• 19/01/2016

Partilha de bens: como fica seu patrimônio se você se separar?

 

As pessoas se casam esperando passar o resto da vida ao lado de seus parceiros. Porém, algumas vezes, a relação que parecia ser eterna chega ao fim. Como ninguém está preparado para passar por isso, nesse momento costumam aparecer uma série de dúvidas, burocracias, gastos e uma grande necessidade de paciência por parte de cada um. O momento é extremamente delicado, tanto pelos conflitos e desentendimentos que costumam aparecer no seio de uma família, quanto pelas consequências e prejuízos financeiros que podem trazer para ambos os lados.

Por isso, é extremamente importante conhecer os regimes de casamento e as formas de proteger e partilhar bens numa relação.

 

Importante você avaliar as forma de separação para realizar uma partilha de bens mais tranquila

 

Muitas vezes encarados como a mesma coisa, a separação e o divórcio são diferentes. Quando o casal apenas deixa de morar junto, sem recorrer à Justiça, considera-se que marido e mulher estão separados. Já o divórcio é a formalização desta separação, e pode ser de dois tipos:

  • Consensual: basicamente é quando o casal entra em acordo quanto às condições da separação (partilha de bens, visita aos filhos, pensão, que sobrenome manter…), convencionando-as com um advogado, e, dessa forma, apresentando ao juiz. Caso o juiz não veja nenhum impedimento, pode-se ter aprovação no mesmo dia;
  • Litigioso (ou contencioso): é o contrário da anterior, quando um dos dois não aceita a separação ou quando não se chega a um acordo. Apenas depois de dois anos de separação que se pode entrar com um divórcio litigioso, enquanto isso o advogado solicita ao juiz que, provisoriamente, estabeleça itens importantes como valor da pensão, guarda dos filhos e o direito de visitas.

 

Como fica o patrimônio do casal?

Aqui um dos pontos que mais causa desconforto no fim de uma relação: como é feita a divisão dos bens? Segue abaixo como fica em cada regime de casamento adotado:

Separação de bens – nesse caso é simples, cada um tem pleno controle sobre seu patrimônio, tanto antes quanto depois do casamento.

Comunhão universal – tudo o que o casal possui (inclusive os bens provenientes de doação e herança), mesmo o que já cada um tinha antes da união, pertencem aos dois e devem ser divididos igualmente.

Comunhão parcial – aqui cada um fica com os bens que possuíam antes do casamento e os que foram constituídos depois são divididos meio a meio.

União estável – para quem não casou, mas possuiu um relacionamento estável, segue-se a mesma regra da comunhão parcial para a questão dos bens.

Lembrando que o novo código civil estabelece que o regime de bens pode ser alterado a qualquer momento, durante o casamento, desde que sejam apresentadas justificativas razoáveis a um juiz.

 Acordos pré e pós-nupcial: evitando brigas

Um instrumento para deixar determinado o que o casal deseja para detalhes como, por exemplo: “com quem ficará a casa da praia”, “como as dívidas serão quitadas” ou, mais importante, “quem cuidará dos custos com a educação das crianças”, é o acordo pré ou pós nupcial. No caso de uma das partes ter uma participação em empresa, esse tipo de acordo pode ser ainda mais importante. Usando novamente um exemplo, digamos que, durante o casamento, desenvolveu-se um produto que, após a separação, virou sucesso de vendas. Muito provavelmente haverá briga com uma das partes exigindo participação nos ganhos.

Pode até parecer, num primeiro momento, intrigante tocar num assunto tão espinhoso antes ou durante o casamento, mas, dependendo da forma como isso é tratado, reforça ainda mais um relacionamento.

Abaixo mais informações referente à esses “contratos”:

Acordo Pré Nupcial – como já adiantado, trata-se de um documento legal no qual se estabelece as obrigações e direitos de cada parte quanto aos compromisso legais anteriores, ao patrimônio existente e obrigações com os filhos. Ao deixar essas regras já decididas a chance de uma separação amigável acontecer aumenta muito, o que não deixa de ser um ponto relevante a ser considerado, pois os custos com um eventual divórcio não são baixos. É aqui, também, que se estabelece o regime de casamento da união (citados anteriormente), portanto, é importantíssimo cada um dos cônjuges saber exatamente as condições de cada um, pois afeta o patrimônio dos dois. Quando não se faz esse contrato, a lei brasileira prevê que, no caso de divórcio, será aplicado o regime de separação parcial, o que pode não ser ideal para o casal.

Acordo Pós Nupcial – basicamente é acordo entre marido e mulher realizado durante o casamento que estabelece novos direitos e deveres para cada um. É encarado como uma oportunidade para atualizar a forma da divisão do patrimônio, se necessário, e adaptar à nova realidade do casal. Esse tipo de contrato tem sido utilizado, inclusive, para evitar divórcios. Assim como os acordos pré-nupciais, os pós-nupciais devem ser por escrito e, de preferência, revisados por um advogado especializado no assunto, para garantir que todos os direitos sejam totalmente protegidos.

Nem é preciso comentar como é importante a conversa franca entre o casal. Abrindo o jogo e estabelecendo regras a chance de um casamento dar certo são ainda maiores! E, no caso da separação ser imprescindível, o estresse e os gastos serão bem menores se esse “tratado” já estiver feito.

Como estamos ainda no começo do ano, o que acha se colocar esse assunto na sua pauta de 2016? Evite conflitos desnecessários no futuro e melhore seu presente. Sua família e seu casamento agradecem!

 

Par Mais – 19.01.2016

Onde você está, aonde quer chegar?
Nossa função é tornar sua jornada mais rápida e mais rentável. Escolhemos com você os investimentos que precisa, alinhados às suas necessidades. Clique aqui.

CATEGORIAS BLOG

CATEGORIAS BLOG

Deixe seu comentário

    • Mirian
    • 12/11/2017
    Responder

    Boa tarde. Por gentileza pode me elucidar uma dúvida ?? No divórcio o q acontece se uma das partes não quiser partilhar. Pensão eu sei q vai preso. E na partilha o q fazer

      • Par Mais
      • 20/11/2017
      Responder

      Mirian, bom dia!

      De forma geral, como é feita a partilha ou divisão de bens no divórcio?

      Preliminarmente, é necessário verificar o regime de bens que o casal adotou quando se casou.

      Posteriormente, é necessário identificar quais bens são particulares e quais são comuns, quais bens foram adquiridos com esforço comum e quais possuem origens que os tornem particulares.

      Comunhão Universal: todos os bens do casal devem ser divididos, com exceção daqueles recebidos por herança ou doação com cláusula de incomunicabilidade, ou os sub-rogados em seu lugar (aqueles comprados com o dinheiro da venda desses bens herdados ou doados), ou bens de uso pessoal e profissional.

      Comunhão Parcial: os bens adquiridos antes do casamento e aqueles que foram recebidos por herança ou doação não serão divididos; somente os adquiridos na constância do casamento serão divididos.
      Separação total: nenhum bem será dividido.

      Caso uma das partes não queira partilhar dos bens, será necessário entrar com uma ação judicial para discussão.

      Aconselhamos buscar um advogado especialista para fornecer mais detalhes do seu caso.

      Esperamos ter ajudado e desejamos uma ótima semana para você!

    • Nina
    • 18/02/2018
    Responder

    bom dia, sera que pode esclarecer uma grande duvida? ja estou divorciada a 11 anos mas a divida de habitacao ainda nao foi liquidada. ninguem vive na habitacao e a mesma foi vandalisada e nem tem o valor da divida.o meu ex em cerca de um mes apos o divorcio deixou Portugal e nem sei ao certo o seu paradeiro. Mas a minha pergunta e: posso ainda exigir ou ter o direito de pagar apenas metade da divida na CGD, e limpar o meu nome no banco de portugal? neste processo ainda existem fiadores mas que tambem como e de calcurar nao podem pagar.

      • Par Mais
      • 19/02/2018
      Responder

      Nina, boa tarde!

      A primeira questão a ser respondida aqui é: O que ficou acertado no momento do divórcio?

