O que é infidelidade financeira? Você sofre desse mal?

  • 16/05/2016
Página inicial - uso consciente - O que é infidelidade financeira? Você sofre desse mal?

problemas financeiros

Um problema que pode parecer inicialmente inocente, mas que acaba tendo efeitos destrutivos no casamento e na vida a dois é a infidelidade financeira, também chamada de traição financeira.

O que é a infidelidade financeira?

Casar e viver a rotina de um casamento implica em uma série de responsabilidades. Entre elas, está o controle das finanças do casal, que precisa ser feito de maneira cuidadosa e transparente para que o casal não enfrente problemas com o orçamento e acabe tendo a própria relação estremecida.

A infidelidade financeira acontece quando um dos (ou os dois) cônjuges/companheiros esconde informações financeiras do outro, ou ainda quando, mesmo sem esconder, realiza compras que comprometem o orçamento familiar.

As vezes atitudes desse tipo podem parecer pequenas e aparentemente insignificantes. Um exemplo de infidelidade financeira é realizar uma compra e dizer para o cônjuge que comprou em uma liquidação, por metade do preço, ou que ganhou de alguém.

Outro exemplo desse tipo de infidelidade no casamento pode ser algo ainda mais sério, como ocultar por muito tempo uma dívida gigantesca que compromete as finanças e o futuro financeiro da família.

Os efeitos da infidelidade financeira podem gerar muito estresse, brigas, desavenças, e provocar fins catastróficos: uma dívida escondida no cartão de crédito, por exemplo, pode crescer descontroladamente, afetando a relação do mais apaixonado dos casais.

Outros exemplos, como a mulher que compra um sapato escondido ou o marido que utiliza parte das reservas do casal para comprar um novo equipamento eletrônico, podem ter um impacto financeiramente pequeno num primeiro momento, mas comprometem significativamente a confiança do casal.

Saiba mais: Educação financeira para crianças e adolescentes

O comportamento financeiro do homem e da mulher

Apesar da capacidade intelectual de homens e mulheres ser equivalente, pesquisas em neurociências explicam que homens e mulheres utilizam diferentes áreas do cérebro para a solução de tarefas.

Como resultado, as mulheres normalmente identificam e controlam melhor suas emoções, enquanto os homens conseguem ser mais focados em suas tarefas. Dessa forma, existe uma diferença entre alguns tipos de comportamentos entre homens e mulheres.

Quanto ao comportamento de compra, as mulheres em geral compram mais vezes, mas normalmente os bens são de valores mais baixos, como sapatos, roupas, enfeites de decoração para a casa, entre outros. Confira matéria/pesquisa aqui! 

Já os homens costumam ser mais pragmáticos em suas compras: compram aquilo que foram para comprar e têm pressa para sair logo da loja. No entanto, isso não exime os homens da responsabilidade pela infidelidade financeira entre casais, pois os homens, quando compram, costumam comprar itens mais caros, como um carro novo, um relógio, um novo computador ou celular, entre outros.

Saiba mais: O que é autossabotagem financeira?

Outro tipo de infidelidade financeira

Contudo, a infidelidade financeira não é caracterizada apenas por fatores que prejudicam o orçamento familiar, como compras e endividamentos. Muitas pessoas mantêm economias e contas bancárias escondidas de seus cônjuges.

Entre outros motivos, a infidelidade financeira pode acontecer pela desconfiança de má gestão financeira por parte de um dos cônjuges.

Por exemplo: um cônjuge descuidado com suas finanças ou que realize investimentos muito arriscados, seja em aplicações financeiras ou até mesmo em empresas – este é o caso de alguns empresários – pode fazer com que o outro cônjuge esconda parte de suas reservas financeiras para não prejudicar o padrão de vida familiar.

Conclusão

Problemas financeiros são grandes causadores de divórcios ao redor do mundo. A infidelidade financeira, por sua vez, é a causa de brigas e estresses que poderiam ser facilmente resolvidos com um pouco de empenho dos cônjuges ou companheiros.

