O que é INPC – Índice Nacional de Preços ao Consumidor

  • 20/07/2018
Página inicial - capital - O que é INPC – Índice Nacional de Preços ao Consumidor

o que é INPC

INPC é o Índice Nacional de Preços ao Consumidor e é calculado pelo IBGE desde setembro de 1979. Este índice foi criado com o intuito de proteger o poder de compra dos salários da população brasileira, sendo o índice mais usado desde então nos dissídios e reajustes salariais em geral.

O INPC é rebalanceado de tempos em tempos para refletir os hábitos de consumo e o custo de vida de famílias com rendimentos de 1 a 5 salários mínimos, residentes de áreas urbanas. Devido ao seu escopo, estima-se que o índice abrange aproximadamente 50% da população brasileira.

Como o INPC é calculado?

O INPC é calculado a partir dos IPC (Índices de Preços ao Consumidor) de 16 capitais brasileiras. Cada cidade tem um peso proporcional para o cálculo do INPC, sendo que São Paulo representa aproximadamente 25% do índice nacional.

As cidades que compõe atualmente o cálculo do INPC são:

  • Belém;
  • Fortaleza;
  • Salvador;
  • Belo Horizonte;
  • Vitória;
  • Rio de Janeiro;
  • São Paulo;
  • Curitiba;
  • Porto Alegre;
  • Brasília;
  • Goiânia;
  • Campo Grande;
  • Aracaju;
  • Rio Branco;
  • São Luís.

Essas 3 últimas cidades passaram a fazer parte do índice a partir de junho de 2018 e fazem parte do esforço do IBGE de estender a abrangência do INPC ao Brasil todo. É interessante notar que as cestas mudam de acordo com os hábitos regionais das famílias. Em São Luís e Rio Branco, por exemplo, o preço dos peixes curimatã e tambaqui compõe o IPCA, enquanto em outras cidades não faz parte da cesta.

O INPC é calculado fazendo uma ponderação de uma cesta bem extensa de produtos que fazem parte do consumo médio das famílias que citamos anteriormente. Quanto maior for o consumo de um grupo específico de produtos, maior é o peso dele no índice. Segue abaixo uma tabela do peso de cada grupo de itens na composição do INPC.

Tipo de Gasto Peso do Gasto
Alimentação e bebidas 29,92%
Habitação 18,02%
Transportes 16,08%
Saúde e cuidados pessoais 10,22%
Despesas pessoais 7,52%
Vestuário 7,20%
Artigos de residência 4,71%
Educação 3,18%
Comunicação 3,15%

Cada tipo de gastos é dividido em 3 níveis de subgrupos, sendo o menor deles os itens da cesta em si. Os itens são agrupados da seguinte forma:

  • Alimentação e bebidas: carnes, pescados, hortaliças, cereais, entre outros.
  • Habitação: aluguel e taxas, reparos, artigos de limpeza, energia elétrica, entre outros.
  • Transportes: veículo próprio, transporte público, combustíveis, entre outros.
  • Saúde e cuidados pessoais: produtos farmacêuticos, serviços médicos e dentários, plano de saúde, higiene pessoal, entre outros.
  • Despesas pessoais: recreação, fumo, fotografia e filmagem, serviços pessoais, entre outros.
  • Vestuário: roupa masculina, roupa feminina, calçados e acessórios, entre outros.
  • Artigos de residência: mobiliários, eletrodomésticos e equipamentos, cama, mesa e banho, entre outros.
  • Educação: cursos regulares, leitura, papelaria, entre outros.
  • Comunicação: telefone celular, telefone fixo, acesso à internet, entre outros.

O grupo com maior representatividade no INPC é o de alimentos e bebidas, representando quase 30% do índice. Apesar disso, o item individual com maior peso no INPC é o “aluguel residencial”, representando 5,29% do INPC. Outros itens de grande representatividade no INPC são os gastos com “ônibus urbano, refeição, energia elétrica residencial e gasolina”. Qualquer um desses itens sozinhos representa mais do que todos os itens agrupados como “educação” ou “comunicação”, por exemplo.

Histórico do Índice

Mês/ano Índice do mês Índice acumulado no ano
Out/2018 0,40% 3,5482%
Set/2018 0,30% 3,1357%
Ago/2018 0,00% 2,8272%
Jul/2018 0,25% 2,8272%
Jun/2018 1,43% 2,5708%
Mai/2018 0,43% 1,1247%
Abr/2018 0,21% 0,6917%
Mar/2018 0,07% 0,4807%
Fev/2018 0,18% 0,4104%
Jan/2018 0,23% 0,2300%
Dez/2017 0,26% 2,0669%
Nov/2017 0,18% 1,8022%
Out/2017 0,37% 1,6193%

INPC nos Investimentos

No que diz respeito a investimentos, o INPC não é mais utilizado como indexador de nenhum título do governo. Apesar disso, ele serve de referência, por exemplo, para várias metas atuariais de fundos de previdência complementar, sendo o indexador mais comum para esses fundos.

No mercado de títulos privados também é possível encontrar títulos indexados ao INPC, apesar de serem menos comuns que os títulos indexados ao IPCA. Alguns títulos de crédito privado que usam o INPC como indexador das suas taxas pós-fixadas são as debêntures, FIDCs, CRIs, entre outros.

Conclusão

O INPC é um índice de inflação que serve para medir a variação do poder de compra da população brasileira. A sua metodologia de cálculo é feita para que ele represente principalmente as famílias com renda de 1 a 5 salários mínimos, residentes em áreas urbanas. A sua utilização principal se dá nos dissídios e reajustes salariais. Ele é usado também como indexador para alguns ativos de renda fixa, no entanto é menos comum que o IPCA.

Onde você está, aonde quer chegar?
Nossa função é tornar sua jornada mais rápida e mais rentável. Escolhemos com você os investimentos que precisa, alinhados às suas necessidades. Clique aqui.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 2

       
  1. Não disseram o período em que os preços são coletados e nem o prazo necessário para a divulgação

Últimas publicações