• 11/09/2013

Os cuidados antes de resgatar a previdência privada

Par Mais Blog - Os cuidados de resgatar a previdência

Os cuidados antes de resgatar a previdência privada

.

LEITOR PERGUNTA:

Há pouco mais de um ano fiz um plano de previdência num banco, e agora quero fazer o resgate. Porém, como estou devendo no banco, não gostaria de fazer o resgate pela conta. Mas a gerente do banco disse que não tem outro jeito. Gostaria de saber se realmente só posso resgatar a previdência dessa forma?

.

ANNALISA DAL ZOTTO RESPONDE:

Prezado leitor, são as seguradoras as entidades que constituem e administram os fundos de previdência privada. O que ocorre é que geralmente os grandes bancos de varejo são bancos múltiplos. Isso quer dizer que, além do banco comercial, destinado a oferecer produtos e serviços à população, na mesma agência podem ser comercializados produtos de uma seguradora que pertença ao mesmo grupo empresarial. É importante esta separação, porque é possível ter um plano de previdência junto a qualquer seguradora apta para isso, independentemente de onde você tenha conta corrente. Portanto, sugiro que você entre em contato diretamente com a seguradora e veja a melhor alternativa para efetuar o resgate, que poderá ser feito para qualquer conta corrente identificada no cadastro, sendo ela do seu banco ou não. Se encontrar dificuldades, você poderá ainda fazer uma portabilidade dos recursos para outra seguradora e imediatamente solicitar o resgate. Vale lembrar que, depois da solicitação do resgate, será preciso respeitar o prazo de carência de seu plano (que pode variar de 2 a 6 meses) para uma nova retirada de recursos.

.

Outra questão que deve ser considerada é se há a incidência de taxa de carregamento de saída e quais as regras para você evitá-la. Geralmente essa taxa incide para os primeiros anos de aplicação e diminui com o passar do tempo. Algumas instituições não cobram carregamento de saída, o que pode ser um bom motivo para você fazer a portabilidade antes de resgatar os recursos.

Importante ainda é verificar se sua previdência é do tipo VGBL ou PGBL. A grande diferença entre elas é que, no caso do VGBL, o imposto de renda incide somente sobre os rendimentos financeiros, enquanto que nos fundos do tipo PGBL o imposto é cobrado sobre o valor total investido.

.

Há ainda duas formas de tributação: a progressiva e a regressiva. Se você optou pela tabela progressiva, será descontado na fonte o percentual de 15% no momento do resgate e a operação deverá ser ajustada na declaração de IR, porque o valor recebido irá se somar às outras fontes de renda tributáveis. Neste caso, pode ser necessário novo pagamento de imposto de renda e a alíquota total (IR retido + IR pago no ajuste) pode chegar a 27,5%, dependendo das rendas que o titular obteve naquele exercício (ou, ainda, se o conjunto de rendas não ultrapassar o limite da tabela de IR, talvez haja restituição deste imposto).

Se a opção de tributação foi pela tabela regressiva, a incidência de impostos acontecerá exclusivamente no momento do resgate de forma definitiva. Neste caso, quanto menos tempo se deixa os valores investidos, maior será a alíquota. Como você aplicou há um ano, caso seu plano seja um PGBL com tabela decrescente, terá que pagar 35% sobre o valor total aplicado! Provavelmente, haverá ainda a incidência de taxa de saída.

.

Portanto, se este for seu caso, pode ser até mais interessante fazer um empréstimo para quitar suas dívidas e deixar os recursos aplicados por mais tempo. Enfim, lembre-se de que produtos de previdência não são adequados para serem usados no curto prazo. Para recursos destinados a capital de giro ou reserva de segurança, é mais conveniente investir em CDBs de grandes bancos, títulos públicos ou ainda na caderneta de poupança.

.

Os cuidados antes de resgatar a previdência privada por Annalisa Dal Zotto, em publicação no Valor Econômico – 11.09.2013

Onde você está, aonde quer chegar?
Nossa função é tornar sua jornada mais rápida e mais rentável. Escolhemos com você os investimentos que precisa, alinhados às suas necessidades. Clique aqui.

CATEGORIAS BLOG

CATEGORIAS BLOG

Deixe seu comentário

    • Risia
    • 23/05/2016
    Responder

    Qero saber se posso resgatar um dinheiro aplicado na previdencia privada antes dos seis meses?

    • Responder

      Olá Risia, agradecemos o seu interesse em nosso conteúdo e a sua interação conosco!

      Sobre a sua pergunta, este é um prazo que é definido no regulamento (quando é plano individual) ou no contrato (quando é plano coletivo). Sobre o seu plano especificamente, você teria que verificar se essa exigência de 6 meses é a que consta no regulamento do plano que contratou. Por exemplo: existem planos que exigem apenas 60 dias de carência.

      Muito obrigado e continue acompanhando a Par Mais!

    • claudia
    • 04/03/2017
    Responder

    bom dia, fiz um emprestimo pra compra de um veiculo o banco nao quiz pegar o veiculo como garantia e pegou minha previdencia como garantia e disse que eu poderia reitirar meu dinheiro depois de 6 meses. Ja paguei boa parte do emprestimo, praticamente tudo, mais no meio caminho nao tive condicoes de pagar e tambem usei cheque especial e o banco calculou tudo junto a divida. o banco pode pegar um investimneto de previdencia?

    • Wanderley Martins Barbosa
    • 09/09/2017
    Responder

    Bom dia! Eu tenho um Plano de Previdência da Valia, já estou aposentado e hoje recebo os dividendos do aporte que fiz, atualmente o valor é de 103.000,00 e recebo 2000,00 através da
    Renda definida. Estou querendo quitar um emprestimo que descontado deste valor de 2000,00. E a valia fala que não é possível, como pode um empréstimo ser quitado do valor que recebo mas não pode ser amortizado do valor total.

      • Par Mais
      • 11/09/2017
      Responder

      Wanderley, nossa recomendação é que você vá até o emissor do seu empréstimo e negocie com ele a quitação, condicionada ao encerramento das obrigações mensais – parcelas que são descontadas de sua renda da previdência.
      Depois de quitada a dívida, seu plano de previdência não poderá mais descontar a parcela mensal.
      Ficamos à disposição.

    • Cínthia
    • 10/12/2017
    Responder

    Oi!
    Tudo bem?
    No meu caso, estou tendo problemas com o Banco Bradesco Prime e Bradesco Seguros/Vida e Previdência.
    Resumido: temos uma grande quantia aplicada em alguns VGBL’s (no meu nome), algo em PGBL (nome do meu esposo) e em CDB. Nos mudamos para a Dinamarca e antes da mudança tivemos que modificar a nossa conta para conta domiciliado no exterior (CDE) e fizemos os nossos investimentos de acordo com a orientação que o banco nos forneceu do que seria compatível com esse tipo de conta. Solicitamos o resgate de alguns investimentos no final de novembro de 2017, pois surgiu uma oportunidade de comprar um imóvel aqui na Dinamarca e não queríamos perder essa oportunidade. Foi solicitado o resgate total de um dos VGBL’s no dia 24/11 e parcial do PGBL no dia 27/11. O banco demorou em nos dar resposta qualquer resposta após a nossa solicitação e depois recebemos informações desencontradas do tipo “ Conta CDE não pode aplicar em Previdência Privada.” “ Você terá que abrir uma conta poupança para sacar o dinheiro, pois a seguradora não pode depositar em conta CDE “. Também solicitaram os seguintes documentos (formulário específico preenchido + PPE, RG, passaporte, declaração de não residente, declaração de Saída definitiva + recibo, NIFIS, CPF ) que foram enviados mais de uma vez. Depois de toda essa demora, optamos por solicitar o resgate dos outros VGBL’s.
    O PGBL do meu marido não aparece mais com o saldo que tinha antes, mas o dinheiro por alguma razão não entrou na conta dele.
    Pelas nossas contas no banco Bradesco serem conta domiciliado no exterior, elas são controladas diariamente pelo BC. Temos toda a documentação correta, fizemos nossas declarações de Saída definitiva, nas quais aparecem essas aplicações. Não sabemos por que o banco está enrolando tanto para liberar o nosso dinheiro e estamos correndo o risco de perdermos o negócio aqui e ficarmos endividados.
    Já escrevi para a ouvidoria do Bradesco, do Bradesco Seguros e da SUSEP. Saliento que o prazo de carência já acabou.
    Quanto ao CDB, meu marido fez a solicitação para liberação do valor em conta, seguiu todas as orientações da equipe de câmbio e no dia que era para o dinheiro cair aqui, a operação não foi efetivada, pois alegaram que o número do IBAN estava errado, mas já conferimos e é o número que consta no nosso extrato da conta da Dinamarca. Já escrevemos para o banco daqui, copiando o e-mail do Brasil…não conseguimos entender por que não podemos pegar o nosso dinheiro.
    Preciso muito de uma orientação.
    Agradeço desde já a atenção dispensada.
    Muito obrigada,
    Cínthia.