Para desencorajar a infidelidade financeira a Par Mais recomenda que haja transparência e diálogo na relação a dois. Além disso, é fundamental que o casal realize seu controle financeiro pessoal e que os cônjuges tracem os objetivos que desejam atingir de forma conjunta. Isso fortalece a confiança e o convívio.

Nós da Par Mais podemos lhe ajudar a entender a situação financeira da sua família e lhe mostrar como é possível atingir os objetivos desejados de forma planejada e com transparência entre o casal!

Empodere-se financeiramente e seja mais feliz. Confira outros artigos e ferramentas para te ajudar a ter controle sobre seu dinheiro!

infidelidade financeira

10 Dicas de controle financeiro para casais

Como planejar um casamento para 2016

Par Mais – 13.05.2016

Onde você está, aonde quer chegar?
Nossa função é tornar sua jornada mais rápida e mais rentável. Escolhemos com você os investimentos que precisa, alinhados às suas necessidades. Clique aqui.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 17

       
  1. Tenho união estável a vinte anos e com dois filhos de menor. Meu marido tem um ex companheira onde não chegou a ter união estável. Ele quando meu segundo filho nasceu daí um ano ele disse: Pegue seus panos de bunda e vai embora e arrume outro pai para seus filhos. Então disse: Você tem que esperar pois não tenho para onde ir de imediato. Quando minhas comadres me ajudaram a encontrar um lugar saímos assim que a advogada deu autorização para não configurar abandono de lar. Como meus filhos eram os que mais ficaram prejudicados pois além de estarem sentindo falta do pai o mesmo deixou de pagar a escola, o tratamento dentário e a psicóloga que o maior estava fazendo. Com o passar dos dias ele começou a visitar as crianças e acabamos que após três meses ele veio ficar conosco. Só que nesse tempo ele estava vendendo um dos carros e também comprando um imóvel para ex as escondidas isso só que eu tive a confirmação por ver documentos que ele estava jogando fora. Quando o questionei ele disse que estava solteiro. E, eu pergunto: Como ele estava solteiro se nosso processo foi arquivado mediante as partes sem mesmo nossa União Estável ter sido cancelada em nenhum momento? Ele estava sumindo com o dinheiro caso o processo fosse continuado ele não tivesse que dividir também comigo. Eu vejo que tudo que tira de mim, na verdade ele está tirando de nossos filhos. E, como fica isso no futuro? Meus filhos tem direito de reaver a parte que lhes cabem? Também no imóvel que ele tinha anteriormente e que já fez três reformas já comigo morando no local eu não teria direito nesses valores? Só Deus para orientar essas pessoas que não usam de clareza com a companheira que está ao lado trabalhando e economizando e vendo parte indo para o ralo.

    1. Isabel, boa tarde!
      Sentimos pelo que está passando.
      A união estável é regida pelo regime de “comunhão parcial de bens”, onde no caso de separação, tudo que foi adquirido durante a união deve ser dividido 50% para cada, independentemente de ter contribuído financeiramente ou não.
      Importante comentar que em caso de separação dos pais, os filhos não entram na partilha dos bens. Os filhos somente terão direito à herança no caso de falecimento dos pais.
      Caso resolvam pela separação, o ideal é procurar um advogado especialista na área familiar para acompanhar o caso, tirar todas as dúvidas e realizar a partilha de bens da melhor forma.
      Desejamos que tudo se resolva!

  2. Olá, meu esposo tem um descontrole financeiro muito visível, uma boa parte do seu dinheiro com ele deixando a maioria das despesas de casa mas minhas costas. Por DUAS vezes me presenteou com coisas um pouco CARO parcelado no cartão de crédito, o problema é que sempre quando chega a fatura ele alega não ter dinheiro pra pagar e eu acabo tendo que pagar o cartão sozinho, me sinto muito mal porque acabo pagando meu próprio presente, Isso me incomoda muito, não acho certo pagar por algo que ganhei, se for assim prefiro não ganhar…

    1. Rafael, bom dia!
      Essa é uma situação bastante complicada. Quando se decide compartilhar a vida, o ideal é ter muito respeito, diálogo, transparência e planejamento, principalmente quando o assunto é dinheiro. Nossa sugestão é que você converse com seu esposo e juntos, criem um planejamento financeiro para evitar brigas e discussões. Para te ajudar, temos este artigo, com dicas para auxiliar casais a se organizarem financeiramente. https://www.parmais.com.br/blog/financas-para-casais-10-dicas/
      Desejamos que tudo se resolva!

