Sua conta
  • 05/02/2019

O DIA – Portabilidade de crédito reduz dívida em até 89%

Início / Na Mídia / Jornais / Revistas / TV / O DIA – Portabilidade de crédito reduz dívida em até 89%

Rio – Para realizar o sonho quase impossível de zerar dívidas, o consumidor buscou, em 2018, a portabilidade de crédito: o número de transferências aumentou 70%, segundo o Banco Central. Um grupo que pode aproveitar esse tipo de serviço, considerando que neste mês receberão reajuste, são os aposentados, pensionistas e segurados do INSS que estão no vermelho. Para se ter uma ideia, somente com o crédito consignado, que é descontado diretamente no contracheque, o consumidor pode reduzir a dívida em até 89% sobre o valor original do débito e oferece taxas até 10% mais baixas.

Na simulação seguinte, analisada pelo planejador financeiro da Par Mais, Jailon Giacomelli, um devedor com débito de R$ 5 mil, a ser pago em 36 parcelas, com a taxa de juro de cheque especial no Bradesco, que hoje é de 12,18% ao mês. O pagamento mensal fica em R$ 618,88, com total de quitação de R$ 17.279,59.

Fazendo a portabilidade para o Crédito Direto ao Consumidor, cujo juro fica em 6,35% ao mês, o total já reduz para R$ 7.828,37. O cliente pagaria um total de R$ 1.926,54 fazendo a transferência, dentro do mesmo banco, para o crédito consignado, onde o juro é quase 12x menor em relação ao Cheque especial: 1,88% ao mês.

O devedor faz, assim, uma economia de R$ 15.353,05. Giacomelli avalia o consignado como o mais seguro para as partes. “As taxas são menores porque o ganho para o banco é garantido. O valor é descontado em fonte: antes da aposentadoria entrar na conta do cliente, o banco recebe”, esclarece Giacomeli.

ATENÇÃO AOS ENCARGOS

Em tempo: a portabilidade de crédito – ou de dívidas – pode acontecer dentro da mesma instituição financeira, onde o devedor sinaliza interesse em mudar linha de crédito. Também é possível fazer a troca de instituição, na procura pela taxa de juros mas em conta. Cada banco oferece condições específicas para o ato, por ser facultativo: o BC não tem determinação sobre a portabilidade.

A primeira dica, segundo o vice-presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Adenias Gonçalves, é fazer um estudo das condições financeiras para ter certeza de que pode arcar com o novo compromisso. “A opção de ‘troca’ de modalidade pode ser vantajosa, mas não pode ser feita a toa. O devedor precisa garantir o pagamento”.

Caso o interessado opte por trocar de instituição bancária para melhorar as condições de pagamento, a dica de ouro de Gonçalves é: ficar de olho nos custos adicionais.

“É preciso analisar se há efetivamente uma redução de gastos, analisando o Custo Efetivo Total (CET): juros, encargos, tributos e taxas que totalizam o valor total da portabilidade. “Quanto menor o custo, maior a rentabilidade”, adverte Adenias.

CANAIS DIGITAIS PARA CONTRATAR O SERVIÇO

Por ser descontado na folha, o crédito consignado é uma garantia de recebimento para os bancos e oferece uma das taxas de juros mais baixas do mercado. Podem pegar esse empréstimo aposentados e pensionistas do INSS, servidores e funcionários de empresas e órgãos conveniados aos bancos.

A média de taxas desta modalidade nos principais bancos (Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú Unibanco e Santander) é de 1,91% ao mês. O número sobe para 4,80% (a.m.) no Crédito Direto ao Consumidor (CDC), e fica em 12,67% (a.m.) no vilão dos juros: o cheque especial. Para contratar a linha de crédito é preciso conferir se o banco tem convênio com a instituição pagadora dos salários e benefícios.

No Bradesco, o cliente pode acessar o site banco.bradesco.com, clicar em Produtos e Serviços, e tirar dúvidas sobre o procedimento. O prazo, segundo o banco, é de cinco dias úteis para a concluir a portabilidade.

No Banco do Brasil (www.bb.com.br) é possível solicitar o serviço no aplicativo. No app ‘Mais BB’, que pode ser baixado no celular o caminho é Menu -> Empréstimos -> Portabilidade de crédito -> Simule sua portabilidade -> Digite os dados do contrato e clique em ‘simular’.

Caso o cliente se interesse, basta clicar em ‘Desejo receber contato do BB’. Um funcionário retornará para registrar a operação de portabilidade. É preciso confirmar com a assinatura eletrônica do Termo de Solicitação de Portabilidade no aplicativo ou nos terminais de autoatendimento.

Mas se o cliente não tiver interesse em trocar de banco, vale uma tentativa de barganha. “Ele pode ir até outra instituição, ver o que teria de crédito pré-aprovado e suas condições”, sugere Giacomelli.

Confira a matéria na íntegra: https://odia.ig.com.br/economia/2019/02/5617097-portabilidade-de-credito-reduz-divida-em-ate-89.html#foto=1

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

×