12º trabalho de Hércules: capturar Cérbero, o cão de três cabeças que guardava os infernos

  • 07/12/2017
Página inicial - uso consciente - 12º trabalho de Hércules: capturar Cérbero, o cão de três cabeças que guardava os infernos

Nosso herói Hércules que se vira obrigado a cumprir 12 tarefas impostas por Euristeu, rei de Micenas, por ter matado em um acesso de fúria sua esposa Mégara e filhos, já havia completado onze desafios. Pouco tempo cumprir a 11º tarefa, Euristeu ordenou que realizasse o último e mais perigoso desafio: a de descer ao mundo dos mortos para capturar Cérbero e levá-lo vivo à presença do mandante. Um trabalho tão difícil e temerário que o próprio Hércules duvidava que fosse capaz de completá-lo com êxito.

Temeroso, Hércules pede ajuda aos deuses e Atena e Hermes apareceram para ajudá-lo. Sem perder tempo eles se dirigiram ao reino infernal, através de um túnel longo e escuro. Hercules e os deuses penetraram no mundo subterrâneo e encontraram Meléagro e Medusa, que estavam a esperá-los, mas ao perceber que o herói se inquietava o Hermes o acalmou dizendo que eles não lhe poderiam fazer mal, pois eram apenas sombras, e nada mais. Ao encontrar o Rei dos Mortos, Hades, Hércules explicou-lhe que precisava levar a fera Cérbero a presença de Euristeu. O Rei Hades disse que permitiria desde que nosso herói dominasse a fera sem usar nenhuma arma, que não o machucasse e o devolvesse vivo!

Hércules prometeu-lhe que assim seria, e em seguida aproximou-se de Cérbero, que imediatamente colocou-se em posição de luta, rosnando e mostrando os dentes afiados que guarneciam suas três bocarras. Mas apesar deles, e também da cauda de dragão que buscava atingi-lo e feri-lo, nosso herói conseguiu dominar a fera em pouco tempo com a ajuda de sua pele de leão, e jogando-a sobre o ombro direito subiu pelo caminho que levava ao mundo superior. Segundo relatos antigos, esse “caminho era longo, áspero e íngreme, a carga pesada, e as três cabeças do cão rosnavam e tentavam mordê-lo sem parar, mas Hércules caminhava com o pensamento concentrado na sua próxima libertação, e por isso prosseguia em seu avanço sem dar a menor atenção ao que sua presa procurava fazer”

Ao entregar a fera a Euristeu, que apavorado ao se ver diante daquele animal de aparência sinistra, mandou que Cérbero fosse devolvido imediatamente ao lugar de onde fora retirado. Libertando assim, nosso herói de outras tarefas. Hércules ficou livre!

Viver com consciência – Despertar para a razão

Ao cumprir o último desafio, nosso herói pediu ajuda aos deuses, que simplesmente o orientaram a não acreditar em sombras, fantasmas e visões do seu inconsciente! Ao negociar com o Rei Hades, soberano dos infernos, Hércules colocou em prática tudo que aprendeu nesses desafios: a diplomacia e inteligência são armas poderosas para embates entre pessoas.

E ao domar a fera Cérbero, com mãos limpas e ao percorrer o imenso, perigoso e difícil caminho com a fera nos ombros para o encontro com Euristeu, nosso herói usou a razão, a consciência que não deveria de se abater, distrair ou mesmo ser tomado pela fúria, pois faltava muito pouco para a realização do seu maior objetivo: a libertação!

Assim como nosso herói Hercules, podemos ter uma vida mais consciente, entendendo e aceitando nossos instintos, pensamentos e hábitos. Não precisamos usar a agressão física ou verbal para vencer um embate. Temos que ter consciência das nossas qualidades e defeitos para poder conviver com eles, com a devida razão.

O caminho dessa consciência deve permear nossos relacionamentos, nosso trabalho, nossa vida financeira!

Nosso desejo, neste um ano de relato dos doze desafios de Hércules, é justamente que nossos leitores despertem para a libertação do ciclo vicioso, onde vivemos para ganhar dinheiro e para consumir.

Convidamos a todos a conhecer nosso propósito, missão e princípios!

Muito sucesso na sua jornada!

O desafio “Meus 12 trabalhos financeiros” é uma analogia aos 12 trabalhos de Hércules, em que solicitamos uma tarefa por mês para nossos leitores melhorarem sua relação com o dinheiro. Afinal, sabemos que lidar com as finanças, muitas vezes, pode ser algo extremamente assustador e que nos exige uma força sobre-humana.

Agradecemos a todos que colaboraram com a nossa jornada e enviaram os relatos de como estão enfrentando o difícil caminho em busca da libertação da prisão financeira!

Deixe seu comentário

Comentário(s): 2

       
    1. Alcindo, bom dia!
      Agradecemos o seu comentário. Temos muito carinho por essa série. Valeu!
      Sucesso!

Últimas publicações