Sua conta
  • 20/02/2016

A pior dor dos médicos é perder dinheiro sem saber

Início / Clínicas e consultórios / A pior dor dos médicos é perder dinheiro sem saber

Saúde Financeira

O Dr. Meu Dinheiro está certo! Muitos médicos adquirem produtos financeiros desalinhados com os seus objetivos, pagam caro por eles e, em muitos casos, perdem dinheiro. Atenção Dr. com a sua saúde financeira!

Os profissionais da área médica costumam receber muitas ofertas de planos de previdência, seguros, consórcios, títulos de capitalização, entre outros. No entanto, como possuem uma vida muito corrida, envolvidos em situações de grande responsabilidade e estresse, não têm tempo de analisar com calma os produtos oferecidos e acabam comprando “gato por lebre”.

Cuide da sua saúde financeira: fique sempre alerta.

 

São tantas informações de taxas, prazos, rentabilidade e impostos, que acabam fazendo com que muitas propostas oferecidas sejam aceitas mesmo sem a realização das devidas análises.

Exemplo: o caso da previdência complementar fechada

Um produto bastante comum entre os médicos são os famosos planos de previdência complementar. O hábito de aplicar dinheiro periodicamente mostra que o poupador possui preocupação com seu futuro e deseja se aposentar bem, sendo esta uma excelente qualidade. No entanto, apesar de em alguns casos os planos citados oferecerem taxas relativamente boas, eles possuem algumas peculiaridades que devem ser levadas em conta antes de contratar este tipo de produto.

Entre os planos de previdência fechada existem os chamados PGBL – Plano Gerador de Benefício Livre -, os quais geram a possibilidade de obter benefício tributário. Em contrapartida o imposto de renda – IR- incidirá, no momento do resgate, sobre o valor total aplicado e não apenas sobre os rendimentos.

No sentido de usufruir de benefício tributário, o PGBL, por exemplo, possui a característica de reduzir a renda tributável, fazendo com que o IR pago anualmente seja menor. Contudo, essa redução possui um limite percentual de 12%. Em outras, palavras, não vale a pena realizar aplicações superiores à 12% da renda tributável.

O que ocorre na prática é que é comum médicos retirarem a maior parte dos seus rendimentos por meio de distribuição de lucros da clínica, mantendo um pró-labore baixo. No entanto, como a distribuição de lucros já é tributada na pessoa jurídica, apenas o pró-labore entra como renda tributável. Ou seja, nesse exemplo o plano de previdência só irá reduzir a carga tributária sobre o valor de rendimentos originados do pró-labore e não da distribuição dos lucros.

Resumindo, é comum médicos que possuem planos de previdência complementar não usufruírem do benefício fiscal como deveriam, dependendo do formato do plano. Além disso, usam dinheiro de distribuição de lucros – já tributado na clínica – para aplicar em um PGBL’s, por exemplo, pagando imposto de renda sobre o montante total aplicado na hora do resgate. Em outras palavras, o médico pagará IR duas vezes e estará perdendo dinheiro.

Quem cuida da saúde de todos, tem que cuidar também da sua saúde financeira.

Dessa forma, o conselho do Dr. Meu Dinheiro deve ser observado. Aqui citamos o exemplo de planos de previdência complementar fechada, mas a dor de perder dinheiro sem saber pode ocorrer em diversas outras situações, como com seguros de vida mal dimensionados, títulos de capitalização – que sempre são corrigidos abaixo da inflação na hora do resgate -, entre outros. Por isso, todos devem ter cuidado redobrado com a sua saúde financeira!

A Par Mais quer ajudá-lo a curar esta dor e ser empoderado financeiramente, fazendo o seu dinheiro trabalhar para você.

 

Par Mais – 20.02.2016

A Par Mais Empoderamento Financeiro tem um propósito claro: fazer com que as pessoas mudem sua relação com o dinheiro para alcançar a liberdade e serem mais felizes. Os especialistas da Par Mais desenvolveram um método que visa tornar qualquer pessoa capacitada a ter o controle das suas finanças. Conheça os nossos serviços. Clique aqui.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

×