Sua conta
  • 11/11/2019

Folha de São Paulo – Black Friday chinesa quer competir com o comércio brasileiro

Início / Na Mídia / Jornais / Revistas / TV / Folha de São Paulo – Black Friday chinesa quer competir com o comércio brasileiro

A menos de um mês da Black Friday 2019 – a maior liquidação do varejo no país— uma oponente de peso promete sacudir as vendas e fazer o brasileiro se apressar às compras.

É a chamada Black Friday ‘chinesa’, também conhecida mundialmente como ‘Dia dos Solteiros’. A data, criada na década de 1990 por universitários chineses, não tinha, inicialmente, nenhuma conotação comercial.

O contexto começou a mudar em 2009, quando a gigante do comércio eletrônico Alibaba adotou a comemoração e transformou-a em um dia de megapromoções pela internet.

A escolha não foi por acaso. O final de novembro já era há anos marcado pela tradicional Black Friday americana e o grupo chinês queria fazer frente a esse mercado.

No Brasil, varejistas aproveitam a data ‘chinesa’ para ‘dar um gás’ nas promoções de Black Friday, que têm iniciado cada vez mais cedo e, muitas vezes, se estendem por todo o mês de novembro. 

Neste ano, o AliExpress, do grupo Alibaba, está focando pela primeira vez uma campanha de “Dia dos Solteiros” em terras – e redes – brasileiras. 

O site promete descontos de até 90% nas 48 horas de duração do saldão, entre a esta segunda (11) e a terça-feira (12). 

O consumidor pode encontrar desde eletrônicos até itens de decoração, com tempo de entrega prometido de cerca de 30 dias. 

Mas é preciso ter atenção. Por serem encomendas vindas do exterior, os Correios cobram taxa de R$ 15 referente ao despacho postal. Isso sem contar o valor do frete e da compra, cobrados diretamente pelo vendedor.

Além disso, é preciso lembrar que a cotação do dólar pesa nas compras feitas em sites que têm como base de cobrança a moeda, como é o caso do portal chinês.

“Com o dólar a R$ 4,10, nem sempre compensa comprar fora. Por isso, é essencial pesquisar e comparar preços, sempre em sites de confiança, reconhecidos”, diz Caio Henrique Albertoni, consultor financeiro da empresa Par Mais. 

De olho na concorrência estrangeira, as Lojas Americanas também prepararam descontos para o consumidor brasileiro e estrearam no “Dia dos Solteiros”.

Apenas nesta segunda (11), mais de 8 milhões de itens de vendidos diretamente da China estarão em promoção. Fones de ouvido, drones, perfumes, relógios e eletrônicos, de acordo com a loja, terão até 80% mais baratos e com frete grátis.

Compra segura

A dica para quem quer aproveitar os descontos da data não fogem daquelas oferecidas para a Black Friday.

“A regra aqui é, primeiramente, marcar os itens que você deseja comprar. Anote tudo agora e compare os preços depois, para ver se não há nada muito discrepante. Isso evita que o consumidor caia em promoções do tipo ‘pela metade do dobro'”, diz Albertoni. 

Concorrência

Mesmo com a proliferação de datas voltadas ao comércio próximas ao Natal, o comércio não tem se mostrado intimidado, pelo contrário. 

“O chamado ‘Dia dos Solteiros’ não representa uma ameaça à Black Friday brasileira, porque há no país um público consumidor muito grande, são 130 milhões de potenciais compradores apenas no meio virtual”, diz Ricardo Bove, diretor da BlackFriday.com.br, idealizadora do evento.

Para Bove, a compra de sites do exterior ainda causa estranheza no brasileiro.

“A maioria das pessoas ainda tem receio de fazer compras na internet, ainda mais vindas de fora. O próprio comércio virtual no Brasil ainda está engatinhando”, diz. 

De acordo com a AbComm (associação de comércio eletrônico), a Black Friday 2019, no país, deve atingir R$ 3,4 bilhões em faturamento, número 18% superior ao movimentado na mesma data do ano passado. E isso tudo sem contabilizar as vendas do varejo físico.

