Investir e morar fora: conheça o visto específico para investidores

  • 23/11/2021
Página inicial - Blog - Investir e morar fora: conheça o visto específico para investidores
Visto de Investidor - Um carimbo usado para marcar passaportes em destaque verde para ilustrar o post.

Conhecer outros países pode ser uma experiência incrível, tanto para viajar quanto para morar. Mas uma opção que pode render frutos maravilhosos em termos de negócios é se tornar um investidor nos países estrangeiros. E o que muitas pessoas não sabem é que é possível tirar um visto de investidor no exterior que permite até mesmo residência permanente no exterior. 

Mas para que isso aconteça é preciso que o investidor se adeque às regras e exigências específicas de cada país estrangeiro desejado.

Pensando nesses requisitos de cada país, a ParMais separou uma lista com alguns países e os requerimentos necessários para a concessão de visto de residência permanente para investidores.

Estados Unidos

O visto americano é por si só um dos mais requisitados do mundo e na modalidade de investidor a realidade não é diferente. 

Conhecido como EB-5, o visto de investidor americano foi criado em 1990 com a finalidade de atrair investimentos estrangeiros para o país e gerar mais empregos.

O EB-5 é feito para quem deseja aplicar cerca de US$900 mil em uma empresa americana ou abrir seu próprio negócio. O governo americano autoriza certas regiões para essa modalidade de visto, emitindo 700 autorizações em cada área.

O investidor pode com a autorização levar para o país o cônjuge e filhos solteiros menores de 21 anos. 

Entre os pré-requisitos para conseguir a aprovação do EB-5:

  • investir cerca de US$ 500 mil em um setor de crise do país
  • Investir US$ 900 mil, caso queira abrir uma empresa nos EUA e gerar pelo menos 10 empregos em dois anos

Para solicitar o visto de investidor americano é preciso comprovar que todos seus rendimentos são legais antes de iniciar o processo.

Reino Unido

Outro país que incentiva a chegada de investidores estrangeiros é o Reino Unido.

E para conseguir o visto de residência há duas alternativas. A primeira delas é a opção Investor Tier 1, nela é preciso investir no mínimo 2 milhões de libras em ativos no Reino Unido por, no máximo, cinco anos.

E quem consegue essa autorização pode viver, trabalhar e estudar no Reino Unido sem qualquer restrição, entrando e saindo do país a qualquer momento.

Portugal

A nação ibérica é um país muito procurado pelos brasileiros e com os investidores não é diferente. Recentemente, Portugal reformulou as regras para o Golden Visa, o programa que torna possível ter um visto investidor no país.

Entre as atuais exigências para se conseguir o visto de investidor:

  • Transferência para Portugal de capital mínimo de €1.500.000
  • Transferência de pelo menos 500.000€ para fundos de investimento ou fundos de capitais.
  • Aquisição de bens imóveis residenciais no valor mínimo de 500.000€.
  • Compra de imóveis para reabilitação, com mais de 30 anos ou localizados em áreas de reabilitação urbana com valor mínimo de 350.000€
  • Transferência mínima de 500.000€ para a constituição de uma sociedade comercial, ou para investimento numa sociedade já constituída. Criação ou manutenção de pelo menos 10 postos de trabalho em cada caso, por um período mínimo de três anos.
  • Investimento mínimo de 500.000€ em atividades de pesquisa científica.

Espanha

Outro país da península ibérica que concede o visto de investidor é a Espanha. E para quem deseja se mudar para esse país ibérico e conseguir o Golden Visa tem duas modalidades para escolher:

Visto de Investidor por investimento financeiro: 

  • Investimento de 2.000.000 € (dois milhões de euros) em dívida pública espanhola;
  • Investimento de 1 milhão de euros depositados em uma conta bancária espanhola (entidade financeira espanhola);
  • Investimento de 1 milhão de euros em ações ou participações sociais de empresas espanholas.

Visto de Investidor pela compra de imóvel

Esta opção prevê investimento de 500 mil euros na aquisição de imóveis situados em território espanhol, podendo este valor ser dividido entre dois ou mais imóveis.

Austrália

O país da Oceania concede Visto de Investidor 188C com algumas exigências. A primeira delas é Investir o valor mínimo 500 mil dólares australianos em capital de risco (venture capital) e ativos privados (private equity) de grande potencial de crescimento que invistam em startups e pequenas empresas privadas.

A segunda exigência é fazer o investimento mínimo de 1,5 milhão dólares australianos em fundos administrados (managed funds) aprovados e que que invistam em empresas emergentes listadas na bolsa de valores australiana

Outra possibilidade é fazer um investimento feito de forma combinada de valor mínimo de 3 milhões de dólares australianos em fundos administrados que invistam em uma variedade de ativos

Conclusão

A opção de conseguir o visto de investidor é uma boa alternativa tanto em termos de negócios quanto na oportunidade de impacto social, pensando, por exemplo, no apoio de projetos voltados à geração de postos de trabalho nos países.

Porém, o investidor deve levar em consideração o cenário econômico interno e externo,  questões como o câmbio e, principalmente, a tributação, que devem ser analisadas com extrema cautela na mudança e envio e transferência monetária para o exterior.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

Últimas publicações