      O fato de o casal separar-se não exime o pagamento da dívida. O não pagamento das prestações e demais encargos, após os procedimentos de execução estabelecidos pela legislação, leva o imóvel a leilão público.
      A definição de quem fica com o imóvel e consequentemente com a responsabilidade pelo pagamento das prestações e demais encargos deverá ser formalizada através de acordo extrajudicial por escritura pública lavrada perante tabelião público (nas hipóteses definidas na legislação), ou ainda, pela sentença proferida na ação judicial.
      Com a separação/divórcio é possível ajustar com a instituição credora, que a responsabilidade pelo pagamento das prestações e demais encargos mensais será de apenas um dos devedores.
      Nossa sugestão, nesse caso, é que você vá até o órgão competente e consiga mais detalhes desses valores e de como deverá proceder para limpar o seu nome junto à CGD. Além disso, veja o que está escrito na sua certidão de divórcio.
      Como o seu caso envolve fiadores, vale a pena checar para que nenhuma decisão seja tomada de maneira equivocada.

      Desejamos sucesso!

    • VINICIUS SARAIVA DE CARVALHO
    • 28/02/2018
    Responder

    Boa noite, se em uma separação ambas as partes não tiveram patrimônio algum em seu nome como prosseguir com o divórcio

      • Par Mais
      • 01/03/2018
      Responder

      Vinicius, boa tarde!
      Se além da ausência de bens, a separação for consensual, desde 2007, o divorcio pode ser realizado em um Cartório de Notas.
      Os documentos necessários para o divórcio e separação extrajudicial, no cartório de notas são:
      – Certidão de casamento,
      – Contrato antenupcial (em caso de existir),
      – E os documentos pessoais e qualificação (endereço, profissão) das partes.

      Se houver filhos maiores:
      – Documentos pessoais,
      – Qualificação destes.

      Havendo filhos menores:
      – Se o casal possui filhos menores e já fora decidido judicialmente sobre a guarda, visitas e pensão deles, poderá ser apresentado o termo judicial ao cartório de notas e conseguirá seguir com o processo de divórcio e/ou separação no cartório de notas, mesmo com filhos menores.

      Desejamos ter ajudado!

    • Letícia
    • 14/03/2018
    Responder

    Bom dia!
    Estou me separando, eu meu marido compramos uma apartamento juntos, e recentemente ele ganhou um imóvel do programa minha casa, minha vida, tenho direito a parte deste imóvel que ele ganhou, mas paga cerca de 80,00 mensais.

      • Par Mais
      • 15/03/2018
      Responder

      Letícia, boa tarde!
      Achamos que o final do texto não foi registrado, por gentileza, descreva novamente a sua dúvida!
      Até mais…

    • SIDNEI FONSECA
    • 25/03/2018
    Responder

    Boa noite, eu e minha esposa nos divorciados e vendemos nosso imóvel antes do divórcio, e com o dinheiro cada um adquiriu o seu próprio imóvel, porém no ato do divórcio não foi efetuada legalmente a partilha, nós resolvemos entre nós mesmos. Como os imóveis foram financiados e estão em nome dos dois, existem meios de efetuar a transferência de propriedade, onde cada um fique com seu imóvel sem estar em nome do outro ? Podemos fazer isso sozinhos sem pagar as taxas absurdas de cartório ?

      • Par Mais
      • 28/03/2018
      Responder

      Sidnei, boa noite!

      Vocês devem ir até o cartório de registro de imóveis com a documentação necessária e solicitar a transferência. O custo será basicamente o ITBI, imposto municipal pago na transferência de bens imóveis.

      Sucesso!

    • DEROCY DIAS REIS
    • 02/04/2018
    Responder

    Bom dia.
    Dissolvemos nossa união estável extrajudicialmente, no cartório. Na oportunidade, fizemos a partilha dos bens.
    Após isso, minha esposa teve seus bens indisponibilizados judicialmente em uma ação que ela responde. Isso pode me afetar também?

      • Par Mais
      • 02/04/2018
      Responder

      Derocy, bom dia!

      Em princípio não afetaria você não, salvo alguma interpretação jurídica “fora da curva”.
      Sucesso!

    • Celio B. Teixeira
    • 04/04/2018
    Responder

    Boa noite!
    Gostaria de saber durante quanto tempo depois, apos o divorcio uma das partes ainda pode recorer por algum bem.
    Eles se casaram em comunhão universal de bens em maio 1976, se separaram 1 ano depois, o divorcio litigioso saiu em 1989.

      • Par Mais
      • 05/04/2018
      Responder

      Celio, boa tarde!
      Geralmente um ou dois anos após o divorcio. No seu caso, aconselhamos e procurar uma assessoria jurídica especializada nesta área.
      Desejamos sucesso!

    • Sandra
    • 09/04/2018
    Responder

    E quando na separação de união estável o sogro ajudou com uma boa parte do imóvel? Como é feita a divisão ?

      • Par Mais
      • 10/04/2018
      Responder

      Sandra, boa tarde!

      Considerando que o casal dessa união estável não tenha feito contrato de convivência e que o imóvel tenha sido adquirido na constância da relação, seguem as observações:

      1 – Se o sogro deu o dinheiro como doação à filha(o), após a avaliação do imóvel, será necessário definir a proporcionalidade financeira com que cada um investiu neste imóvel.

      2 – Caso seja de interesse de um dos envolvidos em manter o imóvel, os demais devem ser ressarcidos na mesma proporcionalidade.

      3 – Se a outra parte exigir a metade e não houver como provar que o dinheiro foi ganho e o imóvel tenha sido adquirido na constância da relação, deve ser dividido meio a meio.

      Desejamos sucesso!

    • Morgana
    • 10/04/2018
    Responder

    Ola fui casada(junta) por 14 anos ele ja tinha uma casa um galpao um caminhao e carro nos separamos tenho direito algum bem? Tenho um filho q nao è dele porem ele reconheceu paternidade. E juntos criamos outro menino q nem è filho dele n meu tbm. Direito a bens ou pencao eu tenho?

      • Par Mais
      • 10/04/2018
      Responder

      Morgana, boa tarde!

      O filho que teve a paternidade reconhecida tem direito até 30% da renda do pai.
      Para o menino que vocês criam receber pensão já é mais complicado, mas se você provar que de fato o pai era o provedor, ele poderá ter que pagar a pensão. Um advogado saberá como fazer.

      Desejamos sucesso!

  1. Meus pais se separam e ele deixou uma casa para os 2 filhos deste casamento no processo de separação, agora ele está vivendo com uma mulher e teve 2 filhos que hoje são maiores de idade, eles tem direito sobre esta casa?

      • Par Mais
      • 24/04/2018
      Responder

      Adilson, bom dia!
      A resposta não é simples pois existem alguns fatores a serem avaliados.

      Via de regra, todos os filhos tem direito a herança de, ao menos, 50% do patrimônio total. O restante do patrimônio pode ser disponibilizados de acordo com a vontade do doador.

      Ao doar a casa, seu pai fez uma antecipação de herança. É necessário saber o valor dessa casa em relação ao patrimônio total e se ao doá-la, foi considerada como parte da herança disponível. De qualquer forma, é interessante a consulta a um advogado.
      Desejamos sucesso!

      • Responder

        Bom dia, meu noivo se divorciou de forma consensual recentemente (comunhão parcial de bens), no entanto a partilha eles não entraram em acordo, eles tem uma casa juntos e dois filhos menores, apenas o terreno foi financiado ainda estão pagando, se ele entrar com um processo de partilha e possível que ele consiga metade dessa casa? a duvida maior é que os filhos e a ex ainda mora na casa, mas ele precisa de sua parte.

          • Par Mais
          • 25/04/2018
          Responder

          Tamires, boa tarde!

          Se o terreno foi adquirido e a casa construída na constância do casamento seu namorado tem direito a 50% da casa, assim como é devedor de 50% do saldo do financiamento. Porém, se ele conseguir vender a casa imediatamente é outra questão. O juiz da ação vai verificar e decidir se é viável a ex esposa e as crianças saírem da casa para ser vendida ou não.
          Desejamos ter ajudado!

            • Mirelle
            • 05/05/2018

            Ola tudo bem… minha mae foi casada com meu padrasto… hoje separados… a separação saiu como Consensual… Foram casados em comunhão parcial de bens… minha mae ja tinha uma casa! Ganhada do governo… ele ajudou a construir mais 3 comodos… mas ele pediu para que vendesse a casa inteira? Pode isso? Tem 4 anos ele sempre diz que a ordem é pra vender

            • Par Mais
            • 08/05/2018

            Mirelle, boa noite!
            Se a casa foi adquirida antes do casamento, ela pertence somente a sua mãe. Caso ele entre na justiça e comprove que ele fez a melhoria de mais três cômodos, o máximo que a sua mãe deverá ressarci-lo e sobre 1,5 cômodo.
            Desejamos ter ajudado.