      • Par Mais
      • 13/12/2017
      Responder

      Prezada Cínthia,bom dia!!

      É comum ouvirmos reclamações de pessoas que possuem ou pretendem abrir uma conta CDE. Os bancos e os gerentes no Brasil não estão preparados para orientar seus clientes nesse tipo de estrutura.

      Nossa expertise na Par Mais é a gestão de investimentos financeiros de Pessoas Físicas domiciliadas no Brasil. Infelizmente não temos know how para orientar juridicamente investidores com recursos no Brasil e que estejam domiciliados no exterior.

      Nossa recomendação é que você procure um advogado especializado nessa área para lhe assessorar no caso.

      Outro recurso que pode funcionar é abrir um chamado no Banco Central.

      Esperamos que as dicas façam sentido para seu caso.

      Desejamos sucesso!

    • Luiz P R Abreu
    • 21/02/2018
    Responder

    Tenho um Brasilprev já mais de 13 anos, fiz para me aposentar com 55 anos, abril 2022, um PGBL, pago em torno de R$ 600,00 e já tem no fundo mais R$ 95.000,00. Estou querendo resgatar ou investir em outro plano, pois estou vendo que não me aposentar com o que me prometeram no começo. O que fazer? Continuar ou mudar?

      • Par Mais
      • 22/02/2018
      Responder

      Luiz, boa tarde!

      A maioria dos planos Brasilprev tem taxas que comprometem a rentabilidade, então é bem possível que haja melhores alternativas no mercado.

      O ideal é você nos passar seu extrato para que possamos analisar as taxas e a rentabilidade do seu plano.

      Você optou pela modalidade PGBL devido ao Benefício Fiscal? Se sim, por gentileza, informe o valor que anualmente você consegue deduzir no seu IR.

      Além de analisar o investimento, seria interessante montar um plano para sua aposentadoria e verificar se o valor dos aportes mensais está condizendo com seu objetivo de renda no futuro, podemos lhe ajudar com isso.

      No aguardo!

    • Henrique
    • 15/03/2018
    Responder

    Boa noite!
    Fui ao banco no qual sou correntista a 12 anos para fazer um investimento em CDB, contudo o gerente me convenceu a fazer em PREVIDÊNCIA PRIVADA (VGBL ,ALIQUOTAS PROGRESSISTAS ) informando que era uma excelente forma de investir, mesmo dizendo a ele que queria a curto prazo. Logo depois de ter feito o investimento, percebi que não foram claros comigo, pois os rendimentos não condizem com as informações, e taxas como a de carregamento foram omitidas . Como fiquei bastante revoltado, gostaria de fazer a portabilidade, porém minha dúvida é se posso fazer para outro tipo de aplicação e quais taxas podem ser cobradas.

      • Par Mais
      • 19/03/2018
      Responder

      Henrique, bom dia!

      Infelizmente isso é mais comum do que você imagina.
      A boa notícia é que se você fez o investimento há pouco tempo, é bem possível faça sentido resgatar e fazer outra aplicação.
      Qual o valor que você aplicou, em qual data e em que plano de previdência? Com essas informações conseguiremos lhe orientar.

      No aguardo,

        • Henrique
        • 20/03/2018
        Responder

        Bom dia !
        O valor aplicado foi de 80.000,00 no mês de novembro de 2017 e o plano de previdência foi Bradesco Seguros/Vida e Previdência.

          • Par Mais
          • 22/03/2018
          Responder

          Henrique, boa tarde!

          Como faz relativamente pouco tempo do aporte de R$ 80 mil, vale mais resgatar e pagar o imposto!

          Se você quiser, podemos orientá-lo sem custos.
          Para isso, por gentileza, envie um e-mail para [email protected] copiando essa nossa conversa e informando seu celular.
          Costumamos trocar whats com nossos clientes para facilitar o atendimento. Se preferir pode ser por e-mail também!

          Até mais,

    • Thaynara
    • 21/03/2018
    Responder

    Olá! Tenho uma plano misto (previdência e seguro) de cobertura de risco, pago na modalidade capitalização. Depois de transcorrido o período de carência, solicitei o resgate. O banco insiste em dizer que depositou o valor em em Conta Corrente, mas o extrato aprece zerado.
    Enfim, minha dúvida é: a susep estabele um prazo para que banco pague o resgate nos planos de cobertura de risco? Em pesquisas, só achei prazo para resgate de planos de cobertura por sobrevivência. Agradeço desde já.

      • Par Mais
      • 22/03/2018
      Responder

      Thaynara, boa tarde!
      Pesquisamos e também não encontramos, mas o problema é que o banco (não seria a seguradora?) está insistindo em dizer que depositou e não está registrado nada em sua conta. Sugerimos que você reúna todos os seus documentos relativos ao pedido de resgate e entre em contato imediatamente com a ouvidoria do banco ou da seguradora.
      Tem também o Banco Central e o site Reclame Aqui! Não deixe passar muito tempo, cada dia você já perdendo dinheiro!
      Qualquer coisa, escreve por aqui ou por [email protected]

      Desejamos sucesso!

    • Lucas
    • 18/04/2018
    Responder

    Boa Tarde. Fiz um plano de previdência privada no Bradesco em fevereiro de 2016 onde investia o valor aproximado de 85 reais por mês. Por contrato, o prazo para resgate integral era de 48 meses. Quando completos 36 meses, sem minha solicitação, foi resgatado em minha conta um valor inferior ao valor investido , cerca de 800 reais e além disso ao questionar o resgate, foi informado que eles não estavam autorizados a me apresentar o contrato (e não apresentaram) e que provavelmente o valor era inferior devido ao resgate fora do prazo (que eu não solicitei). Qual medida devo tomar ? No âmbito jurídico existe alguma possibilidade? Obrigado.

      • Par Mais
      • 24/04/2018
      Responder

      Lucas, bom dia!
      Você pode comunicar esse fato ao Banco Central, através do site http://www.bcb.gov.br, no campo entrando nos campos ‘cidadão, atendimento ao publico, reclamações contra instituições financeiras. Eles costumam ser muito ágeis e atenciosos com isso.
      Você também deve registar o ocorrido na Ouvidoria do Bradesco, pelo 0800 727 9933. A Ouvidoria atende das 8h às 18h, de segunda a sexta-feira, exceto feriados.
      Desejamos sucesso!

  1. Gostei da explanação. Meu interesse pela matéria – o gerente da CEF me convenceu a transferir R$ 60 mil de aplic. em LCI para GVBL em 12/04/2018. No dia seguinte, vi as opções p/Internet ref. minha conta, já me arrependi, devido a taxas cobradas no resgate. Informou que poderia resgatar a partir de dois meses. Estou ansioso para que chegue o dia 12/06/2018, para mandar a CEF a um lugar bem desagradável! – Vou fazer uma portabilidade de tudo que tenho nesse banco: LCI, VGBL e Poupança.

      • Par Mais
      • 15/05/2018
      Responder

      Eronildes, bom dia!
      Sentimos muito pelo seu prejuízo financeiro e pessoal.
      Ainda bem que foi um VGBL, pois o o imposto só será sobre os rendimentos. Esse tipo de postura dos grandes bancos é desesperador.

