Giro Financeiro – DC: Quando 2 + 2 dá igual a 5

  • 04/12/2017

Ter um relacionamento sadio não é fácil. Temos que negociar várias coisas, muitas vezes mudar nossos hábitos, ceder vontades, mas com uma base amorosa forte e boa conversa, muitas vezes nem percebemos isso.

Diversas pesquisas apontam que um dos principais motivos de separação entre casais é a má relação com as suas finanças. Perde somente para problemas do coração e, principalmente, para a infidelidade clássica, a traição amorosa. Nessa questão, não tenho o que opinar, mas em relação à administração financeira dos casais, acredito que possa colaborar. Vamos lá!

Quando um casal tem rendas desiguais, independentemente do sexo, pode ter um grande problema. Para esses casos, a velha regra de dividir as despesas 50% para cada um é injusta e perversa e pode acabar destruindo a relação. Brigas por dinheiro podem provocar danos irreparáveis num casal.

Outro dia fiquei sabendo que, num grupo de uma rede social, um integrante estava se separando porque ele conseguia poupar e investir e o seu parceiro gastava tudo o que ganhava. Aparentemente, até concordamos o que é injusto para quem investe, mas fui a fundo no problema.

Constatei que quem investia ganhava exatamente o dobro que o outro e quase todas as despesas eram divididas igualmente entre os dois. Inclusive, depesas que o parceiro que ganha menos não poderia e nem queria assumir porque estava gastando acima do seu padrão financeiro. Ora, como ele (ou ela) poderia investir? Um problema que precisa ser resolvido antes de corroer a relação entre os dois, como parece que foi o caso desse meu amigo.

Uma estratégia simples e eficiente que costumamos recomendar é que os casais apliquem à proporcionalidade de rendas x despesas. Por exemplo: o integrante A ganha 80% da renda total da família e o integrante B 20%. Então, no rateio das despesas, o A fica responsável por 80% delas e o B, com 20%.

Se for um casal hétero e a mulher ganhar mais do que o homem, cuidem para não se deixarem levar pela cultura do machismo, tão comum em nossa sociedade. Se a mulher ganha mais, é justo que arque com mais despesas e nem por isso alguém tem que ficar chateado, não é mesmo? Nem o casal, nem amigos ou parentes.

Outro fator gravíssimo é a infidelidade financeira. Gastos, dívidas e investimentos realizados sem o conhecimento do parceiro. A mentira financeira é uma catástrofe para qualquer casal. Se o relacionamento é sólido, vai ficar ainda mais forte e estável com uma real transparência financeira.

Se você está vivendo alguma crise com o seu dinheiro, tenha coragem e converse com o seu parceiro. Faça com que sua relação feche na conta certa!

Link para a matéria

Deixe seu comentário