Sua conta
  • 12/11/2019

Exponencial – Dia do Solteiro: Quem gasta mais? Solteiros ou casados?

Início / Na Mídia / Jornais / Revistas / TV / Exponencial – Dia do Solteiro: Quem gasta mais? Solteiros ou casados?

Novembro, definitivamente, está se transformando em um dos melhores meses para o comércio. Se a Black Friday já é esperada ansiosamente em quase todo o planeta, agora há mais motivos para aguardar a chegada do mês: o Dia do Solteiro. Celebrado em 11/11 (por se tratar do dia com mais algarismos 1 no ano), a data já é sucesso: nesta terça-feira, cerca de 500 milhões de chineses gastaram 23 bilhões de dólares nas primeiras nove horas de vendas. E os números não param de subir.

Mas a data não é tão recente assim. Foi criada pela gigante do comércio eletrônico chinês Alibaba em 2009 como espécie de antídoto para o sentimentalismo em torno do Dia dos Namorados. Rapidamente se tornou maior que a tradicional Black Friday americana. Este ano, havia grande expectativa em meio à guerra comercial com os Estados Unidos.

As vendas iniciais já mostram um crescimento de 25%: foram necessários apenas 68 segundos para atingir um bilhão de dólares — em 2018, esse valor foi alcançado em 85 segundos. No total, no ano passado, as vendas do Alibaba subiram 27%, para 213,5 bilhões de yuans, o equivalente a 30,7 bilhões de dólares na época.

Segundo informações da empresa chinesa, mais mercadorias são vendidas online durante o período de 24 horas do que durante a onda de compras de cinco dias nos EUA, que começa no Dia de Ação de Graças e termina na Cyber Monday.

O Portal Exponencial aproveitou o Dia do Solteiro para perguntar para três amigos o que eles acham sobre o assunto. Afinal, quem gasta mais? Solteiros ou casados?

Quem gasta mais? Solteiros ou casados?

Segundo pesquisa feita com cerca de 2 000 pessoas entre 16 e 55 anos e divulgada pelo jornal britânico Daily Mail, os casados levam vantagem em termos financeiros e podem economizar até R$ 5 mil ao ano. Mais: quem vive junto, casados ou namorados, economizam, cada um, cerca de R$ 400 por mês. Outra pesquisa realizada pela Universidade de Ohio reforça a ideia e diz que apenas pelo fato de se casar, a pessoa tem um aumento médio de riqueza de cerca de 4% ao ano.

O bancário de 30 anos, Hicham Sheikha, casado há seis meses, discorda das pesquisas e diz que gasta muito mais casado do que solteiro. “Solteiro muitas vezes mora com os pais, só gasta com os amigos. Casado investe em viagens mais bacanas, paga as despesas da casa e, principalmente no começo do casamento, gasta muito com a compra de móveis, eletrodomésticos”, diz. “Não sei se no futuro as coisas mudam, mas por enquanto eu, casado, gasto bem mais do que solteiro”.

Já o fisioterapeuta de 29 anos Luiz Henrique Villela, que namora há 1 ano e 6 meses, pensa diferente do amigo. Para ele, solteiros sem dúvida gastam mais. “Solteiro eu saio mais, bebo mais, gasto mais, frequento os mesmos lugares. Quando estou namorando, faço mais programa caseiros, tanto na minha casa, como na de amigos também, e estes acabam sendo programas que saem mais em conta”, diz.

“Além disso, gosto de dividir os gastos com minha namorada, em todos os meus relacionamentos tudo foi sempre muito bem dividido, então não fica pesado para nenhum dos dois lados, mesmo gostando de conhecer novos lugares com minha parceira”.

O diretor de arte Rodrigo Bueno, 33 anos, “recém-solteiro”, acredita que solteiros podem sim gastar mais, mas não é o seu caso. “Se a pessoa não for descontrola ela consegue gastar em certos momentos e evitar prejuízos em outros, não gastar com coisas supérfluas, presentes, viagens, etc”, diz.

“Em comparação ao momento que eu estava antes, num relacionamento sério, acredito que hoje consigo ter um controle maior das minhas despesas e, consequentemente, ter gastos menores enquanto solteiro”, conta. “Não preciso compartilhar decisões e nem considerar a opinião de outra pessoa nos meus gastos. Já em um relacionamento o casal precisa ter muita sintonia para conseguir ter um controle maior de todas as despesas”.

É relativo

Ou seja, não existe uma verdade absoluta e depende muito do perfil financeiro de cada pessoa. “Solteiros ou casados, todos podem ter esses perfis, controlados ou dispendiosos”, diz a planejadora financeira da Par Mais, Malu Spricigo. “No entanto, no geral, os solteiros gastam um pouco mais por frequentar festas, baladas, tomar drinks, as mulheres compram mais roupas, vão mais ao salão de cabeleireiro. Tudo isso acaba comprometendo bastante o orçamento. Casal, muitas vezes, faz programas mais lights, como cinema, cozinhar em casa”.