      Antes de resgatar, estude bastante as opções que existem no mercado.
      Pela nossa metodologia, o ideal é você primeiro saber como está a sua BIO Financeira (é uma ferramente que avalia o seu momento de vida, a sua capacidade financeira e o seu perfil psicológico frente aos investimentos e ainda avisa qual o valor que você deve ter para a sua reserva de segurança).

      Depois, você deve avaliar criteriosamente quais são os seus objetivos financeiros, pois sabendo exatamente o prazo de tempo e o valor que você precisa acumular, ai sim, você poderá escolher o tipo de investimento que vai fazer.

      Temos essas ferramentas disponíveis no nosso site e seguem os links caso você queira fazer alguma!
      Desejamos sucesso e um grande futuro financeiro para você e sua família!
      Se precisar de outras informações, fique a vontade em perguntar, pois temos um time de especialistas só para atender os nossos leitores.

      BIO Financeira – http://apps.parmais.com.br/inteligencia-par-mais

      Calculadora do futuro (você determina um objetivo e a calculadora te diz quanto precisa para atingi-lo)http://apps.parmais.com.br/calculadora-do-futuro

      Check-up de rentabilidade (compara a média dos rendimentos em bancos e corretoras, com a nossa média) – http://apps.parmais.com.br/analise-de-carteira

    • Camilla Alves
    • 17/05/2018
    Responder

    Meu plano é VGBL regime progressivo, da Caixa seguradora, e já tem 9 anos. Minha contribuição mensal não é muito alta, é de 79 reais agora. Se eu resgatar o valor inteiro agora, sem taxa de carregamento de saída, deduzindo só o imposto retido, consigo quitar os crediários que tenho no banco que somam 8 mil hoje e que dividi em parcelas com juros bem altos de 8,9%am. Pensei nessa possibilidade porque corro o risco de não poder pagar as parcelas dos crediários no mês que vem, já que fiquei desempregada. Vale a pena fazer o resgate e quitar essa dívida de uma vez? Ou vale manter a previdência e correr o risco de ter que fazer novo empréstimo no banco? Obrigada!!

      • Par Mais
      • 21/05/2018
      Responder

      Camila, bom dia!
      Pelo seu relato, os juros pagos nas parcelas da sua dívida são altos.
      Compensa sim, resgatar a sua previdência, já na na melhor hipótese, os rendimentos não chegam nem a 20% do que você está pagando de juros.
      Utilize esse recurso para quitar suas dívidas. Assim que estiver com a sua vida financeira equilibrada, monte a sua reserva de segurança e, depois volte a investir na sua aposentadoria!
      Sucesso!

    • Rodrigo
    • 23/05/2018
    Responder

    Olá, fiz uma previdência com um valor alto no banco Santander a uns 3 meses, acabei indo na onda do meu gerente de conta e com pouco conhecimento acabei optando pelo plano PGBL, depois disso fui mais a fundo e me arrependi… existe alguma coisa a fazer nesse caso? ja liguei no anco tentando cancelar mas sem sucesso? se eu tirar o valor agora, perco muito dinheiro…

    Att Rodrigo

      • Par Mais
      • 28/05/2018
      Responder

      Rodrigo, boa tarde!
      Sentimos muito pelo seu transtorno.
      Como é um plano PGBL nos informe por favor do seguinte:
      – sua declaração de renda é completa ou resumida?
      – você é empregado pelo sistema CLT ou é empresário ou autônomo?
      – contribui ou não para o INSS

      O único benefício do PGBL é o adiamento da tributação, pois a cada declaração de IR você pode abater até 12% da sua renda bruta tributável, mas em compensação, ao resgatar paga IR sobre os rendimentos e sobre tudo o que guardou/acumulou.

      Para orientá-lo, por gentileza, nos informe o solicitado acima e nos passe o CNPJ do fundo do seu plano (ver extrato)
      Até mais,

  2. Olá, me chamo Silvano, tenho uma previdência privada no banco do Bradesco vinculada a empresa em que trabalho, onde eu contribuo com 3% do salário a empresa com mais 3% e então resolvi fazer o resgate desse beneficio. procurei a gerência do banco e fiz o requerimento, com isso ela me deu 5 dias para me dar a resposta se foi requerido ou não, ao passar os 5 dias não tive nenhum retorno, então liguei na gerente e ela me falou que não tinha resposta do E-MAIL que ela passou para o setor de previdência e ainda pediu que eu ligase no setor de previdência para saber o que estava acontecendo, liguei lá, porém ninguém soube me explicar, com isso liguei na ouvidoria e abri uma reclamação e eles me mandaram um E-MAIL dizendo que era pra mim mandar os documentos por E-MAIL para solicitar o resgate.

    Como devo proceder? Devo entrar com processo, já que fiquei lesionado pelo fato deles não cumprirem com o proposto, porque eu esperava o dinheiro para pagar uma dívida que está em atraso correndo juros.

      • Par Mais
      • 25/05/2018
      Responder

      Silvano, boa tarde!
      Sugerimos que você peça ajuda ao RH da sua empresa e solicite ajuda, inclusive ao quitar a sua dívida, volte ao seu plano, pois só a contrapartida da sua empresa garante 100% de rentabilidade.
      Desejamos sucesso!

    • Lucas de Lima
    • 28/05/2018
    Responder

    Boa tarde!
    Me chamo Lucas, fiz o plano previdência privada já tem uns 2 anos.
    Fui ao banco sacar, e me informaram que estou com impedimentos no cpf. O banco pode deixar de me passar o valor , caso meu nome esteja sujo?
    Obrigado.

      • Par Mais
      • 29/05/2018
      Responder

      Lucas, bom dia!
      Perdão pela demora, mas caiu no spam e só vimos hoje!
      Você tem todo o direito de dispor do saldo da sua previdência independente da situação do seu CPF.
      Quanto a sacar, se foi enviado uma notificação de penhora de bens para o seu banco, todo e qualquer recurso que cair na sua conta poderá ser confiscado para quitar a dívida referente a penhora.
      Verifique isso com o seu banco.
      Sucesso!

    • Paulo
    • 02/06/2018
    Responder

    Ola. Me chamo Paulo, fui demitido e tenho um plano de previdencia fechado da empresa que trabalhava. Infelizmente eu nao estava preparado para ser demitido e terei que usar o dineiro da previdencia. Tenho duas opcoes, segundo o plano fechado, 1 – Resgatar apenas a minha parte (70.000) e perder a parte que a empresa depositou, ou 2 – transferir para outra previdencia PGBL minha parte e mais 75% da parte empresa, o que alcanca um valor de 150.000,00. Pergunto, se eu decidir pela portabilidade para manter o valor depositado pela empresa, quanto tempo depois posso resgatar todo dinheiro ? Qual sua recomendacao de plano PGBL para este tipo de operacao, onde sei que vou resgatar no curto prazo ? Muito Obrigado.

      • Par Mais
      • 05/06/2018
      Responder

      Paulo, boa tarde!
      Ontem uma das nossas consultoras entrou em contato. Estamos respondendo só mesmo para registrar!

      Lamentamos o ocorrido.

      Em relação a previdência é preciso ver as regras do plano que irá realizar a portabilidade, é preciso ficar muito atento, pois realmente é mais vantajoso, optar por esta opção para ficar com o montante que a empresa aportou.

      Resposta pergunta 1: o período de resgate, vai depender da regra da seguradora, alguns são 6 meses (a maioria), outros 60 dias, é muito importante ficar atento pois alguns planos cobram taxa de saída, por exemplo, você pode resgatar, mas terá uma penalidade que vai de 3% a 0% dependendo do período, sobre o valor total resgatado e este prazo é por 2 a 3 anos. Outro ponto importante, é saber qual o regime tributário em que está seu plano, progressivo ou regressivo, pois como é PGBL, isto influencia muito no resgate, sendo que a cobrança será sobre todo o valor, no progressivo 15% e no regressivo, depende do período, que vai de 35% a cobrança, a 10% após 10 anos de contratação do regime.

      Resposta pergunta 2: as seguradoras independentes são as que possuem as menores taxas e boas opções de fundo de investimento, como Icatu e Sul América. Neste item, podemos de ajudar na escolha, sem custo.
      Sucesso!

