Sua conta
  • 09/08/2019

Fundos Long Short: o que é e como funciona

Início / Investimentos / Fundos Long Short: o que é e como funciona
 Fundos Long Short

Long Short é uma estratégia de investimento que conjuga posições compradas (long) com posições vendidas (short), gerando assim um retorno de acordo com a alta das posições compradas e/ou a baixa das posições vendidas. Essa estratégia é mais comumente realizada com ações, mas pode ser utilizada também com outros ativos financeiros que tenham relação entre si.

A estratégia long short busca minimizar a sua exposição ao risco de mercado, ganhando por meio do desempenho relativo da ação comprada em comparação com a ação vendida.

Como funciona o long short?

A estratégia long short funciona explorando tanto o potencial de alta de certas ações quanto o potencial de baixa de outras ações. Os fundos long only só podem tomar posições compradas, ou seja, se eles veem que uma ação deve ter um comportamento de queda, o máximo que podem fazer é não comprar o ativo. Um fundo long short pode aproveitar a situação e vender a descoberto a ação que deve ter um comportamento de baixa, ganhando com esse movimento de mercado.

Estratégias de fundos long short

Tendo a liberdade de ter posições compradas e vendidas, dependendo do fundo e do gestor, é possível adotar diferentes estratégias para gerar rentabilidade aos seus cotistas, como por exemplo as seguintes:

– Market neutral

essa estratégia tem posições compradas e vendidas na mesma proporção e busca neutralizar o risco de mercado (como por exemplo o da bolsa cair), porém, aproveitando uma exposição ao mercado de ações. Essa estratégia geralmente tem um bom retorno ajustado ao risco, tendo em vista que busca trazer rentabilidade superior a de segmentos menos arriscados (como da renda fixa atrelada ao CDI), mas possui bem menos risco que um fundo tradicional de ações.

– Long biased

Essa estratégia se assemelha mais a de um fundo tradicional de ações, no entanto, nesse tipo de fundo, geralmente o gestor alavanca a sua posição comprada e ainda tem a alternativa de ganhar ou proteger alguma das suas posições compradas com posições menores vendidas.

– Short biased: 

Essa é uma estratégia raríssima de se encontrar no Brasil, mas que é adotada por alguns gestores menos convencionais no exterior. Ela é o inverso da long biased e o portfólio baseia-se principalmente em posições vendidas, que ganham com uma queda, contrabalanceadas com algumas posições compradas menores.

– Livre

Existem ainda os fundos long short livres, nos quais o gestor tem a liberdade de estar majoritariamente comprado, vendido ou neutro de acordo com a sua visão do mercado.

Pair Trade

Uma das maneiras mais comuns de se fazer long short na prática é por meio do pair trade, que nada mais é que encontrar pares de ações que neutralizam o risco de mercado, mas que podem gerar um ganho relativo entre o par devido ao seu desempenho.

Um bom exemplo disso seria a compra de uma posição long em Apple e short em Alphabet (a controladora do Google). Veja que as duas empresas são americanas, mas tem receitas globais e ambas se baseiam em alta tecnologia para gerar valor aos seus acionistas. Ou seja, caso haja risco de o mercado americano todo cair ou do setor de tecnologia ser afetado de alguma forma, esse par de long short não seria muito afetado, pois a posição comprada e a posição vendida se neutralizariam. O retorno na verdade vem do diferencial entre o desempenho da posição comprada em comparação à posição vendida.

pair trade pode ser feito com diversos tipos de estratégia diferentes, desde que se veja um ganho relativo entre as empresas, como nos exemplos abaixo:

  • Mesma indústria, países diferentes (ex: Nike x Adidas)
  • Mesma indústria, público consumidor diferente (ex: LVMH x H&M)
  • Mesma indústria, teses diferentes (ex: Ford x Tesla)
  • Mesma indústria, segmentos diferentes (ex: Transmissão Paulista x Ômega Geração)
  • Ações ordinárias x ações preferenciais (ex: Petrobrás ON x Petrobrás PN)
  • Empresa x controlador (ex: Itaú Unibanco x Itausa)
  • Setores diferentes que competem entre si (ex: Magazine Luiza x Iguatemi)
  • Concorrentes diretos (ex: Localiza x Movida)
  • Mesmo setor, regiões diferentes (ex: Sabesp x Sanepar)
  • Moedas (ex: Franco Suíço x Dólar Australiano)
  • Commodities (ex: Café x Soja)

Veja que existem várias maneiras diferentes de fazer long short, no entanto, todas elas exigem um conhecimento profundo das empresas em questão para que haja um entendimento claro das vantagens da posição comprada em relação à posição vendida. Caso contrário, o “estrago” pode ser nas duas pontas.

Vantagens e desvantagens do long short

A estratégia dos fundos long short é bastante interessante, dependendo do objetivo do investidor. Ela permite que o gestor ganhe não apenas com mercados de alta, mas também em mercados neutros ou de baixa. Além disso, ela costuma ser mais eficiente em termos de risco do que posições em fundos de ação long only. Outra grande vantagem é a descorrelação do seu retorno com o mercado de ações e várias outras estratégias de investimento.

Essa estratégia, no entanto, tem as suas desvantagens. Não é tarefa simples bater os índices de mercado e escolher corretamente as ações que vão subir em um mercado tão vasto e complexo, acertar as que vão subir e as que vão descer pode ser uma tarefa ainda mais difícil. Para a realização dessa estratégia, é necessária uma equipe com um vasto conhecimento e ainda assim não há garantias de acerto. Devido a sua complexidade, esses fundos costumam cobrar taxas tão altas quanto as de outros fundos de ações ou multimercado.

Conclusão

Os fundos long short são uma alternativa de investimento em ações que possuem menos volatilidade e geralmente uma baixa correlação com o mercado em geral. É uma estratégia complexa que exige uma equipe de gestão com um grande conhecimento específico, mas que pode fazer sentido na composição de um portfólio diversificado.

Resumo
Fundos Long Short: o que é e como funciona
Nome do artigo
Fundos Long Short: o que é e como funciona
Descrição
Fundos Long Short são uma estratégia de investimento que conjuga posições compradas (long) com posições vendidas (short), gerando um retorno de acordo com a alta das posições compradas e/ou a baixa das posições vendidas.
Autor
Nome do editor
Par Mais

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

×