  3. Eu sofro deste problema com minha mulher, sou casado a 3 anos e descobri que ela não tem controle nenhum sobre o salário dela, além do mais é mentirosa, faz de tudo para me enganar, e gasta dinheiro com a família dela escondido, principalmente com a irmã dela que não trabalha, dentro de casa paga algumas contas pq eu exijo dela, exemplo, ela recebe dia 5 e houve ocasiões do dia 10 ela já não ter mais dinheiro, não tem controle algum, gasta muito com roupas e coisas desnecessária, isso me incomoda muito, não tenho mais confiança nela, me sinto traído.. e quando falo pra ela ela não gosta, já não sei mais oque fazer, só estou com ela por causa do meu filho de 2 anos..

    1. João, bom dia!
      Realmente é uma situação complicada. Quando se decide compartilhar a vida, o ideal é ter muito respeito, diálogo, transparência e planejamento, principalmente quando o assunto é dinheiro. Nossa sugestão é que você converse com a sua esposa e juntos, criem um planejamento financeiro para evitar brigas e discussões. Para te ajudar, temos este artigo, com dicas para auxiliar casais a se organizarem financeiramente. https://www.parmais.com.br/blog/financas-para-casais-10-dicas/
      Desejamos que tudo se resolva!

  4. Bom dia! Sou casado há 14 anos. Minha mulher ao meu ponto de vista tem um descontrole financeiro. Sempre ela quer comprar coisas que no meu ver, não tem necessidade. Quase todos dias ela quer comprar alguma coisa que não está nos nossos orçamento. A exemplo, só pra esclarecer tal absurdo a meu ver, ela fez exame de vista e e teve o pedido de fazer os óculos. Então, ela incutiu que queria dois óculos. Disse que não era preciso dois óculos de graus pois era desperdício de dinheiro. Estou esperando pra ver se ela quer só um óculos. Talvez justificaria, se fosse um pra longe e outro pra perto que não é o caso. O dela é só para perto. Então, ao meu ver não precisa de dois óculos e sim somente de dois. Além disso ela gosta de fazer dúvidas e quando fico sabendo só é a conta pra eu pagar. Ela não trabalha remunerada e eu fico muito estressado com essa atitude. Esses dois exemplo, representa uma parte de meu relacionamento. Já não estou tendo mais paciência com essa situação. Tenho dois filhos. Um de treze anos e outro de quatro anos. Não quero ficar longe deles. Mas a situação está insustentavel. Se possível, peço orientação. Desde já agradeço.

    1. Pedro, bom dia!
      Viver a dois exige muito respeito, transparência, diálogo e planejamento, principalmente quando o assunto é dinheiro. Nossa sugestão é que você converse com a sua esposa e juntos, criem um planejamento financeiro para evitar brigas e discussões. Para te ajudar, temos este artigo, com dicas para auxiliar casais a se organizarem financeiramente. https://www.parmais.com.br/blog/financas-para-casais-10-dicas/
      Desejamos que tudo se resolva!

  5. Vivo em união estável há mais de 10 anos, comecei a desconfiar do meu companheiro e descobrir muita coisa:
    1. Além da pensão alimentícia da ex-mulher, paga plano de saúde, escola do neto, veterinária e comida pra cachorro;
    2.Esconde tudo em relação a finanças pra haver uma manipulação da parte dele;
    3. Não permitiu que eu trabalhasse fora, pra eu ficar sob domínio total dele;
    4. Recebeu uma parte em dinheiro em decorrência da venda do imóvel do seu casamento anterior, comprou um carro e pôs no nome do filho com sua ex.
    A grande questão é a seguinte: eu sei que não tenho direito de bens anteriores à minha união, PORÉM a partir de momento que ele passa 10 anos (o tempo que estamos morando junto) mantendo de certa forma aquele imóvel com o dinheiro que eu ajudo a render, eu não tenho direito nenhum sobre a parte que ele recebeu? Achei uma infidelidade financeira e por isso estamos nos separando!!! Um absurdo.Visivelmente fui lesada. Pois abri mão de muita coisa pra ele suprir as necessidades da casa vendida e depois que venderam fiquei a ver navios.

