Giro Financeiro – DC: sua carteira é diversificada?

  • 18/12/2017
Página inicial - Na Mídia - Giro financeiro - Giro Financeiro – DC: sua carteira é diversificada?

Diversificação significa mudança. A ação de diversificar, de mudar, de alterar, de transformar. Uma palavra simples, direta, mas que, no mundo dos investimentos, é pouco entendida e, para os ingênuos, muitas vezes, mal interpretada.

Com a queda da taxa Selic e a consequente redução de rentabilidade dos produtos de renda fixa de baixo risco (que ainda considero bem boa), muitos investidores estão aterrissando nas corretoras, com a intenção de investir em ações, renda fixa de alto risco e outros ativos mais agressivos. O que está ocorrendo é que muitos estão abrindo contas em duas, três corretoras, fragmentando assim seus recursos e aplicando nas mesmas categorias de ativos, sem falar na dificuldade de organizar e controlar tudo isso.

Diversificar é uma técnica de diluição de risco e maximização de ganhos. Ela consiste em alocar recursos em diferentes ativos financeiros, de modo que o conjunto desses ativos proporcione um retorno mais consistente e que diminua a volatilidade e os riscos de desempenho negativo dessa carteira.

Como sabemos, todos os investimentos têm diferentes tipos e níveis de riscos, e a diversificação é uma estratégia onde administramos esses riscos de modo a buscar o melhor retorno dentro do menor nível de risco possível.

Quando se monta uma carteira, é importante traçar um planejamento equilibrado, diversificando as aplicações em vários tipos de ativos de modo a atingir o objetivo financeiro da carteira da melhor forma possível.

O que não faz sentido é concentrar demais numa mesma classe de ativos. Muitas vezes o investidor aplica em fundos diferentes, mas quando se observa onde os fundos estão investindo, se vê que são quase idênticos. Ora, onde está a diversificação se ambos investem nos mesmos ativos? Logo, não é a quantidade de produtos e corretoras que vão garantir uma diversificação inteligente e sim a escolha adequada e de fato diversificada do conjunto de ativos que compões esta carteira.

Não existe fórmula, pois o mesmo investidor, dependendo dos seus objetivos financeiros e do momento atual da economia, poderá ter várias carteiras com estratégias de diversificação diferentes.

O fundamental na administração de uma carteira é diversificar de forma inteligente e saber quando entrar e quando sair de determinada classe de ativos. Por isso, é tão importante você dedicar tempo para acompanhar os indicadores econômicos e interpretar suas consequências no mundo dos investimento. Muitos conseguem e acertam mais do que erram nas suas estratégias, o que é excelente. Outros são iludidos por corretores que visam somente o ganho de comissões, ignorando os interesses do investidor. Se você está inseguro, procure a ajuda de um especialista e diversifique seus investimentos. Tenha ainda como base seu momento de vida, sua capacidade financeira, seu perfil psicológico e claro, seus objetivos financeiros.

Link para a matéria

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

Últimas publicações