Sua conta
  • 15/08/2019

Consultor CVM: entenda a importância deste profissional

Início / Investimentos / Consultor CVM: entenda a importância deste profissional

O mercado de capitais no Brasil passa por um processo de desenvolvimento e existe uma disponibilidade cada vez maior de opções de investimentos, mesmo para os pequenos investidores. Até pouco tempo, as grandes instituições financeiras eram vistas como a única maneira de realizar investimentos. O amadurecimento desse mercado fez com que surgissem prestadores de serviços diferentes e cada vez mais customizados às necessidades dos clientes. Um desses serviços é o de consultor de investimentos.

O que faz um Consultor de Investimentos CVM?

De acordo com a própria Comissão de Valores Mobiliários (CVM), considera-se consultoria de valores mobiliários a prestação de serviços de orientação, recomendação e aconselhamento, de forma profissional, independente e individualizada, sobre investimentos no mercado de valores mobiliários. A adoção e implementação, no entanto, deve ser realizada pelo cliente.

Diferença entre Consultor CVM, Agente Autônomo e Gestor de Investimentos

Até pouco tempo havia certa confusão entre as atividades de consultores, agentes autônomos e gestores de investimentos. Por isso em novembro de 2017 a CVM publicou uma instrução para trazer mais clareza nesse sentido.

Consultor de Investimentos CVM

É um profissional remunerado diretamente pelo cliente e para fazer recomendações e aconselhamento quanto aos investimentos. O consultor não pode ter qualquer vínculo com um intermediário de serviços financeiros, mantendo assim a sua independência. Além disso, também é proibido que o consultor CVM emita ordens e opere em nome do cliente.

Agente Autônomo de Investimentos

O agente autônomo, por sua vez, não é remunerado pelo cliente, mas sim por alguma instituição financeira. Ele pode esclarecer ao seu cliente as dúvidas sobre investimentos, mas por estar vinculado a uma instituição, não atua de maneira independente como um consultor. Este profissional é remunerado pela distribuição de algum produto de investimentos, não pelo cliente.

Gestor de Valores Mobiliários (ou Gestor de Recursos)

O gestor de recursos pode tomar decisões e operar de maneira discricionária em nome do cliente. Ao contratar um gestor de recursos, o cliente está delegando as suas decisões a ele, que pode implementar a estratégia que foi combinada previamente seu cliente, reduzindo bastante o trabalho operacional de quem o contratou.

Como se tornar um consultor de investimentos?

De acordo com a Instrução CVM 592, para exercer a função de recomendação e aconselhamento de investimentos você precisa, necessariamente, ser um consultor de investimentos credenciado junto à própria CVM. Ela determina algumas regras que devem ser cumpridas para poder exercer essa função e obter o registro, entre elas:

  • Ser domiciliado no Brasil;
  • Ser graduado em um curso superior ou equivalente;
  • Ter sido aprovado em um exame de certificação aprovado pela CVM;
  • Ter reputação ilibada;
  • Não estar inabilitado nem ter sofrido condenação criminal conforme listadas no Art. 3º da Instrução CVM 592.

Caso você esteja pensando em se tornar um consultor, o primeiro passo seria a formação em um curso superior. Tendo isso, é necessário ser aprovado em algum dos exames de certificação aceitos pela CVM.

Atualmente, são aceitos para a atividade de consultor de investimentos as certificações CEA e CGA da ANBIMA, CFP® da Planejar, CNPI da Apimec, o Level III do CFA e os exames 1 e 2 do Final Level do programa de certificação internacional, organizado por membros da Aciia.

Para conseguir aprovação nesses exames, é necessário possuir um nível elevado de conhecimento do mercado de capitais. Esse é um dos passos mais difíceis da certificação e ajuda a garantir que o consultor tem conhecimento necessário sobre o mercado de capitais para aconselhar o seu cliente.

Caso você já cumpra todos os requisitos, é necessário apenas solicitar o registro na CVM, conforme o guia disponível nesse link: http://www.cvm.gov.br/export/sites/cvm/menu/regulados/consultores/Guia_consultor__Envio_do_Formulario_de_Referencia.pdf

Como um Consultor CVM pode descontar do valor que cobra do seu cliente o rebate dos produtos da carteira?

Outro detalhe importante é que para poder descontar do valor que cobraria do seu cliente o rebate, (que é a “comissão” que uma gestora paga para quem distribui um fundo de investimento), o consultor da CVM precisa de uma gestora. Sem essa parceria, ele fica impossibilitado de devolver esse valor para o cliente.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 6

       
  1. Como é a remuneração do consultor? Qual a média de mercado? Como é cobrado os honorários do cliente e qual percentual?

  2. Bom dia!
    Uma dúvida: Em relação às certificações aceitas ( CEA e CGA da ANBIMA, CFP® da Planejar, CNPI da Apimec, o Level III do CFA e os exames 1 e 2 do Final Level do programa de certificação internacional, organizado por membros da Aciia), o Consultor CVM deve possuir TODAS ou escolher uma dessas?

    1. Thiago, boa tarde!
      Para se tornar um Consultor CVM você deverá ter sido aprovado em um exame de certificação aprovado pela CVM, sendo estas qualquer uma das certificações mencionadas.
      Até mais!

    1. Ademir, bom dia!
      No artigo explicamos o que faz um consultor da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e a importância desse profissional para o mercado financeiro. Um consultor de valores mobiliários presta serviços de orientação, recomendação e aconselhamento sobre investimentos. Geralmente ele trabalha de forma profissional, independente e individualizada, de acordo com os objetivos do cliente.
      Desejamos ter esclarecido!

×