Abaixo, a especialista dá dicas para quem quer controlar melhor as despesas e manter as finanças em dia:

1. Atenção ao usar o cartão de crédito

O cartão de crédito é um dos vilões do mau endividamento, os juros giram em torno de 307,8% ao ano. Segundo pesquisa realizada pelo Guiabolso, uma em cada quatro pessoas que pagou juros do cartão de crédito nos últimos 90 dias, e conseguiu se livrar das taxas astronômicas por um curto período, acabou caindo novamente no rotativo do cartão 30 dias depois dessa pausa. O levantamento foi realizado com base no comportamento de 274,5 mil usuários entre janeiro e setembro deste ano.

A principal dica, portanto, é evitar usar o cartão de crédito na noite, porque com o cartão o risco de perder o controle é maior. É necessário se programar no início do mês e determinar um orçamento para lazer. Se definir, por exemplo, que 500 reais é para utilizar com lazer você não pode fugir disso. Para tanto, é muito importante acompanhar semanalmente seus gastos para saber quanto você tem ainda para gastar e, assim, não estourar a meta. Cartão de crédito só quando for realmente necessário. Uma vez que o solteiro utiliza o cartão de crédito na noite, ele pode acabar usando mais do que se tivesse com dinheiro vivo em mãos ou cartão de débito. Esse é um ponto chave para solteiros.

2. Ter objetivo definido

Estudo realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em 2019 mostrou que 45% dos consumidores não fazem um controle do próprio orçamento. Entre as pessoas das classes C, D e E, a proporção sobe para 48%. Sem controle financeiro das contas, não existe planejamento. Sem planejamento, não é possível conquistar objetivos e realizar sonhos. Segundo Malu Spricigo, solteiros ou casados, todos precisam definir seus objetivos a curto, médio e longo prazos. Um exemplo? Viajar. Se esse for seu objetivo, é fundamental fazer uma meta de poupança para então fazer esse desejo se tornar realidade. Como? Gastando menos na noite, no salão de beleza, enfim, com coisas menos importantes. O foco na realização de um sonho contribui para uma vida mais planejada.

3. Crie uma reserva de emergência

Destinar um montante para a reserva de emergência é muito importante. Esse fundo contribui para que você não fique mal-endividado em momentos de aperto e/ou gastos inesperados, como doença e/ou tratamento médico, batida de carro e, até mesmo, perda de emprego. Ao contrário do casado, muitas vezes o solteiro não tem a quem recorrer em caso de algum imprevisto, como perda de um emprego. Por isso, ter um fundo de emergência é fundamental.

Alguns especialistas recomendam rer uma reserva de emergência para seis meses. Nesse caso, vá aos poucos e separe cerca de 15% da renda líquida. Com o passar do tempo, tente ir aumentando o valor, até chegar em 30% da renda. “Eu diria que essa reserva tem que ser o primeiro objetivo de qualquer pessoa, solteiro ou casado”, diz Malu Spricigo. “Basta começar com uma quantia, mesmo que pequena, para que muito rapidamente você tenha poupado o suficiente para se manter por alguns meses diante de algum imprevisto. Quanto mais a gente poupa, mais a gente quer poupar, isso é muito importante: o hábito de começar a poupar faz toda diferença”.

4. Procurar preço, criar planilha de rendas e despesas

Reduzir os gastos supérfluos é muito importante. Muitas vezes temos um plano de internet, ou TV a cabo que nem usamos, mas temos preguiça de ligar para cancelar. É importante parar com isso e buscar reduzir esses gastos e fazer substituições mais inteligentes. Outro exemplo: às vezes o solteiro vai ao supermercado que tem ao lado de casa e aí acaba indo todo os dias, gastando mais, por consequência. O casado acaba planejando mais seu cotidiano, organiza a ida ao mercado que oferece mais promoções, faz planilhas. Coloque no papel (ou no Excel) todos os seus gastos. Isso vai ajudar a ter a real noção de todos os seus gastos mensais.

5. Criar um planejamento a dois

Falar das finanças ainda hoje é tabu para muitos casais. Mas, não deveria. Dividir o pagamento das contas e organizar as despesas é um dos principais motivos de briga – e separação – entre os casais. Uma pesquisa elaborada pelo SPC Brasil em conjunto com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que quatro em cada dez casais entrevistados brigam por causa do dinheiro. Segundo o levantamento, as discordâncias ocorrem, principalmente, quando o assunto é gastos da casa, reservas para imprevistos e o fato de não querer pagar pelos gastos do cônjuge.

“É recomendável criar um planejamento a dois bem organizado”, diz Malu Spricigo.”Por dividir a vida com outra pessoa, no geral, o casado acaba controlando as despesas melhor, fazendo programas mais tranquilos com foco em um objetivo maior, como a compra de um carro, a entrada em um apartamento, a realização de uma viagem. A ideia de economizar no presente pensando no futuro. Mas, isso não é regra. Justamente por ter com quem dividir as contas no fim do mês, o casado deve prestar atenção para que as despesas não subam muito. Por isso atenção e muita conversa, sempre”.

Confira a matéria na íntegra: https://www.creditas.com.br/exponencial/dia-do-solteiro-quem-gasta-mais/

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

×