Sua conta
  • 21/05/2013

Empregados domésticos: A nova lei e as mudanças

Início / Blog / Empregados domésticos: A nova lei e as mudanças

empregados domésticos

Nova lei dos empregados domésticos, o que muda?

Por Annalisa Blando Dal Zotto, CFP®, sócia da Par Mais Planejamento Financeiro, em publicação na Clube do Champanhe nº 19.

.

A nova lei dos empregados domésticos só formalizou um fenômeno que já notávamos nos nossos bolsos, o Brasil está deixando para traz seu lado “colônia” para se unir aos países desenvolvidos. Até pouco tempo atrás, qualquer família de classe média podia ter sua empregada doméstica e contratar serviços a preço de banana. Sou dessa geração: preciso de eletricista para trocar lâmpadas, encanador para reparar pequenos vazamentos, jardineiro para cuidar do jardim, precisei de babás e motoristas quando meus filhos eram pequenos e necessito desesperadamente da minha parceira/empregada para eu poder trabalhar e ter minha casa ficar limpa, minha vida ajeitada e o jantar pronto quando chego depois de um longo dia de trabalho. Aliás chegar em casa e ter o jantar pronto para ser servido não tem preço!! Ou tem?

Por outro lado, por sorte fui morar na minha terra natal, a Itália, logo que casei quando tinha apenas 17 anos de idade. Lá ninguém tinha empregadas, as famílias dividiam as tarefas e sobreviviam sem elas!  Os ricos, esbanjadores ou despreparados (ou folgados) como nós,  se contentavam com moças que trabalhavam por algumas horas por semana e eram muito bem remuneradas por isso. Obviamente, aprendemos a limpar a casa e cozinhar, ensinamentos que me são muito úteis!

Me chamava a atenção também que os europeus, assim como todos os outros povos de economias desenvolvidas, cuidavam de seus jardins, trocavam lâmpadas, faziam pequenos consertos, montavam seus móveis, instalavam seus eletro/eletrônicos, faziam suas próprias declarações do imposto de renda, etc.

Acredito que o que vemos atualmente no Brasil é o início de uma profunda mudança na estrutura da sociedade, assim como já é nas sociedades desenvolvidas.

Nos últimos anos, o preço dos serviços aumentaram muito mais do que a inflação, com isso o peso destes sobre a nossa renda ficou muito alto! Além disso, veio a nova lei que equipara as empregadas domésticas aos trabalhadores em geral. Essa lei, que foi muito elogiada por todo o mundo, de fato traz justos benefícios para nossos ajudantes, porém nossas leis trabalhistas são antigas e totalmente favoráveis aos empregados, o que me dá arrepios ao pensar que daqui a alguns anos veremos famílias sucumbindo a processos trabalhistas de destruir o patrimônio duramente conquistado!

É evidente que essa nova realidade, vai nos fazer mudar de hábitos de vida, a questão é quando decidiremos arregaçar as mangas.   Bem, para nortear esta decisão, fazer umas continhas é fundamental, afinal estamos falando em aumentar nossa carga de trabalho, exigir ajuda dos filhos, maridos, ufa… não vai ser fácil!

Então vamos lá, se substituirmos uma empregada que recebe R$ 1.300,00 ao mês por uma faxineira com frequência semanal de 2 vezes e que receba R$ 100,00 por dia, qual seria a economia gerada?

Conforme demonstra o quadro abaixo, a cada ano a economia seria de mais de R$ 10.000,00! Se considerarmos aplicar estes valores a uma taxa de 10% ao ano, em 10 anos a economia seria de quase R$ 163.000,00, em 20 de mais R$ 585.000,00 e em 30 anos praticamente R$ 1.700.000,00! Isso sem considerar transporte e outras despesas de ter mais uma pessoa em casa consumindo.

Com base nestas reflexões, consegui tomar uma primeira decisão, que é bem menos sofrida do que abrir mão da secretária do lar. Da próxima vez que tiver que contratar encanador, eletricista, faz tudo em geral, vou paga-lo para nos ensinar a fazer estes pequenos reparos por conta própria. Desta forma, poderemos fazer muitas economias fazendo nós mesmos estes pequenos serviços.  Imaginem ao longo dos anos a diferença que fará ao bolso e à formação de nossos filhos!

Quanto ao meu anjo do lar, vou aguardar o governo formalizar todos os aspectos desta nova lei para então tomar minha decisão, enquanto isso vou ficar com esta conta martelando na minha cabeça e me fazendo refletir sobre prioridades e estilo de vida.

 

Revista Clube do Champanhe.

 

Empregados domésticos: A nova lei e as mudanças por Annalisa Blando Dal Zotto – 21.05.2013

A Par Mais Planejamento Financeiro tem um propósito claro: trabalhamos para auxiliar cada um de nossos clientes a construir sua tranquilidade financeira. Atuamos na área de planejamento financeiro pessoal, family office, gestão patrimonial, consultoria financeira para empresas e consultoria de investimentos.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

×