    • Aléxia
    • 11/05/2018
    Responder

    Olá, em caso de divórcio no casamento com separação parcial de bens, que nem toda renda adquirida pelo casal é declarada, como se dá a divisão? Pergunto ainda, se a esposa passou todo o casamento sem uma profissão/estudo, sendo apenas dona de casa, cabe uma pensão? Como é feita o estabelecimento da mesma?
    Se puder me esclarecer, agradeço!

      • Par Mais
      • 11/05/2018
      Responder

      Aléxia, bom dia!

      Não ficou claro se é comunhão parcial de bens ou separação total de bens. Se for comunhão parcial, todos os bens adquiridos durante o casamento de forma onerosa (logo exclui-se bens recebidos como doação ou herança), devem ser divididos em iguais partes entre os dois. Se for separação total cada um fica com o bem que estiver registrado em seu nome.

      Sobre a pensão, como somos planejadores financeiros, conhecemos as regras de partilha, mas para esclarecer dúvidas sobre pensão, convém consultar um advogado.
      Sucesso!

    • Alexandra
    • 21/05/2018
    Responder

    Bom dia
    Vivo com meu esposo a 6 anos, 5 em união estável com comunhão parcial de bens.
    Temos uma filha de dois anos e eu tenho uma de 13 anos de outro relacionamento, sai do emprego a pedido dele pra cuidar da casa e das meninas, no caso de uma separação terei q sair da casa q compramos mesmo eu tendo duas crianças menores de idade?

      • Par Mais
      • 22/05/2018
      Responder

      Alexandra, bom dia!

      É importante você consultar seu advogado, mas em nossa experiencia, se ele sai de casa e você fica com as crianças, muitos juízes mantém a família na casa, mas talvez negocie um certo valor de aluguel para ele receber. Ele deverá pagar pensão as crianças mesmo assim. Mas como informamos, é fundamental consultar um advogado, pois ele é o profissional indicado para responder corretamente a sua dúvida!
      Sucesso!

    • Natália Reis
    • 22/05/2018
    Responder

    Boa tarde!!
    Comprei um apartamento com o meu namorado e moramos juntos por mais ou menos dois anos, e agora nos separamos. Sendo que o imóvel está no nome dos dois. Ele não quer vender e nem morar, e também não quer vender o imóvel já que ele não quer morar lá, pois tem dívidas de luz e taxas recorrentes ao imóvel. Como devo proceder? Pois não temos nenhum documento de união estável e não chegamos a nos casar e ele não quer vender.

      • Par Mais
      • 22/05/2018
      Responder

      Natália, boa tarde!
      O melhor profissional para ajudá-la é um advogado especializado de direito de família. Existem muitas variantes não descritas no seu relato.
      O melhor é resolver essa pendência o quanto antes.
      Sucesso!

    • Tatiana
    • 23/05/2018
    Responder

    Bom dia me separei hj recebo a pensão do meu filho de cinco anos
    Agora estou aguardando a audiência de bens. Existe dois carros um compramos juntos e outro ele vendeu mas eu não pegava nada de venda de carro. Nós divorciamos de boa pensão hj ele paga 300 visita o filho
    Mas estou com dúvidas sobre os bens,moramos n casa da família dele durante 15 anos. Qual direito em tenho diante disso.

      • Par Mais
      • 23/05/2018
      Responder

      Tatiana, boa tarde!
      Sugerimos que procure um advogado de direito de família. São muitas variantes!
      Desejamos sucesso!

    • Pedro
    • 26/05/2018
    Responder

    Boa tarde, tenho um relacionamento q dura 11 anos, temos um filho nesse relaxionamento, porem comecamos a morar juntos tem 5 meses, e nao aguento mais, ela so pensa na barriga dela, nao ajuda em nada nas contas de casa, eu aluguei e mobiliei tudo sozinho querendo tee uma familia, ela nao faz questao nen que nosso filho more conosco pois foi criado pelos avos, e eu brigo com isso todo dia, tomei a decisao e vou pedir pra ela voltar pra casa da mae, ela tem direito a algo sendo que tudo que consegui foi com o proprio esforco meu.

      • Par Mais
      • 28/05/2018
      Responder

      Pedro, boa tarde!
      Sentimos muito pelo seu sofrimento. Sugerimos procurar um advogado da área de família, assim você terá todo o apoio legal necessário para a sua tomada de decisão.
      Desejamos sucesso!

  2. Responder

    Boa noite!
    Estou casado há 8 (oito) anos, neste período adquirimos um apartamento e um carro, temos um filho de 2 anos. Gostaria de obter orientação jurídica em relação a divisão dos bens, estamos separando de forma amigável, porém minha ex-mulher questiona a necessidade de ficar no apto pelo fato de estar desempregada.
    Agradeço atenção!

      • Par Mais
      • 12/06/2018
      Responder

      Estevan, bom dia!
      Como planejadores financeiros, não possuímos a qualificação necessária para orientá-lo.
      Sugerimos, como você mesmo descreveu, procurar uma advogado especializado em direito de família.
      Desejamos sucesso!

    • Alan P
    • 01/07/2018
    Responder

    Me ajudem…
    Namoramos um total de 8 anos , 5 deles namoramos cada um em sua casa e convivemos 3 anos juntos na minha casa, terminamos a 4 anos atrás, a minha pergunta é a seguinte, se ela procurasse a justiça hoje em dia ela teria algum direito após esses 4 anos ?

      • Par Mais
      • 02/07/2018
      Responder

      Alan, boa tarde!

      São muitas as variáveis para que uma relação seja considerada ou não uma união estável. Mas pela breve explicação que nos passou, é muito provável que a relação de vocês seja considerada uma união estável. E sem nenhuma formalização desta união ela teria os mesmos direitos se vocês tivessem casado no regime de comunhão parcial de bens, ou seja, ela teria direito a metade de tudo que foi adquirido após o início da união entre vocês. Resumindo, ela teria direito sim.
      Desejamos ter ajudado!

    • Marcio
    • 08/07/2018
    Responder

    SOU MARCIO Bem sou casado no civil tem 5 meses mas já maravamos a 13 anos juntos partiu de mim casamento no civil ,para que ela tenha direito de tem planos de saúde e dentário da empresa,com ela tenho um filha de 13 anos ,estou saindo da minha casa pois não a mais jeito de vivermos juntos ,tudo que já pude fazer já fiz ,tenho uma casa mobiliada vou para um aluguel ,quais direitos que eu tenho ,pois pensão para minha filha e a única coisa que sei que tenho que fazer ,tenho que sair com uma mão a trás e outra na frente?

      • Par Mais
      • 09/07/2018
      Responder

      Márcio, boa tarde!
      Se a casa foi adquirida ao longo dos últimos 13 anos você tem direito a 50% deste imóvel. Cabe a vocês decidir se vão manter a casa ou se vão vendê-la e dividir este dinheiro. Estas são questões bastante sensíveis e também complexas. Sugerimos buscar um advogado especializado no assunto para assessorá-lo.
      Até mais…

    • Bianca Felippe
    • 09/07/2018
    Responder

    Bom dia! Convivi 13 anos com meu ex esposo, durante esse tempo dei entrada para comprarmos dois caminhões, ele é quem dirige um dos caminhões. As prestações são pagas, com o trabalho dos próprios caminhões, mais ainda estão com dívidas. Fiz uma união estável onde estão os nossos bens que adquirirmos juntos ao longo dos anos. O meu ex não quer que eu controle o dinheiro que recebemos dos caminhões e fiquei sabendo que até surrupiou. Como chegar na empresa e ter o mesmo direito que ele? Ficarei grata se puderem me ajudar.

      • Par Mais
      • 09/07/2018
      Responder

      Bianca, boa tarde!
      Para ter direito sobre as cotas da empresa é preciso que alguma alteração tenha sido feita no contrato social da empresa durante a união estável de vocês. Sugerimos buscar um advogado especializado no assunto para lhe assessorar, pois são muitas as variáveis nestes casos.
      Desejamos sucesso!

    • Graciele
    • 21/07/2018
    Responder

    Ola! Meu nome é Graciele. Namorei por 8 anos, e me casei a 8 meses em regime parcial de bens. Acabei de pedir o divórcio pq descobri que o meu marido estava me traindo. Durante nosso namoro, meu ex marido adquriu um imovel o qual foi quitado antes do nosso casamento civil. Ele tem apenas um contrato de promessa da compra desse imovel e sua quitação, ja q até o momento ainda não o registrou escritura. Possuo direito a esss imovel por ter sido adquirido em nosso namoro, msm tendo eu casado em comunhão parcial de bens?