    • Antonio Carlos Carvalho
    • 04/06/2018
    Responder

    Olá Rísia

    Espero que estejas bem. Tenho um Plano de Previdência Privada VGBL junto à Caixa e, depois de 8 meses, o valor investido em relação ao atualizaado, hoje, foi menor! Ou seja, emm 8 meses, praticamente, não tive nenhum rendimento enquanto que, desde Março, meu fundo vem perdendo TODAS as semanas. Isso é possível? Lhe pergunto pois, se o fundo tem variação pelo IGPM, não tivemos valores mensais de inflação menores de 0,40% e, hoje, meu fundo empatou. Se puderes me responder a esta dúvida, lhe agradeço.

      • Par Mais
      • 05/06/2018
      Responder

      Antonio, boa tarde!
      A Rísia é uma das nossas leitoras e tomados a liberdade de te responder.
      Por gentileza, passe o CNPJ deste fundo que analisaremos para você.
      Para preservar essa informação, envie para o [email protected] (informando que é leitor do blog)
      Seria bom também informar o valor do primeiro aporte e dos demais, caso tenha havido.
      Até mais!

    • Ivo Chagas dos santos
    • 08/06/2018
    Responder

    Olá,boa noite!
    Essa semana, por orientação de minha gerente de conta, fiz um plano de previdência privada no Bradesco do tipo VGBL onde vou disponibilizar R$500,00 mensal para esse plano. Queria fica depositando R$1.000,00 no CDB que já possuo a algum tempo como fundo de reserva e já acumula 23.000,00. Declaração de imposto de renda simples e já contribuo com a previdência como MEI, pois sou autônomo. Minha dúvida é se fiz certo em contribuir com esse valor? E se fiz certo em aceitar fazer essa previdência. Me informaram que só após 60 meses poderia resgatar, caso precisasse, sem taxa de saída. Como não me vejo com necessidade desse valor aceitei.

      • Par Mais
      • 11/06/2018
      Responder

      Ivo,bom dia!

      Como você faz a declaração de IR no modelo simplificado, a opção de VGBL é correta, mas para lhe responder se é interessante manter os aportes na previdência, seria necessário entender momento de vida, seus objetivos e também analisar o fundo de previdência que foi indicado para você.
      Por gentileza, faça a nossa ferramenta BIO Financeira, que nos indica essas informações, além do valor necessário para a sua reserva de segurança.

      Você tiver interesse de conversar com um de nossos especialistas basta indicar na BIO o seu número de telefone e melhor dia / horário para contato por whats ou ligação e informar que é leitor do nosso blog.

      Estamos à disposição, desejando muito sucesso!

    • LEANDRO DIOGO MACIEL
    • 08/06/2018
    Responder

    Boa tarde ..fiz um VGBL do tipo regressiva pra dezoito anos .. tudo tava bem até o primeiro ano mas de uns dois meses pra cá parou de render .. E com tamanha insatisfação é claro quero cancelar o plano ,será que vou perder muito dinheiro? Segundo o gerente do banco só vai descontado dos rendimentos,será que é verdade.
    Fiz pelo Bradesco previdência
    VGBL plano sob medida RF 24
    Faço aportes mensais de 160 reais

      • Par Mais
      • 11/06/2018
      Responder

      Leandro, bom dia!
      Sim, como o seu plano é VGBL o IR só será incidido sobre os rendimentos. Qual foi a data do primeiro depósito? Se você enviar o extrato poderemos calcular o IR que será pago.

      Por gentileza, passe também o CNPJ do seu plano. A perda pode ser por vários motivos:
      – taxas altas (carregamento e administração) chegando a serem superiores a rentabilidade obtida
      – o mercado está passando por muita volatilidade, mesmo sendo um fundo de previdência, pode ter sido afetado

      Para indicarmos outras opções de investimentos é preciso que você faça a nossa ferramenta BIO Financeira, que além de determinar em uma escala de cores a sua biografia financeira (qual o seu momento de vida + capacidade financeira + perfil de risco) vai também informar qual o recurso que você deve ter para sua reserva de segurança (para emergências):
      http://apps.parmais.com.br/inteligencia-par-mais

      Na própria BIO, no final, você poderá marcar uma consulta, sem custos, com nosso Time e conversar com eles!

      No aguardo e desejando sucesso!

        • LEANDRO DIOGO MACIEL
        • 17/06/2018
        Responder

        Bom dia ..obrigado pelo retorno.. a data do primeiro depósito foi dia 30/04/2017
        CNPJ do plano : 017.517.337/0001-73

          • Par Mais
          • 18/06/2018
          Responder

          Leandro, bom dia!
          O seu fundo está cobrando 2,4% de taxa de administração mesmo sendo um fundo passivo, pois 89% da sua carteira é em Títulos Públicos!! Veja que absurdo!
          Sugerimos que você resgate imediatamente mesmo que tenha 35% de IR sobre os rendimentos. Se continuar neste fundo, vai ter mais prejuízos, pois nos últimos 24 meses não passou de 84% do CDI.
          Como você está com a sua BIO Financeira “verde” e só tem 31 anos, casado, com dois dependentes (ou seja, tem muitos anos pela frente) acreditamos que primeiro deva investir na sua reserva de segurança/emergência (prevista para R$ 15 mil). Você pode deixar R$ 3 mil na poupança e o restantes R$ 12 mil, aplicados em Tesouro Selic que vai manter 100% do poder de compra do seu dinheiro e é tao seguro quanta poupança.
          Outra opção é investir os R$ 12 mil nos fundos administrados pela Par Mais, neste caso tem dois que se enquadram no seu perfil:

          SOLIDUM que tem como meta 115% do CDI e pode-se resgatar em 15 dias corridos e o
          MAGISTER que tem como meta 102% do DI e também pode-se resgatar em 15 dias corridos.
          Em todos os fundos a taxa de administração final é de 0,45 ao ano.

          https://www.parmais.com.br/fundos-de-investimento/par-mais-solidum-fic-fim-cp/

          https://www.parmais.com.br/fundos-de-investimento/par-mais-magister-fic-fim-cp/

          Desejamos sucesso e estamos aqui para outros esclarecimentos!

    • Isabel
    • 16/06/2018
    Responder

    Olá boa tarde! Fiz um plano no de previdencia no Bradesco agora já não aparece o saldo total. Antes tinha mais de 19,00mil e agora aparece disponivel 500 reais. Em setembro de 2017 tirei 2.000 todo dinheiro que tinha desapareceu? Moro em outro país e consulto pela app. Obrigada!

    • Daniel
    • 17/06/2018
    Responder

    Bom dia, fiz um plano vgbl no bradesco e acompanho os rendimentos diariamente pelo aplicativo do banco. De um tempo pra cá tenho observado que o valor diminui . Dias sobe dias diminui. Já estou uns 100,00 negativo de um mês pra cá. Isso é possível? Ao invés de render perder?

      • Par Mais
      • 18/06/2018
      Responder

      Daniel, bom dia!
      Sim, é possível sim! Nos passe o CNPJ do fundo para que possamos analisá-lo. Estamos numa fase de muita volatilidade e se taxa de administração for superior a 1% pode maximizar mais as perdas. Faremos a análise sem custos.
      Sucesso e uma ótima semana para você!

    • geraldo lopes
    • 18/06/2018
    Responder

    eu sou cliente bradesco a pouco tempo não entendo nada de operação financeira fui até o banco para aplicar um precatorio que recebi mas a moça não soube me esplicar e fiz vgbl e um poco na poupança agora descobri que tenho que pagar a porcaria do imposto de renda como funciona vou resgato lo não é muito mas para mim é sou pobre assalariado como fazer

      • Par Mais
      • 18/06/2018
      Responder

      Geraldo, boa tarde!
      Você fez um VGBL e o imposto só incide nos rendimentos.
      Por exemplo: se você investiu R$10 mil e se o seu rendimento foi de 5%, você só pagará IR sobre os R$500,00. O problema é que deve ser taxa de carregamento na entrada e na saída.
      Você não informou o valor, então é melhor você deixar tudo na poupança e esperar sempre o aniversário de um mês, para poder receber os rendimentos.

