto como a LFT, títulos de crédito privado como CDBs, Debêntures e até aquele seu fundo de renda fixa atrelado ao CDI tendem todos a ter uma rentabilidade menor com a queda da Selic.

Tendo em vista essa rentabilidade menor, em tempos de Taxa Selic mais baixa os investidores costumam ter um apetite maior pelo risco, buscando ativos mais rentáveis que compensem o que eles não vão mais ganhar com a renda fixa. Investimento em ações e em fundos multimercados tem essa característica de serem mais arriscados, porém com retornos maiores. Já é possível ver o reflexo do ciclo de queda da Selic, por exemplo, na Bolsa de Valores que teve um grande aumento nos últimos dois anos devido, entre outras razões, a essa maior demanda por Ações.

Investimentos mais eficientes e menos taxa de administração

Em tempos de Selic a 14,25% ao ano, mesmo com imposto de renda e uma alta taxa de administração, quase qualquer fundo de renda fixa batia a clássica comparação com a poupança. Um fundo com uma taxa de administração de 3% ao ano com rendimento bruto igual ao da Selic ainda renderia 11,25% no período. Por mais que essa taxa de administração seja alta para esse tipo de fundo, a rentabilidade em si não era baixa e vários investidores se mostravam satisfeitos com a situação em que estavam.

Já com uma taxa Selic de 7% ao ano esse mesmo fundo apresentaria uma rentabilidade de 4%, havendo ainda cobrança de imposto de renda sobre o rendimento. Esse rendimento não apenas é baixo como nem se quer bate a rentabilidade da poupança, que é isenta de IR. Assim sendo, uma queda na Selic força os gestores a reduzirem as suas taxas para que sejam mais competitivos, e os investidores a buscar fundos com taxas mais justas, o que é saudável para o mercado como um todo.

Custo menor para empresas

A taxa Selic baliza também o custo de capital das empresas. Uma empresa que acesse o mercado de capitais provavelmente tem uma parte da sua dívida atrelada ao CDI, cujo comportamento é semelhante à Selic, e caso precise se financiar terá um custo menor agora.

Na prática isso significa que se a empresa, por exemplo, precisa fazer um investimento em maquinário para expandir a sua operação e precisa de um empréstimo, ele sairá mais barato. Isso aumenta a viabilidade dos investimentos na economia real como um todo, que tem reflexo por exemplo no aumento da quantidade de empregos, aumento do lucro para os acionistas, entre outras consequências positivas.

Diminuição do custo da dívida do governo

O governo está em uma situação fiscal preocupante e a equipe econômica está propondo diversas reformas justamente para garantir os compromissos do Estado. Isso criou as condições para uma queda bem estruturada da Selic, diferente da queda “por decreto” que houve em 2012. A taxa Selic consiste justamente no quanto o governo paga pelas próprias dívidas, portanto uma Selic menor significa um custo menor com o serviço da dívida. O impacto fiscal dessa economia é relevante, e se não houvesse ela a conta provavelmente iria para a população, através do aumento de impostos, reformas ainda mais duras ou do sucateamento do serviço público.

Mas afinal, onde investir com a queda da Selic?

Antes de qualquer coisa, devemos analisar se os nossos investimentos estão alinhados com os nossos objetivos financeiros. Dependendo do objetivo, a renda fixa continua sendo uma boa opção. Os fundos multimercado e o de Ações, estão apresentando excelentes resultados, em especial os de gestores independentes. E não podemos esquecer que a taxa real de juros está mantida. Aliás, este será o assunto do nosso próximo artigo.

Resumo
Onde investir com a queda da Selic?
Nome do artigo
Onde investir com a queda da Selic?
Descrição
Onde investir com a queda da Selic? Como essa queda afeta os investimentos e quais os outros impactos na economia como um todo?
Autor
Nome do editor
Par Mais

Deixe um comentário

    • Nilce Salvador
    • 28/10/2017
    Responder

    Artigo está muito claro e didático. Os argumentos usados são coerentes