      • Par Mais
      • 23/07/2018
      Responder

      Graciele, bom dia!

      Você ter ou não direito sobre este imóvel depende de diversas variáveis.
      A mais importante, é se o namoro de vocês pode ou não ser considerado como uma união estável. O fato de vocês morarem ou não na mesma casa é um fato importante para decidir isso. Se for considerado que a união estável não estava configurada antes do casamento, é bem possível que você não tenha direito sobre este bem, pois normalmente o que conta para definir o momento da compra de determinado bem é a transferência do dinheiro, ou seja, a quitação. Mas isso não é 100% certo, portanto sugerimos buscar um advogado especializado para analisar a situação com mais detalhes.
      Desejamos sucesso!

  3. É possível, numa separação amigável, partilhar os bens com os filhos, deixar isso claro na hora da separação?

      • Par Mais
      • 25/07/2018
      Responder

      Altemar, boa tarde!
      A partilha de bens no caso de uma separação depende do regime em que o casamento foi firmado. No regime mais comum, comunhão parcial de bens, cada cônjuge tem direito a 50% de tudo que foi adquirido a partir da constituição do casamento. No caso de uma separação amigável, este direito não precisa ser exercido, ou seja, o casal pode definir o que deseja fazer com cada bem. Mas isto se refere ao cônjuges, e não aos filhos. Caso queiram passar algum bem para os filhos ainda em vida é necessário fazer uma doação (e pagar o ITCMD), mas isto independe do processo de separação.
      Esperamos ter ajudado!

  4. Meu marido tem uma casa com a ex quais direitos meus filhos tem

      • Par Mais
      • 26/07/2018
      Responder

      Clenilse, boa tarde!

      Seus filhos só terão direitos sobre os bens de seus pais quando se tornarem herdeiros, ou seja, quando um deles vier a falecer. E quanto cada um tem direito sobre determinado bem depende de inúmeras variáveis, como de quem é o bem, se há testamento, quais são os herdeiros, etc.
      Desejamos ter ajudado.

    • Rafael
    • 26/07/2018
    Responder

    Me casei e tinha 1 apartamento, hj estamos nos separando,adiquirimos varios bens,mas ela recebeu alguns imoveis do seu Pai,mas apenas registrou esses imoveis como comprando do Pai.com escritura e registro,nao ha citacao de heranca e nem doacao.Estes imoveis podem ser considerados do casal, eu tenho direito a estes imoveis tambem?

      • Par Mais
      • 30/07/2018
      Responder

      Rafael, bom dia.

      Essa é uma questão que depende de muitos fatores, como por exemplo, se foi efetuada a separação de fato. Sugerimos conversar com um advogado para esclarecer todas as questões envolvidas.

      Esperamos ter ajudado.

    • Celia
    • 30/07/2018
    Responder

    Bom dia, estou casada a 11 anos mei casamento está insustentável estou pensando em pedir divórcio, temos um casal de filhos uma de 2 anos e oitro de 8 anos , temos uma casa avaliada em $120.000 e carro popular básico (mais ainda esta no nome do antigo dono)em caso de separação o que eu e as crianças temos direito?se ele não aceitar a separação como posso proceder?

      • Par Mais
      • 30/07/2018
      Responder

      Celia, bom dia.

      O que você terá direito depende do seu regime de casamento. Sugerimos buscar um advogado para esclarecer todas as dúvidas.

      Desejamos sucesso!

    • Mariana Freitas
    • 30/07/2018
    Responder

    Bom dia, ja estou divorciada a um ano, mais tenho uma casa pra dividir.. Pq foi feito na separação que eu fico na casa 3 anos, e colocamos a venda depois dessa Data, so que estou querendo rever esse acordo… É possível fazer isso??

      • Par Mais
      • 30/07/2018
      Responder

      Mariana, boa tarde.

      Para casos em que é necessário acordo entre o casal, sugerimos você conversar com um advogado especializado para que todas as dúvidas sejam esclarecidas.

      Desejamos sucesso!

    • Marcelo
    • 02/08/2018
    Responder

    Olá,
    Tenho investimentos e pretendo fazer UE, iremos escolher comunhao parcial de bens. No entanto, os rendimentos destes investimentos a partir da data da UE será partilhado? E, se eu continuar fazendo aportes mensais, estes aportes serão partilhados?

    OBrigado!
    Marcelo

      • Par Mais
      • 03/08/2018
      Responder

      Marcelo, bom dia.

      Os investimentos que uma das partes possui que foram feitos antes da união não serão partilhados. Porém todos os aportes e a rentabilidade do período em que o casal esteve junto, pela lei, devem ser partilhados, mesmo que um dos cônjuges não tenha contribuído.

      Esperamos ter ajudado.

    • Silvania
    • 03/08/2018
    Responder

    Boa tarde! Vivo há 6 anos (não somos casados) com meu companheiro, onde temos uma filha e ele tem outra filha fora com outra mulher(ele não é casado com ela).
    Eu e ele estamos tirando um AP no nome dele, qual meus direitos diante dessa situação se a outra filha dele vinher a fazer questão?
    Eu tenho direito a alguma coisa?

      • Par Mais
      • 06/08/2018
      Responder

      Silvania, bom dia.

      Existem muitas variantes no seu caso, é necessária avaliação de diversos fatores.
      Mas pelo descrito, através do tempo de convivência, mesmo não sendo casados, você terá direito ao imóvel no caso da separação e os filhos terão direito somente em caso de herança.

      Desejamos ter ajudado!

    • Andre
    • 03/08/2018
    Responder

    Ola tenho uma duvida me separei a 4 anos entramos em acordo verbal de eu pagar a quantia de 400 reais e isso tenho feito tudo certo pago em dia e como esse valor foi fixado por ela e nao obtive problemas ate entao dai como eu tive que pagar aluguel fiz dividas eo os gastos sao altos e agora ela que 30% do meu salario e se isso de fato ocorrer nao vou consegui sobriviver porque com pensao agua e luz e combustivel para eu ir trabalhar vai sobrar 250 reais do meu salario isso esta certo ? JA QUE ELA TEM CASA PROPRIA CARRO QUITADO E CONCURSADA PELA PREFEITURA EO MENINO ESTUDA EM ESCOLA PUBLICA ( TIPO ISSO PODE OCORRER MESMO EU FICAR SEM CONDICAO DE MORADIA E NAO TER CONDICAO DE FAZER UMA COMPRA POR EXEMPLO O JUIZ NAO VAI VER MEU LADO ?

      • Par Mais
      • 06/08/2018
      Responder

      Andre, bom dia.

      No caso do pagamento de pensão, cada situação é analisada individualmente, o juiz do caso irá definir se o valor pedido está dentro das possibilidades do pagador.

      Esperamos ter ajudado.

    • Marco Aurélio
    • 06/08/2018
    Responder

    Boa tarde meu nome é Marco e estou fazendo a pastilha de bens só que eu tinha uma empresa e casei depois mais para frente eu coloquei ela na empresa só que dai eu só tive prejuízo e hoje a empresa tem débitos e ela tem 5% da empresa só que o prejuízo foi por quando estávamos juntos. Na pastilha temos uns bens mais temos mais prejuízo que bens ela alega que a empresa o prejuízo não pode ser dividido meio a meio por ela ter 5% mais se for ao contrario e a empresa estivesse bem ela teria direito a 50% da empresa pois uns fala que tem que racha 1/2 tudo outro que ela só vai pagar 5% sendo que chegou aonde tá por causa dela. Como fico eu tenho que arca com tudo.

      • Par Mais
      • 07/08/2018
      Responder

      Marco Aurélio, boa tarde.

      Ela de fato só seria responsável por 5% da empresa, porém isto depende de uma infinidade de variáveis. Por exemplo, se você (proprietário de 95% da empresa) não honrar as dívidas da empresa, os credores irão atrás do outro sócio, ou seja, ela seria responsável por toda dívida junto com você. Se em algum empréstimo ela estiver como avalista, ela também responderá por aquele empréstimo de forma integral no caso de ele não ser quitado. Também vale ressaltar que a divisão de 50% seria sobre os bens que você possui, ou seja, no caso da empresa seria metade dos seus 95% da empresa. Este não é um caso simples e é preciso se aprofundar mais para poder de fato emitir uma opinião. Sugerimos buscar um advogado especializado no assunto.