      Se você quiser, podemos orientá-lo, basta fazer a BIO Financeira nesta ferramenta: http://apps.parmais.com.br/inteligencia-par-mais

      E nos avisar pelo [email protected]

      Desejamos sucesso!

    • Dora Pereira
    • 19/06/2018
    Responder

    Boa noite ,em fevereiro desse ano , tinhamos 10 mil no banco e o gerente fez nossa cabeça , pra investir em previdência privada tipo vglb rf24 , ele fez uma propaganda enorme , disse que os rendimentos eram muito bons , que no final de um ano , íamos ter um lucro de 2 mil e poucos , enfim o papo de vendedor que hipnotiza as pessoas , só que até hoje não teve quase rendimento nenhum , teve 75 reais de rendimento até o mês passado e esse mês perdemos 30 reais , a minha dúvida é , em agosto quando completam os 6 meses de carência , eu posso resgatar meu dinheiro e encerrar essa porcaria ? E eu vou perder muito dinheiro ? Obrigada .

      • Par Mais
      • 20/06/2018
      Responder

      Dora, bom dia!
      Realmente o papo de vendedor hipnotiza a todos. Não fique aborrecida com você e não se sinta culpada!
      Como é um VGBL você só vai pagar IR sobre os rendimentos, mas vamos precisar do CNPJ do fundo, para saber se tem taxas de carregamento na entrada e na saída e qual a taxa de administração do fundo.
      O mês de maio foi de muita volatilidade e diversos tipos de aplicações deram resultados negativos, mas no mundo dos investimentos é assim mesmo, só precisamos ser avisados para não sofrermos com um investimento desalinhado.
      Passe o CNPJ e vemos para você…
      Sucesso!

    • Giulia
    • 19/06/2018
    Responder

    Oi, boa noite! Há 2 meses recebi 12.000 e fui orientada pela caixa a fazer aplicação na previdência. Apliquei o dinheiro, mas de lá pra cá não ganhei nada e ainda perdi 570,00!! Estou decidida a cancelar a previdência e devolver esse dinheiro para minha poupança. Gostaria de saber se vou perder ainda mais? Estou bem preocupada.
    Minha aplicação é VGBL, CNPJ: 13.058.876/0001-30! Agradeço!

      • Par Mais
      • 20/06/2018
      Responder

      Giulia, bom dia!
      Nesses últimos meses e, em especial em maio, tivemos muita volatilidade nos investimentos.
      Deviam ter te avisado que a rentabilidade passada não garante rentabilidade futura. O histórico do fundo não era ruim…
      Mas se você se sente incomodada, resgate sim!
      Inclusive a taxa de administração do seu fundo é alta. É de 2,5% e com a taxa de juros baixa, ela pesa demais na rentabilidade.
      Vimos também que o seu fundo não tem taxas de carregamento na saída e isso é bom. Mas você precisa verificar a condição do seu plano de previdência. Geralmente na CAIXA não tem taxa de carregamento na entrada, mas até 36 meses, tem na saída.
      Nós é que agradecemos por ser nossa leitora!
      Sucesso!

    • Kátia
    • 25/06/2018
    Responder

    Bom dia.
    Tenho um VGBL Bradesco tabela progressiva. Quero saber se vale a pena o resgate.
    Se for, faço integral ou parcial?
    Me informamaram que a taxa de carregamento deixa de ser cobrada após 61 meses. Me ajude por favor.
    O CNPJ 51.990.695/0001-37.

      • Par Mais
      • 26/06/2018
      Responder

      Kátia, bom dia!
      Não conseguimos localizar nos sistemas o fundo. Daria para você conferir se o CNPJ é esse mesmo: O CNPJ 51.990.695/0001-37

      Para analisarmos de forma completa, por gentileza, nos informe qual é o seu plano de previdência.
      Você já informou que a modalidade é VGBL, mas tem vários no Bradesco.
      Outra informação importante: a data do seu primeiro depósito e seu atual saldo. O ideal é enviar um extrato.
      Para ficar mais confortável envie pelo [email protected]

      No aguardo,

    • Jessica
    • 27/06/2018
    Responder

    Olá tinha 5160.00 reais pra investir em algum plano e investi no Bradesco sob medida vgbl rf24 a carência era de 5 anos eu apliquei esse valor em 02/2013 e tenho quase certeza que tem taxa de carregamento e taxa de saída . Pago 300 reais mensais desde que comecei esse plano e de 2 anos pra cá essa contribuição mensal que incialmente era de 300 reais passou aos poucos atualmente para 362.00 queria saber o quanto vou conseguir resgatar sendo que já passou o período contratado, tirando tudo que eles pegam !? Obrigada

      • Par Mais
      • 28/06/2018
      Responder

      Jessica, boa tarde!

      Para sabermos exatamente qual seria o valor a ser resgatado é necessário ter mais alguns detalhes como:
      – o contrato do seu plano (taxas e tabela do IR)
      – o extrato do plano (mapa das contribuições)
      – o CNPJ do fundo que o plano utiliza (taxas praticadas do fundo)

      Existem diversas variáveis que podem mudar totalmente este valor. Nos passe essas informações que analisamos para você.

      Sucesso!

    • Carita Andrea
    • 09/07/2018
    Responder

    Ola, boa noite
    Fiz uma previdência privada VGBL da caixa econômica federal com regime de tributação regressiva em 01/11/2017, e gostaria de resgatar quando completasse um ano.Gostaria de saber se para mim valeria a pena resgatar agora, ou seria melhor espear

      • Par Mais
      • 10/07/2018
      Responder

      Carita, bom dia!
      Para que possamos dar uma resposta correta, precisamos saber as condições do seu plano (taxas de carregamento de entrada e saída) e o CNPJ do fundo que está aplicado (taxas de administração). O ideal é você enviar o seu extrato que analisamos para você. Para manter o seigilo, envie do [email protected], aos cuidados de Mara.
      Até mais.

    • VIRGINIA FRY
    • 14/07/2018
    Responder

    Há taxa de carregamento no resgate?,

      • Par Mais
      • 16/07/2018
      Responder

      Virginia, bom dia!
      Sim, muitos plano cobram. Você precisa verificar o seu.
      Sucesso!

    • VIRGINIA FRY
    • 14/07/2018
    Responder

    No resgate total o que é descontado?

      • Par Mais
      • 16/07/2018
      Responder

      Virginia, bom dia!
      Depende do modelo tributário escolhido e das regras da cada plano. Basicamente se paga o imposto e a taxa de carregamento de saída, caso o seu plano tenha.

    • Aparecido Rocha Pinto
    • 23/07/2018
    Responder

    Boa tarde . Tenho um valor aplicado num plano de previdência VGBL FIE 2 no Bradesco . Taxa de carregamento na saída consta como 1,20 % e o IRPF no sistema progressivo . Como quero encerrar o plano , quanto seria descontado do valor total ? No momento o valor dos rendimentos está em 16 mil e o valor total aplicado foi de 100 mil . Se estou certo , descontaria perto de 5 mil . Estou correto ? Desde já , fico grato .

      • Par Mais
      • 24/07/2018
      Responder

      Aparecido, bom dia!
      Respondendo suas questões e de acordo com as informações que você nos passou:
      – O seu plano é um VGBL
      – Aplicação inicial foi de R$ 100.000,00
      – Rendimento acumulado de R$ 16.000,00
      – Tributação: tabela progressiva

      Pelo fato do valor do rendimento ter sido e R$ 16.000,00 entra na alíquota de 27,5% de imposto, gerando um valor a pagar de R$ 4.400,00

      Quanto a taxa de saída, esta taxa é descontada do valor total líquido aplicado (descontando os impostos).
      Neste caso, a alíquota de 1,20% incide sobre R$ 111.600,00, gerando um valor da taxa de R$ 1.339,20

      Desta forma o desconto total é de R$ 5.739,20, e o valor a ser resgatado é de R$ 110.260,80
      Resumo
      – Imposto – 27,5% = R$ 4.400,00
      – Taxa de saída = R$ 1.339,20
      – Total dos descontos = R$ 5.739,20
      – Valor de resgate = R$ 110.260,80

      Esperamos ter ajudado e estamos à sua disposição.

