• 13/06/2018

Série Estratégias de Investimento – Ativos Distressed

ativos distressed

Hoje, no último artigo da série Estratégias de Investimento, falaremos sobre o investimento em Ativos Distressed. Essa é provavelmente a classe mais arriscada de todas que abordamos na série, sendo consequentemente a que tem o maior potencial de valorização.

O que são Ativos Distressed

Ativos Distressed são ativos depreciados, emitidos por uma companhia que está à beira da falência ou que já passou por ela. Estes ativos, que podem ser ações ou dívidas, são negociados com valores muito descontados devido ao enorme risco de continuidade da empresa em questão. O objetivo principal de um fundo de ativos distressed é a recuperação do ativo para que ele possa voltar a ter algum valor e remunerar os seus cotistas.

Um fundo de ativos distressed busca uma reestruturação da empresa para que então haja uma posterior venda. As medidas adotadas para essa reestruturação devem constar em um plano de recuperação aprovado pela maioria dos seus credores. Na reestruturação usam-se vários recursos para se obter algum valor do ativo investido. Entre as diversas formas de recuperação podemos citar a cobrança judicial, cisão, incorporação, fusão, alteração de controle societário, arrendamento de estabelecimento, venda de bens, entre várias outras medidas.

Os ativos que compõe a carteira desse tipo de fundo costumam ser uma “barganha” pois são vendidos com um valor muito descontado do seu valor de face. Uma recuperação, ainda que parcial, pode se traduzir em altos retornos para os seus cotistas. Apesar disso, é importante destacar que o risco atrelado a esse tipo de ativo é altíssimo. Para que um fundo com essas características dê certo é necessário um gestor com expertise muito grande na recuperação de ativos.

Vantagens e desvantagens

Vantagens

A principal vantagem desse tipo de ativo é o seu potencial de valorização. Tendo em vista que os ativos são comprados por uma fração do seu preço original, qualquer tipo de recuperação pode trazer grande valorização do mesmo. Justamente por esse tipo de ativo já estar em processo de recuperação, boa parte da desvalorização que poderia acontecer nele já ocorreu, havendo por tanto um upside considerável na operação.

Outra questão interessante é que esse tipo de fundo geralmente compra diversos ativos diferentes que estão em recuperação. Sendo assim, muitas vezes a recuperação de um dos ativos do fundo é suficiente para mais do que compensar a perda definitiva de alguns outros.

Finalmente, devido à natureza desse tipo de ativo, o seu comportamento não costuma ter correlação com outros ativos em uma carteira. Isso faz com que seja uma alternativa para a diversificação dos investimentos de uma carteira.

Desvantagens

Ao investir em ativos distressed você está efetivamente investindo em ativos que não deram certo e trouxeram grandes prejuízos aos seus investidores iniciais. Por mais que eles sejam extremamente baratos, esse tipo de ativo é muitas vezes irrecuperável e por isso eles tem um risco altíssimo. Esse tipo de fundo costuma ser a última alternativa para a recuperação de algum ativo, portanto existe o risco do investidor não conseguir qualquer tipo de recuperação e amargar um grande prejuízo nesse tipo de operação.

Além disso, outra questão relevante são os custos desse tipo de fundo. Devido à sua natureza, é necessária a contratação de um gestor muito experiente nesse tipo de ativo, além de outros gastos como a contratação de escritórios de advocacia, custas judiciais de cobrança, entre outros. Mesmo havendo alguma recuperação dos ativos ela pode não ser suficiente para cobrir os custos inerentes ao fundo.

Finalmente, esse tipo de fundo é direcionado apenas para investidores profissionais, que são aqueles com investimentos de no mínimo 10 milhões de reais ou que atendam algum outro dos critérios estabelecidos pela CVM. Sendo assim, esse tipo de investimento não é facilmente acessível para qualquer investidor.

Estratégias em Ativos Distressed

Distressed Dividas Títulos de Renda Fixa

Essa estratégia consiste na compra de títulos de empresas que perderam montante considerável de seu valor de mercado devido à instabilidade financeira, falência ou por expectativas de investidores que a empresa tenha problemas financeiros. Os títulos são negociados a valores tão descontados que a relação risco/retorno pode ser altamente atrativa, mesmo incorrendo em elevado risco de crédito ou títulos já em default.

Distressed Ações Oportunista (Vulture)

O foco dessa estratégia é encontrar ações muito baratas de empresas quase em situação de falência ou com performance de mercado muito ruim. Preços já estão tão baixos que o potencial de queda é muito pequeno. Nesses fundos as ações são mantidas até terem uma grande valorização.

Conclusão

Ativos Distressed são ativos que se encontram em recuperação. Eles têm um grande risco atrelado, mas são comprados a um preço tão descontado que a relação risco/retorno do ativo pode fazer sentido. Esses são fundos com alto potencial de valorização, no entanto é necessário que o gestor tenha grande capacidade nesse tipo de estratégia para que o investimento faça sentido. Fique atento à série Estratégias de Investimento para saber mais sobre outros tipos de estratégia.

Resumo
Série Estratégias de Investimento – Ativos Distressed
Nome do artigo
Série Estratégias de Investimento – Ativos Distressed
Descrição
Ativos Distressed são ativos depreciados, emitidos por uma companhia que está à beira da falência ou que já passou por ela. Podem ser ações ou dívidas, são negociados com valores muito descontados devido ao enorme risco de continuidade da empresa em questão.
Autor
Nome do editor
Par Mais

CATEGORIAS BLOG

CATEGORIAS BLOG

Deixe seu comentário