    1. Josy, boa tarde!
      Sentimos muito pelo que está passando.
      Sugerimos que procure o auxílio de um advogado para que realize uma partilha justa já que, pelo seu relato, será necessário um especialista para evitar que seja lesada.
      Sobre sua pergunta, se o bem foi adquirido/recebido antes do início da sua união estável, você não tem direito. Mas como cada caso é um caso, ressaltamos a necessidade de contar com um advogado para analisar a questão.
      Desejamos que tido se resolva da melhor forma!

  6. Ola! Meu marido é um descontrolado nas finanças,nunca podemos ter conta conjunta pois quando via ele tinha raspado td sem me falar nada!tirava dinheiro para dar p os irmãos, e eu nem podia achar ruim, pois bem! Abri uma conta só p mim, em uma ocasião ele estava sem dinheiro emprestei o cartão e dei a senha p ele pegar uma certa quantia, o que ele fez?? Foi viajar levou meu cartão e sacou tudo que eu tinha p curtir na viagem, nem me falou nada quando me dei conta do cartão apos algums dias fui tirar o saldo, tinha 3 reais, isso mesmo! 3 reais! Falei com o gerente e pelas datas e local descobri que foi ele, troquei a senha e jurei nunca mais me comover com as mentiras dele! Esse ano ele se aposentou por conta de um problema no joelho! No primeiro mes empenhou o pgmto com 2 emprestimo! Um pra comprar um carro p irmão, acabei descobrindo e nao sei mais o que faço!! O que faço com um trem desgovernado desses???

    1. Vanilda, bom dia!
      Além de muito diálogo, a educação financeira é um caminho para sanar esses tipos de problemas.
      Temos diversas ferramentas, guias e cursos que poderão ajudar a você e seu marido.
      Por gentileza, acesse nossa página de “conteúdos grátis”
      https://www.parmais.com.br/conteudos-gratis/
      Desejamos um ótimo final de semana.

  7. Olá.
    Minha esposa (descontrolada financeiramente) e eu sempre tivemos nossas finanças tratadas individualmente sem cobranças de quanto cada um tem, etc. Somente compartilhavamos dividas e quando queriamos comprar algo entravamos em acordos para viabilizar os pagamentos.
    Acontece que agora comecei a ganhar 5x mais do que antes ela está questionando o quanto tenho guardado, eu quem pago as contas de casa, e faço a reserva, eu não me sinto confortavel em compartilhar tais informações pois nao quero que ela fique fazendo planos com o dinheiro que não é dela, afinal faz parte do meu salário e diz respeito a mim.
    Detalhe que ela trabalha gasta o dinheiro dela com ela e com o que ela quer e nao ajuda mais em nenhuma divisão das contas da casa e eu não a questiono sobre…
    Eu estaria sendo infiel financeiramente ou devido nossa historia financeira nao caberia isso? Detalhe: no início do casamento tive que pagar uma divida do cartão de credito dela e ela nao reembolsou e tb não tocou mais no assunto simplesmente deixou pra la. E eu tb nao falo…

    1. Léo, boa tarde.
      Para que não haja desentendimento entre o casal, sempre é importante o diálogo. Vocês já sentaram juntos e discutiram estas questões para chegar em um acordo?
      A transparência é necessária para que a saúde financeira do casal ande junto com a saúde do relacionamento!
      Desejamos sucesso!

  8. Tomei conhecimento após dois anos de separação ocorrida em 2010, isto é, em 2012, que minha ex, recebia uma aposentadoria via INSS, no valor de um salario minimo, como argumentar, na audiência de Revisao de Pensao Alimenticia em andamento, tal fato?

    1. Antonio, bom dia!
      Você deve informar esse fato ao seu advogado para que ele possa deixar claro ao juiz que não era do seu conhecimento essa renda da sua ex e que você se sentiu lesado por tal desconhecimento.
      Desejamos que tudo seja esclarecido!

Últimas publicações