      Até mais!

    • Adriana
    • 02/08/2018
    Responder

    Prezados,

    Meu marido participava da previdencia privada fechada dos funcionários da empresa, aonde havia um valor que ele colaborava e a empresa carregava o mesmo valor.
    Ocorre que, após 19 anos ele foi desligado. As alternativas dadas foram: 1) manter os valores na previdencia da empresa
    2) sacar somente o valor que ele havia investido
    3) migrar o valor integral para outra instituição de previdencia aonde ele só poderia sacar aos 55 anos
    Optamos pela terceira opção, migramos para o Itaú
    Neste novo cenário, meu marido foi contratado por uma nova empresa e será transferido para os Estados Unidos definitivamente.
    Como podemos resgatar os valores da previdência? Há esta possibilidade? Pelo fato da mudança definitiva do País?

      • Par Mais
      • 02/08/2018
      Responder

      Adriana, boa tarde.

      Para ver se você pode efetuar o resgate da sua previdência, sugerimos ler o regulamento do plano junto ao Itaú. Na maioria dos casos, na portabilidade entre um plano de previdência fechado para aberto o valor não pode ser resgatado antes do tempo pré-definido, que no seu caso é aos 55 anos.
      Sobre a saída definitiva, se não houver a possibilidade de resgate, o montante investido não é perdido e, geralmente, é possível voltar a contribuir depois, caso o regulamento do plano permita, mesmo mudando de país.

      Esperamos ter ajudado.

    • Luiz Bezerra
    • 07/08/2018
    Responder

    Bom dia
    Minha esposa fez um plano de previdencia privada VGBL por 4 anos por ter isenção de imposto de renda seg o gerente, só que alem do plano de 1.000,00 mes foi ivestido 28.000,00 reais. Seria melhor resgatar este valor e fazer outro tipo de aplicação ou perderia ainada mais?

      • Par Mais
      • 07/08/2018
      Responder

      Luiz, bom dia.

      Para ter uma noção de valores, seria importante sabermos as condições do plano e o CNPJ do fundo aplicado, para entendermos as taxas cobradas. A vantagem do VGBL é que o IR incide apenas sobre os rendimentos.

      Esperamos ter ajudado.

    • Ronie Fernando Tenorio Galvao
    • 14/08/2018
    Responder

    Tenho um plano de previdência que foi constituído numa entidade fechada e foi portado para uma entidade aberta. Ocorre que fiz a solicitação de resgate e recebi a informação de que não posso resgatar, somente receber o valor que tenho dividido por prazo mínimo de 15 anos e forma de renda mensal. Quero saber se posso reduzir esse prazo para 12 meses?

      • Par Mais
      • 16/08/2018
      Responder

      Ronie, boa tarde.

      São muitas variáveis envolvidas neste caso, sugerimos analisar as regras do plano para verificar as possibilidades. Mas em regras gerais, você poderá resgatar o que foi aportado por você, com o pagamento de impostos. Aquilo que foi aportado pela empresa do plano que você aderiu, só poderá ser resgatado após o período de carência pré-definido.

      Esperamos ter ajudado.

    • Joice
    • 14/08/2018
    Responder

    Olá bom dia! Eu fiz uma aplicacão Bradesco VGBL pela conta da minha filha menor, a carência vence mês que vem consigo fazer o resgate de emergência esse mês? Oque devo fazer?

      • Par Mais
      • 15/08/2018
      Responder

      Joice, boa tarde.

      Infelizmente é necessário cumprir a carência. Converse com o seu gerente para sanar as possíveis dúvidas.

      Desejamos sucesso.

    • Claudia
    • 16/08/2018
    Responder

    Bom dia preciso porfavor de um profissional em São Paulo, capital que cuide da Previdência Privada. Gostaria de requerer a isencão do pagamento dos impostos ao resgatar o VGBL/PGBL em caso de doença (Parkinson). Obrigada Claudia

      • Par Mais
      • 16/08/2018
      Responder

      Claudia, boa tarde.

      Para usufruir da isenção, você deverá procurar o serviço médico da união, conforme descrito no site oficial da Receita Federal:
      “Caso se enquadre na situação de isenção, o contribuinte deverá procurar o serviço médico oficial da União, dos Estados, do Distrito Federal ou dos Municípios para que seja emitido laudo pericial comprovando a moléstia.”
      Caso queira mais detalhes, pode acessar por este link – http://idg.receita.fazenda.gov.br/orientacao/tributaria/isencoes/isencao-do-irpf-para-portadores-de-molestia-grave

      Ficamos à disposição.

  3. Boa tarde, meu marido contribuiu por 20 anos na previdencia privada do Banco Itau,no valor de 580 reais de hoje, em 2015 ele fez uma simulação e naquela epoca se ele se aposentasse daria 2300, esta semana ele foi ao banco pois já deu os 20 anos, a nossa surpresa foi que o gerente falou que o valor pago seria de 1100 Reais, o que achei um absurdo, como pode ser esse valor se ele contribui com quase 600 Reais, eles simplesmente falaram que era esse o valor o que devemos fazer, obrigada pelo momento.

      • Par Mais
      • 20/08/2018
      Responder

      Sandra, bom dia!
      Realmente é desesperador contar com um recurso e não obtê-lo. O caso do seu marido é igual a de milhares investidores em previdência privada. Como cada plano de previdência possui regras próprias, por gentileza, nos passe o seu plano e o tipo de benefício contratado, que estudamos sem custos para você!

    • RUI MENDONÇA
    • 28/08/2018
    Responder

    tenho vgbl progressivo e um regressivo os 2 tem 2 anos . qual devo resgastar , ja que todo ano tenho imposto retido na fonte . na fonte entra o valor total na tributacão ou só o rendimento .

      • Par Mais
      • 29/08/2018
      Responder

      Rui,boa tarde!

      Respondendo as suas questões:

      – No VGBL a tributação incide sobre os rendimentos, não sobre o valor total.
      – Na parcela do seu plano que está na alíquota regressiva, se tiver até 2 anos de contribuição, você irá pagar 35% de IR sobre os rendimentos, seguindo esta tabela:
      Tempo de contribuição Alíquota

      Até 2 anos = 35%
      De 2 a 4 anos = 30%
      De 4 a 6 anos = 25%
      De 6 a 8 anos = 20%
      De 8 a 10 anos = 15%
      Mais de 10 anos = 10%

      Na parcela do seu plano que está na alíquota progressiva, depende do valor mensal ou total que será resgatado, seguindo esta tabela:
      Base de Cálculo Mensal* Alíquota
      Até R$1.903,98 = Zero
      De R$1.903,99 até R$2.826,65 = 7,5%
      De R$2.826,66 até R$3.751,05 = 15,0%
      De R$3.751,06 até R$4.664,68 = 22,5%
      Acima de R$4.664,68 = 27,5%
      *Lembrando que estes valores mudam anualmente

      Para responder com maior precisão sua questão sobre qual plano resgatar, teríamos que ter maiores informações como: se o plano tem carência, as condições, os saldos.

      Esperamos ter lhe ajudado!

    • Nelson
    • 04/09/2018
    Responder

    Tenho uma previdencia antiga que fiz no Banco bamerindus usando a Tabela at83 e renda minima garantida de 6% aa , na qual eu tenho um aporte mensal alem do que no final do ano fazia aportes avulsos ate meu limite de 12% do IR.
    Apos o Bradesco assumir ele parou de aceitar aportes nessa previdencia pois alega que a tabela at83 não é mais usada etc. Ele pode fazer isso unilateralmente , eu li e reli meu contrato e lá diz que posso sim fazer aportes e eu fazia isso ate a venda para o Bradesco. Isso é legal ? O que devo fazer ?

      • Par Mais
      • 05/09/2018
      Responder

      Nelson, boa tarde!
      Você possui um produto extraordinário e que deve ficar com ele de qualquer forma. A melhor parte é a renda garantida (BD). Você deve continuar aportando!! Sugerimos procurar um advogado e para reverter essa posição do Bradesco.
      Desejamos muito sucesso!

