Sua conta

O leitor informou que é aposentado no INSS e que os seus dados foram compartilhados sem a sua autorização com algumas seguradoras. Foi realizado um contrato de seguro de vida sem a sua autorização. Não havendo o pagamento da fatura desse seguro, foi realizado um débito automático, na sua conta corrente. Para piorar a situação, essa não é a primeira vez que isso ocorre com o leitor, mas sim a terceira vez que os seus dados são usados indevidamente.

Fique atento a cobranças indevidas

A seguradora citada pelo leitor possuiu, até o momento da publicação deste Farol, 594 reclamações de cobranças indevidas no site Reclame Aqui. A maioria delas tem em comum a cobrança de valores relativamente baixos (menores que R$100,00) através de débito em conta corrente. Fica claro que os valores “contratados” tem por intuito passarem desapercebidos da maioria dos clientes. Ficamos apenas imaginando a quantidade de aposentados que não percebem a cobrança diretamente na conta ou desistem de contestá-la. Toda e qualquer cobrança que não for realizada com ciência e autorização do cliente é indevida.

O leitor em questão relatou a sua insatisfação não apenas para a Par Mais, mas também para o PROCON do seu estado e ao Banco Central.

Reclamar dessa cobrança não é apenas justo como é um dever do cliente. Essa reclamação pode ser feita através de sites como o Reclame Aqui, da ouvidoria da instituição financeira ou através do site do Banco Central. Abrir um processo contra a seguradora pode ser também uma boa opção, tendo em vista a gravidade do assunto.

Tentamos nesse Farol alertar e orientar os leitores sobre como agir nesse tipo de situação e para ficar atento a cobranças abusivas e indevidas. Muitas vezes as seguradoras acabam se beneficiando e ganham essas questões no cansaço que eles dão nos seus clientes. Sabemos como é chato, complicado e trabalhoso ir atrás dos seus direitos, mas essa é a maneira de fazer eles valerem.

A Par Mais possui um canal de contato com os seus leitores, no qual eles podem relatar situações nas quais foram enganados por instituições financeiras. Você também pode enviar o seu relato para [email protected]

×