• 09/07/2018

Giro Financeiro – DC: a inflação da ressaca

E cá estamos nós, ainda vivendo a ressaca da greve caminhoneiros! Os custos da produção aumentaram repentinamente e consequentemente, estamos vendo a volta de uma inflação indesejada.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, o IPCA, apresentou avanço de 1,26% em junho, atingindo a maior alta para o mês nos últimos 23 anos. O acumulado nos últimos 12 meses subiu 4,39%, enquanto que nos 12 meses imediatamente anteriores registrou 2,85 Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE.

A bendita greve dos caminhoneiros é a principal responsável por essa alta tão abrupta e repentina. Primeiro porque a agropecuária sofreu perdas irreversíveis durante a greve, então já era esperada a escassez de alimentos e o natural aumento do custo dos alimentos. Depois que a greve acabou, veio o impacto do tabelamento dos preços do frete, que fez com que muitos produtores não voltassem a distribuir prontamente seus produtos e a escassez não foi totalmente superada. E as consequências ainda não acabaram, porque a aplicação da tabela de fretes encareceu muito o transporte, consequentemente está atingindo toda a cadeia produtiva e adivinhem…mais aumentos de preços. Conforme amplamente divulgado, o aumento do frete já refletiu em um aumento de 12% no custo do arroz na cidade de São Paulo. No setor de aves e suínos as projeções do aumento, devido ao frete, ultrapassam a 50% para o mercado interno e aumentos ultra danosos nos custos das nossas exportações.

É importante comentar também que temos um outro vilão que pressionou a inflação, o combustível, que tem tido aumentos sucessivos dos preços nos últimos tempos.

O problema é que estamos com atividade econômica em queda, convivendo com altos índices de desemprego, que afetam diretamente o poder aquisitivo da população e o consumo das famílias.

O que fazer?

Temos que rapidamente desenvolver uma política de desenvolvimento, mantendo a atual política de juros baixos, mas que reflitam também em juros menores para investimentos de longo prazo. Dessa forma se estimula investimentos nas indústrias e em toda a cadeia produtiva. Também precisaríamos de segurança jurídica, mas parece que a guerra de poder entre os três poderes está longe de acabar, haja visto a impressionante capacidade que o poder tem de insuflar egos e transformar pessoas.

A inflação para nós brasileiros é como uma doença mal curada, que vira e volta nos coloca de cama, por isso ela tanto nos assombra. Mas apesar desse período de alta repentina, por conta da responsável equipe econômica atual, não acredito que vamos sucumbir aos remédios tradicionais para a queda da inflação, com o aumento dos juros. Ao contrário, acredito que em breve ela volte a patamares baixos por conta própria, afinal a recuperação da economia ainda está bem difícil.

CATEGORIAS BLOG

CATEGORIAS BLOG

Deixe seu comentário