      Desejamos ter ajudado. Sucesso!

    • Patrício
    • 09/08/2018
    Responder

    boa noite estou me separando, e nos casamos em separação parcial de bens, os bens que adquirimos após o casamento foi um apartamento financiado e um carro tbm financiado, como fica a repartição de bens quando estes bens ainda estão sendo pago?

    • Responder

      Patrício, boa tarde.

      Tanto o bem como as dívidas serão repartidos conforme o regime de casamento. Sobre o financiamento, mesmo após a separação, a instituição financeira ainda identifica o financiamento como sendo conjunto, independente de quem permanecer com o bem, portanto, caso não aconteça o pagamento, o banco poderá recorrer a qualquer um do casal para cobrança. Sugerimos entrar em contato com a instituição para sanar as possíveis dúvidas em relação ao contrato.

      Esperamos ter ajudado.

    • Lívia
    • 10/08/2018
    Responder

    Olá. Meu divórcio foi litigioso e a Partilha de bens por sentença. Depois da sentença quanto tempo demora para a Juíza liberar o ofício direcionado ao cartório para fazer as alterações necessárias na documentação para posse dos bens que ficar para cada parte?

    • Responder

      Lívia, boa tarde.

      O melhor profissional para ajudá-la neste caso específico é um advogado especializado de direito de família.

      Desejamos sucesso.

    • Jose nericleudo
    • 13/08/2018
    Responder

    Boa tarde so quero que me tirem uma dulvida. A minha muler atual tem direito sobre os bens erdados da minha ex? Estou a 3 anos com ela e nao construimos nada tudo o que temos e da minha partilha com a outra.agradeço se me tirarem essa dulvida

      • Par Mais
      • 15/08/2018
      Responder

      Jose, bom dia.

      O que cada um terá direito depende do regime de casamento com a cônjuge atual. Se for o caso de comunhão parcial, o que é seu antes do casamento continua sendo seu, o que for constituído depois é dividido meio a meio.

      Desejamos ter ajudado.

    • Gracianne
    • 14/08/2018
    Responder

    Olá
    Sou casada em regime parcial de bens, recebi herança com falecimento dos meus pais, agora quero o divórcio e meu cônjuge quer que eu pague a ele uma pensão de mil reais, alegando que fez reformas nos imóveis na constância do casamento. O dinheiro usado para tais reformas, provinha de uma empresa que ele administrou junto comigo, mas estava legalmente em meu nome. Ele se recusa a sair da casa onde moramos,herança de meu pai, e tem um comportamento que tira minha paz. O que fazer nessa caso? Ele tem direito?

      • Par Mais
      • 15/08/2018
      Responder

      Gracianne, boa tarde.

      A princípio, pelas informações que nos passou, não parece que seja o caso, porém são muitas as variáveis que vão decidir se ele tem ou não direito a uma pensão. Sugerimos buscas um advogado especializado para analisar o caso com mais detalhe e lhe ajudar nessa difícil situação.

      Esperamos ter ajudado.

    • Vanessa
    • 15/08/2018
    Responder

    Olá, tenho uma relação de união estável, sem documento oficial há 15 anos. Temos dois filhos menores e a casa onde moramos está no nome da minha mãe, em caso de separação posso forçar a saída do meu parceiro?

      • Par Mais
      • 16/08/2018
      Responder

      Vanessa, boa tarde.

      São muitas variáveis envolvidas no seu caso, aconselhamos acompanhamento jurídico para a situação.
      Mas em casos gerais, se o apartamento for fruto de doação, o seu cônjuge não terá direitos sobre ele.

      Esperamos ter ajudado, sucesso.

    • Edivaldo Bispo
    • 17/08/2018
    Responder

    Boa tarde,qdo me casei o fiz com comunhão parcial dos bens
    Estamos nos separando
    Minha dúvida é: tenho um imóvel que está alugado a 2 anos,porém esses valores de ebifos nunca foi compartilhado com minha conjugar,agora na separação tenho que dividir esses valores recebidos,entra como bens a serem divididos?

      • Par Mais
      • 21/08/2018
      Responder

      Edivaldo, bom dia!

      Se este imóvel foi comprado na constância da união de vocês sua cônjuge tem direito a 50% deste imóvel, e se a ideia é continuar com o imóvel será necessário alterar a matrícula e colocar ela como proprietária de metade do imóvel. Neste caso ela também tem direito a metade da renda que este imóvel gerar, porém o contrato de aluguel pode ser feito apenas no seu nome e pago integralmente a você, caso você chegue neste acordo. Mas sim, ela terá direito a metade desta renda.
      Sugerimos buscar um advogado especializado para olhar mais detalhadamente o seu caso.
      Sucesso!

    • Alex
    • 17/08/2018
    Responder

    Boa noite…Estamos nos separando, temos um filho de 4 anos, 1 imóvel financiado restando apenas 50.000 para quitar e um carro quitado. Gostaria de saber quais meus direitos na separação tendo em vista termos um filho de 4 anos..O apartamento pode ser vendido e dividido por dois ou obrigatoriamente ou preferencialmente deverá ficar com quem ficar com o a guarda da criança. Bem dizer gostaria de saber a situação que ficaria esse imóvel tendo em vista termos um filho de 4 anos.

      • Par Mais
      • 21/08/2018
      Responder

      Alex, bom dia!

      No caso de separação no regime de comunhão parcial de bens (que é o regime mais comum) cada cônjuge terá direito a 50% dos bens adquiridos na constância do casamento. Portanto se este imóvel e carro foram comprados durante a união de vocês, você teria direito a metade deste imóvel e carro. O imóvel não precisa necessariamente ser vendido, vocês podem alterar a matrícula do imóvel colocando que cada um de vocês possui metade do imóvel. A questão da guarda não influencia na divisão dos imóveis propriamente dita.
      Sugerimos buscar um advogado especializado para olhar mais detalhadamente o seu caso.
      Sucesso!

    • Armando
    • 20/08/2018
    Responder

    Separei a um ano atras na divisão de bens abri mão de uma Boa parte dos bens para ela paga as despesas do proseso mas ágora ela não que pagar o juiz não homologou o proseso ainda posso voltar atrás e pedir a divisão meio a meio??

      • Par Mais
      • 20/08/2018
      Responder

      Armando, boa tarde!
      Se o processo ainda não foi homologado (concluído) você poderá sim mudar de posição. Mas é fundamental contratar um advogado para acompanhá-lo no processo.
      Desejamos sucesso!

    • Janaina ribeiro
    • 23/08/2018
    Responder

    Se quando eu me casei eu tinha um terreno..ja era meu depois do casamento construir nele..como fica na divisão de bens faz alguma diferença?

      • Par Mais
      • 24/08/2018
      Responder

      Janaína, boa tarde!
      Isto vai depender de algumas variáveis.
      Se na matrícula o imóvel já está atualizado (com a casa construída) e já está metade no seu nome e metade no nome do seu cônjuge, não há muito o que você possa fazer.
      Se por acaso o imóvel está todo em seu nome, e vocês são casados em comunhão parcial, é possível discutir dizendo que apenas o valor da casa seja dividido.
      Sugerimos buscar um advogado especializado para analisar seu caso mais detalhadamente.
      Sucesso!

    • Joyce
    • 23/08/2018
    Responder

    Boa tarde quando se tem filhos é a mãe fica com a guarda , como acontece a divisão ? E dividido em partes iguais ?

      • Par Mais
      • 24/08/2018
      Responder

      Joyce, boa tarde!
      A guarda dos filhos não influencia na divisão dos bens.
      O que decide é o regime do casamento (união parcial, universal ou separação de bens).
      Sucesso!

    • Santos Dizolele
    • 24/08/2018
    Responder

    Bom dia, gostaria de saber também uma coisa, xtou separado a três meses com a minha esposa, mas nós não somos casados, como é q posso efetuar a divisão dos bens? Temos duas casas, e um terreno, e outra coisa eu ganho 160.000 qual é o valor exato q posso entregar pra ela sustentar as três crianças , uma de Dez anos, um de nove anos,. E um de 1ano

      • Par Mais
      • 24/08/2018
      Responder

      Santos, boa tarde!
      Apesar de vocês não terem formalizado o casamento, na visão da justiça vocês tiveram uma união estável, o que acaba se configurando como um casamento no regime de comunhão parcial de bens.
      Neste caso o ela teria direito a 50% de tudo que foi comprado durante a constância desta união estável.
      Sobre o valor a ser pago de pensão, isto normalmente é definido pela justiça, mas caso vocês queiram fazer de uma forma amigável, sem envolver a justiça, é preciso calcular diversos aspectos da vida de vocês, principalmente o nível de despesas e quanto a sua ex-parceira ganha.
      Caso tenha interesse podemos fazer um um planejamento financeiro para você e suas filhas.
      Sucesso!