Consideradas as ‘compras presenciais’, um levantamento da CNDL (confederação de lojistas) e do SPC  Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) mostra que 43% das lojas que vão participar da data estimam que terão vendas melhores do que as do ano passado.

Cuidado com falsos descontos

De acordo com o comparador de preços JáCotei, produtos podem ter alta de até 11% no período que antecede a Black Friday.

A plataforma monitorou 16 itens vendidos em sites brasileiros entre os dias 29 de setembro e 29 de outubro. 

No período, os itens que mais aumentaram foram micro-ondas (+ 11%), fralda (+ 9,7%) e lavadora de roupas (+ 9,2%). Na listagem, apenas o item notebook não teve alta, com redução de 0,4% no preço médio praticado pelas lojas pesquisadas.​

Segundo Antonio Coelho, fundador do JáCotei, mesmo com vários descontos ‘pipocando’ desde já na internet e nas lojas, o mais vantajoso ainda é esperar para comprar próximo ao dia 29 de novembro. 

“Vemos, de anos para cá, que antes de virar o dia, ou seja, de quinta para sexta, os preços são historicamente mais baixos”, explica. 

Por isso, diz ele, ideal é já pesquisar preços agora e deixar para comparar na data. “E tem que ser rápido no gatilho, porque nenhuma loja vai torrar produto a baixo preço em quantidade grande.”​

‘Dia do Solteiro’ | Descontos agressivos 

Americanas

  • Apenas no dia 11/11
  • Descontos de até 80% + frete grátis
  • Mais de oito milhões de itens em promoção: fones de ouvido, drones, perfumes, relógios, eletrônicos, entre outros
  • Cupons de oferta no site
  • Descontos valem apenas para internet: www.americanas.com.br ou pelo aplicativo Americanas Black Friday
  • Tempo de entrega: em média, a partir de 25 dias

AliExpress

  • Por 48h, nos dias 11 e 12 de novembro
  • Descontos de até 90%
  • Produtos como eletrônicos, roupas, acessórios, perfumes, itens de decoração, entre outros
  • Quem fizer cadastro no site ou no aplicativo pela primeira vez recebe cupom que pode ser usado no ato da compra (pt.aliexpress.com/? ou aplicativo AliExpress)
  • Tempo de entrega informado: cerca de 30 dias

Atenção

  • Correios e outros serviços de entrega cobram o despacho postal, taxa de R$ 15 sobre encomendas vindas do exterior (fora o frete e valor da compra, que são pagos diretamente ao vendedor)
  • Com o dólar a R$ 4,10, nem sempre compensa comprar fora do país; pesquise e compare preços!

Tenha cuidado

Com falsos descontos

  • Preços de produtos, em geral, têm alta de até 11% no período que antecede a Black Friday
  • O comparador de preços JáCotei monitorou 16 produtos vendidos em sites brasileiros entre os dias 29 de setembro e 29 de outubro

Mais aumentaram de preço, no período (em %):

  • Micro-ondas: 11%
  • Fralda: 9,7%
  • Lavadora de roupas: 9,2%
  • Impressora: 8,2%
  • Fogão: 8,1%

Apenas um item teve queda:

  • Notebook (- 0,4%)

Com a segurança dos sites

  • O site deve começar com “https” (o S é de “seguro”) e exibir um pequeno cadeado ao lado do endereço da página
  • Não coloque seus dados em sites suspeitos e não clique em links de ofertas recebidas por email ou nas redes sociais

Com a reputação da empresa

  • Antes de comprar algum produto pela internet, verifique se a empresa tem queixas no Procon-SP e em sites como o Reclame Aqui
  • Confira também se a empresa costuma solucionar as reclamações dos consumidores

Entrega

  • A entrega pode demorar muito, então evite comprar produtos que você precise de imediato

Fuja do cartão de crédito

  • Dê preferência para compras à vista, sobretudo se você vai usar o 13º, que é uma grana extra

Confira a matéria na íntegra: https://agora.folha.uol.com.br/grana/2019/11/black-friday-chinesa-quer-competir-com-o-comercio-brasileiro.shtml

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

×