    • Erika
    • 11/09/2018
    Responder

    Boa tarde. Gostaria de resgatar os valores da minha previdencia privada, e enviar para uma conta poupança que tenho no Brasil para q meus pais (meus dependentes) possam usufruir para o pagamento das despesas basicas. Atualmente estou morando fora do Brasil e fui informada q nao é possivel transferir para essa conta poupança e que eu tenho que enviar p dinheiro para a minha conta atual no exterior. Nesse caso, ao inves de pagar 15%, eu teria q pagar 25%.
    Gostaria de saber se tenho a opcao de fazer essa transferencia na conta poupança do Brasil. Nao tenho interesse de receber esse dinheiro no exterior.

      • Par Mais
      • 11/09/2018
      Responder

      Erika,boa noite!
      Caso você seja residente fiscal nos país que mora atualmente e tenha condição de não-residente fiscal no Brasil, não é permitido legalmente manter e operacionalizar uma conta corrente normal no Brasil. Para isso, seria preciso ter uma conta corrente de não-residente, cujo custo de manutenção é bem alto e normalmente inviabiliza a operação. Portanto, recomendo que você solicite um parecer a um advogado tributarista antes de fazer qualquer movimentação com os recursos da previdência.
      Desejamos sucesso!

    • De
    • 12/09/2018
    Responder

    Trabalhei por 15 anos em uma empresa pública em regime de CLT, Assim que eu entrei para essa empresa fiz a opção de uma Previdencia (BB previ) com tributação progressiva, eu contribuia mensalmente com 3% do meu salário e a empresa com 7% . Há dois anos fui demitida dessa empresa e para que eu pudesse ter a totalidade do valor da minha previ me vi obrigada à pedir a portabilidade do bb previ, pois caso não portasse, eu so teria direito ao que eu contribuí (aproximadamente 30%do valor total) A portabilidade foi feita para o banco santander. Eu esperava poder sacar essa previdência quando desse o prazo de 3 meses de carência no Santander. Ao tentar o resgate fui informada que so poderia sacar o valor da portabilidade em janeiro de 2019, isso por conta de uma portaria do governo que regia o BB previ. Por conta disso fiquei devendo um empréstimo no santander e agora nao sei se poderei sacar o valor da minha previ sem que o banco desconte a minha divida desse dinheiro que vai cair na minha conta…gostaria de saber se no caso de eu pedir a portabilidade para outro banco, terei algum impedimento para o saque? Tenho medo de não conseguir sacar no prazo dado pela portaria -janeiro de 2019 se eu pedir uma nova portabilidade, mesmo que a carência do banco novo me permita.

      • Par Mais
      • 17/09/2018
      Responder

      Deborah, bom dia!
      Caso sua dívida seja um empréstimo tomado em que você paga parcelas mensais, o banco não debitará o valor da sua previdência quando ele cair na sua CC. Porém, se você estiver com dívida no cheque especial (ou seja, conta negativa), o valor que cair na sua conta corrente será sim utilizado pelo banco para amortizar o saldo da dívida.
      Por ser uma condição especial, é possível sim que você tenha outro impeditivo para saque no caso da portabilidade para outro banco, porém, para responder essa pergunta com mais propriedade recomendo você falar com seu gerente no Santander, deixando clara a questão da portaria do governo.
      Desejamos que tido se resolva bem!

    • Adriano
    • 17/09/2018
    Responder

    Tenho uma previdência que fiz qdo era funcionario do banco, e fiz uma outra pela empresa que trabalhei, qdo fui demitido fiz a transferência para essa do banco, agora depois de 10 anos eu quero resgatar e não posso, dizem que só pra renda, não tem uma outra forma de resgatar?
    Agora

      • Par Mais
      • 18/09/2018
      Responder

      Adriano, boa tarde!

      Isso aconteceu, porque você fez a portabilidade de um plano fechado (empresa) para um plano aberto (banco), nesse caso não é possível resgatar, somente transformar em renda.

      A explicação para isso está no Art.14 da LC 109:

      http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/LCP/Lcp109.htm

      Art. 14. Os planos de benefícios deverão prever os seguintes institutos, observadas as normas estabelecidas pelo órgão regulador e fiscalizador:
      I – benefício proporcional diferido, em razão da cessação do vínculo empregatício com o patrocinador ou associativo com o instituidor antes da aquisição do direito ao benefício pleno, a ser concedido quando cumpridos os requisitos de elegibilidade;
      II – portabilidade do direito acumulado pelo participante para outro plano;
      III – resgate da totalidade das contribuições vertidas ao plano pelo participante, descontadas as parcelas do custeio administrativo, na forma regulamentada; e
      IV – faculdade de o participante manter o valor de sua contribuição e a do patrocinador, no caso de perda parcial ou total da remuneração recebida, para assegurar a percepção dos benefícios nos níveis correspondentes àquela remuneração ou em outros definidos em normas regulamentares.

      § 1o Não será admitida a portabilidade na inexistência de cessação do vínculo empregatício do participante com o patrocinador.
      § 2o O órgão regulador e fiscalizador estabelecerá período de carência para o instituto de que trata o inciso II deste artigo.
      § 3o Na regulamentação do instituto previsto no inciso II do caput deste artigo, o órgão regulador e fiscalizador observará, entre outros requisitos específicos, os seguintes:
      I – se o plano de benefícios foi instituído antes ou depois da publicação desta Lei Complementar;
      II – a modalidade do plano de benefícios.

      § 4o O instituto de que trata o inciso II deste artigo, quando efetuado para entidade aberta, somente será admitido quando a integralidade dos recursos financeiros correspondentes ao direito acumulado do participante for utilizada para a contratação de renda mensal vitalícia ou por prazo determinado, cujo prazo mínimo não poderá ser inferior ao período em que a respectiva reserva foi constituída, limitado ao mínimo de quinze anos, observadas as normas estabelecidas pelo órgão regulador e fiscalizador.

    • Luciano
    • 18/09/2018
    Responder

    tenho R$500.000 uma previdência privada patrocinada, progressiva no ICATU a 20 anos e gostaria de resgata-la agora que fui demitido, porém, como é fundo patrocinado, gostaria de saber quais são minhas opções, pois em um contato rápido com a ICATU, verifiquei que eles não tem muito interesse em retornar ao cliente sobre este assunto. Há alguma opção para este resgate?
    Grato.

      • Par Mais
      • 19/09/2018
      Responder

      Luciano, bom dia!
      Os planos patrocinados possuem regras próprias.
      A única maneira de auxiliá-lo sobre suas opções de resgate é analisando o regulamento do seu plano. Geralmente se você realizar uma portabilidade para uma outra instituição só poderá resgatar como renda.
      Vamos fazer até um artigo sobre esse assunto, pois diversos leitores estão com a mesma dúvida sua.
      Até mais…

    • Alfio
    • 18/09/2018
    Responder

    Boa noite, tenho pago a um tempo a previdência privada em uma instituição, e também adquirir um empréstimo no mesmo lugar, ainda falta um tempo para aponsentar, gostaria de saber se há possibilidade de eu pagar o empréstimo com o dinheiro que já investi na previdência privada, já que os dois são no mesmo CNPJ. O que acha?

      • Par Mais
      • 19/09/2018
      Responder

      Alfio, bom dia!
      Você não informou que tipo de plano de previdência possui, sua tributação, carência para resgate etc, mas independente disso com certeza a rentabilidade do seu plano é infinitamente menor que a taxa de juros do seu empréstimo.
      Sugerimos que converse com o seu gerente a respeito, pois será muito melhor para você quitar o seu empréstimo o mais rápido possível.
      Desejamos sucesso!

    • Michelle Moreira dos Santos
    • 01/10/2018
    Responder

    Olá Dal, boa tarde!
    Tenho uma previdência VGBL do Itaú, ao consultar o resgate fui informada que não terei o valor que foi pago ao seguro devolvido. No caso eles venderam dois produtos juntos( venda casada) pois é informado que não é possível somente a contratação de um só. Isso é correto ?. Quando me foi apresentado a proposta me disseram que teria o retorno de ambos, mais agora que quero resgatar só receberei um?. Poderia me tirar essa dúvida?