    • Mere
    • 24/08/2018
    Responder

    Boa noite estou a 16 anos com meu atual esposo não temos casamento formalizado na justiça nem na igreja mas temos 2 filhos um de 15 anos e outro de 10 a nossa relação está muito conturbada ele está muito nervoso ignorante e as vezes da sinal que ira nos agredir(ja encontrei uma faca em baixo de seu travesseiro)tanto comigo como com os nossos filhos quero saber o que tenho direito antes de sair temos uma casa que estava em reforma avaliada em 30.000 mil reais ele tem um terreno e uma oficina mecânica(ele é o próprio patrao)em que ele trabalha quantos % terei direito de tudo que ele tem não tenho nada e irei sair sem rumo com os meus filhos ele ganha o lucro da oficina e uma “aposentadoria” (de 1070 reais) de um acidente que sofreu que é permanente quanto de pensão meus filhos terão direito ?

      • Par Mais
      • 28/08/2018
      Responder

      Mere,boa tarde!
      Sentimos muito pela situação que está passando.
      Antes de qualquer recomendação financeira, precisamos reforçar a importância de você procurar a Delegacia da Mulher mais próxima, explicar toda sua situação e pedir auxílio e/ou proteção.

      Sobre os bens, a princípio você teria direito à metade dos bens dele (tanto da casa quanto da empresa).
      Sobre pensão isto pode variar bastante. Sugerimos buscar um advogado especializado para analisar seu caso e entrar com o processo do divórcio.
      Desejamos que tudo se resolva!

    • Rita
    • 31/08/2018
    Responder

    Boa noite. Estive casada por 9 anos por problemas q eu não conseguia mais manter o casamento saí de casa já tem 7 meses. Somos casados com comunhão total de bens e não temos filhos juntos. Por eu ter saído de casa eu tenho direitos na divisão dos bens?

      • Par Mais
      • 31/08/2018
      Responder

      Rita, boa tarde!
      No regime de comunhão universal (que talvez seja o que você descreveu como comunhão total), você teria direito à metade de todos os bens do casal.
      O fato de ter saído de casa não muda este direito.
      No caso da comunhão parcial (que é o regime mais comum), você teria direito à metade de todos os bens do casal que foram adquiridos na constância do casamento.
      Desejamos que dê tudo certo!

  5. Responder

    Separei ha 2 anos; ja sentenciou e homologado, fizemos a partilha de bens, mas na epoca nao incluimos dividas do casal e tao pouco valores na conta bancaria, a questao e a seguinte, mesmo tendo homologado posso entrar com novo pedido para rever essa questao divida mais valores na conta do ex conjugue??

      • Par Mais
      • 03/09/2018
      Responder

      Néia, boa tarde!
      É possível abrir um processo para retificar a decisão anterior apenas quando há um “erro de fato na descrição dos bens”, ou seja, quando descobre-se que haviam bens que deveriam ter entrado na partilha no momento do divórcio e que uma das partes não tinha ciência sobre o mesmo.
      É um procedimento um tanto quanto complexo, portanto sugerimos buscar um advogado especializado para analisar o seu caso.
      Sucesso!

    • Jamile
    • 05/09/2018
    Responder

    Boa noite! Tenho uma união estável a 4 anos. Estamos nos separando. Moravamos com minha mãe, e depois de 5 meses minha sogra deu dinheiro para que comprassemos uma casa, eu escolhi eu negociei e meu esposo comprou e colocou no nome dele apenas. ( Nossa união estável é parcial, e quando comprou já estávamos juntos) Hoje temos uma filha de 1 ano e 4 meses optamos por dissolver a união ele quer vender a casa e não quer dividir comigo alegando que não ajudei a comprar financeiramente e que a mãe dele é quem deu o dinheiro. ( não existe documento de doação registrado) mas as despesas totais da casa e algumas melhorias sempre fui eu quem pagou sozinha, tenho provas, notas testemunhas etc.. Minha dúvida é, posso perder o direito a metade da casa se ele alegar que foi doação do dinheiro da mãe dele e pronto?

      • Par Mais
      • 05/09/2018
      Responder

      Jamile, boa tarde!
      Pelos fatos que você relatou a compra da casa se configura como uma doação de mãe para filho. Pelo regime no qual vocês são casados e pela casa estar apenas no nome dele a princípio você não teria direito à metade, mesmo tendo contribuído para manter. Isto porém pode ser questionado, então sugerimos buscar um advogado especializado para analisar o seu caso com mais detalhe.
      Sucesso!

        • Jamile
        • 05/09/2018
        Responder

        Obrigado! Mas li todo o artigo 541 e 108 se não me engano e consta que valores acima de 30 salários devem ser registrados para caracterizar doação. Sendo que ela não fez nenhum documento e pagou direto ao esposo da
        ex proprietária da casa. O dinheiro não foi dado ao meu esposo. Saiu da conta dela direto pra o esposo da ex proprietária! Tô com medo, de perder no litigioso!

          • Par Mais
          • 06/09/2018
          Responder

          Jamile, bom dia!
          A questão de não ter sido registrada como doação pode ser questionado numa eventual disputa judicial, mas não há garantias.
          Reforçamos a sugestão de buscar um advogado especializado para analisar seu caso mais detalhadamente para adotar a melhor estratégia.
          Desejamos sucesso!

    • SILVANI FALEIRO
    • 06/09/2018
    Responder

    Oi boa tarde.. Quanto.tempo.demora para sair uma.partilha de.bens no.sefaz..estou meu.divorciando de .odo concensual

      • Par Mais
      • 06/09/2018
      Responder

      Silvani, boa tarde!
      Tudo depende do grau de complexidade dos bens e do volume de pessoas envolvidas.
      Sugerimos que procure um advogado.
      Sucesso!

    • Lara
    • 07/09/2018
    Responder

    Ola, boa tarde. Moro c o meu marido desde 1997 e tivemos filho após 3 anos e compramos uma casa e depois de 2 anos tivemos outro filho. Em 2007 nos casamos c comunhão parcial de bens. Quais os meus direitos?

      • Par Mais
      • 11/09/2018
      Responder

      Lara, boa tarde!
      Legalmente e salvo alguma particularidade do seu caso, você tem direito a todo patrimônio adquirido pelo casal desde 1997.
      Desejamos sucesso!

    • Alex Silvestre
    • 07/09/2018
    Responder

    Boa Tarde
    Tenho uma indústria “ individual “a 8 anos e estou casado a 4 anos comunhão parcial de bens, tudo q conquistei antes e depois do casamento está no cnpj da minha indústria minha esposa nunca fez parte e nem ajudou a conquistar o patrimônio atual q está vinculado ao cnpj, sendo assim ela teria parte ?

      • Par Mais
      • 11/09/2018
      Responder

      Alex, boa tarde!
      Em uma análise 100% prática e racional, ela não teria direito às cotas da empresa, pois são bens particulares seus, adquiridos antes do casamento. Porém, em uma eventual discussão judicial, o juiz pode considerar o fato de sua esposa ter direito ao crescimento patrimonial da empresa (e consequente valorização das cotas) correspondente ao período pós casamento.
      Até mais!

    • Jose paulo
    • 10/09/2018
    Responder

    Estou separado e temos um apartamento .temos uma filha de 18 anos e um filho de 23 especial tenho direito na metade dos bens?

      • Par Mais
      • 11/09/2018
      Responder

      Jose Paulo, boa tarde!
      Pedimos desculpas, mas não ficou claro a sua dúvida. O apartamento está no nome dos seus dois filhos?
      Se sim, a princípio você só teria direito a parte do bem, caso os dois venham a falecer e não tiverem nenhum herdeiro (filhos, cônjugues…)
      Sucesso!

