Sua conta

As pirâmides financeiras são esquemas que buscam enganar investidores com promessas de grandes lucros financeiros, com magnitude, consistência e velocidade impossíveis de se obter em investimentos reais.

As pirâmides podem ser formatadas de várias formas, portanto todo cuidado e atenção aos detalhes é pouco. Nas pirâmides mais básicas você paga uma quantia inicial e busca o recrutamento de novos integrantes que pagarão novas quantias.

O seu investimento vai render muito enquanto a pirâmide conseguir angariar novos integrantes, porém a maior parte do dinheiro fica com quem está no topo dela, ou seja, os que inventaram ou esquema e os primeiros a aderir.

O problema vem quando não se conseguem mais novas vítimas. Sem dinheiro novo na pirâmide não é possível pagar todos os integrantes e todo o esquema rui, com muito dinheiro perdido no meio do caminho.

Um caso emblemático no Brasil era o das Fazendas Reunidas Boi Gordo. Esta empresa vendia contratos de investimento coletivo (CICs) nos anos 90 que prometiam um lucro mínimo de 42% em um ano e meio. O lucro seria supostamente obtido através da engorda e venda de bois e bezerros. A popularidade desse tipo de empresa cresceu tanto que a CVM passou a regular com mais rigidez esses produtos financeiros e exigiu que empresas como a Boi Gordo abrissem o seu capital. Em 2001 a empresa já não possuía capacidade de honrar os seus compromissos com os resgates financeiros solicitados e pediu falência.

Outro esquema famoso e recente é o de Bernie Madoff. Ele é uma figura conhecidíssima em Wall Street, tendo inclusive ajudado a fundar a NASDAQ, segunda maior bolsa de valores dos Estados Unidos, na qual as ações da Apple e Amazon.com são negociadas. Com a crise de 2008 o seu esquema foi abaixo, deixando entre 12 e 20 bilhões de dólares de prejuízo e hoje ele cumpre uma pena de mais de 150 anos de prisão. O filme O Mago das Mentiras, com Robert DeNiro, conta com detalhes a história de Madoff e é bem interessante para quem se interessa no assunto.

Ainda hoje existem esquemas de pirâmide em curso no Brasil, tentando captar o dinheiro de investidores desavisados. Essas empresas prometiam altíssimas rentabilidades, sem risco nem cobrança de taxa alguma e também sem qualquer detalhamento profundo sobre como o seu dinheiro seria rentabilizado.

Existem, no entanto, algumas maneiras de se resguardar e conferir se o seu investimento é legitimo. Qualquer investimento no mercado financeiro é regulado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), portanto é importante conferir se existe registro da instituição que está te oferecendo o investimento junto ao órgão. Isso é bem simples. Visitando esse link é possível consultar o cadastro das instituições junto à CVM.

Usando como exemplo a Par Mais, podemos ver como seria o cadastro de uma instituição regular. Caso você não encontre a instituição é sinal de que existe alguma coisa de errado.

Hoje em dia as criptomoedas como o Bitcoin estão muito na moda e com isso já existem esquemas que se passam por esse tipo de moeda para atrair investidores. As criptomoedas em si, apesar de muito voláteis, não são esquemas de pirâmide e são verificáveis pelos usuários dessas moedas.

Mas existem moedas falsas que estão sendo criadas justamente para arrecadar o dinheiro de investidores de maneira ilegal.

Para se resguardar disso é recomendável acessar e procurar a moeda no site Coin Market Cap que lista todas as moedas verificadas, seu histórico e valor de mercado.

Alguém que te oferece um investimento tem o dever fiduciário de deixar claro os riscos que você corre ao investir e tirar as dúvidas que por ventura você tiver quanto ao investimento.

Investimentos alternativos que prometem altos ganhos com pouco ou nenhum risco e não oferecem explicação de onde se obtém os seus rendimentos provavelmente se enquadram como esquemas de pirâmides financeiras. É sempre importante procurar pesquisar o tipo de investimento e a instituição financeira para não ser mais uma vítima desse tipo de esquema.

Nos investimentos não existe almoço grátis, portanto desconfie de ofertas boas demais para serem verdade.

Esperamos ter ajudado na identificação desse tipo de esquema e para mais dúvidas, conte com a Par Mais.

×