Planilha de gastos pessoais

  • 16/06/2016
Página inicial - uso consciente - Planilha de gastos pessoais

Planilha de Gastos Pessoais

Uma planilha de gastos pessoais é um conjunto de lançamentos de tudo o que uma família desembolsou em determinado mês, organizados de maneira sistemática. Com isso, é possível realizar análises dos lançamentos feitos e mudar ou adaptar os hábitos que comprometem o orçamento.

O uso de uma planilha de gastos pessoais (também chamada de planilha de controle financeiro, ou planilha de rendas e despesas) é uma boa prática para ser executada no dia a dia, tanto para quem vive sozinho quanto para quem convive em um ambiente familiar. Quem controla suas finanças sabe para onde vai seu dinheiro, consegue estabelecer metas e alcançar seus objetivos de vida!

Planilha de gastos pessoais e o controle financeiro

O controle financeiro pode ser feito por meio de aplicativos para smartphones, softwares, planilhas eletrônicas (Excel), ou até mesmo por anotações em uma agenda pessoal. Porém, o ponto principal não é o controle de gastos pessoais, mas sim o que é feito com os dados coletados!

Não basta ter todos os dados de rendas e despesas coletados na sua planilha de gastos pessoais se nenhuma análise gerencial é realizada. Essa é uma situação semelhante a de quem possui o ótimo hábito de poupar, mas não cuida onde investe o seu dinheiro!

O controle das finanças é fundamental para quem deseja conquistar seus sonhos ao longo dos anos. Como foi explicado, além de controlar os gastos é preciso aplicar análises gerenciais aos dados, sempre de forma alinhada com os objetivos e com um planejamento financeiro pessoal.

Planilha de gastos pessoais

O que é lançado na planilha de gastos pessoais?

Rendas

As rendas da família contemplam as entradas de dinheiro referentes ao trabalho, a remuneração de aplicações financeiras, ao recebimento de aluguéis, entre outros.

Despesas e gastos pessoais

Ao contrário das rendas, as despesas são as saídas de recursos usadas para manter o padrão de vida da família. A Par Mais classifica as despesas em dois grandes grupos: despesas rotineiras e eventuais.

As despesas rotineiras são aquelas que pertencem à rotina, ou seja, ao dia a dia da família, como é o caso de alimentação, conta de telefone, energia elétrica, IPTU, IPVA, matrícula e mensalidade escolar, farmácia, academia, entre outras.

As despesas eventuais são aquelas que acontecem em momentos específicos (em geral 1 vez no ano) e impactam muito no bolso. Apesar da relevância das despesas eventuais, elas comumente são esquecidas pelas pessoas na hora de estimar suas despesas familiares. Os exemplos mais comuns são:

  • troca de carro;
  • viagens;
  • reformas e mobílias na casa / apartamento;
  • compra de grandes presentes (como joias, relógios, bolsas);
  • realização de festas ou eventos sociais, como por exemplo, um casamento ou aniversário de 15 anos da filha.

Patrimônio

Além de você registar o valor dos seus imóveis e investimentos financeiros, você deve registar todos os recursos aplicados ou recebidos que, dependendo do resultado, podem aumentar ou diminuir o patrimônio da família. São exemplos de itens que alteram a composição patrimonial: as aplicações ou resgates de investimentos financeiros, o recebimento da venda ou o valor investido na compra de um imóvel, entre outros.

Como analisar a planilha de gastos pessoais?

Como mencionado, de nada adianta ter todo o controle financeiro em dia e a planilha de gastos pessoais preenchida se não houver um olhar gerencial que esteja alinhando com um planejamento financeiro e aos objetivos a serem atingidos. Por isso, preparamos algumas dicas para gerar uma boa análise a partir da sua planilha de gastos pessoais:

  1. Utilize percentuais: percentuais dão uma visão mais clara sobre a participação de cada categoria de despesa no total gasto em cada mês. Encontre o percentual das despesas rotineiras e eventuais em relação ao total gasto, mas também encontre a participação percentual de cada subcategoria de despesas (casa, lazer, alimentação, roupa e estética, entre outros) em relação ao seu total.
  2. Busque por sazonalidades: é comum que em alguns meses os gastos sejam maiores do que em outros. Geralmente o mês de dezembro possui despesas elevadas para todos, devido às compras de presentes para as festas de fim de ano. Mas existem outros exemplos de sazonalidade que variam para cada pessoa, como o mês de renovação do seguro do carro, pagamento de IPVA, compra de presentes caros no mês de aniversário de casamento, entre outros.
  3. Identifique as categorias de despesas que mais impactam no orçamento:  reduzir as despesas que mais impactam no orçamento costuma ser a melhor saída para conseguir aumentar a quantidade de dinheiro que sobra no final do mês. Se necessário, mude seus hábitos, pois isto pode representar ganhos enormes no futuro!

Dica: após ter feito todo o levantamento das rendas e despesas e os respectivos lançamentos na planilha de gastos pessoais (controle financeiro), utilize os dados como base para fazer seu orçamento financeiro pessoal / familiar para o ano seguinte. Assim seu orçamento ficará muito próximo à sua realidade e você poderá prever algumas peculiaridade que apenas são percebidas após o levantamento das rendas e despesas, como casos de sazonalidade nos gastos em um mês específico, por exemplo.

Comece a controlar os gastos pessoais desde cedo!

Quanto mais cedo as pessoas desenvolverem esse hábito, melhor será para a manutenção de uma boa saúde financeira. Se você convive com crianças e jovens deve incentivá-los a ter o controle das suas despesas para que, desde cedo, eles entendam a importância de ter uma boa relação com o dinheiro. Confira a nossa planilha especialmente desenvolvida para o gerenciamento da mesadinha da garotada:

Planilha mesadinha
Conheça os serviços da Par Mais e descubra como podemos ajudá-lo a controlar seus gastos pessoais de maneira planejada, sem que seu padrão de vida seja drasticamente alterado.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

Últimas publicações