• 25/05/2018

Série Estratégias de Investimento – Fundos cambiais

fundos cambiais

Em épocas de grande desvalorização do real sempre se ouve que o dólar é um ótimo investimento, que sempre se valoriza, entre outras observações. A verdade é que a trajetória de qualquer moeda é bastante imprevisível e depende da interação de muitas variáveis macroeconômicas em vários países. Ainda assim, o investimento em moedas estrangeiras é viável através de um fundo cambial. Nesse artigo da série ESTRATÉGIAS DE INVESTIMENTO falaremos um pouco sobre esse tipo de fundo, assim como as suas vantagens e desvantagens.

O que são Fundos cambiais?

De acordo com a ANBIMA, um fundo cambial é um fundo de investimento que aplica pelo menos 80% do seu patrimônio em ativos relacionados direta ou indiretamente a uma moeda estrangeira. Esse investimento costuma ser realizado na forma de derivativos, como por exemplo swaps cambiais. Outra alternativa é a compra de títulos públicos ou privados denominados na moeda estrangeira. Como o objetivo do fundo é acompanhar o comportamento de uma moeda, o normal é investir em títulos de baixo risco de crédito para que esse risco não se sobressaia ao risco de mercado.

Por mais que seja extremamente complexo prever o comportamento de uma moeda, os fundos cambiais têm um escopo bastante específico. A aplicação nesse tipo de fundo consiste em uma aposta de que a moeda estrangeira vai se valorizar ou que a moeda local vai se desvalorizar. Esses são os cenários nos quais um fundo cambial obterá valorização. É importante atentar também que, apesar dos fundos cambiais acompanharem o comportamento de uma moeda estrangeira, tanto a aplicação quanto o resgate nesses fundos são sempre realizados em reais.

Outra questão importante de destacar diz respeito às criptomoedas. A CVM ainda não determinou se classifica elas como ativos mobiliários ou não e decidiu que é proibido que fundos de investimento tenham esses ativos nas suas carteiras. Assim sendo, não existem atualmente alternativas de fundos de investimento atrelados ao comportamento de criptomoedas.

Vantagens e desvantagens de um fundo cambial

Vantagens

Apesar de ser difícil prever o comportamento de uma moeda, esse tipo de fundo pode trazer vantagens em alguns cenários específicos. Para pessoas ou empresas que possuem dívidas ou obrigações em moeda estrangeira, esse tipo de fundo protege o seu poder de compra na moeda, servindo como hedge cambial.

Assim como outros fundos de investimento, os fundos cambiais têm a sua gestão realizada por um gestor qualificado. Eles contam com regras bem definidas que são observadas pelo administrador do fundo e pelos órgãos reguladores, dando mais segurança ao investidor do que a compra direta de moeda estrangeira.

Outra vantagem desse tipo de fundo é a diversificação. O comportamento de uma moeda estrangeira costuma ter uma correlação baixíssima, quase nula, com o investimento em outros ativos em moeda nacional como ações, renda fixa, ativos imobiliários, entre outros. Essa baixa correlação faz com que esse ativo ajude a melhorar a diversificação da carteira.

Desvantagens

A principal desvantagem dos fundos cambiais são a alta imprevisibilidade do movimento das moedas. Esse movimento tem alta dependência do cenário macroeconômico mundial, assim como o cenário de economias específicas. Esses cenários, por sua vez, têm grandes implicações no fluxo cambial, dificultando a previsibilidade do comportamento desse ativo. Sendo assim, o investimento especulativo nesse tipo de fundo não é aconselhável.

Outra questão relevante é a sua volatilidade. Esse tipo de fundo tem uma volatilidade alta, comparável à dos índices de ações. Sendo assim não é aconselhável investir nesse tipo de fundo os valores necessários para a sua reserva de segurança.

Além disso, assim como outros fundos de investimento, esses fundos sofrem a incidência de taxa de administração e imposto de renda. Por mais que seja algo normal em fundos de investimento, a compra de papel moeda não tem essas cobranças, portanto é mais adequada para pequenas quantias ou para o curto prazo.

Estratégias de fundos cambiais

Cambial Moedas – como foi dito antes, o escopo desses fundos é bastante específico, portanto existe basicamente um tipo só de estratégia. Ela consiste na compra de uma moeda estrangeira específica (como o dólar ou o euro) ou de uma cesta de moedas. Este tipo de estratégia obtém rendimentos quando o real se desvaloriza ou quando a moeda estrangeira se valoriza. É indicado como forma de diversificação dos investimentos da carteira ou como hedge cambial.

Conclusão

Os fundos de moedas, ou cambiais, são fundos com uma gestão principalmente passiva. Eles acompanham o comportamento de uma ou mais moedas em relação ao real. Esses fundos fazem sentido em três situações principais. A primeira dela é no caso de despesas previstas em moeda estrangeira, sejam elas a viagem de uma família ou pagamentos de uma empresa. A aplicação nesse tipo de fundo protege o poder de compra durante o tempo. A segunda situação é no caso de diversificação de uma carteira de investimentos, tendo em vista a baixa correlação do comportamento das moedas em relação aos ativos locais. Finalmente, a terceira é no caso de especulação com o comportamento da moeda em relação ao real. Confira a série Estratégias de Investimento para saber mais sobre outros tipos de estratégia.

Resumo
Série Estratégias de Investimento – Fundos cambiais
Nome do artigo
Série Estratégias de Investimento – Fundos cambiais
Descrição
De acordo com a ANBIMA, um fundo cambial é um fundo de investimento que aplica pelo menos 80% do seu patrimônio em ativos relacionados direta ou indiretamente a uma moeda estrangeira.
Autor
Nome do editor
Par Mais

CATEGORIAS BLOG

CATEGORIAS BLOG

Deixe seu comentário

    • Sheila
    • 25/05/2018
    Responder

    Esclarecedor!
    Gostei muito!

      • Par Mais
      • 25/05/2018
      Responder

      Sheila, boa tarde!
      Ficamos felizes por ter gostado. Sucesso!