Sua conta

Imagine uma aplicação com retorno de 1,5% a 3% ao dia, ou então dobrar o seu capital em até seis meses, (com os juros básicos do país em 6,5% ao ano). E o melhor, isso tudo sem precisar entender de mercado financeiro, pois a empresa ficará responsável por fazer as aplicações por você. Parece tentador, não é mesmo?

Essa era a proposta de investimento oferecida pela Unick. Ela se autodenomina com “...o propósito de promover o conhecimento sobre as melhores oportunidades do mercado financeiro...”

Segundo o site da empresa, a principal motivação é colaborar com a educação financeira em prol de um futuro mais justo e acessível para os clientes. A empresa promete "utilizar o marketing multinível como estratégia de crescimento, proporcionando aos seus clientes uma plataforma completa de recursos e conhecimentos sobre o mercado financeiro".

Porém, a empresa foi alvo de um ato declaratório da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), em 22 de março de 2018, que determinou que fossem suspensas imediatamente qualquer oferta pública e oportunidades de investimento em valores mobiliários, pois não possuem autorização para isso.

Em março de 2018, a Superintendência de Relações com o Mercado e Intermediários (SMI) expediu o Ato Declaratório nº 16.169, que afirma que a empresa não estaria autorizada pela CVM “...a captar clientes residentes no Brasil, por não integrarem o sistema de distribuição previsto no art. 15 da Lei nº 6.385/76”. O ato ainda indica que a empresa opera captando poupança pública, e que o seu modelo de negócios envolveria o investimento em Forex e Opções Binárias, com a finalidade de proporcionar aos investidores excelentes resultados diários.

A negociação de moedas via Forex não é regulamentada no Brasil, apesar de os brasileiros poderem aplicar no exterior. Normalmente, a atividade é exercida de forma irregular por empresas com sede no exterior e sem autorização das autoridades brasileiras, que não conseguem fiscalizar se os negócios são ilícitos. O mercado de moedas é de altíssimo risco, dominado por grandes bancos internacionais que, de vez em quando, também tem prejuízos. Mesmo nessas empresas que operam no exterior, não é normal dar garantia de rentabilidade para os investidores.

A Unick entrou com recurso de retratação, mas, por unanimidade, o colegiado manteve a suspensão de oferta pública de investimentos, usando como fundamento a decisão emitida pela área técnica, por meio do memorando nº 167/2018-CVM/SMI/GME, de 13 de novembro de 2018.

Além das irregularidades administrativas, os elementos colhidos no processo apontam para a existência de um esquema fraudulento, que promete altos ganhos sem a existência de risco, podendo os retornos chegarem a 40% ao mês. A empresa usava muita astúcia para manter as pessoas investindo nela, como por exemplo, exigindo que os investidores aplicassem o dobro do valor para rever seus rendimentos quando esses não passavam de 3%.

“....Os rendimentos de 1,5% a 3% serão pagos até que o investidor dobre o capital investido. Para ganhos maiores seria preciso fazer novos aportes. Dessa forma os ganhos para os investidores chegariam a 500% ao ano (“cinco vezes em um ano”).....”

Ainda segundo o memorando, havia vídeos do fundador da empresa, onde ele respondia perguntas e prometia ganhos fáceis, incentivando as pessoas a participarem do marketing multinível, disfarçando a pirâmide financeira.

O fundador também afirmava que “....a comunhão de investidores da empresa seria como uma “cooperativa”, que permitiria retornos maiores nos investimentos feitos. (…) Que não há necessidade de venda de produtos, mas que a venda garantiria retornos a mais.....”.

Como justificativa, a empresa chegou a afirmar que não precisava ser autorizada pela Comissão de Valores Mobiliários e usou a chamada de uma notícia dando conta de suposta "legalização" pela CVM de investimentos em criptomoedas.

No site Reclame Aqui, a Unick já possui mais de 500 reclamações envolvendo problemas financeiros, atraso no pagamento de resgates, demora na execução de resgates e créditos de rendimento e pagamento de resgates não localizado.

Portanto, procure sempre se informar e ter um bom conhecimento sobre a empresa que está oferendo os serviços. Ao procurar orientações sobre investimentos, busque uma instituição livre de conflitos de interesses e que tenha o foco nos objetivos do cliente.

http://www.cvm.gov.br/export/sites/cvm/decisoes/anexos/2018/20181127/1227-18.pdf

http://www.cvm.gov.br/decisoes/2018/20181127_R1/20181127_D1227.html

×