R7 – Saiba como organizar as finanças pessoais durante a quarentena

  • 11/05/2020
Página inicial - Na Mídia - R7 – Saiba como organizar as finanças pessoais durante a quarentena

A pandemia de covid-19 tem forte efeito sobre a receita das empresas e também na renda das famílias. Diante da nova realidade da economia brasileira e nesse cenário de incertezas, é ainda mais fundamental cuidar bem das finanças pessoais. A seguir, a planejadora financeira Annalisa Dal Zotto, sócia da ParMais, dá algumas dicas:

Tenha controle financeiro

Isso vale para todos os momentos, não somente os de crise, apesar de agora ser mais fundamental do que nunca.

Por isso, anote tudo o que você ganha e o que você gasta, inclusive as despesas pequenas, e depois faça uma análise criteriosa, identificando onde é possível cortar gastos e economizar.

Monte um fluxo projetado

Faça uma projeção das rendas e despesas da família para, pelo menos, os próximos 12 meses.

Para autônomos é mais difícil mensurar as receitas. A sugestão é aplicar um percentual de redução nesta fase de crise até que tudo retorne ao normal.

Reduza os custos

Após montar o fluxo, observe os custos fixos e avalie quais deles podem ser postergados ou reduzidos (aluguel, por exemplo, mediante negociação direta com o proprietário).

Débitos automáticos

Se você utiliza conta em banco, confira todos os débitos automáticos. Muitas vezes temos pacotes de TV, internet, celular, etc., que são poucos utilizados e estão em débito automático. Agora que estamos de quarentena em casa, é hora de sair da inércia e ligar para reduzir os valores ou até mesmo cancelar o que não usa mais.

Compras parceladas

Neste momento de incertezas, é importante não realizar ou evitar as compras parceladas. O cartão de crédito pode se tornar um grande vilão.
Procure comprar somente o essencial e tome muito cuidado com as compras online. Atente-se às parcelas já existentes. Evite se endividar.

Risco de demissão

Caso você veja que a demissão pode estar perto, a sugestão é já pensar em um plano B. É importante manter-se em contato com pessoas de sua área, amigos e até descobrir novas habilidades.

Esteja atento às políticas impostas pelos governos e bancos

Caso tenha tido acesso ao auxílio emergencial de R$ 600, e seja possível, utilize esse dinheiro apenas para comprar alimentos e produtos de higiene. O ideal é separar uma parte para os imprevistos que podem surgir.

Para pessoas com financiamento habitacional ou empréstimos bancários, as instituições financeiras estão adiando o pagamento de duas prestações da casa ou do carro para os próximos 60 dias.

Os bancos e cooperativas estão disponibilizando linhas de crédito atrativas para pessoas físicas e jurídicas. Por isso, é importante conversar com o seu gerente.

Investimentos com alta liquidez

Avalie os investimentos que possuem alta liquidez, ou seja, que possuem resgate automático. Sabendo desse valor disponível, é possível evitar empréstimos em instituições financeiras.

Reserva de emergência

Estima-se que 1/3 dos brasileiros tem algum dinheiro guardado. Se você faz parte desse grupo, a primeira coisa a fazer é organizar sua reserva de emergência.

É em momentos de crise como este, em que pode ocorrer a diminuição do salário, desemprego, interrupção das atividades e consequentemente da renda, que devemos utilizar a reserva de segurança.

Caso não precise mexer nesse dinheiro agora, deixe-o aplicado em investimentos de baixíssimo risco e alta liquidez. Prefira fundos de renda fixa, poupança, CDB de bancos e títulos públicos do tipo Tesouro Selic.

Solidariedade econômica

Em crises como a que estamos vivendo, muitos trabalhadores acabam perdendo seus empregos ou têm sua fonte de renda diminuída. Somos uma grande rede, então, por exemplo, se a manicure não recebe nada por muito tempo, ela não tem como comprar algo no mercado do seu bairro e, como consequência, o mercado não consegue pagar em dia seu fornecedor, que pode quebrar e demitir funcionários e assim por diante.

Ajude o micro e pequeno empresário

Sem ignorar o dano que todos sentirão, é inegável que isso será mais sentido nas micro e pequenas empresas e empresários individuais. Por isso, podemos mudar o hábito de comprar na grande rede de supermercados e varejo e focar naquele “mercadinho” do bairro.

Mantenha os pagamentos em dia

Se você tem suas receitas em dia ou tem reserva de segurança, faça um esforço para manter seus pagamentos mensais, ainda que o profissional não possa entregar a contraprestação nesse momento de dificuldade. Não deixe de pagar o jardineiro, o cabeleireiro, o autônomo etc. Se você tem viagem marcada, salvo se necessário, não cancele a compra, apenas reprograme.

Faça doações

Se você pode se permitir, destine uma parte dos recursos para doação. Isso mesmo, doação. Depois de analisar suas rendas e despesas, se couber no seu orçamento, doe esses recursos. É hora de ajudar a população.

Tenha claro os seus objetivos

Não é porque estamos passando por uma crise que você̂ deve desistir dos seus sonhos. Neste momento, é importante estar preparado para economizar e fazer investimentos estratégicos e inteligentes, primeiro montando sua reserva para emergências. O excedente deve ser adequado ao seu perfil de risco, pensando no médio e longo prazo.

Confira na íntegra: https://noticias.r7.com/economia/economize/saiba-como-organizar-as-financas-pessoais-durante-a-quarentena-10052020

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

Últimas publicações