Como planejar um casamento sem comprometer as finanças do casal

  • 23/09/2016
Página inicial - uso consciente - Como planejar um casamento sem comprometer as finanças do casal
como planejar um casamento

O tão esperado “Quer casar comigo?” e o famoso “Sim” marcam o começo de uma vida a dois.

Depois de encontrar o seu par, outras etapas chegam, e entre elas está o casamento. Etapas essas que envolvem planejamento financeiro.

Para não começar uma vida desequilibrada financeiramente, desde a festa de casamento até o dia a dia do casal devem ter uma organização e planejamento financeiro condizentes com a sua realidade.

Talvez, a festa de casamento seja uma das poucas tradições que ainda se mantenha em alta, por isso não devemos subestimar o seu planejamento. Dependendo do seu perfil, o custo pode variar de um carro popular a um sedã de luxo importado!

Neste post, você vai ver dicas de como planejar um casamento financeiramente saudável.

Como planejar um casamento?

Selecionamos os tópicos mais importantes na hora de planejar um casamento sem jogar dinheiro fora:

Organize-se com antecedência

Ao pensar na festa de casamento, o ideal, é se planejar com antecedência mínima de 1 ano. Porque, quanto mais tempo você tem, maior a disponibilidade de datas e fornecedores para o seu casamento. Se vocês deixarem para última hora, vocês não terão tanta margem para negociação e, em alguns casos, podem sobrar apenas os locais e fornecedores mais caros. Ou, fornecedores de menor qualidade ao custo de fornecedores de maior qualidade que vocês poderiam contratar se tivessem planejado.

Escolha a data certa

Se vocês são noivos tradicionais, o mês de maio será a opção mais cogitada, certo? O problema, que pela tradição, maio também é o mês mais caro, já que muitos casais decidem optam por esse mês, o que eleva o custo de praticamente todos os serviços que você precisar contratar. É a lógica do mercado, quanto maior a demanda, maior o preço.

Junho também costuma ter um custo maior, pois é o mês dos namorados e a demanda por flores, que é a base da decoração, costuma encarecer a festa.

Em termos de menor custo, os meses de agosto, dezembro, janeiro e fevereiro são os melhores. Principalmente agosto, por ser o “mês do desgosto”, segundo o dito popular. Porém, em agosto as temperaturas são amenas, a demanda por fornecedores é menor e, consequentemente, você consegue fazer um casamento com um custo menor, se comparado aos demais meses do ano.

Dezembro, janeiro e fevereiro, em termos financeiros, também são excelentes meses, pois o clima quente inibe a intenção dos noivos em se casar nessa época, o que é mais uma boa oportunidade para você negociar preços com os fornecedores.

Quantos convidados?

O custo da sua festa é diretamente proporcional ao número de convidados. Ou seja, quanto maior o número de convidados, maior o custo. Por isso, antes de mais nada, vocês devem ter uma noção de quantas pessoas desejam convidar, e assim, estimar o custo do casamento.

O número de convidados vai interferir em praticamente tudo: Qual igreja escolher? Qual será o local da recepção? Qual cardápio contratar? Quais e quantas bebidas comprar? Quantas flores para decoração? Quantos docinhos? Qual o tamanho do bolo? Quantos garçons? Quantos seguranças? Quantos fotógrafos na equipe? Quantos convites? Quantas lembrancinhas? Etc.

São muitas variáveis, e todas dependem diretamente do número de convidados.

O que não pode faltar na festa?

Quando você pensa em como planejar um casamento, comida de qualidade e bebida gelada são sempre os primeiros itens lembrados. Mas, não é só isso. Para uma festa ser boa, não podemos esquecer do conforto dos convidados: A decoração foi bem montada? O local tem espaço para circulação? Os aparelhos de ar condicionado dão conta? Estacionamento? Banheiros em ordem? A banda ou dj são bons?

Uma festa de casamento pode ter quase 40 prestadores de serviço, entre empresas e pessoas envolvidas na organização e execução. Você pode reduzir os riscos com fornecedores ao contratar uma cerimonialista, que vai prestar toda assessoria para organização da festa de vocês.

Importante: quando se fala em festa de casamento, falamos em dimensionar, pois um detalhe pode fazer toda a diferença e, é melhor dimensionar o número de convidados ao seu orçamento do que o seu orçamento aos serviços que você quer contratar.

Mas, como começar a vida financeira do casal?

A festa acabou. Mas, na semana seguinte o carro quebra, chega a lua de mel e vocês  gostariam de fazer certo passeio, mas a grana está curta e não vai ser dessa vez. No primeiro ano de casamento vocês se privam de comprar itens para a casa, pois ainda estão pagando as parcelas do apartamento.

Na hora, a festa vale muito a pena. Mas, e depois? Vocês comprometeram toda a reserva e investimentos para pagar a festa? Ou, sobrou dinheiro para vocês tocarem a vida sem qualquer entrave? É preciso ser realista e estar ciente que depois do casamento é que os gastos chegam.

Este é um ponto sensível e, é segunda maior causa dos divórcios (depois da infidelidade). Gastar tudo o que tem (e muitas vezes o que não tem) é imprudente e pode ser o primeiro passo para a infelicidade do casal.

Como planejar um casamento vai muito além da festa, começar pelo planejamento financeiro para a vida do casal é imprescindível. Ao fazer esse planejamento, talvez você perceba que nem todas as excentricidades são necessárias para a festa, ou que o número de convidados pode ser menor ou, ainda, que o melhor é fazer a festa mais para frente, pois vocês precisam de mais tempo para se preparar financeiramente.

Para a vida financeira do casal ser saudável, o ideal é começar com uma reserva de segurança. Priorizem o uso de uma conta conjunta para as despesas em comum e uma conta individual para as despesas pessoais.

Dividam as despesas da casa, em proporção igual ao salário. Por exemplo: se o cônjuge X responde por 60% da renda da família, então, proporcionalmente, ele responde por 60% das despesas da casa. Reservem um percentual entre 10% e 15% para gastos individuais e não esqueçam dos investimentos! Pelo menos 10% da renda mensal deve ser destinada para uma reserva financeira da família. Não importa quanto você ganhe ou consiga guardar por mês. É fundamental que o casal gaste menos do que ganha.

Que tal começar a planejar sua vida a dois baixando a nossa Planilha para controle financeiro? Ela é uma ótima aliada para controlar os gastos de maneira simples e rápida.

Saiba mais sobre finanças para casais com os nossos artigos: Finanças para casais – 10 dicas para auxiliar na conquista de objetivos, ou então veja 10 dicas para evitar brigas de casal por causa de dinheiro.

Par Mais – 23.09.2016

A Par Mais Empoderamento Financeiro tem um propósito claro: fazer com que as pessoas mudem sua relação com o dinheiro para alcançar a liberdade e serem mais felizes. Os especialistas da Par Mais desenvolveram um método que visa tornar qualquer pessoa capacitada a ter o controle das suas finanças. Conheça os nossos serviços. Clique aqui.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

Últimas publicações