Como fazer análise de viabilidade econômica e financeira?

  • 18/04/2017
Página inicial - Empresas - Como fazer análise de viabilidade econômica e financeira?
Como fazer análise de viabilidade econômica e financeira

A análise de viabilidade econômica e financeira é um tema muito falado no mundo dos negócios. Todos sabem que é muito importante realizá-la antes de investir, mas nem todos sabem como fazer. Qual é o seu conceito? Quais são as etapas? Que indicadores analisar? Como analisá-los? Neste artigo você verá um pouco mais sobre como fazer análise de viabilidade econômica e financeira de uma empresa.

O que é análise de viabilidade econômica e financeira?

A análise de viabilidade econômica e financeira é um estudo que visa a medir ou analisar se um determinado investimento é viável ou não. Em outras palavras, a análise de viabilidade econômica e financeira irá comparar os retornos que poderão ser obtidos com os investimentos demandados, para decidir se vale a pena ou não investir.

Por que fazer?

Ela se faz importante devido ao fato de ela medir se um investimento trará retorno ou não para o investidor. Com isso, o investidor consegue eliminar projetos em que não compensa investir e direcionar seu esforço e dinheiro para projetos mais promissores, especialmente quando é necessário decidir entre dois ou mais projetos e se tem dinheiro para investir em apenas um.

Como fazer análise de viabilidade econômica e financeira?

Para fazer uma análise de viabilidade econômica e financeira é necessário seguir algumas etapas, sendo elas: projeção de receitas que o projeto terá; projeção de custos, despesas e os investimentos necessários; análise de alguns indicadores calculados em cima dos dados projetados de receitas, despesas, custos e investimentos.

1. Projeção de receitas

A projeção de receitas é realizada para identificar a capacidade de gerar dinheiro para o investidor. Essa projeção deve seguir algumas premissas importantes, como por exemplo: deve-se conhecer bem o mercado, para evitar projetar números que sejam impossíveis de ser atingidos.

Outra premissa importante é a de nunca começar a projeção de receitas com a capacidade total de geração de receitas, ou seja, deve-se começar a projeção com números mais realistas, como 50% da capacidade ou até menos. Tudo depende do mercado e dos investimentos que serão feitos.

Uma última premissa importante é sempre projetar crescimentos para as receitas, e isso é válido também para a projeção de custos, despesas e investimentos, pois tanto eles como a receita dificilmente permanecerão no mesmo patamar. Veja na tabela a seguir um exemplo da projeção de receitas baseado na estimativa de vendas de cada produto.

2. Projeção de custos, despesas e investimentos

Da mesma forma que foi realizada para as receitas, a projeção de custos, despesas e investimentos da análise de viabilidade econômica e financeira deve obedecer algumas premissas. A principal delas é a de que devem existir custos, despesas e investimentos que justifiquem a sua projeção de receitas.

Por exemplo, se você estiver projetando a abertura de uma pequena indústria, sua projeção de vendas depende da capacidade da empresa de produzir. Logo, será necessária a existência de investimentos em maquinários, além de custos e despesas condizentes com essa projeção de produção.

Outro exemplo é a hipótese de que você projetou uma participação de mercado grande para o crescimento de sua empresa. Logo, é necessário que sejam realizados gastos elevados com marketing e propaganda ao longo da projeção. Vale lembrar também da importância de se projetar reinvestimentos. Um erro muito comum é o de considerar apenas um investimento inicial e assumir que a estrutura da empresa ou do projeto não irá se modificar.

Veja na tabela a seguir um exemplo de projeção de despesas para os mesmos produtos que foram projetadas receitas na seção anterior deste artigo.

Como fazer análise de viabilidade econômica e financeira

3. Projeção dos fluxos de caixa

O fluxo de caixa é a dinâmica do dinheiro que entra e sai da empresa todos os dias. É um instrumento essencial para realizar a gestão financeira de uma empresa. O fluxo de caixa será obtido pela diferença entre as projeções das receitas e das despesas.

Como exemplo, o gráfico abaixo mostra como fica o fluxo de caixa para todo o ano para as projeções de receitas e despesas que já foram apresentadas.

Como fazer análise de viabilidade econômica e financeira

4. Análise de indicadores

Após ter realizado a projeção de receitas, custos, despesas e investimentos, e ter chegado à projeção dos fluxos de caixa, a análise de viabilidade econômica e financeira parte para a análise de indicadores.

Existem vários indicadores para se analisar a viabilidade econômica e financeira de um projeto. Porém, iremos falar de apenas três deles: o Valor Presente Líquido (VPL), a Taxa Interna de Retorno (TIR) e o Payback.

É na etapa de análise de indicadores que o investidor irá descobrir se o investimento deve ou não ser realizado, pois analisando estes indicadores será possível identificar a viabilidade e a expectativa de lucros, além do tempo necessário para recuperar o total investido.

Conheça nossos serviços empresariais

Taxa Mínima de Atratividade – TMA

Antes de falar sobre os indicadores, é válido comentar sobre a Taxa Mínima de Atratividade (TMA). Essa taxa representa o retorno mínimo esperado para um investimento. A TMA é definida levando-se em consideração a fonte de capital (próprio ou através de empréstimos), além da margem de lucro que se espera obter com o investimento.

A TMA varia conforme a empresa, e pode ser apurada de diversas maneiras. Uma referência geral para a TMA das empresas no Brasil é a taxa SELIC, taxa básica de juros da economia brasileira, pois ela afeta tanto o lado da captação de recursos, quanto das aplicações financeiras.

Por exemplo, com a taxa SELIC em queda o acesso ao crédito fica mais barato, o que reduz o custo de capital de terceiros e consequentemente a TMA de uma empresa.

