Sua conta
  • 19/01/2018

Mudanças do FGTS

Início / Vida financeira / Mudanças do FGTS

Recentemente ocorreram diversas mudanças do FGTS, mudanças que afetam direta ou indiretamente quase toda a população. Você sabe quais foram e como elas te afetam? Para ajudar com essa questão nós decidimos listá-las de uma maneira compreensiva, então dê uma olhada no que mudou.

Rentabilidade do FGTS

O FGTS, apesar de ser um fundo que faz vários investimentos em diversos setores, possui uma rentabilidade baixíssima, uma das piores do mercado. Antes da mudança ela era de cerca de 3%, mais a Taxa Referencial, ou seja, se quer batia a inflação e no longo prazo você perderia poder de compra deixando dinheiro no FGTS. Para melhorar essa situação, ficou estabelecido que metade do resultado líquido do FGTS seria repartido com os cotistas, ou seja, com todos que tem dinheiro no fundo. Em 2018 isso significa que a sua rentabilidade passará de 3% para 4,8%, um aumento de 60%, estando agora acima da inflação. Essa mudança na regra não é garantia que em outros anos a rentabilidade será maior que a inflação, mas já é bastante significativa, pois é um passo na direção certa para dar mais transparência ao FGTS e melhorar a rentabilidade de quem efetivamente aporta dinheiro no fundo.

Fim da multa de 10% adicional

Quando um empregador realiza uma demissão sem justa causa, ele pagava duas multas sobre o FGTS. A primeira é de 40% sobre os valores depositados no fundo, que vai diretamente para o trabalhador e não foi alterada. Já a segunda é uma de 10% também sobre o valor total depositado no fundo, que ia para uma reserva do próprio fundo e não beneficiava o trabalhador. Essa segunda multa foi extinta, ou seja, não prejudicou o trabalhador, mas diminuiu as taxas que o empregador paga, diminuindo assim o seu custo e melhorando a sua eficiência.

Analise seus investimentos com os especialistas da Par Mais

Compra de Imóvel

Antes da mudança na regra, havia um teto no valor do imóvel que pode ser financiado com recursos do FGTS. Esse teto era de 950 mil reais nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal e de 800 mil reais nos outros estados. Esse teto agora aumentou para 1,5 milhão de reais e passa a valer igualmente para qualquer estado do país. Além disso, os recursos do FGTS podem ser usados também em consórcio de imóveis, permitindo que você de lances ou amortize o seu saldo devedor com o saldo do FGTS. Essas mudanças flexibilizam a utilização do fundo pelo trabalhador, o que é sempre positivo, pois pessoas que possivelmente não podiam acessar o fundo porque estavam em uma das situações acima, agora já se enquadram e podem diminuir as suas dívidas. Além disso essa medida tende também a estimular o setor imobiliário pois aumenta o acesso a esse mercado.

No geral essas mudanças foram bastante positivas como um todo. Caso você se enquadre em uma das situações que citamos acima, utilize o seu saldo junto ao fundo pois, por mais que a rentabilidade tenha melhorado, é quase certo que ainda é menor do que os juros pagos no financiamento do imóvel ou mesmo de um consórcio.

Onde você está, aonde quer chegar?
Nossa função é tornar sua jornada mais rápida e mais rentável. Escolhemos com você os investimentos que precisa, alinhados às suas necessidades. Clique aqui.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 29

       
  1. Boa noite

    Se utilizar meu fundo de FGTS para quitar meu financiamento em caso de rescisão de contrato de trabalho sem justa causa recebo os 40% de multa do FGTS normal do valor que a empresa depositou durante o contrato de trabalho ou somente 40% do saldo atual da demissão ?

    1. Gilmar, bom dia!
      Você receberá a multa sobre o valor rescisório.
      O extrato do FGTS emitido pela CEF, traz o saldo que efetivamente está na conta e outro, para fins rescisórios, incluindo valores sacados para diversos fins (o principal é para uso no âmbito do SFH).
      Por exemplo, se você for demitido, suponha que seu saldo na época da demissão seja de R$50 mil, mas antes foram retirados outros R$30 mil para amortizar o seu financiamento. A base da multa será de R$80 mil, e não os R$50 mil que estão na conta e serão liberados.
      Desejamos ter esclarecido!

  2. Olá no meu caso o imóvel já foi comprado e quero utilizar o saldo do FGTS para quitar algumas parcelas, dessa forma há alguma regra para fazer nova vistoria no imóvel e alterar o contrato existente?

    1. Flavia, boa tarde!
      Não é do nosso conhecimento essa prática.
      Sugerimos que procure a instituição financeira do seu atual financiamento.
      Desejamos sucesso!

  3. Bom dia,
    Tenho um saldo devedor do meu financiamento de 108 mil (modo SAC), tenho também 50 mil de fundo de garantia, devo amortizar o saldo devedor ou esperar para quitar de uma vez? Visto que com o deposito do FGTS x AMORTIZAÇÃO, termino o financiamento em 5 anos, ao invés de 21 anos esperando o financiamento acabar.

    1. Charles, bom dia!
      Nossa sugestão é que você solicite à instituição financeira do seu financiamento a realização de simulações, pois assim você poderá analisar de forma mais concreta a melhor opção.
      Desejamos sucesso!

    1. Marcia, bom dia!
      A princípio, sim. Sugerimos que procure o Posto de Atendimento da CDHU para ver se existem outras regras ou normas.
      Desejamos sucesso e um ótimo final de semana.

  4. Tenho uma casa financiada e gostaria de saber como utilizar o FGTS como pagamento de parcelas . Sei que tenho que cadastrar. Porem não consigo.
    alguem pode me ajudar.

    1. Maria, bom dia!
      Para utilizar o FGTS o seu contrato de financiamento deve ter sido assinado no âmbito do Sistema Financeiro Habitação (SFH).
      Infelizmente não temos como ajudá-la, mas o ideal é você ir pessoalmente na instituição financeira onde realizou o financiamento e procurar os responsáveis por este setor. Leve os seus documentos e o do financiamento.
      Desejamos muito sucesso nesta operação e uma ótima semana para você sua família!

Mais comentários
×