PGBL e VGBL

  • 15/12/2014

PGBL e VGBL

Se você pensa em contratar uma previdência privada aberta para complementar a previdência pública (INSS) e garantir uma aposentadoria tranquila, certamente já deve ter ouvido falar em PGBL e VGBL. Apesar de terem muitas semelhanças, inclusive nas próprias siglas, os planos são destinados para públicos completamente diferentes.

O PGBL e VGBL (Plano Gerador de Benefício Livre e Vida Gerador de Benefício Livre) são planos que proporcionam ao investidor acumular recursos por determinado período contratado onde será investido e rentabilizado pela seguradora escolhida. Após esse período, o investidor escolhe a forma que irá reverter o recurso: em um benefício de renda mensal ou pagamento único.

 

Mas afinal, qual a diferença entre o PGBL e VGBL?

O VGBL ou vida gerador de benefício livre é destinado para as pessoas que querem formar poupança a longo prazo, fazem a declaração de imposto de renda simplificada ou não são tributados na fonte. Quando resgatado, sua tributação incide somente pelo rendimento no período, por exemplo: se a quantia no resgate é de R$ 10.000,00, mas o rendimento ao longo do período foi de R$ 3.000,00, o imposto cobrado será somente sobre o último valor.

Já o PGBL ou plano gerador de benefício livre, é recomendado para as pessoas assalariadas (que recebem como Pessoa Física), com renda mais alta e que fazem declaração de imposto de renda completa, desde que o valor aplicado seja de no máximo 12% da sua renda bruta anual. Isso porque o valor pago para esse plano pode ser abatido do imposto de renda, diferindo o imposto a pagar e representando uma grande vantagem! Porém, justamente por oferecer essa vantagem tributária, quando resgatado o imposto cobrado será sobre todo o montante aplicado (e não apenas sobre a rentabilidade, como no VGBL).

Escolha o plano (PBGL ou VGBL) de previdência privada que melhor atende às suas necessidades e tenha um futuro mais tranquilo!

.

PGBL e VGBL por Maiara Klitzke – 15.12.2014

A Par Mais Planejamento Financeiro tem um propósito claro: trabalhamos para auxiliar cada um de nossos clientes a construir sua tranquilidade financeira. Atuamos na área de planejamento financeiro pessoal, family office, gestão patrimonial, consultoria financeira para empresas e consultoria de investimentos.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 4

       
  1. gosdtaria de fazer um plano de previdencia privada , tenho 50 anos, em um prazo de 15 anos so posso contribuir mensalmente com 300,00 a 500,00 quantos seria a renda o valor da aponsentadoria vitalicia

    1. Beloso, boa tarde!
      A renda do valor vai depender de alguns fatores, tais como : montante acumulado (aportes +rendimentos financeiros)+ expectativa de vida (tábua atuarial utilizada), se a renda será vitalícia reversível ao conjuge etc. Como o montante acumulado é fator preponderante, é muito importante achar um plano que não cobre taxa de carregamento de entrada ou saída e que cobra taxas de administração razoáveis. Convém procurar seguradoras independentes porque tem melhores produtos e mais baratos.
      Desejamos ter ajudado e tb um feliz 2018 para você e sua família!

  2. Olá,
    Tenho o plano PGBL já seis anos, gostaria e esta no valor de 32.000,00. Hoje faço declaração de imposto de renda. Minha duvida é: como faço pra deduzir este valor no imposto de renda? Ou só o valor de 12% da sua renda bruta anual?

    1. Gleucia, boa tarde. Obrigado pelo seu comentário. O PGBL apenas pode ser utilizado para deduzir a renda tributável em até 12% quando a declaração é feita pelo modo completo. Nesse caso o lançamento dos aportes é feito pela seção “Pagamentos” do sistema da Receita e o próprio programa calcula a dedução automaticamente. Veja que em muitos casos não vale a pena fazer declaração no modo completo se a única dedução for o PGBL, pois se a declaração for feita no modo simplificado o programa da Receita já calcula um desconto de 20% na renda tributável, que é maior que o limite de 12% da dedução do PGBL.

Últimas publicações