Ainda, com a queda da SELIC as aplicações financeiras atreladas a ela têm sua rentabilidade reduzida, o que reduz o custo de oportunidade e também impacta em uma menor TMA. De forma oposta, altas na taxa SELIC levam a uma maior TMA.

Valor Presente Líquido (VPL)

O VPL é um indicador que analisa todos os fluxos de caixa esperados pelo investimento, em uma mesma data. Ou seja, todos os fluxos de caixa são descontados a uma Taxa Mínima de Atratividade (TMA) até a data do investimento. Esses fluxos são então somados e de seu total é subtraído o valor do investimento.

Se o resultado do cálculo do VPL for positivo, significa que o projeto tem capacidade de gerar lucros. Caso seu valor seja nulo (zero), significa que o projeto se paga ao longo dos anos, mas sem gerar lucro.

E por fim, se o resultado for negativo, significa que o projeto não gera lucro e sim prejuízo.

Taxa Interna de Retorno (TIR)

A TIR representa a rentabilidade de um projeto de investimento. É expressa na forma de uma taxa percentual, seguindo a periodicidade dos fluxos de caixa.

Por exemplo, se os fluxos de caixa são mensais, então a TIR resultante será também mensal. Se os fluxos são anuais, a TIR também será anual. Por isso, é dita como uma medida relativa. Quando substituída pela TMA no cálculo do VPL, o VPL torna-se “zero”.

Ao se analisar a TIR, deve-se ter em mãos a taxa mínima de atratividade (TMA) do investimento, pois será necessário comparar essas duas taxas. Ao se fazer a comparação, depara-se com três possíveis cenários.

  1. O primeiro deles é quando sua TIR é maior que a TMA. Neste cenário, seu projeto consegue pagar o investimento e ainda sobra capital (lucro).
  2. No cenário onde a TIR = TMA, significa que seu projeto consegue pagar o investimento sem gerar lucro.
  3. E o terceiro cenário é quando sua TIR é menor que a TMA, ou seja, seu projeto não consegue sequer pagar o investimento, gerando prejuízo.

Payback

O Payback é o indicador que mede quanto tempo um projeto levará para gerar os retornos que paguem o investimento. Existem duas formas de se calcular o payback.

A primeira forma é o payback tradicional, também chamado de payback simples, que não leva em consideração o valor do dinheiro no tempo. Por exemplo, se você investiu R$100.000,00 reais em uma empresa e ela gera retornos mensais de R$10.000,00, o payback será de 10 meses.

Outra forma de calcular é através do payback descontado, em que se utiliza a TMA para descontar os fluxos de caixa e trazê-los à mesma data do investimento inicial.

Exemplo de análise de viabilidade econômica e financeira

A partir do exemplo de projeção de fluxo de caixa apresentado aqui neste artigo, seguem os resultados de cada um dos métodos de análise de viabilidade econômica e financeira que foram citados.

A tabela a seguir apresenta o fluxo de caixa do projeto e o saldo acumulado, utilizado para cálculo do período de payback.

O saldo acumulado soma os fluxos ao investimento inicial. Quando o saldo deixa de ser negativo tem-se o período de payback. O saldo descontado acumulado utiliza a TMA. Neste caso hipotético a TMA da empresa foi de 3% ao mês.

Como fazer análise de viabilidade econômica e financeira

Por fim, a próxima tabela apresenta o resultado da análise econômica e financeira do exemplo deste artigo. Com uma TMA de 3% ao mês, o VPL do projeto foi positivo e a TIR foi superior à TMA.

Por isso, a conclusão é que este projeto de investimento é viável e deveria ser escolhido pela empresa. Vale ressaltar que neste exemplo foram utilizados fluxos mensais, mas na prática é comum também que seja utilizada uma periodicidade anual, especialmente para projetos de longa duração.

Como fazer análise de viabilidade econômica e financeira

Análise de viabilidade econômica e financeira – Conclusão

Este artigo mostrou a importância de se realizar uma análise de viabilidade econômica e financeira, além dos principais pontos necessários para sua realização.

Importante destacar a necessidade de se fazer projeções realistas para o mercado e sempre justificadas por custos, despesas e investimentos em proporção similares.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 103

       
  1. AMEI APRENDI MUITO ESTOU FAZENDO A METODOLOGIA DO MEU TCC, E VOU PRECISA DESSES CONHECIMENTOS. VOCÊS PODERIAM ME AJUDAR NO TEMA SOBRE ESTUDO DA VIABILIDADE DA ENERGIA FOTOVOLTAICA EM RESIDÊNCIAS?

    1. Flavia, boa tarde!
      Não realizamos esse tipo de análise, mas se precisar usar nosso material como referência, basta citar “Time de Especialistas ParMais”.
      Sucesso!

    1. Rodrigo, boa tarde!
      Nossos artigos são realizados por nosso Time de especialistas, basta citar “Time de Especialistas ParMais”.
      Sucesso!

  2. Boa tarde, estou vendo a possibilidade de montar um negócio. Queria alguém com experiência para me instruir quanto a Viabilidade do meu negócio. “Butique de Carnes”. Já tenho local em vista, Só preciso de uma ajuda se realmente o local é viável.

    Vocês fazem esse tipo de serviço?
    Se fizerem, aguardo retorno.

    1. Juninho, bom dia!
      Tudo dependerá do tamanho e complexidade do projeto a ser analisado. Quanto maior for o projeto, mais variáveis deverão ser analisadas e mais tempo irá levar o estudo. Portanto, não há como precisar um prazo, tudo dependerá do escopo a ser analisado.
      sucesso!

Mais comentários

Últimas publicações