      • Par Mais
      • 01/10/2018
      Responder

      Michelle, boa tarde!
      Existem produtos que são a soma de uma previdência e um seguro de vida, ou seja, são comercializados juntos. Neste caso, não seria venda casada, pois é uma categoria específica de produto. Mas, com certeza, não informaram corretamente para você.
      Esse tipo de postura causa muitos danos para todos.
      Infelizmente você realmente não vai receber nada referente ao seguro (só receberia se houvesse o acionamento do seguro).
      Desejamos uma ótima semana para você e sua família!

    • Paula
    • 15/10/2018
    Responder

    Boa tarde, recentemente abrir uma conta no caixa econômica e fiz contrato com a previdência, só que além disso,estão comprando seguradora sem minha autorização, isso já faz 7 meses,será se tema possibilidade de resgatar esse dinheiro de volta)?

      • Par Mais
      • 16/10/2018
      Responder

      Paula, bom dia!
      Antes de qualquer coisa, você deve ir pessoalmente conversar com o seu gerente e descobrir o que está acontecendo.
      Existem planos conjuntos: previdência + seguro de vida, pode ser isso!

      Estamos com um serviço gratuito de análise de planos de previdência.
      Você preenche o formulário com os dados do seu plano, marca dia e horário da reunião e vai receber todas as análises.

      Acesse neste link https://www.parmais.com.br/servicos/analise-de-previdencia-par-mais/

      Até mais!

    • Antonio
    • 18/10/2018
    Responder

    Boa tarde! Eu fiz portabilidade da minha previdência complementar PGBL da PETROS para um fundo de previdência externo. Na época, eu poderia optar pelo resgate (metade do valor aplicado, somente a parte que eu mesmo contribuí) ou pela portabilidade para outro fundo de previdência (portando também a parte que a PETROBRAS contribuiu). É possível o saque integral dos recursos dessa previdência hoje? Tem algum prazo para isso? Muito obrigado.

      • Par Mais
      • 19/10/2018
      Responder

      Antonio, bom dia!

      A princípio, não!
      Os fundos de previdência fechada tem regras próprias e você não citou quanto tempo faz que realizou a portabilidade, mas independente disso, a regra geral é que o usufruto do dinheiro investido será exclusivo para recebimento de renda, conforme regra do plano original.
      Sugerimos que faça uma consulta a sua atual instituição financeira que recebeu a portabilidade do plano.
      Sucesso!

    • Ana Lúcia
    • 29/10/2018
    Responder

    Boa tarde!
    Tenho um plano de previdência privada. Sou aposentada e vou me desligar da empresa. Estou em dúvidas se faço o resgate ou se deixo um valor como complementação. Gostaria de saber se fazendo o resgate posso ficar isenta de imposto de renda, uma vez que sou portadora de doença grave e não sofro desconto de IR na aposentadoria e outros. Agradeço a atenção e aguardo retorno!

      • Par Mais
      • 30/10/2018
      Responder

      Ana Lúcia, boa tarde!

      No caso do resgate, não há isenção de imposto de renda, veja o que diz o site da receita federal, no tópico “Situações que não geram isenção”:

      III – Os valores recebidos a título de resgate de entidade de previdência complementar, Fapi ou PGBL, que só poderá ocorrer enquanto não cumpridas as condições contratuais para o recebimento do benefício, por não configurar complemento de aposentadoria, estão sujeitos à incidência do IRPF, ainda que efetuado por portador de moléstia grave.

      Porém, caso você opte por transformar em renda, aí sim você terá isenção de IR, conforme o trecho abaixo, também retirado do site da receita:

      A complementação de aposentadoria, reforma ou pensão, recebida de entidade de previdência complementar, Fundo de Aposentadoria Programada Individual (Fapi) ou Programa Gerador de Benefício Livre (PGBL) e os valores recebidos a título de pensão em cumprimento de acordo ou decisão judicial, ou ainda por escritura pública, inclusive a prestação de alimentos provisionais recebidos por portadores de moléstia grave são considerados rendimentos isentos.

      Portanto, caso você não precise dos recursos imediatamente, o recomendado é solicitar seu benefício da previdência em forma de renda.

      Neste link você encontra as informações completas:
      http://idg.receita.fazenda.gov.br/orientacao/tributaria/isencoes/isencao-do-irpf-para-portadores-de-molestia-grave

      Espero que essas informações sejam úteis para você.

      Até mais

    • Eliniere
    • 30/10/2018
    Responder

    Boa tarde. Me tornei participante da previdência da Valia em 2012 pela empresa a qual eu trabalhava. Saí em janeiro deste ano e quero resgatar. No requerimento de resgate veio escrito: “Não quero receber a Renda de
    Benefício Diferido por Desligamento, pelo que manifesto integral desistência à mesma”. O que isso quer dizer?

      • Par Mais
      • 05/11/2018
      Responder

      Eliniere, boa noite!

      Isso quer dizer que você está abrindo mão do benefício proporcional diferido.
      No regulamento do plano encontra-se essa definição:

      …”O Benefício Proporcional Diferido, também conhecido como BPD, permite que o participante obtenha a Renda do Benefício Diferido por Desligamento, sem a necessidade de contribuir para o plano após a rescisão do seu contrato de trabalho com a empresa patrocinadora. Ele permanecerá vinculado até que esteja em condições de requerer e receber este benefício, nos termos previstos no Regulamento do Plano Valiaprev…”

      Ou seja, você está abrindo mão do direito de continuar no plano atual e receber o benefício em forma de renda no futuro.

      Para mais informações, veja a página 6 da cartilha da Valia Prev disponível para download neste link: http://www.valia.com.br/pt-BR/planos-e-servicos/valiaprev/Paginas/home.aspx

      Sucesso!

    • alessandra
    • 08/11/2018
    Responder

    Ola gostaria de saber se posso cancelar fiz a um dia a conta previdencia renda caixa vgbl e queria cancelar ela como faço ? Se no caso de cancelar ela perco a conta e nao posso abrir outra conta poupanca sem a previdencia? E o dinheiro que coloquei quando fi consigo pegar de volta ?

      • Par Mais
      • 08/11/2018
      Responder

      Alessandra, boa tarde!
      Cada banco/seguradora tem produtos com regras próprias, sem o CNPJ é praticamente impossível responder sobre se tem ou não carência para o resgate. Se tem taxas…

      Mas de uma coisa fique certa, o que você depositou é seu, descontado os custos (taxas), então sugerimos que procure seu gerente, converse com ele e explique seus receios.

      Caso ocorra algum problema entre em contato com a ouvidoria da Caixa Seguradora (que cuida das previdências da CAIXA) – 0800 702 4240

      Desejamos que tudo se resolva!

    • Sandra
    • 09/11/2018
    Responder

    Bom dia, fui demitida e tenho pkano fechado de previdencia, entretanto, desejo alterer os dados bancarios para outro banco e a EFPC nao permite, pois tenho debito junto ao banco e nao ao plano de previdencia. O que fazer?

      • Par Mais
      • 13/11/2018
      Responder

      Sandra, bom dia!
      Se você deseja simplesmente alterar os dados bancários de débito automático para outro banco, basta solicitar ao plano atual, é seu direito alterar para o banco de sua preferência.
      Porém, caso sua intenção seja transferir o saldo acumulado de sua previdência atual para a previdência de outro banco, é preciso analisar cuidadosamente as regras específicas de sua previdência atual.
      Sucesso!

  4. plano vglb bradesco vida e previdencia, cnpj051990695/001-37. valor; 16 mil ano 2005- obs parcela única(tem rendido menos que a poupança)atenciosamente.

      • Par Mais
      • 13/11/2018
      Responder

      Antonio. bom dia!
      Vamos enviar para nossos especialistas, mas para você receber a análise deve agendar uma horário. Clique no link e informe que enviou seus dados da sua previdência pelo Blog!

      http://www.parmais.com.br/agendamento.html

      A análise é gratuita!
      Até mais…