Sua conta
  • 17/06/2015

Aposentadoria do INSS

Início / Na Mídia / Aposentadoria do INSS

Aposentadoria do INSS

Aposentadoria do INSS é subestimada diz Jailon Giacomelli

Obter uma boa aposentadoria requer não apenas planejamento e investimentos alternativos, mas também a contribuição ao INSS. A fórmula parece fácil, mas é grande o número de pessoas que não investem na previdência social por desacreditar no rendimento. A recomendação é do consultor financeiro Jailon Giacomelli, da Par Mais Planejamento Financeiro. Para ele, apesar de não trazer um rendimento alto, o INSS deve ser visto como um complemento importante.

“É frequente, principalmente entre empreendedores, a ideia de que contribuir mais que o mínimo permitido ao INSS não vale a pena. Mas não devemos pensar no INSS como única fonte de renda na aposentadoria. Os cálculos mostram que quando entramos numa idade mais avançada, com mais chances de gastos médicos imprevistos, o ideal é pensar na aposentadoria como uma composição de várias rendas, incluindo o INSS. Pode-se pensar também em fundos de pensão coletivos, ações e fundos imobiliários, carteiras de investimentos e papéis de longo prazo do Tesouro Nacional, por exemplo”, explica Giacomelli. Entretanto, pensar na aposentadoria ainda é algo ignorado sobretudo entre os jovens, pois há uma certa falta de educação financeira. Uma pesquisa do Serasa Experian e IBOPE Inteligência apontou, no ano passado, que apenas 31% dos jovens entre 16 e 24 anos contribuíam ao INSS e só 1% tinha previdência privada.

A aposentadoria do INSS nunca será menor que o salário mínimo (hoje de R$ 788,00) ou maior que o teto da previdência (atualmente de R$ 4.663,75). Optando por contribuir sempre no menor valor possível, provavelmente essa aposentadoria ficará na faixa próxima à do salário mínimo. Isso até pode servir a quem tem outras rendas, mas é preciso lembrar que os benefícios do INSS não ficam apenas na aposentadoria por tempo de serviço. Há também a aposentadoria por invalidez e a pensão por morte, também proporcionais à contribuição.

Vale ressaltar que o valor da renda mensal depende do tipo de aposentadoria escolhida, o tempo de contribuição e a idade na aposentadoria, portanto mesmo contribuindo pelo máximo a renda pode não alcançar o teto. O importante, observa Jailon, é fazer um planejamento financeiro desde o mais cedo possível e construir uma série de rendas que, juntamente à aposentadoria do INSS, vão possibilitar uma velhice mais tranquila.

 

Confira a entrevista que foi ao ar ontem (16/06/2015) na íntegra: 

 

 Aposentadoria do INSS por Jailon Giacomelli – 17.06.2015

A Par Mais Planejamento Financeiro tem um propósito claro: trabalhamos para auxiliar cada um de nossos clientes a construir sua tranquilidade financeira. Atuamos na área de planejamento financeiro pessoal, family office, gestão patrimonial, consultoria financeira para empresas e consultoria de investimentos.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

×