  6. Boa tarde , minha mãe está casada a mais de 20 anos com meu padrasto , não aguentado mais devido a ele ser preguiçoso e não ajudar ela em nada , fora maltratar ela com palavras, decidiu pedir a separação , diz ela que o advogado dela falou que vai ter que verder tudo ( uma casa aqui em SP e um terreno no litoral e um carro).
    Isso é verdade tendo em vista que ela tem mais três filhos do primeiro casamento e dois mora no mesmo terreno e ela tem mais um que é dimenor e filho dele . Como ficaria essa situação??

      • Par Mais
      • 12/09/2018
      Responder

      Diego, boa tarde!

      No caso de separação a situação dos herdeiros não interfere na divisão dos bens. Em resumo, salvo alguma particularidade do caso de sua mãe, teríamos:
      1. no caso do regime de separação total de bens: cada um fica com os bens que estiverem em seu nome.
      2. no caso do regime de comunhão parcial de bens (a mais comum): tudo que foi comprado durante os 20 anos de união será dividido 50% para cada.
      3. no caso do regime de comunhão total de bens: todos os bens são divididos igualmente, 50% para cada.

      Caso sua mãe não esteja satisfeita com o parecer do advogado dela, sugiro solicitar uma segunda opinião.
      Desejamos que tudo seja resolvido!

    • Italo C.
    • 14/09/2018
    Responder

    Boa noite! estou me divorciando, e devido a isso, o carro que minha ex-esposa ganhou de seu pai, está no nome dele, mas é ela que o utiliza todo dia.
    Já eu ganhei um carro da mesma forma porém está no meu nome.
    Ambos serão divididos ou só o meu?
    Isso contando que tenhos fotos dela bem utilizando o carro, como de severos dias em nossa garagem, que não é a mesma casa do sogro.

      • Par Mais
      • 14/09/2018
      Responder

      Italo, boa tarde!
      Você não descreveu qual é o seu regine de casamento, mas sugerimos que procure uma advogado.
      Desejamos que tudo se resolva!

    • Patricia
    • 14/09/2018
    Responder

    Me separei a dois meses e gostaria de saber como fica minha relação a partilha do bem imóvel.
    Compramos o apartamento para casarmos. Porém ele alega que adquiriu antes do casamento. Mas tenho uma nota fiscal no meu nome de uma geladeira que comprei para para ser entregue no apto.dois meses após a aquisição do bem, pois estávamos fazendo reformas. E ele continua pagando as prestações durante a constância da união .
    Nosso casamento durou 5 anos.
    Tenho direito de permanecer na propriedade até ele pagar minha parte, visto que estou desempregada e sem dinheiro?

      • Par Mais
      • 14/09/2018
      Responder

      Patricia, boa tarde!
      Sentimos muito pelo que está passando, como não temos detalhes importantes (o regime do seu casamento, por exemplo), sugerimos procurar um advogado o mais rápido possível.
      Desejamos que tudo se resolva!

    • Fernando
    • 15/09/2018
    Responder

    Bom dia , estou em uma união estável a 4 anos apenas moramos juntos sem constar nada no cartório , minha dúvida é a seguinte , construímos uma casa no quintal da minha mãe no total a casa custou 35 mil mas minha mãe contribuiu com 15 mil , minha esposa tem direito ao valor total ? E temos mais 20 mil em bens sendo carro e móveis , vou pagar a parte dela , mas não tenho como pagar tudo de uma vez , e ela alega não sair sem receber a parte inteira e quer fica morando aqui e tendo vida de solteira , saindo para festas e bailes , Aguardo resposta fico grato desde já .

      • Par Mais
      • 15/09/2018
      Responder

      Fernando, boa tarde!
      Sentimos muito por tudo que está passando.
      Na sua situação, sugerimos procurar um advogado, pois exige orientação de um especialista em partilha de bens.
      Nossa função é só mesmo esclarecer alguns pontos…
      Desejamos que tudo seja resolvido!

    • Cristina
    • 15/09/2018
    Responder

    Boa noite. Moramos juntos a quase 10 anos (faltao 3 meses) isso em 2008, fizemos um contrato de união estável em 2012. Minha dúvida é quais são meus diteitos nas partilhas dos bens? (temos um filho de 5 anos)

      • Par Mais
      • 18/09/2018
      Responder

      Cristina, boa tarde!

      No caso de separação você tem direito a 50% de tudo que foi adquirido após o início da união estável, salvo alguma particularidade do caso de vocês que possa gerar interpretação do juiz em caso de partilha de bens.
      Desejamos sucesso!

    • Maria flor siqueira
    • 16/09/2018
    Responder

    Olá vivi em União estável durante 20 anos e descidi me separar amigavelmente tínhamos um imóvel mas ele vivia dizendo que era dele entao resolvi sair da casa temos três filhos adolecentes uma menina 18anos e dois meninos um de 20 anos e outro 17 ,a minina ficou morando comigo e os dois meninos ficou com ele ,achei justo pedir pra ele vender a casa e para que pudéssemos comprar dois apartamentos mas a resposta dele era que eu tenho direito a somente a 25%do imóvel.isso é verdade

      • Par Mais
      • 18/09/2018
      Responder

      Maria, boa trade!
      Se vocês compraram o imóvel depois de iniciar a união estável, você teria direito a 50% do bem no caso da separação. De qualquer forma, recomendo você a procurar um advogado para lhe assessorar nesse caso.
      Desejamos que tudo se resolva!

    • Sabrina Sena de Macedo
    • 20/09/2018
    Responder

    Boa noite!!!fui casada á 9 anos,o meu divórcio foi consensual, só que meu ex marido não colocou os bens que adquirimos juntos,fomos casados comunhão universal de bens,ele não quer dividir os bens .
    Ficou com tudo casa,moveis.e ele vai casar com outra pessoa,eu perco o direito casa?o que devo fazer nessa situação?me ajude por favor!!!

      • Par Mais
      • 21/09/2018
      Responder

      Sabrina, bom dia!
      Nossa sugestão é que você contrate um advogado especializado em questões de família imediatamente. Mesmo ele casando com outra pessoa, voc~e não perde o direito, mas a atual situação é irregular e você deve lutar por seus direitos
      Desejamos que tudo se resolva bem!

    • Sol
    • 21/09/2018
    Responder

    Bom dia! Qd o casal tem 2 filhos menores e se separa,com quem fica a casa?

      • Par Mais
      • 21/09/2018
      Responder

      Sol, bom dia!
      Depende do regime que foi contratado… (independe se tem herdeiros ou não)
      1. no caso do regime de separação total de bens: cada um fica com os bens que estiverem em seu nome.
      2. no caso do regime de comunhão parcial de bens (a mais comum): tudo que foi comprado durante os anos de união será dividido 50% para cada.
      3. no caso do regime de comunhão total de bens: todos os bens são divididos igualmente, 50% para cada.

      Desejamos sucesso!

    • Lidiane
    • 21/09/2018
    Responder

    Estou separada mas não oficialmente o q o ex marido tem direito a casa? tenho 2 meninas menores e casei na comunhão parcial de bens, temos uma casa, um carro e um terreno q ganhei de herança como fica a minha situação?

      • Par Mais
      • 22/09/2018
      Responder

      Lidiane, boa noite!
      No caso do regime de comunhão parcial de bens tudo que foi comprado durante os anos de união será dividido 50% para cada.
      O terreno que ganhou de herança foi antes ou depois do seu casamento? Independente de qualquer coisa, sugerimos que procure um advogado para que tudo se resolva da melhor forma possível.
      Desejamos que você e suas filhas fiquem bem e tudo ocorra com serenidade.
      Sucesso!

    • Leo
    • 25/09/2018
    Responder

    Senhores
    Vou me casar , e gostaria de saber qual o regime de bens melhor se adequa a minha situação

    Trabalho, ganho 3 vezes mais que minha noiva.
    Tenho um ap quitado no valor de 350 mil.
    Tenho um carro quitado no valor de 30 mil .
    Tenho 33 mil em aplicações

    Minha noiva não possui nenhum patrimonio .

    Aguardo orientação com base nos pontos que citei .

    Grato

      • Par Mais
      • 25/09/2018
      Responder

      Leo, boa tarde!

      Depende! Depende das suas intenções enquanto casal.

      Se daqui pra frente vocês desejem ter uma vida financeira conjunta (construir um patrimônio junto) o indicado é o regime de comunhão parcial de bens, onde tudo que foi tudo que foi adquirido durante a união será dividido 50% para cada. O status do seu patrimônio anterior é preservado, ou seja, fica no seu nome em qualquer circunstância.

      Se não for o caso, e você desejem manter tudo separado, o regime indicado é o de regime de separação total de bens, onde cada um fica com os bens que estiverem em seu nome.

      Desejamos sucesso no seu casamento e estamos à disposição!

    • rosa
    • 25/09/2018
    Responder

    Boa tarde, fique amigada com uma pessoa ha 20 anos sem filhos , cuidei dos filhos dela depois de anos ela começou a cuidar de um idoso onde ela se casou no papel para herda o que ele tinha, na verdade o idoso que pediu isso pra ele, bom isso que ela me diz, depois que ele morreu ela herdou so que agora que ela conseguiu a casa dele ela passou pro nomes dos filhos e me deixou, ate o carro que comprei no nome dela e pague ela me tomou alguém pode me ajudar a respeito desse problema?

      • Par Mais
      • 25/09/2018
      Responder

      Rosa, boa tarde!
      Sentimos muito por tudo que você está passando.
      Infelizmente como sua companheira já transferiu o imóvel para os filhos dela e, como você não tinha oficializado o seu relacionamento, você só tem direito a 50% do automóvel que comprou para ela.

      Sugerimos que você procure a ajuda de um advogado especializado em vara de família.
      Digite no Google “Defensoria Pública” + (nome da sua cidade) + “vara de família”, assim você poderá pesquisar.

      Desejamos que tudo se resolva e que você supere essa fase difícil.

    • Marconi
    • 04/10/2018
    Responder

    Meu pai saiu de casa e depois de 10 anos voltou querendo a parte dele da casa ,ele entrou com uma ação na justiça e ganhou a causa .Quais as chances da minha mãe recorrer e ganhar a causa ?

      • Par Mais
      • 05/10/2018
      Responder

      Marconi, bom dia.

      Sugerimos que busque um advogado para responder os seus questionamentos.

      Sucesso!

    • Laria camila de almeida rocha dos santos
    • 05/10/2018
    Responder

    Ola boa noite minha irma foi casada a 12 anos no caso apenas juntou nunca casou oficial… conseguiu direito a uma casa do governo apenas no nome dela pq na epoca estavam separados…. ou seja estq no nome dela meu ex cunhado ajudou a pagar umas 6 parcelas depois nunca mais pagou se separaram tem dois meses ela continuou pagando inclusive 8 parcelas em atraso mais um no de agua vencida e 3 taloes de energia vecida e agora ela decidiu vender a casa pq está desempregada e nao tem condições de pagar mais as parcelas ele quer metade eles tem 3 filhos q fico com ela e ida nao pago nhuma pensao como funciona a divisao quando não está quitada? e a parte das crianças? Não é dividido junto?

      • Par Mais
      • 08/10/2018
      Responder

      Laria, bom dia!
      No caso de separação, os filhos não possuem direito ao imóvel. Nesse caso, como o imóvel foi comprado durante o período que eles já conviviam juntos em união estável, a divisão será 50% para cada, tanto do bem, quanto da dívida correspondente a ele.
      Desejamos ter esclarecido.

    • Kátia
    • 06/10/2018
    Responder

    Bom dia!
    Sou divorciada ama 1 ano e 9 meses com a partilha de 50% da casa q até hk n foi vendida, ele está namorando a 1e5 meses ela tem direito a essa partilha

      • Par Mais
      • 08/10/2018
      Responder

      Kátia, bom dia!
      Salvo alguma particularidade do seu caso, ela não tem direito à sua parte da casa. Sobre a parte que cabe ao seu ex-marido, ela também não teria direito, pois mesmo que seja considerados conviventes (união estável), os bens que ele já possuía antes do início do namoro (que é o caso dos 50% da casa que você citou) não se comunicam.
      Desejamos ter esclarecido!

    • Tatiana
    • 09/10/2018
    Responder

    Sou casada a quase 13 anos , estou me separando! tenho dois filhos de menores , o mais velho de 9 anos sofre alguns problemas de saúde e tenho vários gasto com tratamento, possuo uma casa que foi adquirida logo a pois o casa ” presente dos meus pais” só que ainda não está quitada no banco e ele nunca me ajudou com as parcelas da casa, tenho um carro que foi comprado pela minha mãe para mim ajudar com as idas ao médico com meu filho, e está no nome da minha mãe também não está quitado e existem alguns débitos em atraso e ele quer o direito sobre o carro que também nunca ajudou com nem uma parcela , a alguns dias atrás tive uma tranbose venosa localizada na perna , e estou me recuperando na casa de meus pais , ele tem algum direito de alegar que abandonei o lar ? E gostaria de saber o que realmente ele tem direito aos bens, pois a única coisa que tenho em meu nome é a casa ?

      • Par Mais
      • 12/10/2018
      Responder

      Tatiana, boa tarde!

      Sentimos muito pelo que está passando…
      Infelizmente você não informou qual é o seu regime de casamento.

      Para adiantar, descreveremos as possibilidades em caso de separação para os três regimes:
      1. No caso do regime de separação total de bens: cada um fica com os bens que estiverem em seu nome.
      2. No caso do regime de comunhão parcial de bens (a mais comum): tudo que foi comprado durante os anos de união será dividido 50% para cada.
      3. No caso do regime de comunhão total de bens: todos os bens são divididos igualmente, 50% para cada.

      Se o carro está no nome da sua mãe não entra na partilha. Sobre sua recuperação de saúde ser na casa dos seus pais, em princípio não será entendido como abandono do lar…

      IMPORTANTE: procure imediatamente a ajuda de um advogado de vara de família. A Defensoria pública atende a divórcios e separações.

      Desejamos sucesso!

    • Renata Alves
    • 10/10/2018
    Responder

    Boa noite…
    sou casada há dois anos em comunhão parcial de bens…meu marido já tinha uma casa…aumentamos ela depois de casados…e assim q casamos ele comprou uma chácara com um dinheiro q ele tinha antes de casados…qual o meu direito na partilha dos bens se separarmos?

      • Par Mais
      • 12/10/2018
      Responder

      Renata, boa tarde!

      No caso do regime de comunhão parcial de bens tudo que foi comprado durante os anos de união será dividido 50% para cada um. No seu caso, a chácara.

      Desejamos sucesso!

    • Danillo
    • 14/10/2018
    Responder

    Ola. Tenho 8 meses de casado e estou me separando. Tudo que construimos depois do casamento foram alguns moveis. Porem ela nao quer fazer a divisao dos moveis. Agente mora de aluguel porem o contrato esta no nome dela e ela me mandou embora de casa. Eu tenho que pagar pela quebra de contrato sendo que nao vou mais utilizar da casa e nem dos bens ?

      • Par Mais
      • 15/10/2018
      Responder

      Danillo, bom dia!

      Se o contrato de locação está no nome dela, você não tem nenhuma obrigação legal, já que ela continuará morando no imóvel alugado. Quanto aos móveis que foram adquiridos pelo casal, não há uma regra específica, pois esses bens não são declarados no imposto de renda. Nesse caso, cabe a conversa entre vocês para definirem qual a melhor forma de divisão e, caso não entrem em consenso pacificamente, será necessário fazer o acordo por via judicial.

      Desejamos que tudo se acerte da melhor forma!

    • erli
    • 15/10/2018
    Responder

    fomos casados por quase dois anos acabamos de nos divorciar e no caso foi consencual de ambas as partes e nao declaramos bens.moramos juntos e agora ela quer que saio da casa sendo que ajudei a construir e mobilhar a casa.outro porem que compramos tudo em nome dela.tenho algum direito

      • Par Mais
      • 16/10/2018
      Responder

      Erli, bom dia!
      Pelo seu relato o divorcio foi consensual e você deve ter concordado com as condições da sua ex-esposa. Sugerimos que procure a ajuda de um advogado especializado em vara de família.
      Desejamos que tudo se acerte.

    • Daniele de souza
    • 16/10/2018
    Responder

    Sou divorciada tenho uma casa q e minha e do meu ex marido .eu que moro nela.
    Atualmente namoro Gostaria de saber se meu namorado pode frequentar a casa,

      • Par Mais
      • 16/10/2018
      Responder

      Daniele, boa tarde!
      Legalmente você tem toda a liberdade de convidar e conviver com qualquer pessoa.
      Como você não descreveu como ocorreu o seu divorcio, seria interessante você conversar com o seu ex-marido e deixar claro a sua intenção. O diálogo sempre é positivo.
      Desejamos que tudo ocorra bem!